fbpx

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim
 
Radio Sanca Web TV - Terça, 04 Mai 2021

 

 

As cestas serão distribuídas para famílias em vulnerabilidade social cadastradas nos CRAS

 

SÃO CARLOS/SP - A Prefeitura de São Carlos recebeu nesta quarta-feira (05/05), por meio da Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social, 750 cestas básicas doadas pelas empresas São Carlos Ambiental e Suzantur para serem distribuídas às famílias que neste momento passam insegurança alimentar devido a pandemia da COVID-19. 

A empresa São Carlos Ambiental repassou 500 cestas nesta quarta e no dia 7 de maio entrega uma outra remessa com mais 500. A empresa Suzantur entregou 250 cestas e nos próximos dias também vai fazer a doação de outras 250 com produtos alimentícios.

Glaziela Solfa Marques, secretária de Cidadania e Assistência Social, agradeceu as empresas pelas doações. “Desta forma podemos atender mais famílias em situação de vulnerabilidade. Lembramos que o município também faz o atendimento às famílias carentes o ano todo. Antes da pandemia eram repassadas de 350 a 400 cestas básicas por mês, hoje são mais de 1.600 famílias atendidas pela Prefeitura de São Carlos”, revela a secretária.

Para o vice-prefeito essa união da iniciativa privada e o poder público é importantíssimo neste momento de crise pelo qual todo o país passa. “Todos juntos podemos muito mais para o cuidado às pessoas que estão em situação de vulnerabilidade na cidade. Essas cestas básicas doadas pela São Carlos Ambiental e pela Suzantur irão auxiliar o trabalho da Prefeitura, no alcance cada vez maior de quem mais precisa”, disse Edson Ferraz, agradecendo a colaboração das empresas.

“Estamos passando por um momento crítico em virtude da pandemia. Com a perda de renda muitas famílias não conseguem colocar alimentos básicos na mesa para seus filhos, portanto essas doações ajudam muitas pessoas. O poder público faz a sua parte, mas nesse momento toda a ajuda é bem-vinda”, disse o prefeito de São Carlos, Airton Garcia.

As cestas serão entregues para famílias já acompanhadas pela política de assistência social da Secretaria de Cidadania, por meio dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) dos bairros e grupos específicos que tem sido acompanhados devido ao contexto social decorrente da pandemia do novo coronavírus.

Publicado em Outras Notícias

 

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma nesta quarta-feira (05/05) mais 3 mortes por COVID-19 no município, totalizando 308 óbitos.
Morreram nesta quarta (05/05) um homem de 68 anos, internado em hospital público desde 08/04 e um homem de 48 anos, internado em hospital público desde 28/04. Também foi registrada a morte de um homem de 48 anos, de São Carlos, internado no hospital de Américo Brasiliense desde 15/04 e óbito em 03/05.
São Carlos contabiliza neste momento 17.392 casos positivos para COVID-19 (80 resultados positivos foram divulgados hoje), com 308 óbitos confirmados e 127 descartados.
Dos 17.392 casos positivos, 15.974 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 23 óbitos sem internação, 1.395 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 1.031 receberam alta hospitalar e 285 positivos internados foram a óbito. 16.697 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 34.489 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (115 resultados negativos foram liberados hoje).

Estão internadas neste momento 100 pessoas, sendo 35 adultos na enfermaria (34 positivos e 1 suspeito). Nove pacientes estão em Unidades de Cuidados Intermediários (UCI), unidades para pacientes que recebem alta da UTI e ainda necessitam de cuidados. No total na UTI adulto estão internadas 53 pessoas (52 positivos e 1 suspeito). Somente na UTI/SUS 34 adultos e 2 crianças ocupam leito. Já na enfermaria/SUS estão internadas 11 pessoas adultas. Na rede particular 25 pessoas estão internadas na enfermaria e 19 na UTI.
Na enfermaria SUS 1 criança está internada com resultado negativo para COVID-19. As duas crianças que ocupam vagas de UTI/SUS também estão com resultado negativo para a doença.
15 pacientes de outros municípios estão internados em São Carlos, sendo 8 em UTI/SUS e 4 em UTI de hospital particular.1 paciente de outro município está internado em enfermaria do SUS e 2 estão em enfermaria de hospital particular. Na UCI nenhum paciente de outro município está internado neste momento.
A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS adulto está em 92% (34 adultos estão internados). Neste momento a cidade opera com 37 leitos de UTI/SUS para adultos, sendo 27 na Santa Casa e 10 no Hospital Universitário (HU).
A Santa Casa possui 30 leitos de UTI COVID, porém 6 estavam desativados, 4 desde o dia 25 de março e 2 desde o dia 15 de abril, em função da dificuldade de adquirir sedativos, analgésicos, bloqueadores neuromusculares e déficit profissional, porém 3 leitos já foram reativados pelo hospital.

