fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

Setembro é o segundo mês que alunos da rede municipal de ensino recebem frutas e legumes. Desde de maio, famílias estão recebendo kit com produtos da cesta básica

 

IBATÉ/SP - Pelo segundo mês consecutivo, a Prefeitura de Ibaté, por meio da Secretaria Municipal de Educação, do Departamento de Merenda Escolar e com o acompanhamento do Conselho de Alimentação Escolar (CAE), está realizando a distribuição de produtos hortifruti da agricultura familiar para os alunos da rede de ensino da cidade.  O projeto reforça o trabalho que a Prefeitura vem fazendo, desde o mês de maio, com a distribuição de kits contendo produtos da cesta básica.

A ação é baseada na Lei n° 13.987/2020, de 07/04/2020, que autoriza em caráter excepcional a distribuição de gêneros alimentícios para estudantes das escolas públicas de educação básica, durante o período de suspensão das aulas em razão da pandemia da Covid-19. Em situações de aulas normais, a Prefeitura de Ibaté oferece a merenda nas férias, mas com o isolamento social foi necessário criar uma outra alternativa, entregando o alimento para que a família prepare em casa.

A distribuição dos kits é feita diretamente na unidade escolar em que a criança está matriculada.  Mensalmente, cerca de quatro mil alunos das 14 unidades da rede municipal de ensino de Ibaté, recebem: arroz, feijão, farinha de trigo, fubá, açúcar, macarrão, sal, leite em pó e óleo de soja, reforçados por produtos hortifruti como batata, cebola, cenoura, tomate e banana nanica.

A equipe da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Ibaté destaca que, durante a entrega dos alimentos, as escolas estão seguindo todas as medidas sanitárias para o controle do novo Coronavírus e orienta sobre os cuidados que devem ser tomados, também, pelos pais e responsáveis. Além do uso obrigatório de máscara de proteção facial e para evitar aglomeração, a recomendação é que os responsáveis não levem as crianças ou acompanhantes na hora da retirada do kit.

Para o mês de setembro, a entrega dos produtos hortifruti começou nesta semana nas escolas de Ibaté, com programação divulgada pelas próprias unidades.

Recorte exclusivo da FecomercioSP mostra elevação de preços nos produtos mais utilizados na pandemia

 
SÃO PAULO/SP - Apesar de o IPCA 15 do IBGE, para a região metropolitana de São Paulo, ter apresentado baixa inflação (0,23%) em agosto, recorte da FecomercioSP com os itens mais consumidos durante a pandemia de covid-19 aponta alta média de 8,10%.
 
A Federação, ao levar em consideração itens essenciais, montou a “cesta pandemia” com as cinco categorias mais vendidas, das quais todas registraram alta na inflação, na comparação com o mesmo período do ano passado: Alimentação no domicílio (11,11%); Alimentação e bebidas (7,96%); Habitação – artigos de limpeza (4,16%); Serviços de saúde (6,09%) e Cuidados pessoais (4,72%).
 

 
Em Alimentação e bebidas, os itens que obtiveram índices mais elevados foram os mais procurados para as refeições diárias, como feijão-carioca (46,77%), músculo (27,97%), laranja-pera (26,74%), leite longa vida (24,73%) e arroz (22,72%).
 
Por outro lado, na mesma categoria, seis dos 29 itens analisados registraram queda nos preços: cenoura (-29,21%), batata-inglesa (-10,66%), massa semipreparada (-3,65%), palmito em conserva (-2,54%), cerveja (-1,60%) e refrigerante e água mineral (-0,55%).
 
O grupo de Habitação engloba produtos de limpeza, muito utilizados para conter a proliferação do coronavírus. Por consequência, detergente e sabão em pó ficaram, respectivamente, 7,27% e 2,70% mais caros em relação a agosto do ano passado.
 
Já em Saúde, houve alta nos custos dos planos de saúde (7,28%) e das internações e cirurgias (2,42%).
 
O levantamento da FecomercioSP mostra que os domicílios estão priorizando as compras de itens básicos (alimentos, produtos de higiene, produtos de limpeza e dispêndios com saúde), por cautela ou porque houve restrição orçamentária no período, assim, os hábitos de consumo foram alterados.
 
A Federação recomenda que as famílias priorizem a aquisição de alimentos em época de safra em agosto e que terão preços mais acessíveis, como  cará, batata-doce, mandioca, inhame, cenoura, abóbora, abobrinha, berinjela, morango, maracujá, mamão e melão.
 
