/No Vaticano: Pesquisador são-carlense participa de debate sobre segurança alimentar

No Vaticano: Pesquisador são-carlense participa de debate sobre segurança alimentar

Vaticano – Em sua recente visita ao Vaticano, onde exerce as funções de membro e cônsul da Pontifícia Academia das Ciências do Vaticano, o diretor do IFSC/USP, Prof. Vanderlei Bagnato, participou de um seminário que ocorreu nos dias 12 e 13 de setembro, subordinado ao tema “Segurança alimentar e Regimes Alimentares Saudáveis”. O encontro reuniu especialistas em diversos campos da ciência, que dissertaram e discutiram quais as ações práticas que devem ser tomadas não somente para acabar com a fome, mas também para nutrir de maneira saudável a humanidade, sem degradar o meio ambiente.

A finalidade do seminário foi compartilhar as inovações científicas sobre a segurança alimentar, desenvolvendo recomendações – com especial atenção aos sistemas alimentares nos países mais pobres – que conduzam a ulteriores conferências e ações por parte da Organização da ONU para Alimentação e Agricultura (FAO) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), sendo que o diretor do IFSC/USP apresentou um projeto inovador de descontaminação de alimentos.

Em entrevista ao Vatican News e à Rádio Vaticano, Vanderlei Bagnato salientou que, no caso dos alimentos, já existe um programa que conta com a parceria de diversas empresas para a produção de dispositivos e técnicas que descontaminem os alimentos sem a adição de produtos químicos, como, por exemplo, os tão conhecidos pesticidas. “Por exemplo, se você produz carne e quer embalá-la utilizando ultravioleta e ozônio, você é capaz de fazer com que essa carne fique estéril antes mesmo de ser embalada”, pontua Bagnato. Segundo o diretor do IFSC/USP, existe uma forte preocupação com os alimentos in natura, que têm grande consumo no mundo, como carne, frutas e legumes, motivo pelo qual se está utilizando técnicas avançadas para preservá-los.”Hoje, para limpar os alimentos, utilizam-se processos complicados com a utilização de ácidos, gastando-se em simultâneo uma enorme quantidade de água. E é nesse sentido que estamos trabalhando com técnicas, utilizando a Física, no sentido de aprendermos melhor a maneira de controlar e destruir os microorganismos que existem nos alimentos.

(Com informações de Bianca Fraccalvieri / Vatican News)