fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

SÃO CARLOS/SP - Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma neste domingo (16/08) os números da COVID-19 no município. São Carlos contabiliza neste momento 1.771 casos positivos para COVID-19 (2 resultados positivos foram divulgados hoje), com 31 mortes confirmadas. 70 óbitos já foram descartados. Dos 1.771 casos positivos, 1.623 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 3 óbitos sem internação, 145 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 107 receberam alta hospitalar, 10 estão internadas, 1 paciente de São Carlos está internado em Jaú e 28 positivos internados foram a óbito. 1.458 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 6.430 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus. Estão internadas neste momento 34 pessoas, sendo 18 adultos na enfermaria (4 positivos, 10 suspeitos e 4 negativos). Na UTI adulto estão internadas 14 pessoas (10 positivos, 3 suspeitos e 1 negativo). Uma criança está internada na UTI com suspeita da doença. Na enfermaria uma criança está internada com resultado negativo para COVID-19. 5 pacientes de outros municípios estão internados em São Carlos. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 45,9%. Na rede privada estão internados 4 pacientes na UTI adulto, sendo 2 positivos e 2 com suspeita da doença. Já na enfermaria adulto 2 pacientes estão internados na rede particular, 1 com resultado positivo e 1 com suspeita da doença. Esses números já estão contabilizados no total de internações.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 10.488 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 9.032 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 1.456 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 5.931 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 4.726 tiveram resultado negativo para COVID-19, 1.138 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 67 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma neste sábado (15/08) os números da COVID-19 no município. São Carlos contabiliza neste momento 1.769 casos positivos para COVID-19 (30 resultados positivos foram divulgados hoje), com 31 mortes confirmadas. 70 óbitos já foram descartados. Dos 1.769 casos positivos, 1.622 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 3 óbitos sem internação, 144 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 107 receberam alta hospitalar, 9 estão internadas e 28 positivos internados foram a óbito. 1.458 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 6.430 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (78 resultados negativos foram divulgados hoje). Estão internadas neste momento 31 pessoas, sendo 15 adultos na enfermaria (2 positivos, 8 suspeitos e 5 negativos). Na UTI adulto estão internadas 15 pessoas (11 positivos, 2 suspeitos e 2 negativos). Uma criança está internada na UTI com suspeita da doença. Na enfermaria nenhuma criança está internada no momento. 6 pacientes de outros municípios estão internados em São Carlos. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 50%. Na rede privada estão internados 3 pacientes na UTI adulto, sendo 2 positivos e 1 com suspeita da doença. Já na enfermaria adulto 2 pacientes estão internados na rede particular, 1 com resultado positivo e 1 com suspeita da doença. Esses números já estão contabilizados no total de internações.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 10.453 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 8.879 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 1.574 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 5.931 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 4.726 tiveram resultado negativo para COVID-19, 1.137 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 68 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

Projeto da Prefeitura fez a distribuição de plantas medicinais contra ansiedade e estresse nas Unidades de Saúde do município

 

IBATÉ/SP - Desenvolvido pela Prefeitura de Ibaté, por meio do setor infantil do Ambulatório Municipal de Saúde "Dr. Ivo Morganti", o projeto “Cuidando de quem cuida” está realizando na cidade várias ações de prevenção e cuidados com a saúde mental dos profissionais de saúde, durante o período de pandemia do novo coronavírus.

Entre as ações da equipe, formada pela fonoaudióloga Danielle dos Santos Nascimento, pela psicóloga Beatriz Maria Astolphi e pela terapeuta ocupacional Natalia Falvo Simões, o projeto fez a distribuição de  dezenas de mudas de plantas medicinais para todas as Unidades Básicas de Saúde  (UBS), do Programa Saúde da Família (PSF) e para o ambulatório do município.

Segundo a Secretária-adjunta Municipal de Saúde, Elaine Sartorelli Breanza, a ideia é que as plantas sejam cultivadas e usados pelos próprios  funcionários. "Temos acompanhado e percebido um grande aumento nos sintomas de ansiedade e estresse entre os profissionais da saúde por causa da pandemia.  As plantas escolhidas auxiliam na diminuição desses sintomas e colaboram para o bem-estar físico e emocional do profissional".

Juntamente com as mudas foi entregue um manual apresentando as ações de cada planta, como cultivá-la e como preparar compressas, chás e xaropes medicinais de maneira correta, por meio de infusão (folhas, flores) e maceração (raízes, cascas, sementes), por exemplo. "A fitoterapia e o uso de plantas medicinais representam uma forma eficaz de atendimento à saúde, especialmente no campo da Atenção Básica. O uso seguro das plantas está vinculado ao seu conhecimento prévio, por isso é fundamental a orientação para uma utilização adequada, sem perda da efetividade de seus princípios ativos e sem riscos de intoxicações por uso inadequado", explicou Elaine Sartorelli Breanza.

