fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
Ivan Lucas

Ivan Lucas

 Jornalista/Radialista

URL do site: https://www.radiosanca.com.br/equipe/ivan-lucas E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

TAMBAÚ/SP - A Polícia Militar prendeu três suspeitos de furtar laranjas de uma fazenda em Tambaú, na última quinta-feira (28). Foram 28 Sacos de Laranja, avaliados em RS 812,00.

Segundo os Polícias Militares que foram acionados para o atendimento da ocorrência, após diligências pela Fazenda, lograram êxito em prender em flagrante duas pessoas, que haviam voltado ao local para retirar os sacos de laranjas, furtadas na última quarta-feira (27).

Os mesmos Informaram aos Policiais que foram contratados por um homem, sendo este localizado pela equipe CB PM Duarte e SD PM Defanti, que ja tinha passagem pela polícia por furto.

Os três homens foram recolhidos à cadeia pública de Casa Branca.

As laranjas foram devolvidas ao proprietário da fazenda.

 

 

*Por: REVISTA DAQUELE MODELO

IBATÉ/SP - Ibaté faz parte de um grupo seleto de municípios paulistas que cumpriram todos os requisitos de transparência em relação às despesas e receitas do enfrentamento ao novo coronavírus [Covid-19].

A informação foi divulgada em comunicado elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP).

Segundo o TCE-SP, 519 municípios dos 644 fiscalizados deixaram de prestar contas (198 deles) ou o fizeram de modo inadequado (321) desde que foi decretado estado de calamidade pública no Estado de São Paulo. O tribunal concedeu 15 dias, que venceram nesta sexta-feira (29), para a regularização das informações.

Ibaté integra as 125 cidades que cumpriram todos os requisitos de transparência no último dia 14, quando o documento foi publicado. De acordo com o texto, as prefeituras devem divulgar, em tempo real pela internet, em Portais de Transparência e canais de comunicação, todas as informações relacionadas a atos, receitas e despesas relativos ao enfrentamento da Covid-19.

Desde o início da pandemia, a Prefeitura de Ibaté tem seguido a orientação do TCE e publicado no Portal da Transparência, no site oficial do Município, de forma apartada da transparência normal, todos os documentos e atos normativos, despesas, receitas, licitações e contratos. Essa transparência fortalece o controle externo, auxiliando toda a população a ter acesso às informações.

Para o prefeito José Luiz Parella, o comunicado do TCE-SP é um reconhecimento do trabalho de todas as equipes da Prefeitura, no enfrentamento da pandemia, tendo responsabilidade e respeito ao dinheiro público. “Ibaté, mais uma vez, consegue prestar contas de tudo o que a está fazendo. Aqui sempre tivemos transparência e respeito nos gastos públicos. Seguimos no caminho certo”, ressaltou.

As informações referentes às receitas e despesas do enfrentamento à Covid-19 podem ser encontradas no site da Prefeitura (www.ibate.sp.gov.br), dentro do Portal da Transparência (com ícone na página inicial).

Estudo investigou rotina de 1.476 crianças e jovens durante pandemia do novo Coronavírus

 

SOROCABA/SP - Uma pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGEd-So) do Campus Sorocaba da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) investigou as condições cotidianas que os alunos e alunas das escolas de Educação Básica (Ensino Fundamental e Médio), das redes pública e privada da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) têm enfrentado no contexto da pandemia do novo Coronavírus. O estudo, realizado nos meses de abril e maio deste ano, também enfocou o desenvolvimento de atividades escolares em casa, seus limites e possibilidades.

O levantamento contou com a aplicação de um questionário com 43 questões. Para os resultados, foram consideradas 1.476 respostas de estudantes de 6 a 18 anos do Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano), Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano) e Médio (1º ao 3º ano) de 18 municípios, entre eles Sorocaba, Itapetininga, Porto Feliz, Votorantim e Tatuí. A coordenação da equipe responsável pelo estudo foi dos professores Marcos Francisco Martins, Luciana C. S. Coutinho e Maria Carla Corrochano, do Departamento de Ciências Humanas e Educação (DCHE-So) do Campus Sorocaba da UFSCar. 

Entre os resultados que mais chamam atenção dos pesquisadores, está o dado de que 41,68% dos estudantes investigados não estão aptos ao ensino remoto. Essa inaptidão pode ser de ordem estrutural (acesso à Internet, disponibilidade de computadores e celulares etc.) e também psicopedagógica (condições de acompanhamento das atividades por parte de pessoas que residem na mesma casa). Segundo o relatório da pesquisa, no Ensino Fundamental I e II os aspectos estruturais são mais presentes; já no Ensino Médio ocorre o contrário: os aspectos estruturais são menos relevantes que os psicopedagógicos.

A crise provocada pela Covid-19 é mais sentida conforme a classe, raça e gênero dos estudantes e seus familiares, apontam os pesquisadores. Nesse contexto, a figura da mãe aparece como sendo a principal mediadora das atividades escolares - 72,54% delas desempenham esse papel. Além disso, 4,26% dos alunos respondentes da rede particular conhecem alguém que não tem acesso à Internet em domicílio; na rede pública, esse número cresce para 19,13%. 

Além do acesso à Internet, outra defasagem é em relação ao número de horas diárias dedicadas ao estudo. Dos 173 alunos do Ensino Fundamental I, a maioria (124) dedica, no máximo, duas horas por dia - uma carga horária bem abaixo da regular na modalidade presencial (4 horas, sem contar as tarefas de casa). No Ensino Fundamental II, 56,5% dos respondentes das escolas privadas dedicam de três a quatro horas; já 60,2% dos respondentes das escolas públicas dedicam somente de uma a duas horas.

