fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

BRASÍLIA/DF - Estudantes interessados em concorrer a uma das cerca de 170 mil bolsas oferecidas pelo Programa Universidade para Todos (ProUni) têm até hoje (17), às 23h59, para concluir o formulário de cadastro no portal do aluno.

O ProUni oferece bolsas integrais e parciais para instituições de ensino superior da rede privada. Segundo o Ministério da Educação, essa edição do programa beneficiará 167.780 alunos que ingressarão no ensino superior. O programa dispõe de 60.551 bolsas integrais e  07.229 bolsas parciais, que cobrem 50% da mensalidade do curso selecionado.

“O ProUni é um programa de inclusão social de maior eficiência e eficácia. É um programa com meta clara e regras transparentes de concessão de benefícios fiscais. Não consigo pensar em um exemplo melhor de programa de transferência de renda e diminuição da desigualdade social”, afirmou a presidente Associação Nacional das Universidades Privadas (Anup), Elizabeth Guedes.

Podem participar aqueles que fizeram a última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e alcançaram no mínimo 450 pontos. Os interessados nas bolsas não podem ter recebido nota zero na redação.

 

Perfeito, apesar da pandemia

Segundo Elizabeth Guedes, a execução do ProUni de 2020 foi impecável, apesar das circunstâncias da pandemia de covid-19 e dos entraves criados pela quarentena e pelo isolamento social. “Nunca houve uma edição tão transparente, eficiente e sem problemas como a deste ano. Hoje, quando terminar o prazo, todos os estudantes interessados em concorrer a uma bolsa do ProUni terão conseguido. Todas as inscrições foram feitas sem problemas de servidor, sem indisponibilidade de sistemas, com o site no ar em 100% do tempo. Não haverá adiamento ou ampliação do prazo, já que todas as metas estabelecidas foram cumpridas”, ressaltou a presidente da Anup.

 

Impacto econômico

O ProUni de 2020 poderá ser responsável, em parte, pela recuperação econômica de instituições de ensino superior, diz Elizabeth Guedes. “Uma vez que a inadimplência no setor cresceu 70%, acompanhada da evasão, os fundos do ProUni garantem o pagamento de impostos sem uso de caixa. Com as bolsas, professores e alunos são mantidos em sala de aula, mesmo sem a previsão de normalidade”, explicou a executiva.

 

Calendário

O cronograma prevê, após o fim das inscrições, a divulgação do resultado da 1ª chamada no dia 21 de julho, a comprovação de informações da 1ª chamada até o dia 28 deste mês e o resultado da 2ª chamada no dia 4 de agosto.

 

 

*Por Pedro Ivo de Oliveira - Repórter da Agência Brasil

Inscrições podem ser feitas até o dia 31 de julho

 

SÃO CARLOS/SP - O Programa de Pós-Graduação em Imagem e Som (PPGIS) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) recebe inscrições de pessoas interessadas em cursar disciplinas no segundo semestre de 2020, na condição de alunos especiais. Podem se inscrever estudantes de graduação ou portadores de diploma de graduação, não matriculados no Programa, que demonstrem interesse em cursar disciplina cujo conteúdo contribua para o seu trabalho em outra instituição ou ao seu aprimoramento profissional.
São quatro as disciplinas ofertadas: Historiografia do cinema; O seriado televisivo; Metodologias de análise e criação de universos transmidiáveis; e Ambientes de negócios do audiovisual. Em função do isolamento social, ocasionado pela pandemia da Covid-19, as aulas serão ministradas em ambiente virtual. Docentes responsáveis, datas e horários de cada disciplina estão no edital (em www.ppgis.ufscar.br).
As inscrições são gratuitas e devem ser feitas até o dia 31 de julho, por meio de preenchimento de formulário e envio de documentação para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. O formulário e a documentação exigida estão no site www.ppgis.ufscar.br. O resultado sairá no dia 8 de agosto e as aulas têm início previsto para 17 de agosto, com término  em 11 de dezembro.
O PPGIS contempla, no contexto da área de Comunicação, o campo do audiovisual nas suas diversas manifestações no cinema, na televisão e nas mídias interativas. A partir da compreensão de que o cinema é a base da linguagem audiovisual e de que as diversas mídias tendem à convergência tecnológica e dos suportes expressivos, o Programa desenvolve estudos em torno de cada uma dessas mídias, bem como sobre os diversos tipos de relações entre elas e as possibilidades de integração, adotando como eixo principal as perspectivas narrativas e históricas, o que se traduz nas linhas de pesquisa "Narrativa audiovisual" e "História e políticas do audiovisual".