Os empresários também devem ficar atentos às mercadorias que têm sido mais consumidas, assim como às safras de alimentos, e atualizar o mix de produtos oferecido.
 
Sobre a FecomercioSP
Reúne líderes empresariais, especialistas e consultores para fomentar o desenvolvimento do empreendedorismo. Em conjunto com o governo, mobiliza-se pela desburocratização e pela modernização, desenvolve soluções, elabora pesquisas e disponibiliza conteúdo prático sobre as questões que impactam a vida do empreendedor. Representa 1,8 milhão de empresários, que respondem por quase 10% do PIB brasileiro e geram em torno de 10 milhões de empregos.

Pesquisas indicam que 4 em cada 10 brasileiros mudaram hábitos de alimentação e tiveram variações de peso durante o período da pandemia;

 

Websérie terá 10 episódios semanais que estarão disponíveis no YouTube da instituição;

 

Programas terão a participação de nutricionistas e cozinheiros do Sesc São Paulo, que darão orientações relacionadas à saúde e bem-estar, escolha de alimentos, cuidados com a higiene e preparação.

 

São Paulo/SP – Pesquisas recentes identificaram que 4 em cada 10 brasileiros mudaram hábitos de alimentação e tiveram variações de peso durante o período da pandemia. Dados de outras pesquisas, que vão da área da saúde às tendências de busca na Internet, reforçam o fato de que o brasileiro tem comido de um jeito diferente nos últimos meses.

Sempre atento à educação alimentar e nutricional, e ainda mais neste momento em que tantas pessoas estão redescobrindo a cozinha em suas casas, o Sesc São Paulo reforça suas ações nessa área. Para isso, está lançando a série Alimentação #EmCasaComSesc, que será transmitida pela internet, já que suas unidades permanecem fechadas, como medida para evitar a propagação do novo coronavirus.

A websérie é composta por 10 espisódios que têm por objetivo promover a alimentação saudável. Baseados em conceitos desenvolvidos pela área de Alimentação do Sesc em sua ação cotidiana, como as orientações oferecidas pelo Guia Alimentar para a População Brasileira do Ministério da Saúde, os programas terão aproximadamente 10 minutos e irão ao ar sempre às quintas-feiras, às 11h, no YouTube do Sesc SP, com lançamento no dia 30 de julho.

A cada episódio, nutricionistas do Sesc São Paulo irão abordar temas do dia a dia, como a escolha dos alimentos, a importância do cozinhar, a desinfecção adequada de frutas, legumes e verduras, questões comportamentais associadas à comida, entre outros assuntos. Os cozinheiros do Sesc também participam, apresentando receitas desenvolvidas pelas equipes das Comedorias das unidades, utilizando ingredientes acessíveis e modos de preparo simples, incentivando o público a fazê-las em casa.

Danilo Santos de Miranda, diretor do Sesc São Paulo, esclarece que “a realização de projetos como este tem função primordial no fomento a iniciativas que disseminam o conhecimento e a melhoria dos hábitos alimentares, efetivando o aumento do bem-estar e da qualidade de vida dos cidadãos”. E complementa: “Alimentar-se é necessidade, direito e prazer. Por meio do alimento, a natureza expressa sua cadeia contínua, em que se realimenta ininterruptamente, garantindo assim a manutenção da vida”.

 

 

PROGRAMAÇÃO

O primeiro programa, que vai ao ar em 30 de julho, tratará da alimentação adequada e saudável. O episódio oferece um panorama sobre o tema e a nutricionista Adriana Cruz irá desmistificar o significado de uma alimentação saudável, abordando assuntos como a importância de cozinhar, a diversidade de alimentos e o ato de comer em companhia. A receita será um filé de peixe assado com crosta de coco e tomate, apresentada pelo cozinheiro William Towata.

O episódio do dia 6 de agosto será sobre a escolha dos alimentos. A nutricionista Maurícia Franceschini abordará as diferenças entre alimentos in natura, minimamente processados, processados e ultraprocessados, além de enfatizar a importância da leitura dos rótulos de alimentos. Para destacar o uso de ingredientes frescos, o cozinheiro Michael Ferrari vai preparar uma moqueca de banana da terra.

