fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

Clima é propício para multiplicação do inseto que transmite doenças virais infecciosas como dengue, zika e chikungunya; pacientes oncológicos podem apresentar complicações, por conta do tratamento

 

  JAÚ/SP - Dengue, zika e chikungunya. Doenças infecciosas com sintomas diferentes, mas que têm algo em comum: são transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. De acordo com a infectologista do Hospital Amaral Carvalho (HAC) Priscila Paulin, com a chegada do verão, aumenta a circulação e proliferação do inseto, e por isso, é importante reforçar alguns cuidados.

   A maioria das pessoas já ouviu falar sobre a medida mais eficiente, que é ficar atento a qualquer lugar que possa acumular água. "Terrenos baldios, materiais descartados incorretamente, como garrafas plásticas, latinhas e pneus são alguns dos cenários propícios para a procriação do mosquito, por isso merecem atenção", comenta.

Mas se todo mundo sabe, por que ainda existem focos do mosquito?

   A médica acredita que falta consciência de coletivo. "Ser cidadão é entender que pertencemos a um todo, ou seja, temos que pensar bem em nossas atitudes, pois podem ter consequências até mesmo para as gerações futuras", diz.

   As doenças relacionadas ao Aedes aegypti, segundo a profissional, são conhecidas também como doenças negligenciadas.

"Esse termo é utilizado, pois, de forma geral, existe um desinteresse em investimentos e estudos para combatê-las". Ela ressalta que o Brasil é um país tropical, em sua maioria com clima quente e úmido, propenso à multiplicação de insetos vetores (que transmitem diversas infecções virais). "Também somos classificados como um país em desenvolvimento, ainda com muita desigualdade social, vários municípios sem saneamento básico, como tratamento de esgoto, coleta adequada de lixo ou limpeza de espaços públicos como praças", lamenta.

 

Fiquei doente. O que devo fazer?

   É importante lembrar que as doenças infecciosas podem causar sintomas e complicações bem distintas, mas é sempre recomendado à pessoa com qualquer infecção permanecer em repouso, ingerir líquido mais frequentemente (quando não há contraindicação), ter uma alimentação saudável e, especialmente, nunca se automedicar.

"A principal complicação da dengue, por exemplo, é a hemorragia. Logo, o paciente não deve tomar medicamentos que possam aumentar as chances de sangramentos, como os AAS, componente de alguns multigripais comuns vendidos nas farmácias sem necessidade de receita", orienta.

 

Pacientes com câncer

   Ter uma doença infecciosa não é fácil. Para pacientes com câncer, pode ser um pouco pior. Pessoas em tratamento oncológico tendem a ter o sistema imunológico comprometido, tanto pela própria doença, como pelos procedimentos que realizam, como quimioterapia.

"Podem ter o nível de plaquetas mais baixo e, assim, um risco maior de complicações, caso contraiam dengue, por exemplo. Essas pessoas também podem ser mais frágeis diante de manifestações clínicas das infecções virais, como náuseas, vômitos e diarreia, ficando mais suscetíveis à desidratação grave, queda de pressão arterial e até precisar de internação", pontua.

   No HAC, os pacientes são orientados a procurar atendimento médico a qualquer sinal de que não estão bem clinicamente. Assim, diante da suspeita de dengue, zika ou qualquer outra doença, é extremamente importante avisar ao médico para receber orientações sobre como proceder.

 

O que fazer para se proteger?

   A infectologista recomenda tanto para quem está em tratamento de câncer, quanto para a população em geral o uso de repelentes (icaridina ou dietiltoluamida - DEET não apresentam contraindicações para pacientes oncológicos). Também podem ser usados os naturais, como citronela, porém, como têm efeito menos duradouro, devem ser reaplicados com maior frequência. "Além disso, usar, se possível, roupas que cobrem toda a perna, utilizar telas nas janelas de casa e mosqueteiros para as crianças. E sempre, cuidar da sua casa, do quintal e de áreas abertas ou terrenos vizinhos", lembra.

 

Faça a sua parte

   O senhor Divino Antonio da Silva (66), nunca teve dengue ou outras doenças desse tipo e, claro, não quer nem saber de se infectar. Ele está em tratamento no HAC há três anos e por conta do câncer teve que deixar seu trabalho como pedreiro. "Para não ficar parado, comecei a mexer com reciclagem, mas faço tudo certinho, muito organizado, tudo bem fechadinho e coberto para não ter perigo nenhum", conta.

