fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

MUNDO - Ele chegou como a maior contratação da história do futebol, lotou o Parque dos Príncipes para sua apresentação oficial, ganhou música especial da torcida e esgotou a venda de camisas com seu nome. Há três anos, Neymar vestia o uniforme do Paris Saint-Germain (PSG) criando a expectativa de um casamento feliz com o clube, ganhando muitos títulos e carregando a esperança de ser tornar o melhor jogador do mundo.

De 4 de agosto de 2017 até hoje, o atacante nunca esteve tão perto de alcançar tudo o que planejou.  Depois de desentendimentos com Cavani, lesões e uma frustrada tentativa de transferência para o Barcelona, o brasileiro praticamente foi descartado pelo clube e pela torcida. Porém, este ano, Neymar se tornou uma das figuras mais importantes do futebol europeu e carrega a confiança do time para a conquista inédita da Liga dos Campeões da Europa. Em seu site oficial, Neymar falou sobre a transformação desde que chegou a Paris.

“Esses três anos foram de muito aprendizado. Vivi tempos de alegria e outros complicados, especialmente quando fui impedido de jogar por causa das lesões. Com a ajuda de companheiros consegui superar e focar no que realmente importa para todos que é o nosso desempenho em campo traduzido em títulos. O torcedor, o clube, os fãs todos podem ver a entrega do nosso time em qualquer jogo”,

Nesta temporada, Neymar já conquistou quatro títulos: a Supercopa da França, o Campeonato Francês, a Copa da França e a Copa da Liga Francesa. Alcançou a marca de 74 gols em 85 jogos desde 2017 - incluindo amistosos -, ultrapassando Raí para virar o maior artilheiro brasileiro do clube. A redenção de Neymar em Paris pode vir com o maior triunfo da história do PSG.

“Acredito que vivo hoje meu momento mais especial no Paris. Formamos uma família em prol do grande objetivo que temos pela frente. Queremos marcar a temporada com a Champions. Vamos lutar por isso, porque nunca estivemos tão perto”, declarou.

Teoricamente, o caminho do PSG para a final da Liga dos Campeões não seria dos mais complicados. Escapou de pegar pela frente Barcelona, Juventus, Real Madrid, Chelsea, Bayern de Munique, Manchester City, Lyon e Napoli. O primeiro adversário é a Atalanta. Passando pelo time italiano, enfrenta RB Leipzig ou o Atlético de Madrid na semifinal.

A chave pode parecer mais fácil, porém Neymar vai ter que jogar tudo o que sabe. Após lesão no ligamento do tornozelo direito, dificilmente Mbappé estará em campo no proximo dia 12 para enfrentar a Atalanta. Di María, suspenso, também não joga. Neymar, mais uma vez, precisa chamar a responsabilidade e mostrar a torcedores, clube, fãs e imprensa, que o investimento do PSG feito há três anos valeu a pena.

 

 

*Por Maurício Costa- Repórter da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

RIO DE JANEIRO/RJ - A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) confirmou nesta segunda-feira (03) que o circuito brasileiro de vôlei de praia da temporada de 2020 começa no próximo dia 17 de setembro. A primeira etapa seguirá até 27 de setembro. As duas primeiras etapas, das cinco previstas, ocorrerão em Saquarema (RJ). As sedes das demais ainda não foram confirmadas e as disputadas devem ocorrer até dezembro.

O rígido protocolo sanitário propõe, diferentemente do que ocorria antes da pandemia, que os jogos femininos ocorram antes, e as partidas dos homens encerrem as etapas.

A última temporada do circuito nacional da modalidade foi encerrada precocemente pela CBV por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Faltavam duas etapas a serem disputadas. E a dupla André Stein e George, que já não podia mais ser alcançada, foi considerada a campeã no masculino. Já entre as mulheres, Ana Patrícia e Rebecca, que tinham o título muito bem encaminhado, ficaram com a taça.