Já o terceiro episódio, em 13 de agosto, abordará as refeições do dia a dia, na teoria e na prática. A nutricionista Raquel Monteiro dará sugestões de combinações e cardápios para todas as refeições, considerando os diferentes gostos e hábitos culturais. O cozinheiro Adriano Ferreira apresentará uma preparação coringa para todas as refeições: uma torta de liquidificador com legumes e sardinha.

O programa do dia 20 de agosto vai reforçar o fato de que todos podem cozinhar. O nutricionista Rodrigo Ferreira vai mostrar como o ato de cozinhar pode se tornar uma atividade prazerosa, além de abordar sua importância para a autonomia e a saúde, com dicas para aprimorar as habilidades culinárias e o uso da panela de pressão. O cardápio não poderia ser outro: feijão, apresentado pelo cozinheiro Almir Rodrigues.

 Os demais episódios estão sendo preparados e terão seus temas e participantes divulgados em breve.

 

ALIMENTAÇÃO LEVADA A SÉRIO

 

O Sesc São Paulo oferece serviços de alimentação desde 1947 e hoje possui 12 restaurantes e mais algumas dezenas de diferentes espaços de alimentação em 39 de suas unidades. Os espaços, chamados de Comedorias, valorizam as relações entre alimentação e cultura, sendo também planejados para promover o convívio e o encontro. Ainda pensando na alimentação como a base da vida, o Sesc São Paulo criou, em 1994, uma ação de segurança alimentar pioneira no combate à fome, que hoje se chama Mesa Brasil e está presente por todo o país.

A instituição também faz um trabalho permanente de promoção da educação alimentar e nutricional, além de celebrar, anualmente, o Dia Mundial da Alimentação, atuando em consonância com as diretrizes da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (Food and Agriculture Organization - FAO).

Em 2017, o Sesc São Paulo lançou o Experimenta! Comida, Saúde e Cultura, para promover a alimentação adequada e saudável por meio da valorização da cultura alimentar. A intenção é ampliar a autonomia em torno das escolhas presentes no ato de comer, desenvolver as habilidades culinárias e estimular práticas alimentares regionais e sustentáveis. A edição de 2019 teve mais de 350 atividades distribuídas em todas as unidades operacionais do Sesc São Paulo, envolvendo nutricionistas, sociólogos, antropólogos, chefs, agrônomos, cozinheiros, psicólogos, agricultores e outros especialistas.

Na edição de 2018 do Experimenta!, foi lançado o jogo de tabuleiro Tá na Mesa, desenvolvido pelo Sesc São Paulo a partir do conteúdo da segunda edição do Guia Alimentar para a População Brasileira, uma publicação do Ministério da Saúde.

Em 2019, para reforçar as ações da Semana Mundial do Aleitamento Materno, o Sesc lançou o Do Peito ao Prato, uma programação anual, realizada no mês de agosto com o objetivo de promover a amamentação e alimentação saudável nos dois primeiros anos de vida.

 

LEVANTAMENTOS

Várias pesquisas vêm sendo feitas a respeito dos hábitos dos brasileiros durante o período de distanciamento social devido à pandemia de covid-19. Uma sondagem do Ministério da Saúde, que não envolvia só alimentação, identificou que 40% dos entrevistados passaram a comer mais ou menos nos últimos meses. A pesquisa foi feita por telefone com mais de 2 mil pessoas de todo o país e incluía apenas esta questão sobre o tema.

Já um levantamento feito por um grupo de pesquisadores das áreas de endocrinologia, psicologia e patologia apontou que também 40% dos brasileiros tiveram variações de peso durante a quarentena. A pesquisa foi feita através de um questionário online, respondido por 1.470 pessoas e levou em consideração o Índice de Massa Corporal (IMC), tempo de isolamento e alimentação nesse período. Quase metade dos entrevistados (48%) afirmou sentir mais vontade de comer, mesmo quando não está com fome.

 

+ SESC NA QUARENTENA

Durante o período de distanciamento social, em que as unidades do Sesc no estado de São Paulo permanecem fechadas para evitar a propagação do novo coronavírus, um conjunto de iniciativas garantem a continuidade de sua ação sociocultural nas diversas áreas em que atua. Pelos canais digitais e redes sociais, o público pode acompanhar o andamento dessas ações e ter acesso a conteúdos exclusivos de forma gratuita e irrestrita.  Confira a programação e fique #EmCasaComSesc.