UPA – Duas pessoas estão neste momento sendo atendidas em leitos de estabilização da UPA Santa Felícia, sendo 1 caso de alta complexidade e 1 caso de enfermaria. Todos os pacientes já estão cadastrados e aguardam transferência via CROSS.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 61.307 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 59.617 pessoas já cumpriram o período de isolamento e 1.690 ainda continuam em isolamento domiciliar.
A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes do tipo PCR em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (quadro respiratório agudo, caracterizado por pelo menos dois dos seguintes sinais e sintomas: febre - mesmo que referida -, calafrios ou dor de garganta ou dor de cabeça ou tosse ou coriza ou distúrbios olfativos ou distúrbios gustativos), sendo que 39.692 pessoas já realizaram coleta de exames, 28.498 tiveram resultado negativo para COVID-19, 11.042 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos). 152 aguardam resultado de exame.

O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde

Publicado em Coronavírus

 

No residencial já foram finalizados um ecoponto e o prédio para instalação de uma UBS. No Jardim Zavaglia, a construtora finaliza uma escola

SÃO CARLOS/SP - A Construtora Pacaembu entrega oficialmente na próxima segunda-feira (10/05) ao prefeito Airton Garcia, ao vice-prefeito Edson Ferraz e ao secretário de Obras Públicas, João Muller, duas das três obras de contrapartida do empreendimento imobiliário com 500 moradias, faixa 2 do Minha Casa, Minha Vida, denominado “Vida Nova São Carlos”.
As 500 casas foram construídas em um bairro planejado na zona sul, no prolongamento da avenida Regit Arab (avenida que dá acesso ao bairro Cidade Aracy), perto da Rodovia Luís Augusto de Oliveira (SP-215), com um investimento de R$ 70 milhões.
 “Como contrapartida ao município, a construtora assumiu R$ 2,6 milhões em obras para a instalação de equipamentos públicos. Neste momento duas obras já foram concluídas, sendo um ecoponto e o prédio para a instalação de uma unidade básica de saúde (UBS) no próprio residencial “Vida Nova São Carlos” e uma escola de educação infantil no Jardim Zavaglia, obra que ainda está em andamento. Esperamos que mais empresários dessa área escolham São Carlos para investir”, explica João Muller, secretário de Obras Públicas.
O vice-prefeito Edson Ferraz acredita que diminuindo o espaço entre a entrega das moradias e a construção dos equipamentos públicos, facilita tanto para o poder público como para os moradores. “Com as obras estruturais prontas, o município pode investir mais nos próprios serviços que serão oferecidos e com o custeio desses equipamentos”, ressalta Edson Ferraz.
Para o prefeito Airton Garcia os equipamentos públicos são essenciais para a prestação de serviços necessários ao funcionamento da cidade. “Quanto mais a população tem acesso aos serviços oferecidos pelo município, melhor para todos. Vamos continuar trabalhando para que os são-carlenses tenham cada vez mais programas e serviços de qualidade na porta das suas casas”, finaliza o prefeito.