As Unidades de Saúde receberam mudas diferentes, como Alecrim, Capim-cidreira, Poejo, Lavanda e Tomilho e foram estimuladas a fazer a troca entre elas. As plantas medicinais e fitoterápicas escolhidas para esse projeto fazem parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), também chamada de medicina complementar/alternativa pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

"Quarentena" é uma produção do Laboratório Aberto de Interatividade da UFSCar

 

SÃO CARLOS/SP - O podcast "Quarentena", produzido pela equipe do Laboratório Aberto de Interatividade para a Disseminação do Conhecimento Científico e Tecnológico (LAbI) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), chegou nesta semana (em 12 de agosto) à marca significativa de 150 dias ininterruptos no ar. "Quarentena" traz, diariamente, as principais notícias, recomendações e, também, entrevistas sobre a Covid-19, com cientistas e outros profissionais de todo o Brasil.

Apresentado pelos jornalistas Mariana Pezzo e Tárcio Fabrício, o podcast tem foco em informação de qualidade e nas pesquisas relacionadas ao cenário da pandemia.
"Nós começamos o podcast praticamente junto com o distanciamento, quando nos vimos trabalhando em casa e precisando rapidamente pensar em como reorganizar a equipe para colocar a nossa experiência em divulgação científica e os nossos esforços a serviço do enfrentamento da pandemia. Não tínhamos, naquele momento, a dimensão do alcance que ele ganharia em um cenário que acabou se configurando como de excesso de informações e, muito especialmente, de informações fragmentadas, muitas vezes desencontradas e de má qualidade, quando não deliberadamente equivocadas ou falsas", conta Fabrício, que realiza pós-doutorado com pesquisa sobre divulgação científica no Departamento de Física (DF) da UFSCar e é Coordenador de Conteúdo do LAbI.

"É claro que de vez em quando pensamos se é hora de parar, não só pelos desafios envolvidos na manutenção de um produto diário, mas também por imaginar que o interesse pelo tema vá diminuindo com o tempo. Mas aí chega alguma mensagem do nosso público, e muitas nos dizem como o podcast é não só uma referência de informação confiável, mas também fonte de algum alento, de um pouco de segurança nesta situação que causa a sensação de impotência ou desesperança, e nós seguimos", compartilha Pezzo, que divide a coordenação do Laboratório com Adilson Jesus Aparecido de Oliveira, docente do DF.

"O LAbI já tem 14 anos de atuação na divulgação científica, e nosso compromisso com a democratização do acesso ao conhecimento e a ampla difusão de informações de qualidade, baseadas em evidências científicas, nos guiou na rápida estruturação para produção de materiais voltados ao contexto da pandemia. Por outro lado, estes meses têm nos mostrado quantos desafios permanecem na promoção de uma relação mais próxima, produtiva e de diálogo entre Ciência e público, e estamos muito motivados para incorporar esses aprendizados à nossa prática e aos nossos projetos futuros", complementa Oliveira.

Os episódios de Quarentena, com cerca de 40 minutos cada, vão ao ar diariamente no início da noite, inclusive aos finais de semana. Eles estão disponíveis no site do LAbI (www.labi.ufscar.br) e, também, nos principais agregadores de podcasts e serviços de streaming, como Spotify, iTunes, Deezer, Google Podcasts, TuneIn e outros. O podcast mantém, além das características já mencionadas, quadros fixos em parceria com o docente do Departamento de Medicina (DMed) da UFSCar Bernardino Geraldo Alves Souto, que aborda as principais dúvidas do público em relação a aspectos diversos da pandemia, e com o Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) da UFSCar, que tem promovido reflexões sobre o momento na perspectiva sociológica.

O podcast deu origem também ao "Quarentena ao Vivo", programação semanal de debates no formato de lives, transmitidas pelas redes sociais do LAbI - Facebook e canal ClickCiência no YouTube. Os projetos têm o apoio do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) e do Centro de Inovação em Novas Energias (Cine), ambos centros de pesquisa vinculados à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Além do podcast, o LAbI também já produziu mais de 100 vídeos de divulgação científica no contexto da pandemia, e toda essa produção pode ser conferida no site do Laboratório, em www.labi.ufscar.br.