ITIRAPINA/SP - A Secretária Municipal de Educação e Cultura, Professora Mylene Vieira, esteve reunida, recentemente, com o prefeito José Maria Candido, no intuito de apresentar um esboço do plano gradual de retomada das aulas presenciais, a partir de setembro, conforme previsão anunciada pelo Governo Estadual, caso as condições de segurança sanitária em relação a pandemia estiverem favoráveis.

Na ocasião, ela detalhou os pontos mais importantes, colocando o prefeito a par das novas medidas que deverão ser tomadas, dentro do que está sendo chamado de “novo normal”, tendo em vista a pandemia do Novo Coronavírus. Sem dúvida alguma, vem aí mais um desafio a ser vencido (e será!) pelos educadores, gestores e alunos.

 

 

*Por: PMI

Interessados devem se inscrever pela Internet até o dia 31 de julho

 

SÃO CARLOS/SP - O Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGeo) do Campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está com inscrições abertas, até 31 de julho, em seleção de alunos regulares para o curso de mestrado, com ingresso neste segundo semestre de 2020.

O Programa tem área de concentração em Dinâmicas Ambientais e Socioespaciais, com duas linhas de pesquisa: Produção do Espaço, Educação e Cultura; e Estudos Ambientais e Análise Espacial. Nesta seleção, estão sendo oferecidas 20 vagas. 

O processo seletivo contará com três etapas: análise do pré-projeto de pesquisa (eliminatória); arguição do pré-projeto de pesquisa dos candidatos aprovados na primeira fase (classificatória); e análise do currículo (classificatória). As inscrições devem ser feitas em www.ppggeo.ufscar.br.

Mais informações podem ser obtidas no edital, disponível no site do PPGGeo (www.ppggeo.ufscar.br).

Curso é multidisciplinar e voltado a profissionais de diversas áreas

 

SÃO CARLOS/SP - A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está promovendo o I Curso de Especialização em Cuidados Paliativos, cujo objetivo é oferecer formação a profissionais de diversas áreas para qualificar sua atuação no cuidado a pacientes. As inscrições estão abertas na plataforma box UFSCar (https://bit.ly/3bXbyOi) e o início das aulas está previsto para o próximo mês de agosto.

O Cuidado Paliativo (CP) é compreendido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como um direito humano e deve estar inserido em políticas públicas de saúde como estratégia para garantir aumento da qualidade de vida, redução de sintomas e de aflições vinculadas à impossibilidade de cura e à proximidade da morte, além de favorecer a autonomia dos indivíduos e ampliar o suporte a familiares e cuidadores. 

Uma das barreiras para aumentar a oferta de cuidados paliativos está relacionada, justamente, ao processo de formação de profissionais. Com base nisso, a especialização da UFSCar será um espaço formativo de profissionais como assistentes sociais, biomédicos, biólogos, dentistas, educadores físicos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, gerontólogos, médicos, musicoterapeutas, nutricionais, psicólogos e terapeutas ocupacionais.

O curso é coordenado pelas professoras da UFSCar Esther Luiz Ferreira, do Departamento de Medicina (DMed), e Tatiana Barbieri Bombarda, do Departamento de Terapia Ocupacional (DTO). A especialização está divida em 10 módulos e será ofertada presencialmente entre os meses de agosto de 2020 e janeiro de 2022, com carga horária de 20 horas mensais. A ementa, o corpo docente, os detalhes de cada módulo e o valor do investimento podem ser acessados na plataforma box UFSCar (https://bit.ly/3bXbyOi), onde estão disponíveis as inscrições. Mais informações também pela página da iniciativa no Facebook (https://bit.ly/3bZTMde).

BRASÍLIA/DF - O Ministério da Educação (MEC) divulga hoje (14) o resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) do segundo semestre de 2020. Para saber se conseguiu ou não a vaga desejada, o candidato deve acessar o site oficial do Sisu, informando o número de inscrição e a senha. O período para matrícula da chamada regular será de 16 a 21 de julho.

Ao todo, mais de 814 mil inscrições foram feitas. Segundo o MEC, mais da metade desses estudantes - 424.991 mil - disputam 51.924 mil vagas ofertadas em 57 instituições públicas de educação superior do país.

Pela primeira vez, o Sisu oferece vagas na modalidade ensino a distância (EaD). Além de ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019, os candidatos não podem ter zerado a redação. Quem fez o exame na condição de treineiro não pode participar.

De acordo com o edital do programa, a ordem dos critérios para a classificação de candidatos é a seguinte: maior nota na redação, maior nota na prova de linguagens, códigos e suas tecnologias; maior nota na prova de matemática e suas tecnologias; maior nota na prova de ciências da natureza e suas tecnologias e maior nota na prova de ciências humanas e suas tecnologias.

