fbpx

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim
 
Ivan Lucas

Ivan Lucas

 Jornalista/Radialista

URL do site: https://www.radiosanca.com.br/equipe/ivan-lucas E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

BRASÍLIA/DF - O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), pregou na segunda-feira (26) o fortalecimento das instituições e disse que o Brasil não pode "baixar a guarda" e "dar uma de Bambam contra Popó" na defesa da democracia.

A declaração, fazendo referência à luta entre o ex-BBB e o pugilista, foi dada durante discurso que abriu o ano letivo na Faculdade de Direito do Largo São Francisco, da USP, onde o ministro se formou.

"Esses três pilares [imprensa, eleições e Judiciário] resistiram no mundo todo, mas foram abalados. Nós não podemos nos enganar, não podemos baixar a guarda, não podemos dar uma de Bambam contra Popó -que durou 36 segundos. Nós temos que ficar alertas e fortalecer a democracia, fortalecer as instituições", disse Moraes, em discurso.

Moraes falou sobre ataques no mundo todo e reforçou que o problema é um "fenômeno mundial de corrosão à democracia", e não algo que acontece apenas no Brasil.

Principal alvo dos apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), o ministro também afirmou que as investidas atualmente começam de dentro para fora do sistema. "Infelizmente [o mecanismo dos ataques] foi subestimado e, em alguns momentos, foi ridicularizado. Só que tinha método."

"'Manual do ditador' inclui ataques à imprensa e às eleições", disse Moraes. Segundo o ministro, extremistas de todo o mundo seguem a mesma cartilha, visando descredibilizar e atingir os três pilares da democracia: a mídia, o processo eleitoral e a independência do Judiciário. "Foi o que foi feito no Brasil -um ataque frontal", disse Moraes, citando as chamadas "milícias digitais".

Para o magistrado, ataques ao Judiciário foram "amplificados" no Brasil. Isso aconteceu, na visão de Moraes, porque existe a Justiça Eleitoral. "É o Poder Judiciário, por meio da Justiça Eleitoral, que organiza, realiza, administra e julga as eleições. Então, o inimigo do segundo e do terceiro pilares da democracia, para o populismo extremista, era o mesmo. E os canhões foram direcionados para isso", afirmou.

Moraes ainda defendeu a regulamentação das redes sociais. Atualmente, tramita no Congresso um projeto de lei -conhecido como PL das Fake News- sobre o tema. "Não podemos cair nesse discurso fácil de que regulamentar as redes sociais é ser contra a liberdade de expressão. Isso é um discurso mentiroso e pretende propagar e continuar propagando o discurso de ódio", completou o ministro.

As falas vêm um dia após ataques de Silas Malafaia ao STF. No domingo (25), durante ato pró-Bolsonaro na avenida Paulista, o pastor fez críticas diretas a Moraes e também ao presidente do STF, Luís Roberto Barroso. "Como o ministro [Moraes] tem lado? Ele não tem que combater nem a extrema direita, nem a extrema esquerda. Ele é guardião da Constituição", defendeu Malafaia.

 

 

POR FOLHAPRESS

DUBAI - Depois de cravar a temporada mais dominante de todos os tempos, Max Verstappen é, novamente, o homem a ser batido na F1 2024. Neste ano, o tricampeão terá um desafio físico em meio ao cronograma mais extenso da história, com 24 corridas - mas o holandês conta com o RB20, da RBR, para igualar o tetracampeonato e a hegemonia de Sebastian Vettel no início dos anos 2010. Entenda melhor abaixo!

 

Os recordes de 2023

19 vitórias em 22 corridas. 86,3% de aproveitamento. 575 pontos. A maior vantagem para o vice-campeão na história. Não faltaram recordes ao 2023 de Verstappen, que sagrou-se tricampeão na corrida sprint de Lusail, antes mesmo do GP do Catar - e seis GPs principais antes do fim do calendário.