Dentista lista cuidados para garantir a saúde do músculo que é um dos mais importantes do corpo

 

SÃO PAULO/SP - Ter uma boca saudável, vai muito além de escovar os dentes depois de cada refeição. A língua, por vezes negligenciada, acumula uma grande quantidade de bactérias que podem provocar algumas doenças, caso a higiene bucal não seja bem feita. Para evitar transtornos, o dentista e presidente da rede OdontoCompany, Dr Paulo Zahr, explica a seguir quais doenças são mais frequentes em consultórios e o que fazer para evitá-las e tratá-las.

  1. Língua pilosa

A língua pilosa não é um problema grave e acontece quando existe um acúmulo de ceratina, fungos ou bactérias nas papilas gustativas, que ficam mais alongadas, dando uma aparência de pelos na língua. O problema pode ser causado por hábitos de higiene incorretos, tabagismo, infecções e reação adversa a alguns medicamentos. A boa notícia é que o tratamento é simples, sendo necessário apenas procurar um dentista para identificar a causa, seguir as recomendações quanto à higiene bucal, suspender o uso de tabaco ou substituir medicamentos, se for o caso. “Os sintomas devem desaparecer após uma semana de tratamento. No entanto, caso persistam, procure um estomatologista para verificar a necessidade de recorrer a medicamentos antifúngicos ou antibióticos”, salienta Zahr.

  1. Afta

Pode afetar tanto a língua, quanto a boca. É caracterizada por pequenas lesões arredondadas que causam dor e, muitas vezes, dificultam a alimentação e a fala. Seu aparecimento pode estar relacionado a diversos fatores, como mordidas na língua, estresse, doenças autoimunes ou até mesmo pelo consumo de alimentos cítricos, como abacaxi e limão. “As aftas costumam desaparecer de forma espontânea após 7 ou 10 dias, sem deixar cicatrizes. Quando isso não acontece ou quando são muito frequentes, é recomendado procurar um dentista”, orienta o especialista.

  1. Sapinho

O sapinho ou candidíase oral é uma doença caracterizada pelo surgimento de placas esbranquiçadas na língua e interior da boca, vermelhidão, sensação de ardência e sabor desagradável. Ela ocorre devido a uma infecção causada por fungos e não é contagiosa. Alguns fatores como hábitos inadequados de higiene, fumo e uso de medicamentos podem favorecer o desenvolvimento da doença, assim como alguns grupos de pessoas são mais suscetíveis ao problema, como bebês recém-nascidos, usuários de drogas, com alimentação inadequada ou sistema imunológico debilitado, no caso, de pacientes com HIV ou transplantados, por exemplo. “O tratamento é feito com remédios antifúngicos em forma de gel ou creme aplicados de forma tópica. Após o início do tratamento, os sintomas devem desaparecer em duas semanas. No caso do sapinho causado por medicamentos, é preciso conversar com seu médico para verificar a possibilidade de mudar a dosagem ou substituir a medicação”, alerta Zahr.

  1. Câncer Bucal

É preciso visitar o dentista com regularidade para garantir a saúde da boca e evitar problemas mais graves como o Câncer Bucal, que não é tão incomum quanto a maioria das pessoas imagina. “Esse tipo de câncer  é mais frequente em homens com mais de 40 anos e pode ser fatal, caso não seja diagnosticado de maneira precoce. Ao notar qualquer alteração na aparência e textura da língua, não hesite em procurar um profissional qualificado”, finaliza.

Sobre a OdontoCompany

A OdontoCompany é a maior rede de clínicas odontológicas do país e quarta do mundo, com mais de 700 unidades espalhadas em todos os estados brasileiros, exceto Acre. Há 30 anos no mercado e 10 no franchising, atualmente integra a SMZTO Holding de Franquias, que congrega outras importantes empresas dos mais diversos segmentos. É reconhecida pelo pioneirismo em implantar técnicas de ortodontia, dentística, estética, endodontia, implantodontia e outros procedimentos que utilizam a mais alta tecnologia. Mais informações: https://odontocompany.com/

SÃO PAULO/SP - A cantora Joelma usou seu Instagram para afirmar que está bem e agradecer a preocupação de fãs após ter revelado que testou positivo para a covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, da qual já se recuperou.

"Tô vivíssima e muito bem! Já, já vocês terão muitas novidades! Obrigada pela preocupação e amor de sempre!", escreveu nesta quinta-feira, 13.

Confira abaixo a íntegra da nota enviada pela assessoria de imprensa de Joelma sobre sua saúde:

“Informamos que a cantora Joelma foi fazer exames de rotina e, no de sangue, confirmou que ela estava com o vírus da covid-19 há um tempo.

Com sintomas leves após o diagnóstico, ela ficou isolada se tratando e, atualmente, encontra-se muito bem e totalmente recuperada na sua casa de São Paulo.