Publicado em Outras Notícias

SÃO CARLOS/SP - A Secretaria Municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano, por meio do Departamento de Fiscalização, comunica aos ambulantes que pretendem comercializar produtos alimentícios, velas e flores, na Praça do Velório Municipal, nos dias 8 e 9 de maio, que não será necessário realizar o cadastramento antecipado para evitar filas e aglomerações.
“Na Praça do Velório a capacidade é para a montagem até de 30 barracas, número geralmente não preenchido, portanto vamos fazer o cadastro na hora, no dia 8 de maio mesmo, às 8h, no próprio Cemitério Nossa Senhora do Carmo. Se houver necessidade, realizamos na hora o sorteio”, explica Rodolfo Tibério Penela.
Em virtude da pandemia os espaços e o tamanho das barracas foram padronizados, com 3X3 metros e distanciamento de no mínimo 2 metros. Todos devem seguir os protocolos sanitários, como uso de máscaras para vendedores e clientes, uso de álcool em gel e distanciamento mínimo exigido pelas regras do Plano São Paulo.
Outras informações sobre o cadastramento podem ser obtidas pelo telefone 3362-1318.

Publicado em Outras Notícias

SÃO CARLOS/SP - A Câmara Municipal aprovou em regime de urgência na sessão desta terça-feira (4), moção de autoria da vereadora Cidinha do Oncológico (PP), que manifesta apelo aos governos estadual e municipal para a construção do Ambulatório Médico de Especialidades Cirúrgico (AME Mais).

No documento, Cidinha aponta a necessidade de melhoria na rede de saúde municipal, cujas condições de atendimento se agravaram na pandemia e relata que o município com quase 250 mil habitantes conta com dois hospitais da rede pública – a Santa Casa, referência para uma região de cinco cidades – e o Hospital Universitário.

“Com a pandemia, nossos hospitais estão trabalhando com 100 por cento de ocupação e, com isso, as pequenas cirurgias (ou de baixa complexidade) e eletivas estão paradas, com fila crescente, atrasando o tratamento dos pacientes e, em alguns casos, piorando seu diagnóstico”, argumenta.

A vereadora  informa que participou de reuniões com a administração municipal e Diretoria Regional de Saúde (DRS III)  “com o intuito de mitigar nossos problemas de saúde e destacamos a necessidade da construção do AME cirúrgico, que tanto desafogaria o sistema de saúde local”.

Ela também cita que o AME de São Carlos, inaugurado em março de 2018, e informa que ainda em 2014 foi publicada a Lei nº. 17.011, que autorizou a Prefeitura a efetuar a doação para a Fazenda Pública do Estado, de uma área com 5mil m², destinada à construção do AME, na rua Rotary Clube, próximo ao Hospital Universitário, na Vila Marina (zona norte da cidade). A construção do AME cirúrgico naquela área resultará em economia do aluguel pago pelo atual AME, de R$ 30 mil mensais. “Neste espaço referido, caberia perfeitamente as duas unidades, clínica, cirúrgica, e ampliaria outras frentes de tratamento, como fisioterapia, psicologia, terapia ocupacional e fonoaudiologia, dentre outros”, observa.

Segundo Cidinha, há um ano a Prefeitura encaminhou ofício ao governo estadual e o secretário Marco Vinholi, (Desenvolvimento Regional) “demonstrou atenção e prontidão para a celeridade na entrega da importante unidade de saúde para a população de São Carlos”, porém foi sugerida outra localização, no prédio do DER (Departamento de Estradas de Rodagem) na rua Aquidaban 1472, centro. O local, de acordo com a vereadora, não atende às necessidades do AME, conforme parecer de relatório técnico de vistoria realizado pelo Grupo Técnico de Edificações da secretaria estadual de Saúde.

Na moção, a vereadora faz um apelo para que o governo do Estado agilize as providências para que o AME Cirúrgico seja instalado  para ser um centro moderno de atendimento, como os que já funcionam nas principais cidades paulistas. O documento será encaminhado ao governador João Dória e também ao secretário estadual de Saúde Jean Carlo Gorinchteyn, ao prefeito de São Carlos, Airton Garcia Ferreira, ao secretário municipal de Saúde, Marcos Palermo, à diretora do DRS III, Sonia Regina Souza Silva e ao Conselho Municipal de Saúde.

