fbpx

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim
 

EUA - Nos últimos tempos temos visto o TikTok aumentar cada vez mais a duração máxima dos vídeos disponíveis na rede social, uma estratégia que (aparentemente) não será seguida pelo rival Instagram.

O responsável pela rede social da Meta, Adam Mosseri, revelou que o Instagram pretende manter-se focado em vídeos de curta duração. O executivo destaca que a aposta em vídeos maiores poderia impactar “a identidade central de conectar as pessoas com os amigos”.

Mosseri explicou que, independentemente das virtudes de vídeos longos, este formato significa que os usuários verão menos conteúdos compartilhados por amigo - sublinhando portanto que este continuará a ser o foco do Instagram.

 

 

POR NOTÍCIAS AO MINUTO BRASIL

EUA - Desde domingo (16), a Meta começou a utilizar as publicações abertas de usuários do Facebook e do Instagram para treinar modelos de inteligência artificial generativa, segundo a última alteração que a big tech fez em sua política de privacidade.

Nos Estados Unidos, onde não há legislação de proteção de dados, os usuários não têm como escapar da mineração de dados da empresa. No Brasil, a empresa cumpre a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e oferece ao usuário o direito de se opor a esse tratamento.

Assim, o usuário pode retirar seu perfil da lista dos que serão minerados pela Meta. Esse é o chamado "opt-out".

Continua depois da publicidade

Essa opção é útil para quem quer manter a privacidade ou evitar que as próprias publicações sejam usadas para o desenvolvimento de IAs generativas sobre as quais pouco se sabe.

Na última sexta (14), a Meta decidiu adiar o lançamento de seu pacote de IA, Meta AI, na Europa, após o órgão regulador europeu ter pedido mais informações à empresa sobre como seria o tratamento de dados direcionado ao desenvolvimento de modelos de inteligência artificial.

O "opt-out" acabou escondido em meio às configurações do Instagram. Por isso, a reportagem mostra o passo a passo de como ativar a função.

Acesse o seu perfil e vá até a seção de configurações, sinalizada por três barras no canto superior direito

Clique na opção "sobre", localizada no fim da página

Selecione a política de privacidade. Nessa nova página, as três barrinhas no canto superior direito levam ao centro de privacidade

Clique na seta ao lado de outras políticas e artigos e selecione a opção "Como a Meta usa informações para recursos e modelos de IA generativa"

No décimo nono parágrafo, sem contar tópicos, está a opção "direito de se opor". Clique nela.

Preencha e envie o formulário. A Meta confirma a identidade com um código numérico enviado ao email cadastrado na conta. Depois, é só esperar a confirmação do opt-out. Pode levar alguns minutos.

 

 

POR FOLHAPRESS

EUA - A Meta, dona do Facebook, Instagram e WhatsApp, lançou na quinta-feira (18) uma nova versão de seu modelo de inteligência artificial Llama, no mais recente esforço para acompanhar tecnologias semelhantes de concorrentes como OpenAI e Google.

A big tech vai usar o novo produto para rodar um assistente de IA chamado Meta AI, que estará presente nos seus aplicativos para realizar tarefas, criar conteúdo e acessar informações em tempo real.

Em exemplo divulgado, o usuário poderá iniciar uma conversa com o Meta AI a partir da interface do próprio WhatsApp e solicitar algo como a data do próximo eclipse. Nessas conversas, também será possível gerar imagens e GIFs a partir do comando "imagine".

O Meta AI estará disponível a partir desta quinta em países fora dos Estados Unidos, como Canadá, Austrália, Nigéria e Singapura. O Brasil não está incluso na lista.

"Estamos construindo o Meta AI para refletir as diversas comunidades e idiomas ao redor do mundo. Estamos trabalhando para lançá-lo em mais locais este ano, mas não temos nada de novo para compartilhar no momento", disse a Meta, em nota.

O Llama 3, lançado na quinta-feira, é uma atualização do modelo que a empresa lançou no ano passado, o Llama 2.

