fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

BRASÍLIA/DF - Depois de quatro meses como ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello será efetivado no cargo. A cerimônia de posse ocorrerá na quarta-feira (16).

Pazuello assumiu interinamente o comando da pasta em 16 de maio, em meio à pandemia do novo coronavírus no Brasil. Ele substituiu Nelson Teich que ficou um mês no cargo, tendo substituído Luiz Henrique Mandetta.

Nesses quatro meses, Pazuello defendeu o tratamento precoce de covid-19 e a autonomia de estados e municípios na adoção de políticas de isolamento social. Com ele à frente da pasta, o Ministério da Saúde estabeleceu uma nova diretriz com orientações para o uso precoce da cloroquina e da hidroxicloroquina no tratamento da covid-19, inclusive para casos leves. Ao mesmo tempo, o ministro destacou que não vê nada de errado em questionar o uso do fármaco para esse fim.

General do Exército, Pazuello é especialista em logística. O militar foi coordenador logístico das tropas do Exército durante os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, além de ter coordenado as operações da Operação Acolhida, que presta assistência aos imigrantes venezuelanos que chegam a Roraima fugindo da crise política e econômica no país vizinho.

 

 

*Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

Transmissão acontece hoje (terça-feira), no Facebook da Unimed São Carlos

 

SÃO CARLOS/SP - Hoje, 15, a partir das 18 horas, a Unimed São Carlos irá realizar uma live pelo Setembro Amarelo, mês de prevenção ao suicídio.

A live “Suicídio – Acolher é a melhor prevenção” terá a participação do psiquiatra Tiago Spinosa e dos psicólogos Camila Amorim e Douglas Donaris que irão abordar sobre fatores de risco, mitos, além dos impactos relacionados à pandemia.

Acompanhe a transmissão pela página do Facebook da Unimed São Carlos, compartilhe e envie suas perguntas!

 

A campanha Setembro Amarelo® salva vidas!

 

Desde 2014, a Associação Brasileira de Psiquiatria – ABP, em parceria com o Conselho Federal de Medicina – CFM, organiza nacionalmente o Setembro Amarelo®. O dia 10 de setembro é, oficialmente, o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, mas a campanha acontece durante todo o ano.​

São registrados cerca de 12 mil suicídios todos os anos no Brasil e mais de 01 milhão no mundo. Trata-se de uma triste realidade, que registra cada vez mais casos, principalmente entre os jovens. Cerca de 96,8% dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias.​

Apenas 1,64% dos casos suspeitos no município aguardam resultado de teste

 

IBATÉ/SP - Entre as ações de controle à Covid-19, a Prefeitura de Ibaté está realizando um trabalho contínuo e intenso de testagem dos casos suspeitos para o novo coronavírus no município.

Segundo dados do último relatório da situação da Covid-19 na cidade, divulgado pela Vigilância Epidemiológica e pelo Gabinete de Prevenção e Monitoramento do Coronavírus de Ibaté, já foram realizados no município 2195 testes.

Desse total, 1863 deram negativos, o que corresponde a 84,87% e 296 positivos, ou seja, 13,49%. Até o fechamento do relatório no sábado (12), 36 pessoas aguardavam resultado, apenas 1,64%.

Paula Salezzi Fiorani, coordenadora da Vigilância Epidemiológica no município, destacou que em suspeitos sintomáticos estão sendo utilizados os dois tipos de testes. "Os testes moleculares (RT-PCR), para o qual se usa amostras de saliva, são feitos em pacientes que estão do terceiro até o sétimo dia de sintomas e os testes sorológicos rápidos, utilizando amostras sanguíneas, são feitos em pacientes após o sétimo dia de sintomas".

Para a Secretária-adjunta Municipal de Saúde, Elaine Sartorelli Breanza, a ação de testagem no município garante uma atuação rápida no encaminhamento e orientação dos casos positivos. "Quanto antes confirmado um caso, melhor as condições de controle da doença e da disseminação do vírus", explicou.

Do total de casos positivos registrados em Ibaté, que é de 296 (dados de sábado 12.9), 252 estão recuperados, o que representa 85,14% e 41 casos estão ativos (13,85%).

Ibaté tem três óbitos por Covid-19 e com isso a Taxa de Letalidade no município (relação entre o número de óbitos e o número de casos diagnosticados) é de 1,01%.