   Um filho dele já teve dengue e, desde então, os cuidados na sua casa redobraram. "Tudo bem sequinho, esse é o segredo. Também temos várias plantas que ficamos de olho para não acumular água, e trocamos os potinhos de água dos cachorros a cada hora e meia, duas horas, no máximo".

   Para Divino, o combate ao mosquito depende também de cada cidadão fazer sua parte. "As pessoas deveriam fazer mais. No geral, por onde olhamos, vemos lixo descartado errado. O povo não se cuida e aí, as coisas começam a acontecer. Não adianta reclamar e não se cuidar", disse.

 

Saiba mais (fonte Ministério da Saúde)

Procure atendimento médico se notar algum sintoma:

Dengue

Febre alta, fadiga, mal-estar, perda de apetite, erupções na pele e dores musculares ou nas articulações, náuseas e vômitos. As pessoas também podem ter dores atrás dos olhos, nas costas, abdômen ou nos ossos.

Em casos graves, de dengue hemorrágica, dores abdominais fortes, sangramento pelo nariz, boca ou gengivas, sonolência, sede excessiva (sinal de desidratação), frequência cardíaca elevada, dificuldade para respirar.

Zika

Vermelhidão em todo o corpo com muita coceira depois de alguns dias, febre baixa (muitas vezes nem percebida), conjuntivite (olhos vermelhos sem secreção), mialgia e dor de cabeça, dores nas juntas.

Chikungunya

Febre, dores intensas nas juntas (em geral, bilaterais – nos dois joelhos, nos dois pulsos, etc), pele e olhos avermelhados, dor de cabeça e dores pelo corpo, náuseas e vômitos.

Ligações gratuitas são novo canal para cadastro de contribuintes

 

 JAÚ/SP - Há 21 anos, o Hospital Amaral Carvalho (HAC), centro de referência nacional no tratamento de câncer, mantém o setor de Telemarketing para captação de doações que dão subsídio às atividades da instituição. Neste ano, o serviço disponibilizou um número 0800 para ampliar sua abrangência.

 O importante departamento arrecada recursos que ajudam a custear materiais, medicamentos e, especialmente, as ações de assistência social a centenas de paciente, todos os anos. Para isso, uma equipe com 57 operadoras de telemarketing realiza o contato diário com contribuintes para apresentar o trabalho desenvolvido pelo hospital e solicitar apoio. "São realizadas, em média, 10 mil chamadas telefônicas diariamente", conta a coordenadora de telemarketing, Mariellen Lima.

 Neste ano, com o objetivo de facilitar o contato de pessoas interessadas em colaborar com o HAC, a unidade disponibilizou uma linha para recebimento de ligações gratuitas: o 0800 778 8008. "Essa é mais uma opção de canal de doação que nos permite cumprir a missão de promover a saúde e o bem-estar dos brasileiros com serviços de saúde de qualidade e com segurança", destaca.

  Com o novo número telefônico, o HAC espera aumentar o número de doadores, assim como é crescente o valor gasto anualmente para custeio do atendimento oncológico de milhares de pessoas. "A parceria de empresas e pessoas físicas ajuda a diminuir o déficit do que o Sistema Único de Saúde nos paga para atender os pacientes e, esperamos que o 0800 seja mais uma forma eficiente de contato e captação de doações", comenta Mariellen.

 

   A coordenadora explica que o setor continua com seu atendimento através do telefone (14) 3602-1108, pelo WhatsApp (14) 99102-2788 ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. O expediente do serviço de captação de doações é de segunda a sexta-feira, das 6h30 às 20h15. 

Espaço, patrocinado pelo Grupo Roche, tem luzes e música para comemorar a vitória dos pequenos pacientes e foi inaugurado nessa terça-feira

 

JAÚ/SP - A Pediatria do Hospital Amaral Carvalho (HAC) inaugurou na terça-feira (1º/dez) o Cantinho da Vitória, espaço para crianças e familiares celebrarem o término de uma etapa do tratamento oncológico. Dois pequenos comemoraram pela primeira vez a vitória no local.