Ela também tirou alguns dias de férias e após dia 20 ela volta com tudo. Projetos publicitários, divulgação do DVD de 25 anos que acabou de lançar e muitas surpresas pros fãs.”

 

 

*Por: ESTADÃO

Os novos equipamentos foram adquiridos com recurso de emenda parlamentar destinada pelo então Deputado Federal Lobbe Neto, depois de solicitação feita pelo vereador Marquinho Amaral

 

SÃO CARLOS/SP - O provedor da Santa Casa, Antonio Valério Morillas Júnior, recebeu o vereador Marquinho Amaral (PSDB) nesta quinta-feira (13/8) no auditório da Provedoria do hospital para a entrega de 30 máquinas para o Serviço de Nefrologia. Os equipamentos foram adquiridos com a verba de R$ 3 milhões e 30 mil reais, solicitada pelo vereador ao então Deputado Federal Lobbe Neto.

Segundo o provedor da Santa Casa, Antonio Valério Morillas Junior, “hoje o hospital tem um dos serviços de Nefrologia mais modernos do Estado de São Paulo e nós ampliamos o número de atendimentos. A entrega desses novos equipamentos vai ajudar a fortalecer ainda mais o atendimento de excelência que temos oferecido no Serviço de Nefrologia da Santa Casa”, comenta.

O vereador Marquinho Amaral (PSDB) explica que a preocupação com o Serviço de Nefrologia começou com uma experiência em família. “Eu tive um irmão que durante 6 anos precisou usar a máquina para fazer hemodiálise. Eu, inclusive, doei um dos meus rins para ele. E por conta dessa relação com o meu irmão, eu sabia o drama que os outros pacientes também viviam. Por isso, junto do então deputado federal Lobbe Neto, nós solicitamos a verba para a compra dessas máquinas. É uma emoção muito grande poder fazer essa entrega hoje. É uma vitória muito grande para a saúde de São Carlos”, comemora.  

Também estavam presentes, na cerimônia de entrega, o gerente comercial da Santa Casa, Marcus Petriili, o gerente médico da Santa Casa, Roberto Muniz Junior; o enfermeiro responsável técnico pelo Serviço de Nefrologia, Elio Vieira da Silva Junior, e o nefrologista responsável técnico pelo Serviço de Nefrologia, Douglas Pinotti.

“Os equipamentos novos, de alta tecnologia, vão substituir parte das máquinas que nós alugávamos. Além de representar uma economia de R$ 36 mil reais por mês para o hospital, vai melhorar ainda mais o tratamento que a gente oferece”, explica o nefrologista, Douglas Pinotti. Ainda segundo o responsável técnico pelo Serviço de Nefrologia, “os nossos índices mostram a qualidade do atendimento oferecido. Em média, em todo o país, 18% dos pacientes crônicos acabam falecendo por ano. No Estado de SP, esse número reduz para 13%. E aqui, no Serviço de Nefrologia da Santa Casa, essa mortalidade cai pela metade: 6%”, afirma.

Além das 30 máquinas para a hemodiálise, o recurso da emenda parlamentar também vai ser usado para a compra de 4 ventiladores pulmonares para UTI, 1 polígrafo para Hemodinâmica (usado nos procedimentos da área de cardiologia, cateterismo e análise de arritmia cardíaca), 2 equipamentos para o Banco de Sangue, 2 equipamentos para cirurgia, 5 focos de teto e 2 mesas cirúrgicas.

BRASÍLIA/DF - Os planos de saúde estão obrigados, a partir de hoje (14), a cobrir exames para detecção do novo coronavírus (SARS-CoV-2), que provoca a covid-19. A decisão, tomada ontem pela diretoria colegiada da Agência Nacional de Saúde Suplementar, prevê a cobertura para a pesquisa de anticorpos IgC ou anticorpos totais e foi publicada hoje no Diário Oficial da União.

Os exames poderão ser feitos nos pacientes com síndrome gripal ou síndrome respiratória aguda grave (SRAG) a partir do oitavo dia do início dos sintomas e também para crianças ou adolescentes com quadro suspeito de síndrome multissistêmica inflamatória pós-infecção pelo novo coronavírus.

Os planos de saúde, no entanto, não estão obrigados a cobrir os testes nos seguintes casos: RT-PCR prévio positivo para Sars-Cov-2; pacientes que já tenham realizado o teste sorológico, com resultado positivo; pacientes que tenham realizado o teste sorológico, com resultado negativo, há menos de uma semana; para testes rápidos; pacientes cuja prescrição tem finalidade de screening, retorno ao trabalho, pré-operatório, controle de cura ou contato próximo/domiciliar com caso confirmado; e para verificação de imunidade pós vacinal.