Mesa Brasil | Tecido Solidário | Fabricação Digital de Protetores Faciais | Teatro | Música | Dança | Cinema | Esporte | Crianças | Ideias | SescTV | Selo Sesc | Edições Sesc São Paulo | Youtube Sesc São Paulo | Instagram Sesc Ao Vivo | Portal Sesc SP

 

+ SESC DIGITAL

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado.

Saiba +: Sesc Digital

 

+ SESC SÃO PAULO

Com 73 anos de atuação no estado e 40 unidades operacionais, o Sesc São Paulo (Serviço Social do Comércio) desenvolve ações com o objetivo de promover bem-estar e qualidade de vida aos trabalhadores do comércio, serviços, turismo e para toda a sociedade. Mantido pelos empresários do setor, o Sesc é uma entidade privada que atua nos âmbitos da cultura,  esporte, saúde, alimentação, desenvolvimento infanto-juvenil, idosos, turismo social, entre outras frentes de ação. As iniciativas da instituição partem das perspectivas cultural e educativa voltadas para todas as faixas etárias, com o objetivo de contribuir para experiências mais duradouras e significativas. São atendidas nas unidades do estado de São Paulo cerca de 30 milhões de pessoas por ano. Hoje, aproximadamente 50 organizações nacionais e internacionais do campo das artes, esportes, cultura, saúde, meio ambiente, turismo, serviço social e direitos humanos contam com representantes do Sesc São Paulo em suas instâncias consultivas e deliberativas.

Saiba +: Sesc São Paulo

Entre os dias 7 e 11, participam das discussões a artista e professora da FAU – USP Giselle Beiguelman; Iara Aparecida Ferreira, fundadora e coordenadora do Terno de Congado Moçambique Estrela Guia (Uberlândia-MG); José Graziano da Silva, ex-Ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome do primeiro governo de Lula da Silva, função na qual coordenou a implementação do Projeto Fome Zero; e a coordenadora executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas, Marta Gil

 

A série Ideias, transmitida ao vivo sempre às 16h pelo YouTube da instituição, convida pensadores e articuladores sociais de diversas áreas para a troca de experiências e reflexões sobre assuntos da atualidade

 

youtube.com/sescsp

São Paulo/SP– Com o objetivo de incentivar a reflexão no contexto desafiador em que nos encontramos, a série Ideias, promovida pelo Sesc São Paulo por intermédio de seu Centro de Pesquisa e Formação (CPF), traz a transmissão ao vivo de debates sobre as principais questões que tencionam a agenda sociocultural e educativa atual. Sempre às 16h, as conferências acontecem pelo canal do YouTube do Sesc São Paulo, com participação do público e tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Na terça-feira, dia 7, o debate Memórias, cicatrizes e fraturas trará reflexões acerca das fragilidades dos patrimônios e acervos, e as relações entre memória e esquecimento no Brasil. Participam a artista e professora da FAU – USP Giselle Beiguelman e a artista e doutora pela ECA – USP Rosângela Rennó, com mediação de Barbara Rodrigues, graduada em artes plásticas e técnica de programação em artes visuais no Sesc Pompeia, e apresentação de Sabrina da Paixão, historiadora e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

No dia seguinte, quarta-feira, 8, A força ancestral na celebração da vida será o tema do bate-papo sobre os modos de (re)existir de manifestações culturais e comunidades tradicionais afro-brasileiras do Sudeste, como a Caiumba (conhecida como Batuque de Umbigada) e Moçambiques (presente nos festejos do congado). Com Iara Aparecida Ferreira, fundadora e coordenadora do Terno de Congado Moçambique Estrela Guia (Uberlândia-MG), membro estadual dos Pontos de Cultura de Minas Gerais e Delegada Nacional dos Pontos de Cultura (representando a Cultura Popular); Mestre Malaquias, conhecido como Preto, fundador e capitão do Moçambique Estrela Guia, casado há 33 anos com Iara, com quem faz parte da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito de Uberlândia; e Antônio Filogênio de Paula Júnior, membro do projeto Casa de Batuqueiro, ligado ao grupo Batuque de Umbigada de Piracicaba, Tietê, Capivari e Rio Claro-SP. Na mediação e apresentação, estará a jornalista e animadora cultural do Sesc Consolação, Renata Celano.