"Eu fiquei muito impressionada. Está lindo demais o cantinho. Estou feliz por ter vencido a leucemia", festeja Franciely Santana de Castro, de 11 anos. A mãe, Solange Santana de Castro, contou que a filha ficou pouco mais de dois anos entre idas e vindas ao hospital para o tratamento da doença. "Foi um período difícil. Agora, é uma sensação de vitória mesmo. É como se minha filha tivesse nascido de novo. Muito bom poder comemorar e marcar esse momento de felicidade aqui", disse.

Ao contrário de muitos hospitais, onde as crianças apenas batem o sino para demonstrar o fim do tratamento, o Hospital Amaral Carvalho resolveu inovar. No local, foi instalado um botão que, ao ser pressionado pelo paciente, aciona luzes coloridas e a famosa música "Tema da Vitória", composta por Eduardo Souto Neto e tocada nas transmissões de Fórmula 1 da TV Globo. O espaço foi patrocinado pelo Grupo Roche, que fez uma campanha em 2019 para ajudar na revitalização da ala pediátrica do hospital.

O Pedro, de seis anos, também pôde festejar sua vitória no Cantinho. "É um momento muito aguardado por todos, principalmente por nós, pais e mães. É, literalmente, uma vitória", disse Elisangela Pacheco Goulart, mãe do Pedro.

 

Benefícios ao tratamento

A médica oncopediatra responsável pelo setor, Larissa Polis Moreira, ressalta que o espaço servirá de estímulo para as outras crianças da unidade. "É uma forma de mostrar para os pacientes que essa fase difícil de internações prolongadas, de precisar abrir mão de atividades da rotina, um dia vai terminar. Se eles tiverem uma boa resposta ao tratamento, como acontece na maioria dos casos da oncologia pediátrica, logo serão eles que estarão aqui comemorando", enfatiza.

 

Projeto

O Cantinho faz parte de um projeto de melhorias da Pediatria, custeado pelo Grupo Roche. A parceria ainda envolve a instalação da lan house, inaugurada em fevereiro de 2020, e o desenvolvimento da versão 2.0 do Ursinho Elo, projeto de humanização do hospital lançado em 2014. O espaço foi projetado pela arquiteta Marina Brandão, que pensou em todos os detalhes para que o momento fosse único.

A arquiteta Marina Brandão comenta que o projeto foi um desafio. "É um momento muito importante na vida de cada criança, de cada familiar, e que deve ficar guardado na memória com muita felicidade. Fizemos com muito amor e carinho. Fico feliz em imaginar a emoção de uma criança comemorando ali a sua vitória", comenta.

Em comemoração ao Dezembro Laranja, de conscientização sobre o câncer de pele, equipe irá realizar uma live, no dia 8, e orientações sobre prevenção nas principais entradas do HAC e de clubes da cidade, durante o mês

 

   JAÚ/SP - Com a chegada do Dezembro Laranja, de conscientização sobre o câncer de pele, é importante lembrar que os cuidados com a saúde não podem ficar de lado. Mesmo com o atual cenário de incertezas e profundas mudanças, por conta da pandemia, é essencial manter hábitos saudáveis para prevenir a doença e ficar atento aos sinais que podem levar ao diagnóstico precoce. Para ressaltar o assunto, o Hospital Amaral Carvalho (HAC) promove atividades especiais neste mês. 

   O Programa de Prevenção do Melanoma – tipo de câncer de pele mais agressivo, está atendendo a população com horário marcado por telefone e respeitando as orientações de precaução da Covid-19. Apesar da redução no número de atendimentos (queda de 65% de janeiro a outubro, comparado a 2019), sete casos de melanoma foram detectados pela equipe neste ano. "Considerando que suspendemos as triagens por três meses e que muitas pessoas estão deixando de comparecer, talvez por acharem que não tem problema esperar a pandemia passar, o número é alto", afirma a enfermeira do Programa Carla Turini.

   De acordo com a profissional, caso haja qualquer alteração nas pintas é importante procurar o serviço. "Estamos seguindo todas as medidas preventivas da Covid-19, como espaçar os atendimentos para evitar aglomeração no Instituto de Prevenção. Todos da equipe usam máscaras, disponibilizamos álcool gel 70% para frequente higienização das mãos e, na entrada, é avaliada a temperatura do paciente. Portanto, é seguro vir até aqui", enfatiza.