Continua depois da publicidade

Segundo a Meta, a nova versão, já disponível publicamente, codifica a linguagem com mais eficiência, o que resulta em uma melhoria substancial no desempenho, aumentando sua capacidade de compreensão e criação.

"Com o Llama 3, o Meta AI agora será o assistente mais inteligente disponível gratuitamente", disse o CEO Mark Zuckerberg em entrevista ao jornal The New York Times. "E, como alcançamos o nível de qualidade que desejávamos, agora vamos torná-la muito mais proeminente e fácil de usar em todos os nossos aplicativos."

O Llama é hoje um dos principais LLMs (grandes modelos de linguagem) de código aberto. Isso significa que programadores podem usá-lo, por exemplo, para criar seus próprios chatbots -os robôs de conversação como o ChatGPT.

A Meta disse em publicação no blog oficial que adota o "espírito" do código aberto ao permitir que a comunidade de desenvolvedores tenha acesso a esses modelos enquanto eles ainda estão em desenvolvimento.

O diretor de produto da empresa, Chris Cox, disse à Bloomberg que a versão anterior, que já era aberta, foi baixada 170 bilhões de vezes. Agora, o Llama 3 é "líder do setor em vários testes para modelos desse tamanho", disse Cox. "Não estamos mais correndo atrás para ter um modelo que seja o melhor".

Muitas grandes empresas de tecnologia estão em uma corrida para desenvolver e emplacar produtos e serviços de IA, gastando bilhões com chips e recursos para desenvolver LLMs e outros produtos.

No ano passado, a Microsoft incorporou o GPT, da OpenAI, no mecanismo de pesquisa Bing. O Google fez o mesmo com o Gemini, agora integrado ao Docs, Gmail e Busca.

Os esforços do Meta se destacam devido à escala de seus produtos, que são utilizados por cerca de 4 bilhões de pessoas no mundo inteiro.

A big tech tem usado IA em seus produtos há anos, mas desde o ano passado tem se dedicado mais à tecnologia, com executivos enfatizando seus benefícios em aparições públicas e entrevistas.

Os investidores têm demonstrado otimismo sobre o uso de IA pela Meta em seus produtos. As ações subiram cerca de 1,5%, a US$ 501,80 nesta quinta-feira, e 44,9% neste ano.

 

 

POR FOLHAPRESS

CHINA - Depois que o Instagram se aventurou no mundo dos vídeos curtos seguindo os passos do TikTok, agora parece que é a vez do TikTok seguir o caminho inverso e investir no compartilhamento de fotos.

O consultor de redes sociais Matt Navarra encontrou referências de um novo app chamado "TikTok Photos" no código do app do TikTok. Um ícone com as cores do TikTok também foi encontrado, sugerindo que o novo aplicativo está em desenvolvimento. A informação disponível indica que os usuários do TikTok poderão compartilhar fotos diretamente do app principal para o TikTok Photos.

Ainda não há uma data oficial para o lançamento do TikTok Photos. Também não se sabe se  estará disponível em todos os territórios onde o TikTok está presente.

https://www.threads.net/@mattnavarra/post/C4YrJECIRGm

 

 

POR NOTÍCIAS AO MINUTO BRASIL

ALEMANHA - A Meta anunciou que, para cumprir os novos regulamentos da União Europeia, a Lei dos Mercados Digitais, a empresa permitirá que os usuários desvinculem suas contas nas redes sociais Facebook, Messenger e Instagram.

Isso significa que os usuários poderão ter contas separadas para cada plataforma, sem que suas informações pessoais sejam compartilhadas entre elas. A opção estará disponível a partir de março de 2024.

No entanto, é importante ressaltar que a opção de desvinculação de contas só estará disponível na União Europeia e na Suíça. O Reino Unido não é membro da União Europeia e, portanto, não está sujeito à Lei dos Mercados Digitais.

A Meta afirma que a opção de desvinculação de contas é uma forma de respeitar a privacidade dos usuários e de dar a eles mais controle sobre suas informações pessoais.