 

 

*Por Juliano Justo - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

SÃO PAULO/SP - O Palmeiras garantiu presença na decisão do Campeonato Paulista na noite deste domingo. Com um triunfo por 1 a o no Allianz Parque, o time alviverde eliminou a Ponte Preta na semifinal e assegurou o direito de encarar o arquirrival Corinthians na briga pelo título.

No primeiro tempo, após desperdiçar várias oportunidades, o Palmeiras conseguiu abrir o placar por meio do jovem Patrick de Paula. Na etapa complementar, a Ponte Preta saiu mais para buscar a igualdade, mas o goleiro Weverton foi seguro sempre que exigido.

Na outra semifinal, em mais um jogo disputado neste domingo, o Corinthians avançou ao ganhar do Mirassol também por 1 a 0. Os dois clássicos decisivos pelo Campeonato Paulista serão disputados na quarta-feira e no sábado, o primeiro em Itaquera e o segundo, no Allianz Parque.

O Jogo - Logo no começo da partida, de canhota, Gabriel Menino cruzou da direita e Rony completou de cabeça para Ivan rebater. Pouco depois, inspirado, o jovem volante percebeu a entrada do companheiro por trás da marcação e passou para chute cruzado do atacante, novamente defendido pelo goleiro adversário.

Em nova estocada do Palmeiras, Diogo Barbosa cobrou escanteio da esquerda e Gustavo Gomez cabeceou no travessão. O time casa quase saiu na frente quando Luiz Adriano ajeitou para chute de Willian, mas o goleiro Ivan mais uma vez conseguiu defender.

De tanto pressionar, o Palmeiras fez o primeiro aos 45 minutos da etapa inicial. Ao cortar lançamento em profundidade, Apodi rebateu para o meio. Patrick de Paula ajeitou e bateu de fora da área. A bola desviou em Wellington Carvalho e enganou Ivan, até então com atuação impecável.

No começo do segundo tempo, após saída de bola errada do Palmeiras, João Paulo recebeu de Roger e bateu forte para defesa de Weverton. Pouco depois, Willian passou para Gabriel Menino dentro da área e viu o companheiro acertar a rede pelo lado de fora.

Em busca do empate, a Ponte Preta passou a se expor mais e quase levou o segundo. Diogo Barbosa cruzou da esquerda e Zé Rafael bateu. Bruno Henrique desviou e o goleiro Ivan defendeu parcialmente. No rebote, Gabriel Menino finalizou em cima da marcação.

Em jogada de contra-ataque, Roger recebeu de cruzamento de Bruno Rodrigues da esquerda e completou para boa defesa Weverton. O Palmeiras respondeu com chute no travessão disparado por Gustavo Scarpa de fora da área. Os dois técnicos exploraram o banco de reservas até o final, mas o placar permaneceu inalterado no Allianz Parque.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

SÃO PAULO/SP - O Corinthians está na final do Campeonato Paulista pela quarta vez consecutiva! Neste domingo, Timão e Mirassol se enfrentaram na Arena de Itaquera, pela semifinal da competição estadual. E a equipe alvinegra saiu com a vitória pelo placar de 1 a 0, com mais um gol do volante Ederson.

O time comandado pelo técnico Tiago Nunes enfrentou uma forte marcação do Leão na primeira etapa e quase não ameaçou a meta adversária. Contudo, a expulsão do meia Juninho no segundo tempo e outro chute de fora da área do camisa garantiram a classificação para os donos da casa.

Agora, o Corinthians encara o vencedor do confronto entre Palmeiras e Ponte Preta, que duelam ainda neste domingo, às 19h (de Brasília), no Allianz Parque. Os dois jogos da decisão estão marcados para quarta-feira (5) e sábado (8).

O jogo

Apesar de jogar em casa, o Corinthians viu o Mirassol criar o primeiro lance de perigo. Aos 13 minutos, Zé Roberto foi derrubado na intermediária e o árbitro marcou a falta. Juninho foi para a cobrança e mandou no ângulo, exigindo grande defesa de Cássio para evitar o gol dos visitantes.