Lista de espera

Quem não for selecionado nesta primeira chamada, deverá manifestar o interesse em participar da lista de espera, por meio da página do Sisu na internet, entre hoje e 21 de julho.

A partir daí, a convocação começa a ser feita no dia 24 de julho pelas instituições para preenchimento das vagas em lista de espera. Os selecionados devem observar prazos, procedimentos e documentos exigidos para matrícula ou para registro acadêmico, estabelecidos em edital próprio da instituição, inclusive horários e locais de atendimento por ela definidos.

 

 

*Por Karine Melo - Repórter da Agência Brasil

A especialista em educação infantil e terapeuta familiar Evelyn Stam aponta os prós e contras do ensino à distância durante a pandemia da covid-19, que se tornou uma das principais questões familiares do momento.

 

SÃO PAULO/SP - Estamos vivendo em época de pandemia. Muitas incertezas, muitas mudanças e uma situação que não tem data de término. Uma das mudanças mais comentadas e questionadas por pais e educadores durante a pandemia é o ensino à distância, que se tornou necessário quando muitos países decidiram fechar as escolas e fornecer ensino online, forçando pais a assumirem muitas vezes o papel de educadores, na tentativa de ajudar seus filhos a acompanharem as aulas neste novo formato.

A especialista em educação infantil e terapeuta familiar Evelyn Stam, aponta que existem vantagens e desvantagens na adoção da telescola ou ensino à distância, e que ambas precisam ser consideradas antes de um veredicto final: “tivemos que nos adaptar a essa mudança quase que de um dia para o outro, quando a pandemia do novo coronavírus veio e surpreendeu a todos. Não estávamos totalmente preparados, sejam os pais ou os professores e a até mesmo os próprios alunos, para nada do que viria a acontecer depois e, naturalmente, foram necessários alguns ajustes de última hora para encontrar soluções minimamente viáveis e impedir que nossos filhos perdessem um ano escolar. Mas nem tudo tem sido mal e há também benefícios na educação à distância, que tende a ser algo ao qual nós vamos ter de nos adaptar, já que deve ser uma tendência.”


Desvantagens

Evelyn Stam ressalta as principais desvantagens do ensino à distância:


 Acesso à tecnologia

Nem toda família tem acesso à computadores de qualidade e internet estável. Famílias que não possuem um computador ou não dispõem de internet rápida simplesmente não têm como acompanhar as aulas online, fazer fotos de atividades realizadas ou enviar arquivos grandes.

 Disponibilidade

Famílias que possuem um computador e internet de boa qualidade nem sempre estão preparadas para lidar com o ensino online. Famílias com mais de um filho nem sempre tem um computador para cada membro da família. Além disso, a mesma internet que era suficiente para atender a todos os moradores agora está sobrecarregada, com pais e filhos utilizando a conexão ao mesmo tempo para cumprir com suas cargas horárias de trabalho e estudo.

Uso das ferramentas de software

Nem todas as pessoas estão acostumadas a sistemas de reunião online, como Zoom, Google Classroom, Microsoft Teams, etc… Há pessoas que estão experimentando um enorme sentimento de sobrecarga, tendo que lidar não só com a pandemia, mas com o aprendizado de novas tecnologias.

Sobrecarga

Muitas pessoas estão experimentando um aumento significativo da carga de trabalho. Trabalhar de casa não significa trabalhar menos. Além disso, todos estão em casa o tempo todo então o tempo de limpeza da casa e a frequência na limpeza aumentam. Somado a isso há ainda a carga de tarefas dos filhos que precisam ser supervisionadas pelos pais. Pais estão se sentindo professores, profissionais, mães e pais, tudo ao mesmo tempo.

Professores também estão sobrecarregados e têm que aprender a lidar com novas tecnologias, criar materiais que funcionem para o ensino online, tudo isso enquanto lidam com os próprios filhos e com o aprendizado dos próprios filhos em casa.

 


Vantagens

Da mesma forma, a especialista aponta diversas vantagens que o ensino à distância pode trazer

Possibilidade de revisar o conteúdo


 A aula online pode ser assistida quantas vezes o aluno precisar. O aluno pode pausar para fazer anotações, copiar diagramas da internet. O ensino se torna mais interativo e acessível para os alunos.

Estude no seu ritmo

O aluno pode estudar no seu próprio ritmo. Cada aluno prepara a suas tarefas na sua velocidade, sem a pressão de fazer as coisas na mesma velocidade e da mesma forma que os colegas.