 

 

POR NOTÍCIAS AO MINUTO BRASIL

INGLATERRA - Um novo grupo de filtros disponíveis na rede social Instagram vão transformar os internautas em algumas das espécies de aves mais ameaçadas do Reino Unido.

Segundo a BBC News, o tetraz, o maçarico, o papagaio-do-mar, o abibe-comum e o tordo, que estão em risco de extinção, foram transformados em filtros pela artista Hanna Tuulikki. O objetivo é aumentar a conscientização da população sobre a importância da conservação dessas espécies.

Os filtros de realidade aumentada foram inspirados no trabalho do naturalista e gravurista Thomas Bewick, um dos artistas britânicos mais conhecidos de Northumberland.

"Bewick é conhecido por suas gravuras, principalmente de pássaros, bem como por sua inovação técnica", explica Hanna. "À medida que fui aprendendo sobre o trabalho do artista, comecei a questionar-me: 'Como é que ele responderia à devastadora perda de biodiversidade que estamos a enfrentar hoje?'"

Os cinco filtros produzidos pela artista Hannah serão lançados a partir de segunda-feira, 20 de novembro, como parte do projeto "Avi-Alarm".

Os filtros, feitos em colaboração com os artistas digitais Saturn Akin e MV Brown, são incorporados com áudio que combina gravações de campo de cada pássaro com a voz humana.

 

 

POR NOTÍCIAS AO MINUTO BRASIL

EUA - A Meta, empresa detentora do Facebook, Instagram e WhatsApp, anunciou o lançamento da chamada Meta AI. A novidade promete uma forma inovadora de interação com os usuários, por meio de inteligência artificial.

O anúncio acabou sendo veiculado na Meta Connect 2023, conferência anual da empresa, onde Mark Zuckerberg, CEO da Meta, apresentou variados recursos de IA.

 

O que é a nova Meta AI?

A inteligência artificial atuará como uma espécie de ChatGPT integrado aos aplicativos da empresa, permitindo que os usuários façam perguntas sobre os mais diversos temas e obtenham respostas de maneira direta através dos aplicativos.

A princípio, a Meta AI funcionará na versão Beta e estará disponível apenas para os Estados Unidos.

A ferramenta visa tornar a experiência do usuário com os aplicativos da empresa mais interativa e personalizada. Além de responder perguntas e conduzir conversas, a Meta AI oferecerá outros recursos.

 

Quais recursos a ferramenta irá oferecer?

  • Edição de imagens no app: o usuário poderá criar imagens com amigos ou mesmo fazer edições individuais em suas fotografias no Instagram, através de ferramentas com restyle e backdrop. Os usuários poderão adicionar estilo às imagens, alterar a cena ou o plano de fundo, entre outras edições.
  • Assistentes virtuais: os usuários poderão fazer perguntas e gerar imagens nos chatbots, que serão interpretados por personalidades famosas, como o rapper Snoop Dogg, a socialite Paris Hilton, o atleta de futebol americano Tom Brady, a modelo Kendall Jenner e muito mais.
  • Criação de figurinhas personalizadas: como anunciado por Mark Zuckerberg, dono da Meta, a Meta AI permitirá a criação de figurinhas personalizadas em todos os aplicativos da companhia. A ferramenta transforma comandos de texto em figurinhas.
  • A Meta AI é resultado de uma evolução contínua na maneira como as pessoas interagem virtualmente. A inteligência artificial presente no Chat GPT promete mais facilidade para os usuários obterem informações e auxiliarem nas suas conversas diárias.

Além disso, a ferramenta de edição de imagens usando a IA poderá transformar a experiência de compartilhamento de fotos e figurinhas.

 

 

CATRACA LIVRE

EUA - Em uma iniciativa similar ao Twitter Blue, lançado recentemente por Elon Musk, o Facebook e Instagram começam na terça-feira (20) a testar o Meta Verified, um pacote de assinaturas que oferece um selo pago de verificação. Este lançamento vem como uma resposta direta à monetização do Twitter.