Enfrentando uma boa marcação dos adversários na primeira metade da etapa inicial, o Timão só foi ameaçar a meta mirassolense aos 25 minutos. Carlos Augusto foi até a linha de fundo, fez o cruzamento rasteiro e achou Mateus Vital, que emendou a finalização de primeira para carimbar a trave.

Três minutos depois, Ederson recebeu dentro da área e tocou para Jô. O camisa 77 tentou completar de letra, mas não conseguiu alcançar. A bola ainda passeou pela pequena área antes de ser afastada pela defesa do Leão. Com isso, o empate sem gols persistiu até a saída para o intervalo.

No segundo tempo, o Corinthians quase chegou ao primeiro gol em chute de Luan. Aos oito minutos, o camisa 7 dominou a bola após cobrança de falta de Ramiro e bateu rasteiro no canto direito do goleiro Kewin. No entanto, o arqueiro adversário caiu para fazer grande defesa.

A situação mudou aos 14 minutos. Depois de revisão do VAR, Juninho levou um cartão vermelho por pisão em Carlos Augusto e deixou o Mirassol com um jogador a menos. Assim, o técnico Tiago Nunes resolveu jogar o time para frente, colocando Janderson e Sidcley em campo.

Em vantagem numérica, o Timão enfim abriu o placar. Aos 26 minutos, Ederson recebeu de Fagner na intermediária, arriscou a finalização de longa distância e viu o goleiro Kewin aceitar. Foi o terceiro gol do volante em nas três últimas partidas da equipe alvinegra.

O Corinthians ainda teve a chance de ampliar em duas oportunidades: aos 32 minutos, Luan cobrou escanteio fechado na primeira trave, Alison Silva desviou e mandou no travessão; e aos 35, Janderson chegou pela linha de fundo, chutou cruzado e obrigou Kewin se esticar para evitar o gol. Contudo, o 1 a 0 persistiu até o apito final.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

MUNDO - Lewis Hamilton conquistou neste domingo uma dramática vitória no GP da Inglaterra após ter o pneu dianteiro esquerdo furado na última volta. Mesmo se arrastando, o inglês ainda conseguiu terminar cinco segundos à frente de Max Verstappen, da RBR - Charles Leclerc (Ferrari) completou o pódio em terceiro.

Já Valtteri Bottas, que vinha em segundo lugar até faltarem três voltas para o fim, também teve um pneu furado, fez um pit stop extra e terminou em 11º. Com a 87ª vitória na F1, Hamilton ficou a apenas quatro de igualar o recorde de Michael Schumacher.

Também pontuaram, da quarta à décima colocações, Daniel Ricciardo (Renault), Lando Norris (McLaren), Esteban Ocon (Renault), Pierre Gasly (AlphaTauri), Alexander Albon (RBR), Lance Stroll (Racing Point) e Sebastian Vettel (Ferrari).

A corrida também foi marcada pelo forte acidente de Daniil Kvyat no começo da corrida. O russo da Alpha Tauri perdeu o controle do carro na curva Becketts e sofreu a batida mais violenta da temporada até agora. O piloto saiu ileso e, ainda irritado pelo acidente, empurrou uma câmera que lhe filmava.

A temporada 2020 segue no próximo fim de semana, com o GP dos 70 anos da Fórmula 1, também no circuito de Silverstone.

 

 

*Por: Redação do GE

MUNDO - Valtteri Bottas despontou como grande favorito à pole do GP da Inglaterra, dominou os dois primeiros segmentos da classificação deste sábado, mas valeu o algo mais que Lewis Hamilton tem. Com volta excepcional na tarde deste sábado (1), o hexacampeão do mundo marcou 1min24s303, novo recorde do circuito britânico, e assegurou a pole 91 da sua laureada carreira na F1.