 

 

*Por Vitor Abdala - Repórter da Agência Brasil

Constatação foi apontada em revisão clínica de grupo de pesquisa da UFSCar

 

SÃO CARLOS/SP - "A obesidade predispõe as crianças e adolescentes obesos a terem complicações da Covid-19 e é fato que a obesidade é crescente entre esse público", afirma o professor Carlos Alberto Nogueira-de-Almeida, do Departamento de Medicina (DMed) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). O docente coordena o grupo de pesquisa "Centro de Investigação em Nutrologia e Saúde (Cinus)", que fez uma revisão clínica recente sobre a relação entre a obesidade infantil e as complicações da Covid-19. O artigo foi publicado no periódico Jornal de Pediatria, renomada revista internacional na área.

O principal objetivo do trabalho foi identificar fatores que contribuem para o aumento da suscetibilidade e gravidade da Covid-19 em crianças e adolescentes obesos e suas consequências para a saúde. O professor da UFSCar aponta que a obesidade é uma comorbidade de alta prevalência nos casos graves de Covid-19 em crianças e adolescentes. De acordo com ele, o excesso de tecido adiposo, déficit de massa magra, resistência à insulina, dislipidemia (colesterol elevado no sangue), hipertensão, níveis elevados de citocinas pró-inflamatórias e a baixa ingestão de nutrientes essenciais são fatores que comprometem o funcionamento de órgãos e sistemas dos indivíduos obesos. 

Nogueira-de-Almeida afirma que, somados a esses fatores, também há prejuízos dos sistemas imunológico, cardiovascular, respiratório e urinário e modificação da microbiota intestinal. Os prejuízos desse quadro podem causar complicações nos casos de infecção pelo novo Coronavírus. "Essas alterações orgânicas advindas da obesidade podem potencializar a necessidade de assistência ventilatória, risco de tromboembolismo, redução da taxa de filtração glomerular, alterações na resposta imune inata e adaptativa e perpetuação da resposta inflamatória crônica", completa o professor da UFSCar.

Além das medidas protetivas já preconizadas no combate à Covid-19, o docente destaca a necessidade dos profissionais da Saúde realizarem avaliação nutricional para diagnóstico do excesso de peso e o rastreamento de comorbidades associadas à obesidade para garantir a efetividade do tratamento contra a Covid-19. "É preciso que os profissionais da Saúde dosem os níveis de imunonutrientes para avaliar a necessidade de suplementação, deem orientações às famílias e determinem, quando necessário, o encaminhamento a unidades hospitalares aptas ao atendimento de crianças e adolescentes obesos", defende.

Os resultados do trabalho realizado pelo Cinus foram publicados no artigo "Covid-19 e obesidade na infância e adolescência: uma revisão clínica", que pode ser acessado no link https://bit.ly/3kC2G5j. O Cinus é um Diretório de Pesquisa alocado no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e na UFSCar, e inclui professores e estudantes da Instituição e da Universidade de São Paulo (USP).

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma nesta quinta-feira (13/08) mais uma morte por COVID-19 no município, totalizando 30 óbitos neste momento. Trata-se de uma mulher de 78 anos, de São Carlos, internada desde 10/08, que morreu nesta quinta (13/08) já com resultado positivo para COVID-19. São Carlos contabiliza neste momento 1.712 casos positivos para COVID-19 (41 resultados positivos foram divulgados hoje), com 30 mortes confirmadas. 70 óbitos já foram descartados. Dos 1.712 casos positivos, 1.567 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 3 óbitos sem internação, 143 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 103 receberam alta hospitalar, 13 estão internadas, 1 paciente de São Carlos permanece internado na cidade de Jaú e 27 positivos internados foram a óbito. 1.441 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 6.235 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (162 resultados negativos foram divulgados hoje). Estão internadas neste momento 30 pessoas, sendo 14 adultos na enfermaria (4 positivos, 5 suspeitos e 5 negativos). Na UTI adulto estão internadas 16 pessoas (12 positivos, 3 suspeitos e 1 negativo). Tanto na UTI como na enfermaria nenhuma criança está internada no momento. 6 pacientes de outros municípios estão internados em São Carlos, todos na UTI. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 54,16%. Na rede privada estão internados 2 pacientes positivos na UTI adulto e 1 com suspeita da doença. Já na enfermaria adulto 2 pacientes estão internados na rede particular, todos com resultado positivo para a COVID-19. Esses números já estão contabilizados no total de internações.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 10.268 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 8.597 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 1.671 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 5.732 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 4.531 tiveram resultado negativo para COVID-19, 1.092 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 109 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30