fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 
Ivan Lucas

Ivan Lucas

 Jornalista/Radialista

URL do site: https://www.radiosanca.com.br/equipe/ivan-lucas E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Profissional estava internado na UTI da unidade e intubado por conta da insuficiência respiratória causada pela doença

 

JAÚ/SP - O Hospital Amaral Carvalho comemorou na última 2ª feira (03/ago) uma grande vitória. O enfermeiro Mário Daniel Fadoni, de 37 anos, estava internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o dia 20 de julho após infecção pelo Coronavírus e recebeu alta. O momento foi de grande emoção para todos os colegas, que celebraram com alegria a sua recuperação.

Fadoni foi diagnosticado com COVID-19 no dia 16 após sentir sintomas como dor de cabeça, mal-estar, cansaço, febre e perda de paladar. "No começo, eu subestimei a doença. Mas a progressão foi muito rápida. Acho que a parte mais difícil foi quando começou a tosse, por volta do sexto dia. Quanto mais eu tentava respirar, mais eu tossia. Fiquei muito assustado".

O profissional conta que, mesmo depois de internado e sob cuidados, os sintomas ainda pioravam. A insuficiência respiratória veio logo depois e, por isso, foi necessária a intubação. "A falta de ar aumentou e eu pedi para a equipe me intubar. Por conhecer o trabalho da UTI, chegar ao ponto de ser intubado foi muito difícil", lembra. Fadoni é enfermeiro da unidade desde 2009.

A esposa, Ana Caroline Scardilli Moreno Fadoni, 31 anos, também funcionária do Hospital há oito anos, conta que durante as últimas semanas de internação, precisou conciliar o trabalho, os cuidados com a filha e a preocupação com o marido. "Foram dias de angústia, desespero, misturado com sentimentos de medo, mas, ao mesmo tempo, de muita fé e confiança na equipe que sempre me orientou sobre a situação e quadro clínico dele."

Agora, Fadoni e a esposa comemoram a recuperação. "Eu estou extremamente aliviado e me sinto bem. Agradeço todos que vieram me homenagear. O que essa equipe moveu para cuidar de mim, para me ver bem assim, é a maior gratidão do mundo."

Atualmente, não há mais nenhum paciente internado na UTI do HAC por conta da COVID-19. "É uma satisfação muito grande saber que está tudo bem agora. Que deu tudo certo. Que seja o único caso", diz a enfermeira responsável pelo setor, Fabíola Alves.

Objetivo é capacitar os participantes para o atendimento de mulheres em situação de violação de direitos

 

SÃO CARLOS/SP - Estão abertas, até o dia 12 de agosto, as inscrições para o Curso de Capacitação para Atendimento Psicossocial de Mulheres (Cassia), que é gratuito e visa capacitar os participantes para o atendimento de mulheres em situação de violação de direitos. A iniciativa é parte de um projeto de pesquisa e intervenção desenvolvido por Maiana Pereira dos Santos, aluna de mestrado do Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPsi) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), sob orientação de Sabrina Mazo D’Affonseca, docente do Departamento de Psicologia (DPsi) e pesquisadora do Laboratório de Análise e Prevenção da Violência (LAPREV) da Instituição.
O curso surgiu a partir de uma demanda social, que mostra que a violência incidida sobre mulheres independe de classes sociais, origens, escolaridade ou raça e se apresenta de diversas formas: física, moral, psicológica, patrimonial e sexual. Além disso, esse fenômeno evidencia desigualdades - muitas vezes naturalizadas - entre gêneros. O estudo do tema ganha destaque a partir de lutas de movimentos feministas e promoveu mudanças nos paradigmas jurídicos e de políticas públicas. Dentre os mecanismos de enfrentamento e prevenção a esse tipo de violência está a capacitação de profissionais das redes de atenção especializada e não especializada à mulher, o que se configura como o objetivo do curso.
Podem participar profissionais que atuam nas redes socioassistenciais do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) ou do Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), da cidade de São Carlos. O curso tem início previsto para o dia 26 de agosto, com a realização de seis encontros virtuais a cada 15 dias. As atividades incluem discussões online síncronas, exercícios de estudo e produção de trabalho final, contabilizando 30 horas de dedicação. Ao final, os participantes receberão certificado emitido pela Pró-Reitoria de Extensão (ProEx) da UFSCar.
Profissionais interessados devem preencher este formulário online (https://bit.ly/31cXkVq), até 12 de agosto. Após esse período, a pesquisadora entrará em contato com os inscritos para mais informações. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Depois do sucesso "Beber, Beijar" em todo o Sul do país, cantor mostra veia romântica com canção inspirada em filme internacional