Publicado em Política

BRASÍLIA/DF - O presidente Jair Bolsonaro subiu o tom nesta quarta-feira (5) afirmando ter pronto um decreto para "garantir o direito de ir e vir" dos brasileiros, que muitos pedem que seja editado, e que se for publicado "não será contestado em nenhum tribunal".

Em um discurso mais longo do que o normal após abrir oficialmente a Semana das Comunicações, o chefe do Executivo nacional voltou a criticar medidas restritivas de circulação para conter o contágio da covid-19, reclamou de críticas por ele não usar máscara e causar aglomerações com suas visitas inesperadas a cidades e bairros do Distrito Federal, e insinuou que o novo coronavírus poder ser fruto de uma guerra biológica.

"Peço a Deus que não tenha que baixar esse decreto. Mas se baixar, ele será cumprido", disse. "E não será contestado esse decreto. Não ouse contestar, quem quer que seja. Sei que o Legislativo não contestará."

O presidente classificou as medidas de distanciamento social promovida por governos regionais como "excrescência". "De onde nasceu essa excrescência para dar poderes a governadores e prefeitos e nos prender dentro de casa, nos condenar a miséria, roubar milhões de empregos, levar famílias ao desespero por não poder trabalhar, por não poder se locomover?", questionou o presidente. "E alguns até quando procuram, como se confortar, são proibidos de ir à igreja ou ir num templo. Pastores e padres passaram a ser vilões do Brasil."

Bolsonaro voltou a atacar a mídia, dizendo que o país assiste a "cenas de pessoas sendo presas em praça pública, mulheres sendo algemadas e a imprensa não fala nada". "Homens sendo proibidos de ir à praia, como um decreto de um prefeito da Costa Verde, proibindo que a família saia de lancha, na Baía de Angra. O que é isso? Onde estamos? Cadê nossa liberdade? Cadê os meios de comunicação para denunciar isso?"

Na opinião do presidente, "para a esquerda está tudo bem, e o desemprego e a miséria é terreno fértil para ditaduras".

Incisivo, o chefe do Executivo insistiu que os governadores e prefeitos atentam contra o artigo 5º da Constituição, que preconiza o direito de ir e vir. "O que está em jogo e alguns ainda ousam por decretos, subalternos, nos oprimir? O que queremos do artigo 5º? Queremos a liberdade de cultos? A liberdade para poder trabalhar. Queremos o nosso direito de ir e vir. Ninguém pode contestar isso", afirmou.

Referindo-se às manifestações no Dia do Trabalho, no último sábado, o presidente destacou que tem apoio da população nos seus planos de baixar o decreto. "Os militares juram dar a vida pela pátria. Os que estiveram nas ruas neste último 1º de Maio, bem como muitos outros milhões que não puderam ir às ruas, tenho certeza, darão sua vida por liberdade", disse.

E desafiou a Justiça, dizendo que a norma não será contestada por nenhum tribunal. "Nas ruas já se começa a pedir por parte do governo que ele baixe um decreto, e se eu baixar um decreto, vai ser cumprido. Não será contestado por nenhum tribunal, porque ele será cumprido. [...]  O Congresso, ao qual eu integrei, tenho certeza que estará ao nosso lado. O povo, ao qual nós, Executivo e parlamentares deve lealdade, obviamente estará ao nosso lado.

 

 

*Por: R7

Com Reuters

Publicado em Política

SÃO PAULO/SP - O Estado de São Paulo irá vacinar pessoas com deficiência e grávidas contra a covid-19 a partir do dia 11 de maio. O anúncio foi feito por João Doria (PSDB), em coletiva de imprensa na tarde desta quarta-feira (5), no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.

"Vamos vacinar pessoas com deficiência, grávidas e adultos com comorbidade. No dia 11 de maio, terça-feira, vamos começar a vacinar gestantes e mães com comorbidade. Um total de 100 mil mulheres acima de 18 anos serão imunizadas no estado", afirmou João Doria.