Bottas vai dividir a primeira fila com o britânico depois de ter ficado com tempo 0s313 inferior. O que chama a atenção é a diferença absurda da Mercedes para o resto. Max Verstappen assegurou o terceiro lugar do grid, mas foi 1s022 mais lento que Hamilton. O holandês da Red Bull vai largar lado a lado com Charles Leclerc, que fez boa classificação com a Ferrari e só foi superado por Max nos segundos finais.

Lando Norris, com a McLaren, voltou a garantir uma boa classificação e marcou o quinto melhor tempo. Lance Stroll, depois de ter liderado o quente segundo treino livre, na sexta, vai partir só em sexto com a Racing Point, mas à frente da McLaren de Carlos Sainz e das Renault de Daniel Ricciardo e Esteban Ocon. Sebastian Vettel, com problemas em todo o fim de semana até agora, obteve o décimo lugar no grid de largada.

Já Nico Hülkenberg, que substitui Sergio Pérez neste fim de semana, não avançou para o Q3 e vai partir em 13º.

A partir de 9h (de Brasília) deste domingo, o GRANDE PRÊMIO apresenta o Briefing no canal no YouTube, com todas as informações e detalhes que antecedem a largada do GP da Inglaterra de Fórmula 1, que começa às 10h10.

F1 2020, GP da Inglaterra, Silverstone, Grid de Largada:

1 L HAMILTON MERCEDES   1:24.303    
2 V BOTTAS Mercedes   1:24.616 +0.313  
3 M VERSTAPPEN Red Bull Honda   1:25.325 +1.022  
4 C LECLERC Ferrari   1:25.427 +1.124  
5 L NORRIS McLaren Renault   1:25.782 +1.479  
6 L STROLL Racing Point Mercedes   1:25.839 +1.536  
7 C SAINZ JR McLaren Renault   1:25.965 +1.662  
8 D RICCIARDO Renault   1:26.009 +1.706  
9 E OCON Renault   1:26.209 +1.906  
10 S VETTEL Ferrari   1:26.339 +2.036  
11 P GASLY AlphaTauri Honda   1:26.501 +2.198  
12 A ALBON Red Bull Honda   1:26.545 +2.242  
13 N HÜLKENBERG Racing Point Mercedes   1:26.566 +2.263  
14 G RUSSELL Williams Mercedes   1:27.092 +2.789  
15 K MAGNUSSEN Haas Ferrari   1:27.158 +2.855  
16 A GIOVINAZZI Alfa Romeo Ferrari   1:27.164 +2.861  
17 K RÄIKKÖNEN Alfa Romeo Ferrari   1:27.366 +3.063  
18 R GROSJEAN Haas Ferrari   1:27.643 +3.340  
19 D KVYAT AlphaTauri Honda   1:26.744 +2.441 +5
20 N LATIFI Williams Mercedes   1:27.705 +3.402

 

*Por: FERNANDO SILVA / TERRA.com.br 

SÃO PAULO/SP - A chegada da pandemia do novo coronavírus (covid-19) paralisou o basquete masculino no Brasil em 15 de março, com a interrupção da temporada do Novo Basquete Brasil (NBB). Passados dois meses, ocorreram reuniões por videoconferência e até houve a elaboração de um protocolo de saúde para um eventual retorno. Mesmo assim, os clubes decidiram pelo cancelamento da edição 2019/2020 do campeonato nacional da modalidade. A expectativa é que a bola laranja volte a quicar em quadras país afora a partir deste mês de agosto, mesmo que em ritmo de treino. A retomada das atividades, porém, dependerá da liberação das autoridades de saúde, o que poderá variar bastante de estado para estado – e até de cidade para cidade.

A previsão da Liga Nacional de Basquete (LNB), responsável por promover o NBB, é que a edição 2020/2021, a 13ª da história da competição, comece no dia 14 de novembro, com rigorosos cuidados sanitários e sem torcida. "Teremos consequências diretas [da pandemia] não só na realização dos jogos, mas também na presença do público. Nas partidas, a dificuldade será atender a todos os protocolos necessários para preservar a segurança de jogadores, árbitros, mesários e comissões. Os deslocamentos terão que ser bem estudados. Todos entendem que será um ano de transição, um NBB de travessia em meio a uma dificuldade mundial", analisa Lula Ferreira, supervisor técnico do Sesi Franca, em entrevista à Agência Brasil.