Seguindo com a programação, no dia 9, quinta-feira, estarão em pauta  Os efeitos da pandemia na alimentação dos brasileiros. Serão discutidos quais os caminhos para enfrentar a subnutrição e a fome neste contexto de preocupação em relação à disponibilidade e ao acesso a alimentos, agravado pelos fortes impactos sociais e econômicos causados pela pandemia. Dentre os debatedores, estão José Graziano da Silva, ex-Ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome do primeiro governo de Lula da Silva, função na qual coordenou a implementação do Projeto Fome Zero, e Renato Maluf, professor titular do CPDA/UFRRJ, onde coordena o Centro de Referência em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, e membro do Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Na mediação, Elisabetta Recine, integrante do Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutricional e professora do Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília. A apresentação será de Mariana Ruocco, assistente técnica da Gerência de Alimentação e Segurança Alimentar.

E encerrando a programação da semana, no sábado, 11, será realizado o debate Direitos das pessoas com deficiência: reflexões para o pós pandemia à luz do conceito de capacitismo. Estarão em xeque discussões sobre os direitos das pessoas com deficiência e uma reflexão sobre o capacitismo – fenômeno social ainda presente de forma velada ou explícita no cotidiano e que afeta a participação social deste segmento. Também será abordado como a adoção da acessibilidade atitudinal, entre outras medidas, pode contribuir para ampliar a qualidade de vida e os horizontes das pessoas com deficiência no cenário pós-pandemia em sociedade. Participam a coordenadora executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas, Marta Gil, e a professora aposentada da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Izabel Madeira Maior. O debate será mediado por Jairo Marques, jornalista da Folha de S. Paulo, e apresentado por Giovanna Togashi, doutora em Ciências pela USP e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

PROGRAMAÇÃO IDEIAS #EMCASACOMSESC

Dia 7/7, terça-feira

Memórias, cicatrizes e fraturas

Baseadas nas pesquisas feitas para o desenvolvimento de seus projetos artísticos e nas dificuldades encontradas para acesso aos acervos, Rosângela Rennó e Giselle Beiguelman abordam as fragilidades expostas do patrimônio e as relações entre memória e esquecimento no Brasil.

Participantes:

Giselle Beiguelman – Artista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

Rosângela Rennó – Artista formada em artes plástica e em arquitetura e urbanismo, doutora em Artes pela Escola de Comunicação e Artes da USP.

Mediação:

Barbara Rodrigues – Graduada em Artes Plásticas pela UFPE, e pós-graduanda em Crítica e Curadoria da Arte pela PUC. Técnica de programação em Artes Visuais no Sesc Pompeia.

Apresentação:

Sabrina da Paixão – Historiadora e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

Dia 8/7, quarta-feira

A força ancestral na celebração da vida

Bate-papo sobre os modos de (re)existir de manifestações culturais e comunidades tradicionais afro-brasileiras do Sudeste, como a Caiumba (conhecida como Batuque de Umbigada) e Moçambiques (presente nos festejos do congado).

Participantes:

Iara Aparecida Ferreira – Fundadora e coordenadora do Terno de Congado Moçambique Estrela Guia (Uberlândia-MG), membro estadual dos Pontos de Cultura de Minas Gerais e Delegada Nacional dos Pontos de Cultura (representando a Cultura Popular). 

Mestre Malaquias (conhecido como Preto) – Fundador e capitão do Moçambique Estrela Guia, casado há 33 anos com Iara, com quem faz parte da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito de Uberlândia.

Antônio Filogênio de Paula Júnior – Membro do projeto Casa de Batuqueiro, ligado ao grupo Batuque de Umbigada de Piracicaba, Tietê, Capivari e Rio Claro-SP. Graduado em filosofia, é mestre e doutor em Educação.

Mediação e apresentação:

Renata Celano – Jornalista e animadora cultural do Sesc Consolação.

Dia 9/7, quinta-feira

Os efeitos da pandemia na alimentação dos brasileiros

A preocupação em relação à disponibilidade e ao acesso a alimentos no presente e no futuro são os principais temas desta atividade. A insegurança alimentar já ameaçava milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade. A tendência é que esse cenário crítico se agrave com os fortes impactos sociais e econômicos causados pela pandemia. Nesse novo contexto, quais os caminhos para enfrentar a subnutrição e a fome, promovendo a alimentação adequada e saudável para todos? Como garantir este direito, considerando formas de produção, processamento e distribuição dos alimentos socialmente equitativas, ambientalmente sustentáveis e promotoras de diversidade cultural e ecológica?