De quebra, o holandês estabeleceu o novo recorde de triunfos consecutivos na história: foram dez vitórias entre os GPs de Miami e da Itália. Os números na temporada do tricampeonato fizeram, ainda, com que Verstappen tornasse o terceiro maior vencedor de todos na F1, com 54; agora, ele está atrás apenas dos heptacampeões Lewis Hamilton (103) e de Michael Schumacher (91).

 

O piloto

Em 2023, enquanto estabelecia novas marcas aqui e ali, Verstappen sempre fez questão de mencionar que não se importava com números - fala repetida, por exemplo, após superar os 75% de aproveitamento de Alberto Ascari em uma temporada, no GP de São Paulo. Os elogios geralmente foram direcionados à equipe e ao carro.

O holandês também é crítico da gradativa expansão do calendário e chegou a questionar seu futuro na categoria; líder absoluto, ele tem contrato com a RBR até 2028. Além do cronograma com 24 etapas, a F1 terá seis corridas sprint - provas curtas no sábado instauradas originalmente em 2021, mas que ficaram duas vezes mais frequentes em 2023.

- As pessoas podem pensar: "Ah, ele faz muito dinheiro, do que esse cara está reclamando?" Mas é sobre seu bem-estar, como você vivencia as coisas, e não quanto você ganha. Sinto que tenho que fazer muitas coisas e abrir mão de outras (que gosto), então às vezes penso: "Ainda vale a pena?" - disse Max, em agosto passado.

Para 2024, vale ficar de olho em como Max Verstappen vai equilibrar uma possível expansão de seu domínio com as críticas não só à gestão da Fórmula 1, mas também às demandas fora das pistas.

 

O carro

Em 2024, Max Verstappen vai guiar o RB20 ao lado de Sergio Pérez, companheiro que vive seu último ano de contrato na RBR. No ano passado, o RB19 - projetado, entre outros, pelo lendário projetista Adrian Newey - também entrou para os livros com os próprios recordes, como o maior número de vitórias no ano. Foram 21 triunfos em 22 etapas.

A única exceção foi o GP de Singapura, vencido por Carlos Sainz com a Ferrari. Desde o início do fim de semana em Marina Bay, a RBR gerenciou expectativas na pista onde não vence desde 2013. Para um carro que tinha seu momento de maior brilho nas retas, as 23 curvas do circuito surgiram como obstáculos, além do asfalto acidentado e das características urbanas. Fora do Q3, Verstappen também criticou o modelo na ocasião.

Entretanto, no geral, a dominância em relação às rivais foi tão grande que o time taurino pôde interromper o desenvolvimento do RB19 ainda em agosto, antes de retomada da F1 após as férias no verão europeu. E tudo isso após sofrer dedução de 10% no tempo de uso do túnel de vento, penalização imposta após violação ao teto de gastos de 2021.

Enquanto outras equipes ainda trabalhavam nos carros de 2023, a RBR já estava focada no modelo RB20, ligando o alerta para equipes como a McLaren, que expôs medo de uma "surpresa desagradável" e novo domínio. Por enquanto, o time austríaco ainda mantém os pés no chão e não espera a mesma hegemonia estatística em 2024.

 

Um novo Vettel?

Há onze anos, o agora aposentado Sebastian Vettel viveu seu ano de maior domínio na F1, chegando ao tetra enquanto estabelecia recordes: mais vitórias consecutivas, mais triunfos no ano, quarto maior vencedor da história... Quase todas as marcas foram superadas por Verstappen na campanha do tricampeonato, à exceção do título de mais jovem vencedor.

- Depois da quinta vitória consecutiva, Seb me mandou uma mensagem falando: "Muito bem, continue assim, você vai conseguir quebrar o recorde". Eu nunca pensei que chegaria nem a oito (vitórias consecutivas). Mas não é algo pelo qual eu estive obcecado. Como eu já disse várias vezes antes, tudo que importa para mim é vencer - disse o holandês antes de triunfar no GP da Holanda em agosto passado e igualar marca de Vetel.