O pacote de assinaturas, que pode ser adquirido por R$ 55 mensais dentro do aplicativo, tanto em dispositivos iOS quanto Android, dá acesso a uma série de benefícios, como verificação de contas com proteção proativa e suporte em inglês. Essa movimentação acontece após testes iniciais bem-sucedidos em países como Austrália, Nova Zelândia, EUA, Reino Unido, Canadá e Índia.

 

Meta Verified versus Twitter Blue

Tanto o Meta Verified quanto o Twitter Blue possuem em comum a oferta de funcionalidades exclusivas para seus assinantes. No caso do pacote do Facebook e Instagram, os usuários contam com uso de figurinhas diferenciadas nos Stories e Reels e a possibilidade de apoiar outros criadores de conteúdo.

Porém, uma distinção importante entre os dois serviços é que não é possível adquirir uma única assinatura para o Instagram e Facebook; cada plataforma deve ser verificada separadamente. Apesar disso, contas que já possuem o selo de verificação também podem participar do Meta Verified para ter acesso às funcionalidades do programa, sem impacto nos selos gratuitos já existentes.

Para aderir ao Meta Verified, os usuários devem acessar a “Central de Contas” nas configurações do aplicativo do Instagram ou Facebook, selecionar “Meta Verified”, configurar o pagamento e tirar uma selfie com seu documento de identidade. A empresa pode solicitar um vídeo-selfie adicional para confirmar a autenticidade.

 

Críticas à iniciativa

A decisão de Mark Zuckerberg de cobrar pelo selo de verificação é uma estratégia para tentar gerar lucro adicional para sas empresas, aproveitando a demanda existente e a busca pela autenticidade nas redes sociais.

Apesar das funcionalidades oferecidas, o serviço de assinatura vem recebendo críticas nas redes sociais. Assim como ocorreu com o Twitter Blue, usuários de outros países têm contestado a cobrança pelo selo de verificação. A necessidade de assinaturas distintas para o Instagram e o Facebook também tem sido alvo de reclamações. Além disso, a cobrança já levantou discussões sobre a democratização do acesso à verificação.

 

 

por Pedro Prado / PIPOCA MODERNA

De acordo com o especialista em marketing digital Samuel Pereira, prestar atenção nesses dados é importante para entender o comportamento de consumo de internautas dentro e fora das redes

 

EUA - Recentemente, o Instagram publicou o seu Relatório de Tendências para 2023. Um guia baseado em dados da própria plataforma com o intuito de identificar as principais intenções sociais e culturais mostradas pelos usuários da rede social.

Para Samuel Pereira, especialista em tráfego digital, empresário, investidor e fundador da SDA Holding, prestar atenção nesses dados é importante para entender o comportamento de consumo dos internautas dentro e fora das redes. “Quando um gestor tenta entender como o público se comporta perante as mais diversas situações, ele está buscando o crescimento e o desenvolvimento do seu negócio através de ações mais assertivas e eficientes”, revela.

 A principal tendência dentro do Instagram no ano de 2023 será o apoio a causas de cunho social. “É notável que a Geração Z é mais consciente sobre questões sociais e por isso defendem ações mais inclusivas. Para eles, comprar em empresas que possuem essa mentalidade e que se comprometem a combater o racismo e a homofobia, por exemplo, é fundamental para fomentar um mundo com mais harmonia entre as pessoas”, declara.

O relatório do Instagram aponta, ainda, que três em cada quatro usuários da Geração Z seguem um influenciador digital que é portador de algum tipo de necessidade especial. Esse movimento foi identificado pela plataforma anos atrás, quando implantou uma série de recursos relacionados à acessibilidade em seu aplicativo.