SÃO PAULO/SP - Maurício Manieri, de 50 anos, precisou ser internado na UIT após sofrer um infarto nesta segunda-feira (14). Segundo informações da revista Quem, o cantor está sendo atendido em um hospital de São Paulo.

Iza Stein, esposa de Manieri, postou no Stories do Instagram uma mensagem sobre fé acompanhada da música “Rara Calma”, do Rosa de Sauron em parceria com o marido.

O consagrado artista ficou muito conhecido nos anos 90 ao emplacar hits como ‘Bem Querer’, ‘Minha Menina’, ‘Te Quero Tanto’ e ‘Pensando Em Você’, entre outros.

 

 

*Por: ISTOÉ GENTE

BRASÍLIA/DF - Após ficarem com atendimento presencial suspenso por cerca de seis meses, em decorrência da pandemia de covid-19, as agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) retomam as atividades a partir desta segunda-feira (14), em todo o país. Na primeira fase de reabertura, no entanto, somente os atendimentos agendados previamente serão realizados nas agências, incluindo, em alguns casos, a retomada da perícia médica previdenciária, que ocorrerão apenas em unidades específicas.

De acordo com o INSS, cerca de 600 agências devem reabrir na semana que vem. O número representa menos da metade das unidades do INSS, mas corresponde às maiores agências, com mais capacidade de atendimento. O governo vai divulgar durante a semana a lista completa das agências abertas, mas o segurado já pode consultar a informação no aplicativo Meu INSS ou no telefone 135.

"A nossa abertura está programada para a próxima segunda-feira. Ao longo dos dias, estaremos passando à população em geral quais agências estão abertas, ou não, e quais agências terão perícia [médica], ou não", destacou o secretário especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco Leal, em entrevista coletiva.

O presidente do INSS, Leonardo Rolim Guimarães, disse que as pessoas só devem ir às agências estando com agendamento feito pelo telefone 135 ou pelo aplicativo Meu INSS e que qualquer dúvida pode ser esclarecida pelo 135 ou pelo chat 'Helô', dentro do aplicativo. Segundo a autarquia, o horário de funcionamento das agências será de 7h às 13h, de segunda a sexta.

"Outro ponto importante que a gente precisa lembrar as pessoas é que não devem procurar agendamento para aqueles serviços que podem ser feitos de forma remota, por exemplo, uma aposentadoria, pensão, salário-maternidade. Esses serviços continuam sendo feitos remotamente", acrescentou Rolim.

 

Procedimentos de reabertura

A portaria que estabelece os procedimentos para a reabertura do INSS foi publicada na última sexta-feira (11), no Diário Oficial da União. Além do número limitado de atendimentos, as pessoas que forem às agências deverão usar máscaras e terão também a temperatura corporal aferida por meio de termômetro infravermelho. Se for constatada temperatura acima de 37,5 graus, o segurado não poderá nem sequer entrar na agência, e ainda será orientado a procurar um serviço médico.

As orientações também incluem chegar apenas próximo do horário marcado, para evitar a formação de filas, e manter o distanciamento mínimo de um metro das outras pessoas. Servidores do INSS usarão equipamentos de proteção individual durante os atendimentos. No caso das agências que contarão com o serviço de perícia médica previdenciária, houve um reforço ainda maior nos protocolos de higiene.

Segundo Bruno Bianco, apesar de o governo federal ter antecipado a concessão de diversos benefícios previdenciários e reforçado o atendimento online desde o início da pandemia, ainda há a necessidade de apresentação de documentos complementares e realização de perícias médicas.

"Nós adiantamos todos os benefícios por incapacidade e assim continuaremos a fazer até a retomada plena da perícia médica, mas ainda há uma forte demanda relativa ao cumprimento de exigências por parte do segurado. São aqueles pedidos de benefício em que o servidor do INSS verifica a necessidade de outros documentos, e esses documentos são levados presencialmente para análise", explicou.

Entre os serviços que poderão ser realizados presencialmente, estão o cumprimento de exigência, avaliação social, justificação administrativa ou social (caso em que a pessoa precisa levar um documento para comprovar tempo de serviço que não não está no cadastro oficial), reabilitação profissional e perícia médica (apenas em algumas agências).

