fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar

Mais de 40 cidades já foram beneficiadas com equipamentos de proteção produzidos no campus de São Carlos

 

SÃO CARLOS/SP - A produção de face shields surgiu, espontaneamente, logo no início da pandemia do novo Coronavírus. Servidores e estudantes da UFSCar voltaram esforços para apoiar quem está na linha de frente na luta contra a COVID-19: profissionais da saúde, da segurança e trabalhadores em atividades presenciais. Até o momento já foram entregues cerca de 14 mil protetores faciais a mais de 40 cidades de todo o Brasil.

O Professor Daniel Braatz, do Departamento de Engenharia de Produção (DEP), conta que as máscaras produzidas por seu grupo apresentam benefícios ambientais. "Parte do material é produzido com fibra de côco, o que diminui a quantidade de plástico utilizada", explica o Professor. Além disso, usabilidade e conforto ao usuário também são essenciais para o desenvolvimento das máscaras. "Fizemos diversos testes. Não é uma simples reprodução, houve um desenvolvimento próprio das face shields", finaliza o Daniel Braatz.

A viabilização da produção de máscaras, na Universidade, contou com o apoio da Reitora Wanda Hoffmann, que autorizou o uso do prédio do antigo Banco Santander, neste período, para a confecção dos protetores faciais. A Reitora também solicitou a reforma do prédio à Prefeitura Universitária (PU). "As ações dos servidores da UFSCar têm sido vigorosas. A luta contra o novo Coronavírus é de todos nós", afirma Wanda Hoffmann. 

A equipe da PU realizou as adequações necessárias no antigo prédio, que já foi disponibilizado ao projeto. "Foram feitos reparos na cobertura, readequações no forro, limpeza geral e higienização, dentre outras ações. Sempre que necessário nós colaboramos, também, com o transporte de materiais", acrescenta Alex Elias Carlino, Prefeito do campus São Carlos - UFSCar.

Doações - Todas as máscaras são entregues sem quaisquer custos aos municípios. Para que a produção continue, as doações são essenciais. "Municípios, unidades de saúde, policiais e penitenciárias nos agradecem pelas doações. Os relatos são emocionantes, pois está difícil de adquirir máscaras e os profissionais da linha de frente não podem ficar sem proteção. Mas este mérito é de todas as equipes que vêm produzindo máscaras, das empresas que trabalham em parceria conosco e dos doadores. É um trabalho coletivo a luta contra a COVID-19", afirma Rafael Aroca, Professor do Departamento de Computação (DC).

Para apoiar os projetos, acesse a Plataforma Institucional de doações aos projetos contra a COVID-19: http://www.fai.ufscar.br/noticia/doacao-covid-19.html

Empresas e Instituições parceiras (ordem alfabética): 1. 3M; 2. Anodiart; 3. Aquarela; 4. Bio Art; 5. Braskem; 6. CREARE; 7. Cruzeiro/ UNIFRAN; 8. Ennove; 9. Fiveltec; 10. GPE Construtora; 11. IFSP; 12. Intecmat; 13. NUMA - EESC/ USP; 14. Polimold; 15. Prefeitura Municipal de São Carlos; 16. SABIC; 17. Santa Casa de São Carlos; 18. Sartori; 19. Solis; 20. Tecnident; 21. UFTM; 22. UNESP; 23. Usifer.

Com mais de 1,1 bilhão de alunos sem aula no mundo todo, o combate ao novo coronavírus (COVID-19) mostra necessidade de utilizar com mais inteligência as ferramentas tecnológicas para ensino.

SÃO PAULO/SP - A  pandemia causada pelo novo coronavírus (COVID-19) já mudou a educação mundial. Para conter o avanço do vírus instituições educacionais públicas e privadas em todo o mundo foram obrigadas a fechar as portas e utilizar as ferramentas tecnológicas disponíveis para criar conteúdo e experiências de aprendizado remoto para estudantes. Um levantamento da Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura)* mostra que, atualmente, são 150 países com escolas e universidades fechadas ou parcialmente fechadas. São mais de 1,1 bilhão de alunos afetados no mundo todo. Somente no Brasil, o fechamento das escolas afetou mais de 52,8 milhões de estudantes. Os números correspondem a alunos matriculados nos níveis de ensino pré-primário, primário, secundário e superior.