A equipe é uma das que pretende iniciar os treinos em agosto. "Administrativamente, estamos preparados para reiniciar as atividades. A dependência ficará, exclusivamente, das autoridades de saúde. É algo que independente da nossa vontade. Vamos acompanhar as orientações e segui-las rigorosamente", garante Ferreira.

A cidade de Franca (SP), porém, situa-se numa região ainda considerada crítica pelo governo paulista quando o assunto é covid-19. Tanto que ainda está na chamada Fase Vermelha, a primeira - de um total de cinco - do Plano São Paulo, que flexibiliza a quarentena no estado. Isso significa que, no município apelidado de "Capital do Basquete", apenas serviços essenciais podem funcionar. Além dessa particularidade, no caso do Franca e dos times do estado de São Paulo que disputam o NBB, há pela frente o Campeonato Paulista, previsto para iniciar entre setembro e novembro. "Acredito que essa volta tenha que ter, no mínimo [uma pré-temporada], de 45 dias para mais. Creio que, ao menos, dois meses seja o ideal para que os atletas estejam inteiros para correr o menor risco de contusão", avalia o técnico francano Hélio Rubens Garcia Filho, o Helinho.

Campeão na temporada 2018/2019 diante do próprio Franca, o Flamengo é outro com a volta aos treinos prevista para este mês. Mas, ao contrário do rival paulista, o Rubro-Negro tem uma final continental pela frente antes do próximo NBB. Em março, o clube se garantiu na final da Champions League, a "Libertadores" do basquete masculino ao superar o Instituto, da Argentina. A equipe aguarda o ganhador do confronto entre os também argentinos Quimsa e San Lorenzo, cuja disputa está empatada, com uma vitória para cada lado.

A Federação Internacional da modalidade (Fiba) ainda não divulgou as datas para continuação do torneio, mas, a expectativa é que as partidas ocorram antes do novo NBB começar. "A Fiba, a princípio, trabalha com o retorno [da Champions] para outubro. O objetivo é sermos campeões e disputarmos o Mundial de Clubes. Empenhamos muitas forças em 2019/2020 e, por isso, antecipamos o planejamento para minimizar o tempo em que estivemos parados. Gosto de ressaltar que é difícil isso, estrear jogando uma decisão, mas é a mesma dificuldade que outras equipes terão", diz o gerente do basquete rubro-negro, Diego Jeleilate.

 

Primeiros movimentos

Até por isso, o Flamengo é justamente um dos times mais ativos no mercado de transferências que ainda está no começo. Além de renovar com o técnico Gustavo de Conti e com jogadores - como o ala Marquinhos, o armador Franco Balbi e o pivô Olivinha, destaques do grupo campeão do NBB em 2019 -, o Rubro-Negro investiu pesado na contratação de outros três jogadores: o armador Yago, revelação do Paulistano; o ala Chuzito González, que estava no Instituto, da Argentina; e o pivô Rafael Hettsheimeir, que estava no Franca.

"O nosso planejamento é de longo prazo, onde a gente sempre busca manter a excelência da equipe, uma ótima logística, um ótimo padrão de time para sempre buscar os títulos que disputamos. A pandemia fez com que a gente antecipasse alguns aspectos, e nos replanejamos para que possamos, a partir de agosto, retomar as competições com excelência e qualidade", explica Jeleilate.