Participantes:

José Graziano da Silva – Professor titular aposentado do Instituto de Economia da UNICAMP. Foi Ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome do primeiro governo de Lula da Silva. Nessa função, coordenou a implementação do Projeto Fome Zero. Foi Diretor Regional para América Latina e Caribe e depois Diretor Geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Renato Maluf – Professor titular do CPDA/UFRRJ, onde coordena o Centro de Referência em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Membro do Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Ex-Presidente do CONSEA-Nacional (2007/2011).

Mediação:

Elisabetta Recine – Integrante do Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutricional, professora do Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília.

Apresentação:

Mariana Ruocco – Assistente Técnica da Gerência de Alimentação e Segurança Alimentar.

Dia 11/7, sábado

Direitos das pessoas com deficiência: reflexões para o pós pandemia à luz do conceito de capacitismo

O objetivo do debate é trazer discussões sobre os direitos das pessoas com deficiência e uma reflexão sobre o capacitismo – fenômeno social ainda presente de forma velada ou explícita no cotidiano e que afeta a participação social deste segmento. Também se pretende debater a influência desta modalidade de preconceito no âmbito do acesso ao mercado de trabalho das pessoas com deficiência, por meio de barreiras com relação ao julgamento sobre sua performance e que eventualmente inibem as possibilidades de desenvolvimento em funções laborais diversas. Por fim, também será abordado como a adoção da acessibilidade atitudinal, entre outras medidas, pode contribuir para ampliar a qualidade de vida e os horizontes das pessoas com deficiência no cenário pós-pandemia em sociedade.

Participantes:

Marta Gil – Coordenadora Executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas.

Izabel Madeira Maior – Professora aposentada da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Mediação:

 Jairo Marques – Jornalista da Folha de S. Paulo.

Apresentação:

Giovanna Togashi – Doutora em Ciências pela USP e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

+ Sesc Digital

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!

 

Saiba+: sescsp.org.br

As doações foram entregues nos 19 pontos de coleta, durante o Mapeamento da COVID-19, realizado no fim de semana

 

SÃO CARLOS/SP - A rede de restaurantes Habib’s doou 400 esfirras e 24 garrafas de refrigerante para a alimentação dos 57 profissionais de saúde e voluntários que participaram da 1ª etapa do “Testar para Cuidar – Programa de Mapeamento da COVID-19 em São Carlos”, no último fim de semana.

Os funcionários da empresa entregaram as doações nos 19 pontos de coleta do Mapeamento, espalhados por várias regiões de São Carlos. “Sou de São Carlos e sempre tive vontade de ajudar a Santa Casa, por saber da importância do hospital para a minha cidade. Quando fui informado do Mapeamento da COVID-19, entendi que era a hora de colaborar. E ajudei do jeito que sabemos fazer, fornecendo alimentação”, explica o gerente do Habib’s em São Carlos, Luis Rogério de Lucca.

A primeira etapa do “Testar para Cuidar” foi concluída no fim de semana. Na quinta (11) e sexta-feira (12), as pessoas selecionadas receberam uma senha para comparecerem em um ponto de coleta no sábado ou no domingo. Nos locais, responderam um questionário e passaram pela coleta de sangue para saber se tiveram ou não o Coronavírus.

Esse é o maior levantamento de identificação da prevalência da COVID-19 feito em um município em testagens por número de habitantes. “TESTAR PARA CUIDAR – PROGRAMA DE MAPEAMENTO DA COVID-19” irá entrevistar e testar 5.600 pessoas na cidade, em 4 etapas de trabalho. O diagnóstico será feito por meio dos exames sorológicos do tipo Elisa, fornecidos pela Prefeitura, que são considerados mais precisos que os testes rápidos aplicados nos demais mapeamentos feitos pelo país. Os exames estão sendo realizados no Laboratório de Morfologia e Patologia (DMP) da UFSCar.

Vanessa Madrid Vivo é médica residente em Clínica Médica na Santa Casa de São Carlos. É um dos 57 voluntários e profissionais de saúde que participam do “TESTAR PARA CUIDAR”. “Eu trabalho na ALA COVID da Santa Casa. E tenho acompanhado de perto como a doença pode trazer consequências graves, independentemente da idade do paciente. Por estar na linha de frente no combate à pandemia, fiz questão de participar desse projeto. Com o resultado do Mapeamento, vamos conseguir nos preparar melhor para oferecer uma assistência ainda maior aos pacientes”.