Rede pública

A substituição de aulas presenciais pela modalidade a distância, autorizada pelo Ministério da Educação (MEC)* enquanto durar a pandemia do coronavírus, tem sido a opção da maioria das escolas e universidades brasileiras. O resultado da educação a distância em massa ainda é desconhecido, mas já levanta diversas discussões. Uma delas se refere a dificuldade dos estudantes com pior nível socioeconômico que vão desde problemas de conexão com internet até a falta de equipamentos adequados à aprendizagem remota.

O MEC criou o Comitê Operativo de Emergência (COE) para, de forma integrada, definir as principais diretrizes para a rede de ensino do País, reunir as demandas e buscar soluções para mitigar os impactos da pandemia do coronavírus.

Tatiana Filgueiras, do Instituto Ayrton Senna, destacou, em transmissão ao vivo realizada pelo Jornal Folha de São Paulo, no último dia 06 de maio, que a função da educação de reduzir a desigualdade social será posta a prova agora e que, sem inovação nas escolas públicas, isso não será possível. “Se tivermos uma visão mais inovadora, a gente pode voltar a tratar o tema da desigualdade na educação brasileira, rever, replanejar e redesenhar as escolas de uma forma que a educação seja para todos. Precisamos de políticas públicas que contemplem e entendam que cada um tem uma necessidade diferente”, comentou.

Rede Privada

A experimentação de novas possibilidades de ensino levando o aprendizado para além dos muros das escolas, está acelerando uma mudança já anunciada, mas que ainda encontrava certa resistência. Sônia Barreira, Diretora Pedagógica da Bahema Educação, disse, em entrevista exclusiva ao blog, que as aulas online não eliminarão o ensino presencial, mas o atual momento irá ajudar na utilização inteligente das ferramentas e plataformas da internet. Além disso, a pandemia deixará importantes legados para a educação.

“Com o Grupo Bahema pudemos observar a maneira de lidar com essa crise em dez escolas, de diferentes tamanhos, em diferentes locais do País. Observamos que aquelas que já tinham mais facilidade em lidar com o digital, estão aproveitando melhor as potencialidades da tecnologia para o aprendizado, já as menores tiveram que correr atrás. Não chamamos esse trabalho de EAD ou educação a distância, mas sim, Ensino Remoto Emergencial”, comenta.

Sônia destaca que ainda é cedo para analisar todas as implicações da pandemia e fazer previsões certeiras. “Pode haver desde um certo esgotamento da utilização dos meios digitais, até um melhor aproveitamento. Porém a tendência é que as escolas com projetos mais consistentes na área digital passarão com mais facilidade e manterão algumas mudanças trazidas por esse período dramático”.

Legados da pandemia

Ainda segundo a diretora pedagógica, a pandemia deve deixar importantes legados, entre os quais ela destaca dois: a instauração do ensino híbrido e a revisão de práticas escolares ultrapassadas. “Definitivamente as escolas deverão instaurar a ideia do ensino híbrido, que deixa de ser um projeto piloto e passa a ser uma realidade, com uma articulação mais eficaz das atividades presenciais e ensino a distância. Outro legado importante, será a possibilidade das escolas reverem, de uma maneira muito crítica, certas práticas escolares ultrapassadas, como o sistema de avaliação dos alunos, por exemplo. Mesmo as escolas mais inovadoras têm dificuldade em superar essa visão de que avaliar é simplesmente medir a quantidade de conhecimento que o aluno assimilou. Nesse momento não é possível realizar esse sistema de avaliação, portanto, essa prática pedagógica com certeza será reavaliada”.

Sônia lembrou também que a pandemia irá colocar em pauta o papel do professor e a importância da convivência e do relacionamento no ambiente escolar. “Essa situação, com certeza, trará uma empatia maior com os professores. E é um momento para lutarmos por essa valorização do saber técnico desse profissional. Outro ganho que deve acontecer é a valorização do ambiente escolar. As crianças estão há tanto tempo sem esse ambiente que, na volta, haverá um ganho de relacionamento, de solidariedade e de valorizar o ambiente escolar que faz parte do aprendizado. As crianças e jovens irão reconhecer que uma das coisas mais importantes da escola é a convivência com os outros, a construção da cidadania”, finalizou.