Além de Hettsheimeir, os francanos perderam o pivô Cipolini e o ala-armador David Jackson. Por outro lado, renovaram com o ala Lucas Dias, o armador Elinho e o pivô Guilherme Hubner. Também trouxeram de volta ao time os alas André Goes e Danilo Fuzaro, que defendiam o Mogi das Cruzes. "As grandes conquistas do clube em meio à pandemia foram a renovação da parceria com o Sesi e a manutenção do patrocinador máster e de parceiros importantes. A gente sabe que é difícil para o torcedor entender que o time perderá jogadores. Fizemos todas as propostas possíveis, mas dentro de um orçamento, porque o clube precisa ter responsabilidade", argumenta Ferreira, dizendo que o elenco para 2020/2021 será completado por atletas formados na base.

Um dos grandes rivais do Franca, o Bauru, desistiu do último NBB alegando problemas financeiros, um mês após a paralisação do torneio, antes mesmo do cancelamento da competição. No começo de julho, o clube ainda perdeu o patrocinador máster, mas, três semanas depois, anunciou uma nova parceira (Zopone Engenharia), a manutenção do experiente ala Larry Taylor e o primeiro reforço: o armador Alexey, que estava no Mogi. Já nos últimos dias, o agora Zopone/Bauru confirmou duas contratações: o pivo Dikembe, ex-Paulistano e revelação da temporada passada, e do ídolo da torcida baruense, o ala Alex, campeão nacional em 2017, e eleito melhor jogador das finais.

Ninguém até agora, porém, mexeu-se tanto no mercado quanto a Unifacisa. A equipe de Campina Grande (PB), que iniciou o projeto no basquete há oito anos. O time debutou no NBB justamente na temporada encerrada precocemente. O clube anunciou sete reforços entre junho e julho: o ala-armador Betinho (ex-Pinheiros), os alas Felipe Vezaro (Corinthians) e Nehemias Morillo (São José), os alas-pivôs Vinícius Pastor (Rio Claro) e Rafa Oliveira (São José), o armador Arthur Pecos (Corinthians) e o pivô Paranhos (Mogi). A Unifacisa ainda confirmou a renovação do armador Nate Barnes, destaque do time paraibano na edição 2019/2020.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

MUNDO - A semana não é das melhores para Sergio Pérez, fora do GP da Inglaterra após testar positivo para coronavírus. O piloto, que vive um dos momentos “mais tristes da carreira”, fica no olho do furacão após viajar até o México e reacender debate sobre rigidez da FIA nos protocolos de combate à pandemia. Sergio se defende afirmando que só foi até Guadalajara para visitar sua mãe, que se recupera de “um acidente”.

“Eu fico extremamente triste. Esse é um dos dias mais tristes da minha carreira”, disse Pérez em vídeo divulgado nas redes sociais. “A dimensão da preparação que a gente fez para esse fim de semana, garantindo que estaríamos 100%... Fico muito triste que isso tenha acontecido, mas ajuda a mostrar como estamos todos vulneráveis a esse vírus. Eu segui todas as instruções da FIA e da minha equipe. Depois da Hungria, eu fui em um voo privado até o México para visitar minha família e ver minha mãe por dois dias. Ela teve um grande acidente e, quando ela saiu do hospital, pude ver ela. Voltei para a Europa do mesmo jeito que fui, seguindo todos os protocolos”, afirmou.

O acidente da mãe no México, entretanto, não ajuda a responder todas as perguntas sobre o paradeiro de Pérez durante as duas semanas de folga da F1. É que o piloto também foi visto na Itália, passeando com a esposa.

Independente de possíveis descuidos, Pérez aproveitou a oportunidade para destacar a facilidade de se infectar com coronavírus.

“Não sei como peguei [o vírus]. Não tenho sintomas, o que mostra como somos vulneráveis. Quero agradecer aos pilotos que me apoiaram, assim como minha equipe, as autoridades, os fãs. É um momento difícil, mas tenho certeza de que voltarei mais forte”, encerrou.

Pérez está fora do GP da Inglaterra e possivelmente também do GP do 70° Aniversário, no próximo fim de semana. O favorito para ocupar o carro vago na Racing Point é Nico Hülkenberg, que viajou de última hora e já está presente no paddock de Silverstone.