Desde março, quando o atendimento presencial foi suspenso, o INSS informa que foram concedidas antecipações de 186 mil benefícios de prestação continuada (BPCs), pago a pessoas com deficiência, e 876 mil antecipações de auxílios-doença.

 

Fila de serviços

De acordo com o presidente do INSS, o governo reduziu a quantidade de requerimentos que estavam sob análise do INSS desde o início da pandemia. Em junho do ano passado, quando a fila de requerimentos que dependiam de um parecer da autarquia chegou ao ápice, havia um total de 2,32 milhões de pedidos em análise.

"Em janeiro deste ano, essa fila tinha caído 1,635 milhão. No início da pandemia, em março, quando o INSS fechou o atendimento ao público, já havia caído para 1,30 milhão. Hoje, está em 758 mil, ou seja, estamos reduzindo fortemente esse número", afirmou Leonardo Rolim.

Apesar da redução do número de requerimentos sob análise do INSS, aumentou o número de requerimentos em exigência, que são aqueles que dependem de informação complementar ou documento por parte do segurado. "À medida em que o INSS começou a analisar esses requerimentos, viu que muitos deles estavam incompletos, precisavam ser complementados pelos segurados. Hoje, temos 906 mil requerimentos em exigência", disse Rolim.

 

 

*Por Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil

Profissionais atuam na região de Aquidauana e Anastácio apoiando equipes de saúde locais

 

SÃO CARLOS/SP - A organização internacional de ajuda humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) está atuando na prevenção, diagnóstico e tratamento da COVID-19 na região de Aquidauana e Anastácio, no Mato Grosso do Sul. O principal foco são as comunidades indígenas, que têm maior dificuldade de acesso a cuidados médicos. O trabalho de MSF abarca 11 aldeias da região, além de apoio a profissionais do hospital regional de Aquidauana e equipes móveis que fazem visitas domiciliares para acompanhar o estado de saúde de pacientes diagnosticados com o novo coronavírus na cidade.

Quando ficamos sabendo que a doença já estava nas cidades vizinhas, nossa preocupação foi aumentando porque sabíamos que não tínhamos estrutura médica”, conta o cacique Oto Larada aldeia de Colônia Nova, na terra indígena de Taunay/Ypegue. “Onde a COVID-19 tem passado, tem deixado um rastro de destruição”, completa. A necessidade de reforçar a oferta de cuidados de saúde na região durante a pandemia foi a razão pela qual MSF começou suas atividades.

Desde o último dia 27 de agosto, equipes móveis da organização têm realizado visitas às aldeias, apoiando profissionais da secretaria de saúde local e do DSEI-MS (Distrito Sanitário Especial Indígena do Mato Grosso do Sul), responsável pelas ações relacionadas à saúde indígena na região. Médicos e enfermeiros de MSF atendem nas unidades básicas de saúde locais e fazem visitas domiciliares para detecção de novos casos da doença e acompanhamento de pacientes já diagnosticados. Também são realizadas ações de educação em saúde, buscando fornecer orientações claras sobre a doença e como evitá-la. O objetivo é deter a expansão da pandemia dentro das comunidades indígenas, que apresentam um número elevado de casos e de mortes.

Edivaldo Felix é agente comunitário de saúde indígena e morador da aldeia Limão Verde. Ele foi um dos primeiros a contrair COVID-19 na comunidade e precisou ser referenciado para o hospital de Aquidauana, onde ficou por 31 dias para receber tratamento. “É uma doença horrível. Você busca o ar e não encontra. Como profissional da área de saúde eu tinha algum conhecimento. Acho que isso ajudou”, conta Edivaldo. Agora, já de volta à sua casa, ele é uma das pessoas que recebem visitas para acompanhamento do seu estado de saúde. “Eu vivi a doença e vou poder transmitir a experiência. Acho que isso vai ajudar muito no meu trabalho, a atender melhor as pessoas”, resume.

O trabalho de conscientização e prevenção é muito importante para que a população esteja mais informada e tranquila para poder seguir as recomendações”, explica o médico Pedro Ueda. Segundo ele, uma das preocupações é com o grande número de pessoas que sofrem com outras doenças, como diabetes e hipertensão, fatores complicadores em caso de contágio pela COVID-19.