A médica residente também elogiou a doação feita pelo Habib’s: “Nós conseguimos ter um momento de pausa na hora do almoço. Foi um momento de união e de descontração. E entendemos que a doação foi um reconhecimento do nosso trabalho e de todo esforço que nós temos feito para enfrentar e superar essa pandemia. Nós agradecemos muito”.

 

PIRASSUNUNGA/SP - Por meio da Secretaria Municipal de Educação, a Prefeitura Municipal de Pirassununga iniciou nesta última terça-feira (2) a distribuição de kits de alimentação escolar. Os kits são destinados a alunos matriculados na rede pública municipal de ensino da cidade. A Secretaria de Educação realizou pesquisa prévia à distribuição para manifestação de interesse dos pais/responsáveis pelos alunos matriculados na rede municipal de ensino local.

O planejamento e a definição dos gêneros alimentícios que irão compor o kit de alimentos foi elaborado pelas nutricionistas da rede, fomentando a agricultura familiar, por meio de contratos vigentes dos agricultores com o Setor de Merenda Escolar, atendendo às orientações do FNDE em regulamentação a Lei 13.987/2020, que autorizou a distribuição dos gêneros alimentícios aos alunos, durante o período de suspensão das aulas em decorrência das medidas preventivas de contaminação da Covid-19 (novo coronavírus).

Os alimentos serão distribuídos em forma de kits de alimentação escolar, produzidos de acordo com a faixa etária de cada estudante e o período em que estaria sendo atendido na unidade escolar, assim como, atendendo a qualidade nutricional, sanitária e respeito aos hábitos alimentares e cultural local.

A entrega dos kits será realizada nas respectivas escolas em que os estudantes estão matriculados, de acordo com cronograma que está sendo divulgado individualmente pelas Unidades Escolares, de forma a evitar aglomerações.

O próprio Secretário da Educação, Hamilton Alberto de Oliveira, solicita que apenas um integrante por família se encarregue em buscar o kit de alimentos, e recomenda que seja feita uma desinfecção dos pacotes e embalagens ao chegar em casa.

A Secretaria de Educação informa que diante de todas as ações visando o distanciamento social, com a finalidade de evitar aglomerações, bem como, em consideração ao limite diário de produção dos gêneros pelos pequenos agricultores, em cada semana será entregue os kits a uma etapa escolar. Portanto, as famílias devem aguardar a divulgação por parte das escolas da data em que o kit será entregue.

Vale lembrar que os cronogramas foram divulgados por cada uma das escolas respeitando-se as especificidades. Ou seja, cada unidade distribui os kits aos responsáveis por alunos matriculados apenas nestas unidades.

 

 

*Por: PMP

RIO CLARO/SP - Para atender famílias carentes durante a pandemia do novo coronavírus, a prefeitura de Rio Claro entregou na sexta-feira (15) mais 468 cartões do programa municipal Alimentação Escolar Direto em Casa. Com isso, já são mais de 4.500 beneficiados pelo programa que destina crédito mensal de R$ 60,00 por criança que se enquadra nos critérios sociais.

“O pagamento será mantido até que o retorno às aulas seja possível, como maneira de suprir a carência de muitas crianças que se alimentavam na escola”, observa o prefeito João Teixeira Junior.

Para quem recebe, o auxílio vem em boa hora. “É uma ajuda importante”, afirmou Cristiane Brito, que foi com a filha Maria Isabele retirar o cartão.

A entrega dos cartões começou no fim de abril e vem sendo feita por etapas, na antiga estação ferroviária. “A expectativa inicial era de 4.060 cartões, mas o número foi superado a partir da identificação de mais famílias precisando do auxílio”, observou Adriano Moreira, secretário de Educação.

Os cartões serão mensalmente recarregados com o valor de R$ 60,00 e as famílias poderão utilizar o benefício na rede credenciada. “Dessa maneira cada família poderá utilizar os recursos para comprar os itens que para ela forem mais necessários”, destaca o prefeito. Quem tem direito ao benefício está sendo avisado pelas escolas.

 

 

*Por: PMRC

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30