 

 

*Por: GRANDE PRÊMIO

SANTOS/SP - O Santos perdeu por 3 a 1 e foi eliminado pela Ponte Preta nas quartas de final do Campeonato Paulista nesta quinta-feira, em plena Vila Belmiro.

O Peixe abriu o placar com Marinho, mas o próprio atacante caiu na pilha, recebeu dois cartões amarelos e foi expulso no fim do primeiro tempo.

Com um a menos em campo pela quarta vez consecutiva, o Alvinegro se desorganizou por completo e sofreu a virada na etapa final com gols de Bruno Rodrigues, Moisés e João Paulo. O goleiro Vladimir falhou nos dois primeiros lances.

O Peixe, eliminado em casa, agora aguarda pelo Campeonato Brasileiro. A Ponte Preta enfrentará o Palmeiras na semifinal do Paulistão.

O JOGO

 

O Santos começou em cima da Ponte Preta, mas foi a Macaca quem assustou primeiro. Logo no segundo minuto de jogo, Jeferson cabeceou no travessão.

Aos 5, porém, o Peixe abriu o placar. Soteldo cruzou na cabeça de Marinho no segundo pau. O goleiro Ivan, vendido, só viu a bola morrer no fundo da rede.

Com a vantagem parcial, o Alvinegro passou a administrar, sem criar muitas chances e sem sofrer. Até que veio a quarta expulsão consecutiva…

Marinho, irritado com as faltas sem parar da Ponte, recebeu dois cartões amarelos. O segundo veio aos 42 da etapa inicial.

SEGUNDO TEMPO

 

Com um a menos, assim como contra o Novorizontino, o Santos desabafou. A Ponte Preta virou em 15 minutos: Bruno Rodrigues empatou aos 4 e Moisés virou aos 15. Em ambos os casos, falha do goleiro Vladimir.

Jesualdo fez alterações, tentou fazer o Peixe reagir, e nada adiantou. A Ponte ficou mais perto do terceiro que os donos da casa do segundo.

Sem reação, o Santos não criou nada e ainda sofreu o terceiro gol. João Paulo, livre, teve tempo para ajeitar, pensar e chutar de fora da área para matar a classificatória.

Santos eliminado em plena Vila Belmiro.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

SÃO PAULO/SP - Do eminente vexame na primeira fase à semifinalista do Campeonato Paulista. Este é o Corinthians, que venceu o Red Bull Bragantino na fria noite desta quinta-feira, no Morumbi, por 2 a 0.

Uma falha grotesca de Julio Cesar permitiu o gol de Éderson com menos de um minuto de jogo. Na etapa final, Jô anotou o seu, de cabeça, depois de cobrança de escanteio.

Entre os artilheiros, destaque para a estreia do volante como titular e o segundo gol em dois jogos seguidos. Já o centroavante se mostrou fatal em sua reestreia, mesmo longe da melhor forma física, depois de oito meses sem atuar em uma partida oficial.

O Red Bull, por outro lado, incomodou bastante com Artur no primeiro tempo, chegou a mandar uma bola no travessão, mas não conseguiu sequer manter o ritmo na etapa final.

De líder geral e invicto contra os grandes, o time de Bragança deu adeus ao torneio logo nas quartas de final, definida em duelo único. Antes de se filiar ao Bragantino, a história foi a mesma em 2019, na época do Red Bull Brasil.

Graças ao saldo de gols, o Corinthians ultrapassou o Mirassol na tabela de classificação e, por isso, pegará o algoz dos são-paulinos na Arena de Itaquera, que novamente não poderá receber público devido a pandemia do coronavírus. O confronto, de novo sem a partida da volta, ainda terá data e horário confirmados pela Federação Paulista de Futebol, mas acontecerá no próximo fim de semana.

Até lá, Tiago Nunes deve ter Cantillo à disposição. O técnico sequer levou o colombiano ao banco de reservas nesta quinta-feira.

 

 

*Por:Tiago Salazar /  GAZETA ESPORTIVA

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Agosto 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31