A atuação das equipes não se restringe às comunidades indígenas. MSF também está presente no hospital regional de Aquidauana, apoiando o trabalho dos profissionais locais com supervisão e treinamentos. Além disso, profissionais da organização participam de visitas domiciliares feitas pela secretaria de saúde de Aquidauana para acompanhamento de pessoas doentes e detecção de novos casos entre os seus familiares. “Na clínica móvel urbana, acompanhamos os pacientes que tiveram contato com doentes ou testaram positivo, além dos que retornaram para casa. O objetivo é detectar a necessidade de encaminhamento para o hospital ou de aplicação de algum tratamento mais específico”, explica José Lobo, coordenador do projeto de MSF no Mato Grosso do Sul. Também é a partir da avaliação da saúde de cada pessoa durante essas visitas que são estabelecidas as tão aguardadas altas médicas para os pacientes com COVID-19.

MSF vem seguindo a evolução da pandemia no país desde seu início, com foco na atenção a populações vulneráveis. Começamos a atuar no país no início de abril, com a população em situação de rua em São Paulo. Posteriormente, realizamos atividades no Rio de Janeiro e no Amazonas (inicialmente em Manaus e depois nos municípios de São Gabriel da Cachoeira e Tefé). Atualmente, além do Mato Grosso do Sul, mantemos projetos em atividade em São Paulo e Boa Vista. Também estamos realizando treinamentos para prevenção e controle de infecções em municípios do estado de Goiás.

 

Sobre Médicos Sem Fronteiras

Médicos Sem Fronteiras é uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por conflitos armados, desastres naturais, epidemias, desnutrição ou sem nenhum acesso à assistência médica. Oferece ajuda exclusivamente com base na necessidade das populações atendidas, sem discriminação de raça, religião ou convicção política e de forma independente de poderes políticos e econômicos. Também é missão da MSF chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelas pessoas atendidas em seus projetos. Para saber mais acesse o site de MSF-Brasil.

Campanha segue em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e de Programa Saúde da Família (PSF) do município

 

IBATÉ/SP - A Secretaria Municipal da Saúde de Ibaté, por meio da Vigilância Epidemiológica e seguindo as determinações do Ministério da Saúde, ampliou a campanha de vacinação contra o sarampo no município até 31 de outubro.

Tendo como população-alvo adultos de 30 a 49 anos, a campanha continua em Ibaté em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e de Programa Saúde da Família (PSF), abertas de segunda a sexta-feira, das 7h às 17h. Já para crianças e pessoas de outras idades, a vacina só será aplicada se estiver atrasada.

A Coordenadora da Vigilância Sanitária de Ibaté, Paula Salezzi Fiorani, destacou a importância de se seguir o Programa Estadual de Imunização, mesmo durante a pandemia da Covid-19: "As equipes das UBSs e PSFs de Ibaté estão preparadas e seguindo todos os protocolos sanitários para minimizar os riscos relacionados à Covid-19. Orientamos que o munícipe também contribua na hora da vacina com o uso obrigatório de máscara e mantendo o distanciamento social. Seguindo esses cuidados a vacinação acontece de forma segura e garante a imunização de outras doenças, como o sarampo".

O sarampo é uma doença grave e de alta transmissibilidade. Um único doente pode transmitir para até 18 outras pessoas. A disseminação do vírus ocorre por via aérea ao tossir, espirrar, falar ou respirar.

Depois de duas décadas sem circulação endêmica do vírus do sarampo, em 2019 a doença foi reintroduzida no estado de São Paulo. Hoje, o Brasil permanece com surto de sarampo nas cinco regiões, com 11 estados com circulação ativa do vírus.

"Lembramos que para a vacinar basta levar a carteira de vacinação. Caso a pessoa não tenha a carteirinha, pode apresentar um documento de identificação com foto. O importante é estar vacinado", finalizou Paula Salezzi Fiorani.

SÃO PAULO/SP - Wesley Safadão usou os stories do Instagram para informar aos fãs que está curado da Covid-19. Nesta última sexta-feira (11), o cantor postou seu último exame afirmando que foi assintomático.

“Graças a Deus estou curado 100% do coronavírus. Passei muito bem pela doença, não tive sintomas. Só esperar passar os dias para dar o IGG positivo. Já posso voltar à vida normal, rever meus filhos e minha família. Agora é só aproveitar”, comentou.