   Com o surgimento de uma pinta diferente no rosto, Sueli Conduta Pinto (62) achou mais prudente buscar a avaliação profissional e descartar qualquer suspeita. "Fiquei preocupada, mas mesmo com todas as restrições por conta da pandemia, preferi vir. É menos arriscado que deixar pra lá", comentou.

   O esposo Sebastião (63) a acompanhou na consulta e também aproveitou para fazer uma avaliação. "Conhecemos o HAC há anos e sabemos da importância desse programa. Hoje em dia, as pessoas não dão muita atenção aos sinais e quando vão procurar ajuda, às vezes é tarde e não há possibilidade de cura", disse.

   No Instituto de Prevenção, o casal recebeu orientações de prevenção e cuidados com a pele. Carla também reforçou os sinais que podem levar ao diagnóstico do melanoma.

  

Regra do ABCDE

   Para ajudar a identificar uma lesão que pode ser melanoma, existe uma regra conhecida como ABCDE. Cada uma das letras corresponde à inicial de um sinal relacionado à doença:

Assimetria – uma metade da pinta não se parece com a outra;

Bordas irregulares – as bordas são recortadas, pouco definidas;

Cor – sombras de marrom, preto e, às vezes, branco ou vermelho na mesma pinta;

Diâmetro – maior que 6mm (equivalente ao de um lápis);

Evolução – mudança de aspecto.

   A enfermeira afirma que, não é porque estamos em uma fase de pandemia, com alterações importantes na rotina, que podemos abandonar hábitos como o uso diário de protetor solar e roupas que protejam o corpo o máximo possível, como braços, pescoço e nuca, por exemplo. "Também devemos evitar a exposição ao sol entre 10h e 16h".

 

Ações especiais

   O Programa de Prevenção do Melanoma funciona durante o ano todo, mas em dezembro, para reforçar as orientações em Jaú, a equipe irá realizar ações especiais. Além de postagens com dicas nas redes sociais, no dia 8, a dermatologista coordenadora do Programa, Ana Gabriela Salvio, e a enfermeira Carla apresentam live sobre o tema. A transmissão será pelo canal do Hospital Amaral Carvalho no Youtube, às 17h15.

   Nos três primeiros sábados de dezembro, profissionais de enfermagem estarão nas portas de clubes da cidade esclarecendo dúvidas dos sócios. Às quartas-feiras, a ação será nas principais portarias do HAC. "O foco das nossas atividades é detectar as lesões precocemente para garantir maiores chances de cura e falar sobre prevenção, um hábito que fazemos questão de incentivar", completa Carla. 

Especialização com foco em oncologia oferece vagas em Enfermagem, Farmácia e Biologia; inscrições para o processo seletivo até 17 de dezembro; Instituição reforça medidas de prevenção da Covid-19 na realização das provas

 

JAÚ/SP -  Estão abertas as inscrições do processo seletivo para Residência Multiprofissional em Atenção ao Câncer no Hospital Amaral Carvalho (HAC), para início em 2021. Com aprovação do Ministério da Educação, a especialização tem dois anos de duração e bolsa de estudos. Inscrições até o dia 17 de dezembro.

   Com cinco vagas para Enfermagem, três para Biologia e duas para Farmácia, o curso exige dedicação exclusiva e inclui atividades teóricas e práticas. Os candidatos devem ter formação superior na área desejada e inscrição no conselho regional de classe.

   Interessados em participar devem baixar a ficha de inscrição no site www.amaralcarvalho.org.br e enviar para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. com o título EDITAL RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL 2020 ou entregá-la pessoalmente, na Rua das Palmeiras, 89 – Vila Assis, Jaú/SP, até o dia 17 de dezembro de 2020, às 17h.
   As provas serão no dia 30 de janeiro e a lista de classificados estará disponível no site da instituição, no dia 9 de fevereiro.

   Confira o edital (anexo) para saber mais sobre taxa de inscrição e outras informações, ou entre em contato pelo telefone (14) 3602-1399.

 

Prevenção da Covid-19

   A Comissão de Residência Multiprofissional do HAC informa que serão verificadas as condições sanitárias do local das provas, como higienização das maçanetas e superfícies em geral, e será disponibilizado álcool gel 70% nas áreas comuns, para evitar a transmissão do Coronavírus.  