PORTO ALEGRE/RS - Depois de oito semanas consecutivas em primeiro lugar em todas as rádios do Sul do Brasil, Joel Carlo intérprete de "Beber, Beijar" acaba de lançar sua nova música de trabalho. “Coach Solidão” composição de Moura/ Tunico/ Leandro Rojas é mais um sucesso do DVD "Roma" gravado em Goiânia. O novo single é dedicado as pessoas que sofrem por amor e precisam de dicas para esquecer o amado(a) e foi inspirado no filme "Hitch - Conselheiro Amoroso", protagonizado pelo ator Will Smith.

A nova música foi produzida por Blener Maycon e Jenner Melo. O cantor vem emplacando composições e cada vez mais impondo nas letras e melodias seus estilos prediletos. Coach Solidão é uma Bachata romântica, até aí uma fórmula já usada por diversos artistas, mas o grande diferencial da canção é a potência vocal de Joel. Para o artista, que no seu último lançamento chegou a 90 mil reproduções no Spotify, com mais de 740 mil visualizações no YouTube a expectativa para o novo hit "Coach Solidão" é a melhor possível. "Dedico essa música a todos os amantes do sertanejo, que tem uma história de amor não correspondida e busca de alguma maneira se consolar por meio de ajuda dos amigos, familiares e muitas vezes até com terapeutas", ressalta Joel.  

O novo trabalho conta a história de um jovem que luta pelo amor não correspondido e passa a dar dicas para os amigos com aprendizados da própria vida amorosa. "Nada como esquecer uma grande frustração com o copo cheio de cerveja", brinca Joel. 

Vale lembrar que Joel Carlo, é voz de grandes sucessos como "Boteco, Cachaça e Modão", "Mulher ou Anjo", "Balada, Zueira, Curtição" e "Beber,Beijar”, do seu último single, que lançou em maio deste ano e ficou por oito semanas consecutivas em primeiro lugar na Crowley. O artista do universo sertanejo já acumula, em sua trajetória musical, dois DVD’s, incluindo o recente (penúltimo) "Boteco, cachaça e modão", com clássicos do sertanejo. Além disso, ele foi um dos artistas mais executados no estado do Rio Grande do Sul entre 2018 e 2019, e trabalhando a fim de conquistar mais espaço neste 2020.

Com as lives "Churrasco e Modão", Joel prepara a quinta edição todas com o companheiro de resenha, o jogador de futebol Douglas dos Santos, que já passou pelo Corinthians, Grêmio e atualmente defende o Brasiliense.

O hit está nas principais plataformas digitais, confira:

Canal do YouTube: https://www.youtube.com/user/JoelCarloJC
Siga o cantor no Instagram: https://www.instagram.com/joelcarlojc/?hl=pt-br

Sobre Joel Carlo 

Natural de Porto Alegre, Joel Carlo é hoje um dos principais nomes da música na região Sul do Brasil. O cantor acumula na sua trajetória musical, três DVDs já gravados e foi um dos artistas mais executados nas rádios do estado do Rio Grande do Sul entre 2018 e 2019. 