Ainda de acordo com o governador, no mesmo dia, também começam a ser imunizadas pessoas com deficiência permanente, entre 55 a 59 anos de idade. Estima-se que 30 mil pessoas devem ser imunizadas neste grupo.

Já na quarta-feira (12), pessoas que possuam comorbidades na mesma faixa etária (entre 55 e 59 anos) também poderão receber a primeira dose da vacina. Este público é estimado em 900 mil pessoas. Ao todo, segundo o governo, serão vacinados mais de 1 milhão de pessoas nesta etapa.

Novo cronograma de vacinação que  pessoas com deficiência e grávidas 

População com idade entre 60 e 62 anos começa a ser imunizadas nesta sexta (6). O governo estima que que 1,4 milhão de pessoas devem receber a primeira dose da vacina nesta faixa etária.

 

 

*Por: R7

Publicado em Coronavírus

SÃO CARLOS/SP - A Paróquia São Brás, localizada no Jardim Dona Francisca, em São Carlos, SP, em comemoração ao dia das mães preparou para o próximo domingo, 09, um Kit Almoço promocional. A ação tem por objetivo angariar fundos para a manutenção da paróquia.

O cardápio especial elaborado para celebrar o dia das mães é composto por Macarrão Caseiro à bolonhesa, sobrecoxa dourada assada, arroz branco, maionese de legumes e doce de mamão.

A equipe organizadora ressalta que, neste tempo de pandemia no qual as famílias não poderão se reunir para celebrar o dia das mães, o cardápio foi elaborado exatamente para recordar a tradicional comida caseira feita com carinho de mãe.

O kit almoço serve até duas pessoas e está sendo vendido antecipadamente pelo valor de R$ 50,00. As encomendas devem ser realizadas até a próxima sexta-feira, 07, pelos telefones/whatsapp: (16) 99731-3074 ou 98838-8497.

A Paróquia São Brás reforça que para a realização desta ação promocional têm sido observados os protocolos sanitários estabelecidos durante a Pandemia.

A entrega dos kits acontecerá no próximo domingo (09), das 11h às 12h30, no Salão Paroquial: Rua Vicente Pelicano, 1200, Jardim De Cresci, com acesso controlado e observando o distanciamento de segurança.

 

 

*Por: Sidney Prado

Publicado em Cidadania

Setor vai crescer 2,5% em maio, mas puxado por demanda por materiais de construção, e não por atividades sensíveis à data, como roupas, calçados e eletrodomésticos

 
SÃO PAULO/SP - Outrora uma das datas mais importantes para o varejo paulista, o Dia das Mães não terá impacto significativo no desempenho do setor neste ano, segundo um estudo feito pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) que projeta crescimento tímido de 2,5% no faturamento deste mês em comparação a maio de 2020 — quando, ao contrário, os varejistas viram suas receitas caírem a um dos menores níveis da história (-13,3%). Essa alta, na verdade, será motivada principalmente pela demanda por materiais de construção, cujas lojas devem faturar 22,8% a mais do que em maio do ano passado.
 


Mais do que isso, o que evitará um resultado negativo no mês, de -0,2%, será o auxílio emergencial pago pelo governo federal que, embora menor do que aquele de 2020, vai injetar R$ 1,54 bilhão no consumo das famílias paulistas em maio. Isso significa que, se não fosse pelo benefício, o varejo faturaria R$ 56,2 bilhões — e não R$ 57,7 bilhões, como prevê a Federação para o período.
 
A perda de força do Dia das Mães, porém, se vê melhor olhando para as projeções das atividades mais sensíveis à sazonalidade da data: entre elas, apenas as lojas de vestuário, tecidos e calçados devem crescer neste mês: 12,6% em relação a maio de 2020, quando o País experimentava o primeiro período crítico na pandemia de covid-19. Fazendo a comparação com maio de 2019, em um contexto de normalidade, no entanto, nota-se que elas perderão quase dois terços do seu tamanho (-59,9%).
 