   O endereço será divulgado no dia 5 de janeiro. Na entrada, além da conferência do documento oficial com foto e inscrição do candidato, será medida a temperatura corporal, que deverá ser de 37,6°C no máximo. Será obrigatório o uso de máscara e manter o distanciamento social.  

   Quem apresentar sintomas que podem estar relacionados à Covid-19, como febre, coriza e tosse, não deve comparecer para realização da prova.

 

Sobre o Hospital Amaral Carvalho

O Hospital Amaral Carvalho é uma centenária instituição de saúde, reconhecida pela excelência do tratamento oncológico e pela assistência social oferecida a pacientes vindos de todos os estados brasileiros. Anualmente, atende mais de 70 mil pessoas e realiza mais de um milhão de procedimentos, como quimioterapia e radioterapia, além de ser o centro que mais realiza transplantes de medula óssea no País.

Aplicativo está disponível gratuitamente na Play Store e já possui mais de 100 downloads

 

JAÚ/SP - O Hospital Amaral Carvalho (HAC) recebe o apoio de muita gente, de diferentes formas e por diferentes motivos. Uns querendo ajudar em agradecimento ao tratamento de um parente querido. Outros se sensibilizando com a causa oncológica. Ainda tem os que passam pelo nosso hospital e querem retribuir o carinho e cuidado. É o caso do Jacques dos Santos Oliveira.

Ele tem 34 anos e mora na cidade de Serra, no Espírito Santo. Interrompeu o curso de engenharia da computação e veio para Jaú, em agosto de 2018, quando iniciou um tratamento. Mas, os médicos indicavam que seria necessário um transplante de medula óssea (TMO). Começou, então, uma difícil contagem contra o tempo para encontrar um doador compatível. "Descobrimos que dois irmãos meus eram compatíveis entre si, mas comigo, ninguém era", diz. Depois de muito tempo de busca, dois doadores foram encontrados no banco de dados com compatibilidade total. O transplante foi realizado em abril do ano passado.

Começava uma nova contagem. "Os 100 primeiros dias costumam ser os mais delicados, o que faz desta data ser bastante aguardada pelos pacientes", conta o médico hematologista do HAC, Iago Colturato. Nesse período, o transplantado tem mais chances de desenvolver infecções e deve permanecer perto ao hospital para atendimento quando necessário.

Hospedado na casa de apoio Eva L. V Barbanti, Jacques dividia a ansiedade pela data com outros pacientes do TMO. "Ficamos todos trocando informações, ansiosos, esperando os 100 dias de pós-transplante. Mas comecei a perceber que cada um contava de um jeito, alguns se perdiam... imaginei que podia ajudar e automatizar". 

Com a experiência profissional na área de desenho digital atrelado ao conteúdo aprendido na sala de aula durante a faculdade, o paciente desenvolveu o aplicativo D+Eu. O app conta os dias desde a realização do procedimento e oferece outras funcionalidades para os pacientes. "Muita gente esquece o número do Registro do Paciente, a data de retorno, então inclui essas informações para facilitar", explica. Além disso, o D+Eu traz informações sobre o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Tratamento Fora do Domicílio (TFD), notificações sobre a importância da ingestão de água e tem troca de mensagens (chat) entre os usuários.  "Comecei a desenvolver aqui mesmo, ainda internado. Fiz baseado nas minhas experiências."

O D+Eu foi lançado em novembro de 2019 e está disponível gratuitamente na Play Store. De lá para cá, já são mais de 100 downloads. "É uma satisfação saber que está sendo útil para mais pessoas. É a minha forma de doação, fiz o que estava ao meu alcance", concluiu.

Exame é realizado somente por agendamento e resultado é enviado ao paciente em até dois dias úteis

 

JAÚ/SP - O Hospital Amaral Carvalho (HAC) disponibiliza o serviço de testagem para COVID-19 (Coronavírus) no sistema drive thru para atendimentos particulares. Os exames são realizados de segunda a sexta-feira, das 8h às 10h e das 13h30 às 15h15, a partir de agendamento pelo telefone (14) 3602-1190.

São oferecidos dois tipos de teste: RT-PCR e sorológico. O teste de RT-PCR é considerado o "padrão ouro" e detecta o Coronavírus para confirmação da doença. As amostras são coletadas por meio de swabs de nasofaringe e orofaringe. O resultado fica disponível em até dois dias úteis.