 

 

*Por: Geórgia Santiago / METROPOLITANA

Até o credenciamento o custeio foi realizado pela Prefeitura de São Carlos

 

SÃO CARLOS/SP - O Ministério da Saúde confirmou o credenciamento dos 10 leitos de UTI do Hospital Universitário Prof. Dr. Horácio Carlos Panepucci (HU-UFSCar), inaugurados em 15 de maio, exclusivos para tratamento de pacientes com COVID-19.

Os leitos foram habilitados por 90 dias podendo ser prorrogados se necessário. O credenciamento possibilita que o hospital receba diretamente do Governo Federal, via Rede Ebserh (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), recursos para o custeio dessas unidades de terapia intensiva, não necessitando mais dos recursos que até então eram disponibilizados pela Prefeitura de São Carlos, via Governo Federal.

Para colocar em funcionamento os leitos a Secretaria Municipal de Saúde, juntamente com a superintendência do Hospital Universitário, fizeram gestões junto ao Ministério da Saúde, solicitando a habilitação da UTI. “O primeiro passo para a habilitação foi o município solicitar os leitos, o que fizemos imediatamente ao Ministério da Saúde. A partir daí, enquanto aguardamos o credenciamento, nos responsabilizamos pelo custeio desses leitos. Como é um hospital federal repassamos recursos de Fonte 5, ou seja, dos recursos que recebemos da união, via Ministério da Saúde, mais de R$ 1,1 milhão disponibilizamos para o HU, em três parcelas de R$ 396 mil. Mas para chegar ao credenciamento foi necessária gestão política”, explica Marcos Palermo, secretário municipal de Saúde.

Após a publicação no Diário Oficial da União, em 4 de setembro, de confirmação do credenciamento, em 10 dias deve ocorrer a descentralização para a Ebserh que a partir de agora é o órgão que fará o custeio dos leitos, via Ministério da Saúde.

Toda a infraestrutura, contratação de pessoal e recursos para equipamentos e insumos utilizados para a montagem dos 10 leitos UTI/SUS no HU também foram via Ebserh.


São 23 diferentes especialidades e quatro tipos de exames para pacientes com doenças crônicas e quadro clínico prioritário

 

SÃO CARLOS/SP - O Hospital Universitário da Universidade Federal de São Carlos (HU-UFSCar/Ebserh) iniciou neste mês de setembro o retorno gradativo da realização de exames e dos atendimentos presenciais de seus ambulatórios. Neste primeiro momento, o atendimento presencial está restrito a 60% da capacidade dos ambulatórios e a 25% dos exames e será direcionado aos pacientes com quadro clínico prioritário. A abertura total da agenda está prevista para os próximos meses. 

Ao todo, retornam às atividades presenciais 25 ambulatórios nas especialidades de Cardiologia, Pneumologia, Neurologia, Hepatologia, Imunopediatria, Nefrologia, Doenças inflamatórias intestinais, Patologias do trato genital inferior, Urologia, Medicina fetal, Ginecologia Endócrina, Diabetes, Gastrocirurgia, Cirurgia vascular, Gastropediatria, Nutrologia infantil, Dermatologia, Nutrição, Educação Física, dois ambulatórios de Infectologia, três de Clínica Médica, e de Planejamento reprodutivo (iniciando agora as atividades no HU).  

De acordo com Meliza Goi Roscani, Chefe da Divisão de Gestão do Cuidado do HU, a volta dos ambulatórios presenciais também vem para suprir uma necessidade do ensino dos estudantes da UFSCar. "Após aprovação do colegiado da Universidade, os internatos retornarão com suas atividades práticas que tinham sido suspensas por conta da pandemia de Covid-19. Agora, os ambulatórios servirão como campo rico de prática para alunos dos quinto e sexto anos do curso de Medicina", afirma. 

Em relação aos exames, serão reiniciados os de raio-X, tomografia, doppler e ecocardiograma. 

Os pacientes atendidos neste momento da retomada gradativa dos cuidados presenciais serão aqueles que possuem doença crônica e que, devido ao seu quadro clínico, precisam de atenção mais urgente. Todos os pacientes serão encaminhados pelo sistema de regulação da Secretaria Municipal de Saúde de São Carlos e terão fluxo de atendimento específico dentro do Hospital.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30