As lojas de móveis e decoração, porém, vão viver um dos piores Dia das Mães dos últimos anos: além de perderem 17,7% do tamanho em comparação a maio de 2020, a queda será de 32,5% em relação a 2019, em um cenário ainda sem pandemia. É uma situação semelhante aos revendedores de eletrodomésticos e eletrônicos, que não apenas verão uma retração de 8,2% comparando com o ano passado como ainda experimentarão uma baixa de 24,4% ao fazer a mesma operação para maio de 2019.
 
No geral, as atividades sensíveis ao Dia das Mães vão fechar o mês de maio em declínio de 3,1% em comparação a 2020 e de 4,8% em relação ao ano anterior, último sem pandemia — quando a data ainda era uma das mais relevantes para o varejo.
 
Os números dos supermercados, cujo faturamento cairá 3,9% em relação a maio de 2020, mas vai subir 15,5% na comparação ao mesmo mês de 2019, também chamam atenção: eles sugerem novamente que, neste Dia das Mães, as famílias vão usar o auxílio emergencial para comprar alimentos — a principal destinação do benefício desde o início da pandemia.
 
Por fim, a previsão ainda pode ser confirmada observando as projeções do gasto médio familiar, com base em um indicador inédito elaborado pela FecomercioSP a partir deste mês. Por meio delas, é possível ver um aumento apenas no consumo de roupas, que deve subir 11% dentro do orçamento familiar em maio na comparação com 2020. Porém, relacionando os números com maio de 2019 – o último Dia das Mães sem pandemia –, esses gastos serão 61,1% menores agora.
 

 

 
   

Todos os outros gastos vão cair na comparação com o ano passado: itens de beleza (-0,6%), eletrodomésticos e eletroeletrônicos (-9,5%), mobiliários e artigos do lar (-18,9%) e alimentação e produtos de higiene (-5,3%). Isso significa que, no geral, as famílias vão gastar 4,5% a menos de seus orçamentos com compras para o Dia das Mães – número que é de -7,5% na comparação com 2019.
 

Para a Federação, a pesquisa apresenta um cenário de desconfiança e preocupação das famílias, que veem, de um lado, o auge da crise de covid-19 no País e, de outro, o declínio de suas condições econômicas – com aumento do endividamento, da inflação e do desemprego e, em paralelo, queda da renda. E, se o auxílio emergencial surge como um alento para a manutenção do consumo, a projeção também mostra a fragilidade conjuntural que existe para além dele.
 
Uma mudança no contexto depende, ainda no entendimento da Entidade, do sucesso no controle da pandemia: é assim que os indicadores de emprego e renda podem voltar a subir e que as famílias, então, se sentirão mais seguras para voltar ao consumo.
 
Sobre a FecomercioSP
Reúne líderes empresariais, especialistas e consultores para fomentar o desenvolvimento do empreendedorismo. Em conjunto com o governo, mobiliza-se pela desburocratização e pela modernização, desenvolve soluções, elabora pesquisas e disponibiliza conteúdo prático sobre as questões que impactam a vida do empreendedor. Representa 1,8 milhão de empresários, que respondem por quase 10% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e geram em torno de 10 milhões de empregos.

Publicado em Economia

Além de prevenir a covid-19, este hábito evita muitos outros tipos de doenças

 

SÃO PAULO/SP - Nunca se falou tanto em higienização das mãos como no último ano. A medida, indicada para prevenir diversas doenças, inclusive a covid-19, é muito eficiente, desde que realizada de maneira correta. Para comemorar o Dia Mundial de Higienização das Mãos, 5 de maio, a SMCC (Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas) está divulgando um alerta e várias dicas, elaboradas pela ANVISA, para ajudar a população a fazer todo o processo corretamente, seja com álcool em gel 70% ou com água e sabão.