Quer ver discutido em nosso blog algum assunto? Acesse nosso formulário e faça sua sugestão.

 

*Por: Conteúdo elaborado pela Redação Urban Systems.

 

*Fontes

Unesco

Portal MEC

Live – Jornal Folha de São Paulo


SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos informa nesta sexta-feira (5/6), a situação epidemiológica do município para a COVID-19.
São Carlos contabiliza neste momento 192 casos positivos para a doença (25 resultados positivos foram divulgados hoje), com 5 mortes confirmadas. 28 óbitos já foram descartados.
Dos 192 casos positivos, 157 apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 35 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 23 receberam alta hospitalar, 7 permanecem internados e 5 positivos foram a óbito. 99 pessoas já se recuperaram totalmente da doença.
1.065 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus, já que hoje foram liberados outros 47 resultados negativos para a doença.
Estão internadas neste momento 22 pessoas, sendo 11 adultos na enfermaria (3 positivos, sendo 1 de outro município e 8 suspeitos, sendo também 1 de outro município); 9 na UTI adulto (6 positivos, 1 residente de outro município e 3 suspeitos). Na enfermaria infantil 2 crianças estão internadas com suspeita da doença, sendo que 1 criança é de outro município. 7 pessoas com resultado negativo para COVID-19 permanecem internadas. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje 50%.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 2.932 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 2.569 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 363 ainda continuam em isolamento.
A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 797 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 610 tiveram resultado negativo para COVID-19, 140 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 47 pessoas ainda aguardam o resultado.
O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

RIBEIRÃO BONITO/SP - A Prefeitura de Ribeirão Bonito, por meio da Diretoria de Saúde, criou um canal de comunicação com a população com o objetivo de esclarecer dúvidas e receber denúncias no combate ao Novo Coronavírus (Covid-19).

Agora, a pessoa pode mandar sua denúncia, sua dúvida e procurar orientações pelo e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

A Diretora de Saúde, Maria Eliza Lazarini Alboléia, explica sobre esse novo canal. “A Diretoria da Saúde de Ribeirão Bonito, quer te ouvir. Nesse canal você poderá realizar denúncias, reclamações, dúvidas e solicitações pertinentes ao Covid-19”, disse.

As informações serão mantidas em sigilo, como forma anônima. “Colabore com sua saúde e toda a população”, finalizou Maria Eliza.

 

 

*Por: PMRB

ARARAQUARA/SP - Na manhã desta sexta-feira (5), a secretária da saúde Eliana Honain e o Comitê de Contingência divulgaram em boletim extraordinário mais números do Covid-19 na cidade de Araraquara.

Segundo informações, 78 pessoas passaram pelos serviços de saúde do município com sintomas suspeitos de coronavírus. Das amostras enviadas para exames, 21 pessoas foram positivadas com a doença.

Araraquara chega ao fim de semana com 344 registros totais de coronavírus, atingindo cerca de 90 bairros.

 

 

*Por: Adriana Nagazako / PORTAL MORADA

MUNDO - O primeiro-ministro do Japão, Abe Shinzo, prometeu 300 milhões de dólares em auxílio financeiro para uma organização internacional que pretende desenvolver uma vacina contra o coronavírus.

A promessa de auxílio foi feita numa mensagem de vídeo gravada e enviada a uma conferência online realizada ontem (4) pela Aliança Mundial para Vacinas e Imunização (Gavi). A organização ajuda a imunizar pessoas em países em desenvolvimento.

Segundo Abe, esse total inclui 200 milhões de dólares adicionais, além dos 100 milhões que o Japão já havia prometido no mês passado.

Abe disse que “o desenvolvimento de vacinas está em progresso, coletando a sabedoria de toda a humanidade. Precisamos estar bem preparados para enviá-las rapidamente a países em desenvolvimento assim que elas estiverem disponíveis.”