Para o especialista, apostar em grandes nomes da internet e colocar o foco das ações em determinadas comunidades é algo fundamental nos dias de hoje. “Muitos usuários acompanham a rotina de influenciadores digitais. Por isso, essas pessoas participam de comunidades onde criadores de conteúdos falam e vivenciam interesses em comum com os seus. Uma empresa pode ampliar suas atividades nas mídias sociais ao realizar parcerias com esses profissionais, que poderão aparecer em publicações no feed ou nos stories do Instagram, trazendo um público específico para esses posts”, pontua.

Considerada uma realidade cada vez mais explorada, a compra dentro das próprias redes sociais já é um sucesso entre os consumidores. “O Instagram ainda não desenvolveu um recurso próprio para o social commerce, sendo necessário uma integração com o facebook para efetuar esse tipo de operação. No entanto, em 2022, a plataforma disponibilizou a possibilidade de compra por chat para usuários dos Estados Unidos, o que pode ser um teste para analisar o comportamento do público antes de uma implementação total desse tipo de solução”, declara Samuel.

As novas tecnologias a serviço das redes sociais

De acordo com o fundador da SDA Holding, o metaverso estará cada vez mais presente na relação entre empresas e consumidores em plataformas como o Instagram. “Em 2022, o avatar da plataforma foi liberado para todos os usuários da rede social e integrado com outros apps da Meta como o Facebook, WhatsApp e o Messenger. Promover o uso de avatares únicos como uma forma de identidade digital incentiva mais pessoas a se envolverem com seus personagens virtuais, algo fundamental na interação dentro do metaverso. A Geração Z quer construir novos mundos para expressar suas particularidades e incentivar a igualdade em espaços digitais. Eles querem avatares que reflitam os diversos tipos de corpo, roupas e tons de pele para estarem devidamente representados nesse novo universo virtual”, relata.

Embora o termo “Inteligência Artificial” assuste algumas pessoas, a tecnologia é fundamental para uma melhor distribuição de conteúdo na timeline dos usuários. “O algoritmo do Instagram é um grande ponto de polêmica, já que a IA da plataforma é uma das razões pela qual os usuários visualizam posts antigos ou de pessoas desconhecidas em suas linhas do tempo. A aposta da rede social é de que em 2023 as melhores publicações e reels dos criadores sejam os destaques no feed e na aba explorar, indicando conteúdos que são, realmente, relevantes para cada usuário”, pontua o empresário.

Por fim, o uso de realidade aumentada e anúncios mais interativos também são algumas das principais tendências para o próximo ano. “Dependendo da quantidade de possibilidades que o Instagram oferece para marcas e criadores de conteúdo, maiores serão as chances de captar a atenção do público. Para isso, novas ferramentas de criação serão integradas ao aplicativo, como GIFs gerados a partir da função Live Photos, publicações com tecnologia 3D, integração de artes NFT e a possibilidade de publicar anúncios que façam real uso dessas ferramentas”, finaliza.

 O Instagram Trend Report 2023 pode ser encontrado no blog da rede social.

BENGALURU - O Instagram está recebendo um recurso de pagamento que permitirá que usuários comprem de pequenas empresas por meio de mensagens diretas, disse na segunda-feira,18, a controladora Meta.

Os usuários do aplicativo de compartilhamento de fotos podem enviar mensagens para a empresa, adicionar personalizações, se necessário, e fazer o pedido no bate-papo, disse a Meta.

Os clientes também podem rastrear o pedido e fazer perguntas de acompanhamento à empresa no mesmo tópico de bate-papo.

No início de 2020, a gigante da mídia social lançou o Shops como uma maneira de as pessoas encontrarem e comprarem produtos no Facebook e no Instagram.

O novo recurso também permitirá o uso do serviço de pagamento Meta Pay para concluir as compras, disse a empresa.

 

 

Reportagem de Tiyashi Datta / REUTERS

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Julho 2024 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        
Aviso de Privacidade

Este site utiliza cookies para proporcionar aos usuários uma melhor experiência de navegação.
Ao aceitar e continuar com a navegação, consideraremos que você concorda com esta utilização nos termos de nossa Política de Privacidade.