Já o exame sorológico avalia se o paciente já teve contato com o vírus e apresenta anticorpos IgG para a COVID-19. Nesta modalidade, a previsão é de um dia útil para o resultado.

A testagem ocorre no estacionamento do HAC, localizado no cruzamento das ruas Victor Burjato com a das Palmeiras, próximo à entrada do Centro de Apoio ao Paciente (CAP).

A coleta será realizada sem o paciente sair do carro e dura no máximo 20 minutos. Não é necessário pedido médico, apenas agendamento.

 

Serviço

Testagem drive thru para COVID-19

De segunda a sexta-feira das 8h às 10h e das 13h30 às 15h15

Agendamento pelo telefone: (14) 3602-1190

Medidas incentivam a conscientização e prevenção do câncer de mama e estimula mulheres a realizarem exames

 

JAÚ/SP - Começou no último dia 1º de outubro a campanha Outubro Rosa, de conscientização e prevenção do câncer de mama, considerado o tipo mais incidente da doença nas mulheres brasileiras, se excluídos os tumores de pele não melanoma, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). Embora o assunto seja comum atualmente, a doença ainda é coberta por muitos estigmas.

Só no ano passado, o HAC, referência no tratamento de câncer de mama para o Estado de São Paulo, atendeu 596 novos pacientes e mais de 460 em segmento no tratamento. A unidade realizou ainda 530 cirurgias oncológicas em pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). "É uma doença multifatorial em que o estresse, alimentação inadequada e sedentarismo estão entre os fatores de risco", explica o médico mastologista da unidade, João Ricardo Auler Paloschi.

No entanto, embora comum, ainda é bastante temido pelas mulheres. "Temos que entender que o câncer, por si só, não é uma doença grave. A sua gravidade está relacionada ao diagnóstico tardio. Fora dessa situação, o câncer não apresenta gravidade e possui altíssima probabilidade de cura com tratamentos mais simples. Entretanto, as mulheres ainda têm medo do diagnóstico, porque é uma doença que mexe com a identidade, com a autoestima", explica. 

Para auxiliar na descoberta precoce da doença e aumentar as chances de cura, o Amaral Carvalho mantém o programa Pró Mama, um dos cinco programas de prevenção da unidade. O serviço, que foi suspenso por um período por conta da pandemia da COVID-19, já retornou e atende cerca de 500 pacientes todos os anos com consultas e exames. "Os exames de imagem conseguem detectar o câncer ainda no estágio clínico inicial, que é altamente curável com tratamentos menos agressivos", explica o diretor do serviço e responsável pelo departamento de mastologia do Hospital Amaral Carvalho, Jose Roberto Figaro Caldeira.

 

Ações
No mês de prevenção ao câncer de mama, o hospital ilumina parte do prédio com a cor da campanha Outubro Rosa. A ação pretende chamar a atenção para a importância da prevenção e diagnóstico precoce da doença. De acordo com Dr. Caldeira, as medidas devem se estender ao longo de todo o ano. "É importante esse reforço no mês de outubro para levar cada vez mais informação sobre a doença, sobre tratamento e, principalmente, sobre prevenção. Mas, a mulher precisa estar sempre atenta aos sinais e realizar os exames preventivos, independente de qual mês seja."

Outras ações serão promovidas pelo Amaral Carvalho durante todo o mês de outubro para reforçar a importância de discutir o câncer de mama. No próximo dia 6, especialistas do HAC participarão de uma live no canal do Amaral Carvalho no Youtube para tirar as principais dúvidas sobre o assunto e enfatizar questões relacionadas à prevenção.

Além disso, o HAC divulgará vídeos abordando os fatores de risco, exames e avanços no tratamento do câncer de mama.

Centro de pesquisa da Instituição é um dos 13 alocados no Brasil que participam do estudo; conquista é vista como oportunidade de proporcionar melhores tratamentos aos pacientes

 

JAÚ/SP - O Centro de Pesquisas Clínicas do Hospital Amaral Carvalho (HAC) comemorou um importante feito. A unidade conseguiu a inclusão do primeiro paciente da América Latina no estudo ChecKMate 9DW, sobre Carcinoma Hepatocelular (câncer primário do fígado), promovido pela indústria farmacêutica Syneos Health.