 

 

*Por: NHK - (emissora pública de televisão do Japão) - Tóquio

*AGÊNCIA BRASIIL

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos informa nesta quinta-feira (4/6), a situação epidemiológica do município para a COVID-19.
São Carlos contabiliza neste momento 167 casos positivos para a doença (2 resultados positivos foram divulgados hoje), com 5 mortes confirmadas. 28 óbitos já foram descartados.
Dos 167 casos positivos, 134 apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 33 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 23 receberam alta hospitalar, 5 permanecem internados e 5 positivos foram a óbito. 95 pessoas já se recuperaram totalmente da doença.
1.018 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus, já que hoje foram liberados outros 25 resultados negativos para a doença.
Estão internadas neste momento 19 pessoas, sendo 10 adultos na enfermaria (3 positivos, sendo 1 de outro município e 7 suspeitos, sendo também 1 de outro município); 7 na UTI adulto (3 positivos e 4 suspeitos). Na enfermaria infantil 2 crianças estão internadas com suspeita da doença. 5 pessoas com resultado negativo para COVID-19 permanecem internadas. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje 38,9%

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 2.886 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 2.516 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 370 ainda continuam em isolamento.
A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 765 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 583 tiveram resultado negativo para COVID-19, 117 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 65 pessoas ainda aguardam o resultado.
O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

SÃO CARLOS/SP - A Rádio Sanca foi procurada pelos internautas Dre Castro, Daia Rossi e Luiz Cioto para relatar a superlotação nos ônibus do transporte coletivo de São Carlos.

Nosso jornalista Ivan Lucas, fez o jornal ‘Café com Notícias’ desta última 4ª feira (03), andando dentro de um ônibus superlotado onde em plena pandemia do Covid-19, infectologistas e autoridades recomendam o isolamento social e o distanciamento. Assista ao vídeo abaixo.

A linha foi do Samambaia até Estação Fepasa, onde teoricamente não seria uma linha lotada, porém não seria lotada se exixtisse mais ônibus circulando.

“Tinha ônibus 13h30, 15h, 16h eles tiraram e do que adianta usar máscaras e álcool em gel se deixam apenas um ônibus para todas essas pessoas que vocês estão vendo” afirmou passageira.

“As autoridades falam de distanciamento, mas não dão condições para que essas pessoas possam ir e vir de seus trabalhos com segurança e sem correr risco de contaminação do Covid-19” afirmou Daia Rossi.

Nos comentários do vídeo no facebbok muitas pessoas reclamaram do transporte coletivo de São Carlos. “Pega a linha 27 as 17:00hrs e faz a transmissão” disse um internauta, “Pega lá no Aracy ll as 6:30/ 7:00 da manhã as linhas 40, 41..., ai vc vai ver o que é lotado” afirmou outra, “Isso mesmo Ivan Lucas Gonçalves mostra a realidade!!!” falou mais uma internauta.

“Quem fiscaliza essa situação? Porque o povo corre risco de contrair o vírus e leva-lo pra suas casas, ou seja, aumentar significativamente o número de contaminados pelo coronavírus. Os idosos teoricamente estão em casa e os alunos estão sem aulas e a prefeitura está repassando o subsídio ou não para empresa? O povo merece respeito!” ponderou o jornalista Ivan Lucas.

A Prefeitura de São Carlos publicou no Diário de Oficial do dia 29 de abril deste ano, um decreto prorrogando a operação da Suzantur no transporte público por mais 210 dias, valendo dês do dia 1º de junho. O prazo pode ser estendido por mais tempo até a conclusão da licitação. A Suzantur opera sem contrato em São Carlos há três anos.

O aúdio não ficou bom, mas as imagens falam por si.