Em ambos os casos, também destaca-se a rápida adaptação da RBR a mudanças no regulamento, como o fim do reabastecimento (2010) e o retorno do efeito solo (2022). A principal diferença é mesmo o rendimento dos rivais: Vettel teve mais momentos de dificuldade com triunfos alheios em 2013, enquanto Max reinou quase sozinho em 2023.

A F1 retorna em 2 de março de 2024 com o GP do Bahrein, primeira de 24 etapas na maior temporada da história da categoria.

 

 

Por Bárbara Mendonça e Bruna Rodrigues / ge

A amapaense Wanna Brito estabeleceu um novo recorde das Américas da prova de arremesso de peso da classe F32 (atletas com paralisia cerebral) ao alcançar a marca de 7,66 metros durante o Desafio CPB/CBAT, realizado no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, no último domingo (25).

O detalhe é que a medalhista de prata no Mundial de atletismo paralímpico de Paris, disputado em 2023, superou um recorde que era dela mesma, de 7,35 metros obtidos em junho de 2023, também no Centro de Treinamento Paralímpico. Porém, a marca alcançada no último domingo ainda necessita ser chancelada pelo Comitê Paralímpico Internacional.

“Eu amei o resultado de hoje. Porém, quero melhorar ainda mais esta marca. Estou trabalhando muito para isso. É um trabalho muito longo, com uma equipe grande por trás. Não dá para acomodar, ainda mais em um ano paralímpico, em que todos querem estar em Paris. Este ano, o principal objetivo é buscar um pódio nos Jogos”, declarou Wanna Brito.

O Desafio CPB/CBAT foi a primeira oportunidade para que os atletas paralímpicos atingissem o índice mínimo estabelecido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro para participação no Mundial de Kobe (Japão) em maio. As próximas duas e últimas chances serão na segunda etapa do mesmo Desafio, no próximo domingo (3), e o Circuito Nacional Caixa de atletismo, nos dias 16 e 17 de março.

 

 

AGÊNCIA BRASIL

SÃO CARLOS/SP - A ACISC (Associação Comercial e Industrial de São Carlos) divulgou nesta segunda-feira, 26 de fevereiro, o horário de funcionamento do comércio de rua (centro e bairros) em Março de 2024.

Segundo divulgado pela Associação, nos dois primeiros sábados, dias 02 e 09, o comércio poderá funcionar em horário especial, das 09h às 17h. Nos dias 16, 23 e 30, o funcionamento será das 9h às 13h.

O comércio funcionará normalmente de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h.

Aos domingos, as lojas ficarão fechadas.

Ivone Zanquim, presidente da ACISC, informa que o horário de abertura do comércio é definido durante Convenção Coletiva de Trabalho (CCT), pelos sindicatos SINCOMERCIO e SINCOMERCIÁRIOS e comerciantes. “A ACISC apenas colabora com a divulgação dos horários, portanto, não interferimos nas decisões desse calendário”, explicou.

Caso tenha alguma reclamação e/ou sugestões sobre o horário, pede-se entrar em contato diretamente com os sindicatos responsáveis.

Serviço:
Horário do Comércio – Março 2024

Dia 02 e 09 (sábados): das 9h às 17h;
Dias 16, 23 e 30 (sábados): abertura das 9h às 13h;
De segunda a sexta-feira: das 9h às 18h.
Aos domingos: comércio fechado 

Confira também o Horário do Comércio de São Carlos em nossas redes sociais: @aciscsaocarlos.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Fevereiro 2024 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29      
Aviso de Privacidade

Este site utiliza cookies para proporcionar aos usuários uma melhor experiência de navegação.
Ao aceitar e continuar com a navegação, consideraremos que você concorda com esta utilização nos termos de nossa Política de Privacidade.