O levantamento constatou que os meios digitais foram majoritariamente empregados no contato das escolas com os estudantes e familiares, sendo o WhatsApp a plataforma predominante (50,81%). Também de acordo com as respostas, a maioria das crianças e jovens está em isolamento social. No Ensino Médio, por exemplo, 600 estudantes (96%) investigados têm respeitado o isolamento social provocado pela pandemia.

Continua depois da publicidade


Encaminhamentos
Para os pesquisadores da UFSCar, "o enfrentamento da pandemia exige a intersetorialidade na elaboração e na implantação de políticas públicas, articulando a área da Educação com as de Infraestrutura, Saúde, Assistência Social, Cultura, Esporte e Lazer, embora a máquina pública, historicamente, se caracterize por ser fragmentada".

A fim de que os resultados da pesquisa sirvam de subsídios para agentes públicos e privados traçarem políticas para dirimir os efeitos da pandemia no processo de ensino-aprendizagem, o relatório apresenta 25 diretrizes, divididas em duas categorias: 1. indicações de imediata implementação e 2. indicações para o retorno dos estudantes à escola. Essas diretrizes são direcionadas às secretarias municipais e estaduais de Educação, ao Ministério da Educação, a conselhos e comissões de Educação, e ao Ministério Público.

Entre as diretrizes para indicação imediata, estão: levantar o número de alunos que não possuem meios para o ensino remoto e fornecer esses equipamentos; ampliar o acesso aberto à Internet em territórios vulneráveis das 27 cidades da RMS; identificar alunos deficientes e analfabetos e produzir um plano de ação com vistas ao reforço no atendimento didático-pedagógico e psicológico; suspender as avaliações da aprendizagem com atribuição de notas e as de larga escala; unificar os calendários 2020 e 2021 em um único ciclo e sem reprovação.

Para o período pós-isolamento, o estudo sugere que seja feito um escalonamento do retorno às aulas e dos horários em um mesmo turno de aula. Também é recomendado demarcar locais com distância segura em espaços de refeição; implantar rodízio de dias para a ocupação das salas de aula e, se necessário, ampliar o horário de funcionamento das escolas; disponibilizar equipamentos de proteção individual (EPIs) a toda a equipe da comunidade escolar; entre outras ações. 

O relatório integral da pesquisa intitulada "Condições e dinâmica cotidiana e educativa na RMS (Região Metropolitana de Sorocaba/SP) durante o afastamento social provocado pelo Coronavírus" pode ser acessado no site do PPGEd-So, no link https://bit.ly/36EkS7Y. Mais informações sobre o estudo podem ser obtidas com o professor Marcos Martins pelo e-mail marcosfranciscomartins@gmail.com.

SÃO CARLOS/SP - São Carlos deve fechar o primeiro quadrimestre de 2020 com queda de R$ 20 milhões na arrecadação municipal. O impacto ocorreu no mês de abril, quando a Prefeitura divulgou queda de 23%, ou R$ 10 milhões, e no mês de maio, cujos dados apontam valor semelhante, conforme audiência pública realizada na Câmara Municipal nesta última sexta-feira (29).

Presidida pelo vereador Roselei Françoso (MDB), com a participação do vereador Paraná Filho (PSL) e dos servidores da Secretaria Municipal de Fazenda, a audiência analisou as finanças municipais do 1º quadrimestre de 2020 conforme determina Lei de Responsabilidade Fiscal. 

Questionado por Roselei sobre os impactos da pandemia do coronavírus na arrecadação municipal, o diretor financeiro da Prefeitura, Marco Barros, disse que a tendência é de outra queda de R$ 10 milhões no mês de maio. Os impactos maiores ocorrem no Imposto sobre Operações de Circulação de Mercadorias (ICMS), Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) e o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Na próxima semana os dados de maio serão consolidados.

Por outro lado, embora tenham ocorrido essas quedas, é importante destacar que a arrecadação total cresceu”, destaca Roselei. A previsão era arrecadar R$ 316,5 milhões e arrecadou R$ 336,4 milhões. “Com o IPTU, por exemplo, a Prefeitura arrecadou R$ 67,1 milhões enquanto a previsão era de R$ 41,6 mi”, salientou.

Roselei também questionou sobre o planejamento e provisionamento de recursos para encargos, obrigações e pagamentos que a Prefeitura deve executar em 2020. “É um ano eleitoral e, por isso mesmo, em termos de orçamento bem mais complicado”, salientou. O diretor financeiro disse que a Prefeitura está adimplente com fornecedores e folha de pagamento e que um plano de contingenciamento deve ser apresentado em breve.

Até agora os recursos do governo federal no valor de R$ 28.184.550,43 divididos em quatro parcelas referente ao Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus (PLP 39/2020) não chegaram, o que deve ocorrer no mês de junho.

O vereador Roselei Françoso já protocolou, depois de analisar as finanças municipais, um requerimento à Secretaria de Fazenda para questionar o valor de R$ 25,3 milhões de restos a pagar não processados e R$ 1,8 milhão processados e R$ 150 milhões empenhados e ainda não liquidados e se o plano de contingenciamento irá contemplar a folha de pagamento dos servidores até o final do exercício de 2020 e quais a medidas alternativas serão adotadas para garantir a execução dos serviços públicos.

O vereador Paraná Filho salientou a importância do trabalho da equipe da Secretaria de Fazenda, que atua de maneira técnica e comentou sobre a liminar que determinou o fechamento do comércio. “É importante tranquilizar a todos porque a Prefeitura já vai publicar um novo decreto nos moldes do governo estadual para que a economia volte a funcionar e, com isso, gerar arrecadação para os cofres públicos”, explicou.

O integra da audiência está disponível no site (camarasaocarlos.sp.gov.br) e Youtube (youtube.com/user/camarasaocarlos) oficiais da Câmara Municipal.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Junho 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30