 

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos informa nesta quarta-feira (3/6), a situação epidemiológica do município para a COVID-19. São Carlos contabiliza neste momento 165 casos positivos para a doença (3 resultados positivos foram divulgados hoje), com 5 mortes confirmadas. 28 óbitos já foram descartados. Dos 165 casos positivos, 132 apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 33 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 22 receberam alta hospitalar, 6 permanecem internados e 5 positivos foram a óbito. 94 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 990 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus, já que hoje foram liberados outros 36 resultados negativos para a doença. Estão internadas neste momento 15 pessoas, sendo 10 adultos na enfermaria (4 positivos, sendo 1 de outro município e 6 suspeitos, sendo também 1 de outro município); 4 na UTI adulto (3 positivos e 1 suspeito). Na enfermaria infantil 1 criança está internada com suspeita da doença. 4 pessoas com resultado negativo para COVID-19 permanecem internadas. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje 22,3%.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 2.851 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 2.486 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 365 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 730 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 555 tiveram resultado negativo para COVID-19, 115 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 60 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

Este ano, todos foram apanhados de surpresa pelo que já é considerado um dos maiores males da história.

SÃO CARLOS/SP - Não apenas a saúde de nossa sociedade e a vida de nossos cidadãos está em constante risco, como também a própria economia: existe a necessidade premente de proteger toda a sociedade, não só em termos daquilo que a une de forma particular, como, por exemplo, os laços familiares e sociais, mas também das estruturas que consolidam seu crescimento - segurança, saúde, enquadramento social, educação, etc..

Ver empresas promissoras, profissionais talentosos e investimentos de vidas lutando para viver o dia a dia, é certamente, uma situação que ninguém esperava nem desejava. Não há dúvida que praticar  a proteção pessoal e evitar os chamados contatos de curta distância são essenciais para se evitar o contágio generalizado; muitos estão contribuindo com isso.  A doença é grave e mata em torno de 10% das pessoas contaminadas, muitas delas pertencentes aos designados grupos de riscos. O pânico vem do fato que uma grande maioria precisa de tratamento para se recuperar, envolvendo assistência hospitalar especial, sendo que se muitas pessoas forem contaminadas ao mesmo tempo, o desastre pode ser catastrófico devido à nossa incapacidade de dar assistência a todos.

A situação deve ficar mais controlada quando tivermos a vacina, mas enquanto isso não ocorre “não podemos simplesmente ajoelhar e esperar a guilhotina da peste cortar nosso pescoço”, diz o diretor do Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP), Vanderlei Bagnato.

O Instituto, seguindo a mesmo caminho trilhado pela Universidade de São Paulo como um todo, vem prosseguindo suas atividades regulares acadêmicas e de pesquisa de forma controlada e absolutamente segura para seus alunos, funcionários e professores. Todos os professores estão ministrando seus cursos online no sentido de continuar fazendo aquilo que é o melhor que a instituição oferece  à sociedade - a educação. Além disso - e de forma  controlada -, o IFSC/USP continua seu percurso nas inúmeras pesquisas que até aqui estavam em desenvolvimento, tendo, a partir da pandemia, agregado outras que certamente deverão contribuir para solução dos problemas causados pelo novo coronavirus. “A COVID-19 não vai parar o IFSC/USP, mas sim o Instituto vai contribuir para parar a COVID-19”, diz Vanderlei Bagnato, referindo-se ao grande esforço que todos professores estão fazendo para continuar a formação de profissionais  que serão extremamente necessários após esta crise, bem como para as contribuições que os pesquisadores  vem fazendo para combater a COVID-19.

Sistemas para descontaminação de ambientes e objetos, técnicas analíticas que ajudam nos diagnósticos e desenhos de novas moléculas para novos medicamentos, são alguns dos esforços que estão sendo desenvolvidos no Instituto, colocando seus pesquisadores como soldados fiéis contra esta terrível doença. “Não há duvida que a situação é estranha e incerta, mas as instituições de ensino e pesquisa não podem fechar suas portas. A tecnologia existe para trabalhar em nosso favor, mesmo nos momentos de crise. Certamente, a política de contribuir para o país e para a sociedade tem sido a constante de todas instituições cientificas nacionais. Os profissionais que estamos formando, certamente serão os protagonistas da recuperação e nosso desafio é formá-los de forma integral, mesmo em épocas como esta que se vive”, enfatiza Bagnato.

A sociedade pode contar com IFSC/USP!

 

 

*Por: Rui Sintra - IFSC/USP

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Junho 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30