Pais têm contato com o universo dos filhos

Agora sabemos exatamente o que os nossos filhos estão aprendendo na escola, o que eles gostam mais e o que têm mais dificuldade. Sabemos o quanto de tempo eles precisam para entender determinado conteúdo e entendemos melhor como a escola funciona.

As crianças estão aprendendo habilidades novas

Crianças aprendem rápido e se adaptam mais fácil que os adultos às novas tecnologias. As aulas online estão preparando os nossos filhos para o trabalho do futuro.

Estamos aprendendo novas formas de ensinar e aprender

 Sim, tem sido desafiador. Contudo já estamos a ver os primeiros sinais de coisas que tem funcionado muito bem no ensino online. Estamos criando soluções para lidar com o deslocamento, condições climáticas e ausências por motivos médicos. A pandemia nos forçou a ser criativos, a pensar em novas soluções e melhores maneiras de aprendizado.


Veredicto

Evelyn pondera o panorama geral da educação à distância: “Como podemos ver, o ensino à distância tem vantagens e desvantagens. Nos demanda muito tempo, mas aprendemos muito com a experiência. O verdadeiro desafio é não deixar o nosso papel de pais para assumir o papel de professores. Somos e continuaremos a ser pais sempre. Essa é a nossa relação mais importante. Aconteça o que acontecer o ensino nunca deve ser o preço da nossa relação com os nossos filhos.”

Inscrições podem ser feitas até o dia 13 de agosto

 

SÃO CARLOS/SP - O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana (PPGEU) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está com inscrições abertas até 13 de agosto no processo seletivo para ingresso em seu curso de mestrado em 2021. As vagas são distribuídas nas áreas de Urbanismo, Saneamento e Geotecnia. Todas as informações sobre inscrições, documentos necessários e etapas da seleção devem ser conferidas no edital, disponível no site do PPGEU (em www.ppgeu.ufscar.br).
 

O PPGEU, criado em 1994, foi um dos primeiros programas no Brasil com abordagem de pesquisa em sistemas de Engenharia aplicáveis no território urbanizado. Trabalhados como eixos estruturantes, o planejamento urbano, o saneamento, os transportes e a geotecnia são vistos de forma integrada às áreas de meio ambiente, habitação social e geoprocessamento. A crescente taxa de urbanização das cidades brasileiras é uma das principais questões atuais a desafiar a comunidade do Programa.

Além de buscar atender à demanda de um mercado de trabalho cada vez mais aberto a profissionais com conhecimentos integrados, o PPGEU resgata o papel social do engenheiro e de outros profissionais comprometidos com a qualidade de vida nas cidades.

Iniciativa do InformaSUS é virtual e está com inscrições abertas a todas as pessoas interessadas

 

SÃO CARLOS/SP - Estão abertas as inscrições para o Festival Cultural CultivAR-TE, iniciativa do projeto InformaSUS da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), que acontece até o dia 30 de setembro, com o objetivo de evidenciar a importância da cultura no cuidado de si e do outro em sua interface com a Saúde Mental.

O Festival será realizado virtualmente e as inscrições são gratuitas. As obras artísticas podem ser inscritas por quaisquer pessoas interessadas nas categorias Artes Visuais; Fotografia; Dança; Literatura; Artes cênicas; Performance; Audiovisual e Música.

A proposta do CultivAR-TE é abrir um espaço que permita a livre expressão, a produção artística e o olhar para si sob a perspectiva da autonomia, da participação e da inclusão social. Além disso, diante da pandemia da Covid-19 e seus impactos na sociedade, o Festival pretende apresentar diferentes vivências cotidianas durante esse momento, valorizando a multiplicidade de formas de expressão e cuidados. Nesse contexto, os eixos temáticos do Festival são: Retratos do isolamento e distanciamento social; Resiliência em tempos de pandemia; O cuidado de si e do outro; e Permanências e transformações da cultura. 

Os trabalhos e obras serão considerados na sua relação com o eixo temático escolhido e de acordo com a expressividade, sensibilidade e criatividade. O período de inscrição segue ao longo de todo o Festival (até 30 de setembro). A submissão das propostas por eixos temáticos deve ser feita neste link (https://bit.ly/3iNLjxG). O edital e outras informações sobre o CultivAR-TE podem ser acessados no site www.informasus.ufscar.br. Contatos pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

SÃO CARLOS/SP - A Secretaria Municipal de Educação realizou nesta quinta-feira (09/07), no quadra do Centro Municipal de Educação Infantil (CEMEI) Cônego Manoel Tobias, na Vila Nery, com distanciamento preconizado em virtude da COVID-19, uma reunião com representantes de vários segmentos para discutir a retomada das atividades escolares presenciais na rede municipal de ensino.