De família humilde, teve o seu inicio de carreira parecido com a trajetória musical dos irmãos Zezé di Camargo e Luciano. Cantando desde os cinco anos tendo seu pai como principal incentivador e professor, Joel saiu do Rio Grande do Sul ainda pequeno, viajou por estados como Paraná, Brasília e com apenas doze anos, quando morava com o pai na cidade de Relvado (RS), conheceu o empresário Pedro Frozza, dono de uma rede de churrascarias em São Paulo. Acolhido pela família do empresário, cantou por seis anos nas churrascarias, onde conheceu nomes de grandes produtores como Arnaldo Sacomani, que frequentava com grande frequência ao lado de cantores e profissionais da música, o local. 

Depois de alguns anos fora de seu estado, Joel foi convidado para tocar em uma banda de bairro chamada “Super Produção”. Com o destaque, os convites vieram e a notoriedade musical do cantor ganhou mais força. O primeiro sucesso da carreira veio quando o cantor se juntou à banda “Champion”, a música “Você me tira do ar” foi lançada em 2006, sendo a mais tocada na região sul e atingindo hoje quase três milhões de visualizações no Youtube.

Assim como o cantor Michel Teló, Joel teve como grande escola os bailes "Para um artista crescer musicalmente, os bailes são uma grande escola. Aprendemos todos os ritmos e estilos e aí temos maturidade para escolher o que queremos seguir", explica o cantor.  Passou por bandas que fazem sucesso até os dias atuais como, por exemplo, “Tchê Barbaridade” e “San Francisco”.

CPI no Congresso, mecanismos legais e ações de redes sociais devem diminuir informações falsas

SÃO PAULO/SP - Em um ano tão atípico e impactante para a vida das pessoas como está sendo 2020, o processo eleitoral brasileiro também será diferente. Além do adiamento de data para proteger a população e evitar aglomerações por conta do coronavírus, as eleições municipais serão foco de atenção, com mais controle de informações que interferem no processo de escolha dos representantes públicos.

"A legislação eleitoral, especialmente por conta dos episódios ocorridos em 2018, assumiu o protagonismo na criminalização das fake news. Com a Lei 13.834/2019, foi criminalizada a denunciação caluniosa eleitoral, que abrange a propagação de notícias falsas que prejudiquem adversários políticos", explica Acacio Miranda da Silva Filho, doutorando em Direito Constitucional pelo IDP/DF e mestre em Direito Penal Internacional pela Universidade de Granada/Espanha. 


Enquanto o Congresso Nacional trabalha na investigação de informações falsas que foram largamente propagadas durante as eleições de 2018, por meio da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) das Fake News, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) também está atento aos preparativos para a eleição deste ano: 

"O TSE aperfeiçoou os mecanismos de controle de propagação de notícias através das mídias sociais, evitando a prolação indiscriminada de notícias", destaca Acacio Miranda. Segundo ele, a inovação criminaliza a "boca de urna virtual" e medidas concretas deverão ser adotadas, e serão tidos como criminosos, os pedidos de votos através das ferramentas de comunicação virtual nas 24 horas que antecedem o pleito.

Do outro lado, as próprias plataformas de redes sociais vêm criando aos poucos mecanismos para inibir a disseminação de fake news, como limitação da ação de robôs, de perfis falsos e da prática de impulsionamentos ilegais.

 
PERFIL DA FONTE:

 
Acacio Miranda da Silva Filho é Doutorando em Direito Constitucional pelo IDP/DF. Mestre em Direito Penal Internacional pela Universidade de Granada/Espanha. Cursou pós-graduação lato sensu em Processo Penal na Escola Paulista da Magistratura e em Direito Penal na Escola Superior do Ministério Público de São Paulo. É especialista em Teoria do Delito na Universidade de Salamanca/Espanha, em Direito Penal Econômico na Universidade de Coimbra/IBCCRIM e em Direito Penal Econômico na Universidade Castilha - La Mancha/Espanha. Tem extensão em Ciências Criminais, ministrada pela Escola Alemã de Ciências criminais da Universidade de Gottingen, e em Direito Penal pela Universidade Pompeu Fabra.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Agosto 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31