O estudo já está em desenvolvimento em outros países, mas foi aberto no Brasil em 31 de julho. De lá para cá, o Centro iniciou busca por pacientes que se enquadrassem nas especificações do estudo, que pretende analisar tratamento de primeira linha em pessoas com carcinoma hepatocelular em estágio avançado. A notícia sobre a aprovação do paciente, que aceitou participar do estudo, foi recebida nesta semana.

De acordo com a médica responsável pelo estudo no HAC, Patrícia Medeiros Milhomem Beato, serão 1.084 participantes de 239 centros de pesquisa de todo o mundo. O centro de pesquisa da Fundação Hospital Amaral Carvalho é um dos 13 centros alocados no Brasil. Segundo Patrícia, a notícia sobre a randomização do primeiro paciente é reflexo da competência da Instituição.

"A pesquisa clínica é um instrumento de construção do conhecimento primordial para melhoria dos processos de tratamento de nossos pacientes oncológicos. Ela agrega conhecimento, cuidado, dedicação, segurança e eficácia, requisitos presentes em nossa instituição que alicerça o Centro de Pesquisas e proporciona aos pacientes oportunidades aos melhores tratamentos", completa.

O coordenador do Centro de Pesquisas Clínicas, Alvaro José Lança, avalia que a agilidade no processo de escolha e inclusão do paciente pode abrir oportunidades de novas pesquisas. "A indústria farmacêutica vê nosso centro de forma diferente, chamando a atenção para outros estudos importantes. Muitas dessas pesquisas envolvem tratamentos de primeira linha, com medicamentos já aprovados fora do País, então é uma chance de ofertar um tratamento avançado para pacientes do SUS." O Centro ainda analisa outros pacientes que podem se enquadrar na pesquisa.

Apresentações serão ao vivo na segunda-feira e prometem muita música sertaneja

 

JAÚ/SP - Gosta de uma boa música e quer aproveitar o feriado do dia 7 de setembro sem sair de casa? Na próxima segunda-feira, serão duas opções de lives beneficentes com música sertaneja e que terão arrecadação em prol do Hospital Amaral Carvalho (HAC).

A partir das 12h, a Liga do Bem pela Vida de Guareí promove a live solidária com apresentações da dupla Maique e Rafael e do cantor Maurício Leonel, que prometem animar a tarde com muita música raiz. O evento será transmitido pelo Facebook da Liga do Bem de Guareí e pelo canal do YouTube Maique e Rafael.

De acordo com o artista Maique Arantes, essa será uma oportunidade única. "Temos a chance de nos divertir, ajudando quem precisa. Isso é sensacional!" O repertório, rico de moda de viola, há clássicos como 'Boate Azul', 'Ainda Ontem Chorei de Saudade' e outras de duplas consagradas como Goiano e Paranaense e João Carrero e Pardinho.

Durante o show, haverá leilões e sorteios de prêmios como a camiseta doada e autografada pelo goleiro Ivan Quaresma da Ponte Preta. Além de diversão e solidariedade, haverá muitos momentos de emoção. "Convidei um amigo para cantar comigo. Ele está fazendo tratamento. Tenho certeza que será bastante emocionante", diz o músico.

Mais tarde, a partir das 15h, a dupla Fábio Lopes e Rodrigo inicia live solidária transmitida no Youtube e página do Facebook que leva o nome dos músicos. A apresentação, voltada para o sertanejo universitário, também contará com a participação especial do cantor Gui Costa, de Limeira.

"Temos muitos conhecidos que fazem tratamento aí no hospital. A gente queria fazer a live e ajudar alguma entidade. E o Fábio sugeriu o Hospital. Sabemos da seriedade do trabalho do HAC então resolvemos fazer", comenta o produtor Alberto José de Souza.

 

As lives podem ser acessadas pelos links:

Maique e Rafael / Maurício Leonel – a partir das 12h. Acesse: https://www.youtube.com/channel/UCKL2L7Rtkmf9kFFq_bZ-LBg

Fábio Lopes e Rodrigo – a partir das 15h. Acesse: https://www.youtube.com/channel/UCC3YlZlIUiIuhE_H0bghDwA

Classificados Imóveis

Alugo Apartamento

R$ 550,00

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Janeiro 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31

Comércio e Serviços em Geral