Alguns estados estão estudando a retomada presencial das aulas em escolas pública e particulares de acordo com os índices da pandemia do novo coronavírus. Em São Paulo o Governo do Estado anunciou um possível retorno a partir do mês de setembro.

“Essa é a primeira reunião desse grupo de trabalho constituído pela Secretaria de Educação com a colaboração de todos os setores da sociedade que de alguma forma tem envolvimento com a área. O objetivo desse encontro foi iniciar um diálogo sobre uma possível volta das aulas presenciais. A ideia é fazermos um planejamento para esse retorno, lembrando que ainda não temos data para que isso aconteça, mas quando acontecer que seja de forma segura para todos. O primeiro passo para isso é a elaboração de um protocolo de procedimentos, por isso precisamos da colaboração de todos os setores. Vamos elaborar esse protocolo juntos e depois encaminhar oficialmente para avaliação dos conselhos de escola, sempre com as especificidades de cada fase escolar”, explica Cilmara Seneme Ruy, diretora pedagógica da Secretaria de Educação.

Durante a reunião a Secretaria de Educação apresentou todos os números da rede municipal. Em 2020 a rede iniciou o ano atendendo 1.006 crianças de 0 a 3 anos; 3.385 de 1 a 3 anos; 8.602 de 4 a 6 anos; 5.532 alunos do 1º ao 5 ano; 818 do 6º ao 9º ano; 497 alunos na educação especial e 634 na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Por meio das entidades conveniadas com a Prefeitura, as chamadas creches filantrópicas, outras 1.120 crianças estavam sendo atendidas antes da pandemia.

Já no contraturno escolar, na chamada Recreação, 938 crianças estavam sendo atendidas em projetos como do CEMEAR (Centro Municipal de Extensão e Atividades Recreativas) do Jardim Gonzaga. Também estavam sendo transportados pelo município 1.168 alunos.

O secretário de Educação, Nino Mengatti, deixou claro que esse grupo de trabalho não atua paralelamente ao Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus e sim para contribuir com o trabalho que já vem sendo desenvolvido. “Vamos fazer um planejamento, estabelecer o protocolo e levar para o Comitê o olhar dos educadores e da sociedade civil sobre um possível retorno as aulas”.

Mengatti falou da preocupação do município com relação aos envolvidos para que esse retorno possa acontecer. “Hoje não temos segurança para voltar. São mais de 20 mil alunos em 60 unidades escolares. Além de professores, diretores, agentes educacionais, servidores administrativos das escolas, merendeiras, funcionários da limpeza, da segurança e do transporte, seja oficial do município, bem como das vans escolares, estamos falando de cerca de 50 mil pessoas envolvidas, por isso essa questão deve ser muito bem planejada”, avalia o secretário.

Uma das especificidades da rede municipal de ensino é com relação à educação infantil. “O nosso maior público está na faixa etária de 0 a 6 anos, são mais de 12 mil crianças, 64% do total de alunos estão nessa fase. Como fazer crianças dessa idade manter o distanciamento e usar máscaras? Estamos buscando referências sobre o que tem dado certo nos países que já retornaram as atividades educacionais, mas dentro da nossa realidade. Estamos estudando cada aspecto da rotina escolar. Com certeza será um processo gradual e responsável”, finalizou Nino Mengatti.

A Secretaria de Educação estuda, ainda, a entrega dos kits escolares para as crianças da educação infantil e os uniformes para todos os alunos da rede municipal de ensino.

Mesmo sem data para o retorno, a Secretaria de Educação já marcou as próximas reuniões que a partir de agora serão virtuais. A segunda reunião acontece no dia 23/7, a terceira no dia 13/8 e no dia 25/8 o grupo pretende apresentar os protocolos para o Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus.

O secretário de Saúde, Marcos Palermo e a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Crislaine Mestre, apresentaram os números da COVID-19 no município. A doença já matou 15 pessoas na cidade e mais de 700 contraíram o vírus.

Também participaram da reunião o chefe de gabinete da Secretaria de Educação, Leandro Severo e demais diretores da área da educação, além de representantes do SINDSPAM, do Conselho Municipal de Educação, do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, Procuradoria Geral do Município, de empresas que fazem o transporte de alunos, de associação de Vans e de entidades conveniadas. Os secretários municipais de Agricultura e Abastecimento, Caio Solci, de Infância e Juventude, Paulo Wilhelm e de Cidadania e Assistência Social, Glaziela Solfa Marques também fazem parte do grupo de trabalho.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30