A higienização correta com álcool em gel 70% demora, em média, de 20 a 30 segundos. O álcool precisa ser nessa concentração porque a presença da água facilita a entrada do produto na bactéria, além de retardar a volatilização, permitindo um maior tempo de contato. Se utilizados água e sabão, são necessários de 40 a 60 segundos. Parece muito, mas é o tempo necessário para que todas as partes das mãos sejam limpas e secas. Durante a limpeza, independentemente do produto, é preciso higienizar as palmas, os dorsos, os dedos, os espaços entre os dedos e embaixo das unhas. Se a opção for pelo álcool em gel, a pessoa deve efetuar todos os movimentos e esperar pela secagem natural. Já no caso de água e sabão, após a lavagem em si, é necessário enxaguar e secar com papel descartável. Se a torneira utilizada exigir contato com a mão, ela também deve ser fechada com a ajuda de um papel descartável. O passo a passo pode ser acessado no material disponível no site www.smcc.com.br, em um banner que está na página inicial.

De acordo com o cirurgião pediátrico Dr Rogério Fortunato de Barros, do Departamento Científico de Cirurgia Pediátrica da SMCC, lavar as mãos é um dos principais instrumentos de prevenção contra epidemias. Além do coronavírus (Sars-Cov-2), este hábito previne infecções de inúmeras doenças virais, parasitárias e bacterianas. “Os micro-organismos podem sobreviver por horas em objetos como corrimões, barras de apoio dos ônibus, nas superfícies dos celulares, maçanetas e mesas”’, comenta. “Manter a higienização constante das mãos pode evitar o contágio de muitas doenças, sendo que nem sempre o doente será você, mas alguém mais imunossuprimido que entra em contato com micro-organismos da flora transitória aderidos na sua pele”, completa Barros, que também é professor na equipe de Introdução à Prática Médica da Faculdade São Leopoldo Mandic.

Segundo o cirurgião, não há um número pré-estabelecido de lavagens diárias. Elas devem acontecer sempre que necessário ou quando há contato com áreas de risco. “Fora do isolamento, estamos dividindo um espaço coletivo e é importante pensar epidemiologicamente nos mínimos detalhes de comportamento. Em alguns países, é proibido encostar nas frutas que estão à venda. Espirrar, somente com a proteção do cotovelo, pois se utilizar as mãos (mesmo que com o lenço), aumentam as chances de os micro-organismos conseguirem outros locais para se reproduzir”, diz.

Além da higienização das mãos, é importante tomar outros cuidados que ajudam na prevenção de doenças, como evitar encostar em lugares desnecessários, principalmente em ambientes de grande fluxo de pessoas, como estádios, shows, teatros, cinemas, escolas, lojas, ônibus e metrôs. “O comportamento deve ser de mudança de hábitos, pois após a pandemia do Coronavírus, essa metodologia simples de prevenção ajudará também na diminuição de outras doenças”, reforça.

Conscientização das crianças

Para que as crianças compreendam a importâncias desses hábitos, o ideal é ter uma abordagem mais lúdica. “Se queremos mudar o futuro, devemos começar pelas crianças. O uso de máscaras com temas infantis ajuda a aumentar a adesão das crianças. Espirrar é normal para todos, mas poucos brasileiros protegem o espirro com o cotovelo, e isso deve ser ensinado nas escolas e nas casas das crianças”, orienta. “Os frascos de uso individual com temas infantis me parecem uma boa estratégia de deixar o ambiente mais leve e lúdico”, sugere o médico.

“Crianças absorvem rápido as mudanças e precisam entender o risco de passarem os micro-organismos invisíveis para os amigos e familiares mais comprometidos (idosos e imunocomprometidos). É função dos cuidadores explicar o porquê dessas novas orientações mundiais”, comenta. Para finalizar, Barros destaca que também é importante explicar às crianças os cuidados que devem ser tomados com o álcool em gel. “O risco no uso do álcool em relação às queimaduras também deve ser amplamente discutido antes de deixar os pequenos circularem com o frasco sem a presença de um cuidador responsável”, ressalta.

Sobre a SMCC:

A SMCC é uma entidade associativa, que reúne milhares de médicos de Campinas e Região. Fundada em 1925, tem como objetivo promover o conhecimento científico entre os profissionais, oferecer benefícios e desenvolver projetos sociais direcionados à comunidade. É considerada a Casa do Médico de Campinas.

Publicado em Ciência & Saúde

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Maio 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            
Propagandas gratuitas right 2