fbpx

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim
 

SÃO CARLOS/SP - Nesta quarta-feira (05) a Diocese de São Carlos celebrará a missa de sétimo dia do falecimento do Padre Antônio Tombolato. A missa acontecerá no Santuário Diocesano Nossa Senhora Aparecida da Babilônia, em São Carlos, às 16 horas e contará com transmissão ao vivo nas redes sociais da Diocese e Rádio Diocesana a SDS FM 93.3.

A missa será presidida por Dom Eduardo Malaspina, Administrador Diocesano. Para que sejam respeitadas as normas de segurança e prevenção ao coronavírus, a celebração será feita de forma campal.

Padre Tombolato faleceu no dia 29 de abril por complicações causadas pela covid-19.

Mais informações pelo telefone: (16) 3368-2924

 

 

 

*Por Sidney Prado

BRASÍLIA/DF - O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Nunes Marques ordenou no sábado (3) que os estados, o Distrito Federal e os municípios permitam a realização de celebrações religiosas presenciais, ainda que com, no máximo, 25% da capacidade. A porcentagem foi inspirada em julgamento de caso similar pela Suprema Corte dos Estados Unidos.

A decisão ocorre na véspera do domingo de Páscoa, uma das principais datas do calendário cristão, quando se celebra a ressurreição de Jesus Cristo. A ocasião foi mencionada por Nunes Marques. Ele destacou que mais de 80% dos brasileiros se declaram cristãos, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O ministro atendeu a um pedido de liminar (decisão provisória) feito pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure). Para a entidade, o direito fundamental à liberdade religiosa estava sendo violado por diversos decretos estaduais e municipais que proibiram os cultos de forma genérica. A Anajure argumentou que tais normas tratavam a religião como atividade não essencial, o que seria inconstitucional.

Todos os atos questionados foram editados com a justificativa de evitar aglomerações que favoreçam a contaminação pela covid-19.

Nunes Marques baseou sua decisão também em parecer do procurador-geral da República, Augusto Aras, que defendeu a assistência espiritual como sendo algo essencial na pandemia. Em manifestação sobre o tema, a Advocacia-Geral da União (AGU) também defendeu a permissão para a realização de cultos presenciais.

 

Decisão

Nunes Marques deu razão à Anajure. “A proibição categórica de cultos não ocorre sequer em estados de defesa (CF, art. 136, § 1º, I) ou estado de sítio (CF, art. 139). Como poderia ocorrer por atos administrativos locais?”, indagou o ministro.

“Reconheço que o momento é de cautela, ante o contexto pandêmico que vivenciamos. Ainda assim, e justamente por vivermos em momentos tão difíceis, mais se faz necessário reconhecer a essencialidade da atividade religiosa, responsável, entre outras funções, por conferir acolhimento e conforto espiritual”, acrescentou ele.

Outras medidas impostas por Nunes Marques foram: distanciamento social, com espaçamento entre assentos; uso obrigatório de máscaras; disponibilização de álcool em gel na entrada dos templos; e aferição de temperatura.

A liminar de Nunes Marques é válida ao menos até que o plenário do STF discuta a questão. O ministro é relator de três ações de descumprimento de preceito fundamental sobre o assunto. As outras foram abertas pelo Conselho Nacional de Pastores do Brasil e pelo PSD.

 

 

*Por Felipe Pontes - Repórter da Agência Brasil

SÃO CARLOS/SP - A Diocese de São Carlos, na pessoa de seu Administrador Diocesano, Dom Eduardo Malaspina, tendo em vista a proximidade do Tempo da Quaresma e os anseios sacramentais do Povo de Deus, porém, sem abrir mão dos cuidados e da defesa da vida, publicou no final da manhã desta terça-feira, 16, a atualização do decreto diocesano que versa sobre a realização das missas presenciais nos municípios onde as Prefeituras não deliberam sobre as igrejas.

Segundo a Diocese de São Carlos, as celebrações das missas continuam de modo virtual, transmitidas pelas redes sociais, rádios e TVs católicas. Porém, aos fiéis que desejarem participar presencialmente, poderão participar desde que não residam ou tenham contato com pessoas positivadas para o COVID-19 e não apresentem sintomas gripais.

“Nossa intenção não é estimular que as pessoas estejam em circulação, tampouco ter uma posição negacionista, depois de duas semanas completamente fechados nos reestruturamos para que nossas paróquias sejam um apoio da sociedade no que se refere a conscientização das pessoas no enfrentamento da Pandemia”- ressaltou Dom Eduardo Malaspina.

Cada paróquia deverá controlar o número de participantes nas celebrações, que não deverá ultrapassar 20% da capacidade do templo. Além disso, a Diocese de São Carlos orienta as paróquias a aferirem a temperatura dos fiéis na entrada, continuem a disponibilizar o álcool 70% para a higienização das mãos e assegurem que todos os fiéis permaneçam de máscara durante todo o tempo da celebração.

O decreto diocesano versa também sobre a higienização do local da celebração, que deve acontecer entre uma celebração e outra, além de reafirmar o necessário distanciamento entre os fiéis.

 

 

*Por Padre Rubens Jr.

SÃO CARLOS/SP - Realizou-se ontem, 22 de janeiro de 2021, no Oratório Semi-público de Nossa Senhora das Dores, residência do Cônego Antônio Tombolato, a Celebração Eucarística em Ação de Graças pelos seus 93 anos de vida.

Para a celebração da Santa Missa foram seguidas todas as normas da vigilância sanitária, bem como cuidados com a saúde do Padre aniversariante.

Foi presidida pelo Cônego e cocelebrada pelo Padre Everton Luchesi, além de contar com diversos fiéis, familiares e amigos, bem como o presidente da Câmara municipal de São Carlos, Roselei e da vereadora Neusa, prima do Padre Tombolato.

Na ocasião Cônego Antônio Tombolato iniciou a celebração mencionando que seu ministério é graça divina e que acredita na imensa misericórdia e bondade de Deus. Espera que dessa trajetória aos 93 anos, Deus se agrade e leve em consideração o que possa ter feito de bom.

Na homilia, Padre Everton Luchesi, agradeceu o convite, felicitou-o e mencionou que o seu sacerdócio também foi um fruto gerado pelo ministério do Cônego, frizando o exemplo na dedicação ao pastoreio, pela presença na comunidade e sobretudo em sua família.

Na liturgia, providencialmente do dia, destacou na primeira leitura aos Hebreus, a figura do verdadeiro sacerdócio como aquele que oferece e é mediador do sacrifício de Jesus Cristo. No salmo ao dizer do “amor e a verdade”, são quase que dois lemas do ministério e da vida do Cônego Tombolato, um homem que vive o amor no serviço e sobretudo não exita em usar sempre da verdade.

Por fim, coroando o dia festivo o Evangelho de Marcos, Jesus que convoca os seus discípulos e chamou aqueles que ele quis, recorda-nos também a vida do Padre Tombolato. Ele é um chamado, um quisto por nosso senhor Jesus Cristo, para levar a Palavra e em seu ministério expulsar os demônios.

Ao final, com a presença de alguns padres: Toninho Pinto, Daniel e Filipe, toda a comunidade louvou e agradeceu a Deus pela vida e pelo ministério do Cônego Antônio Tombolato e clamou ao Espírito Santo para que o fortifique e seja sempre feita a vontade de Deus na vida desse grande homem da Palavra.

 

 

*Por: Sidney Prado / Diocese de São Carlos

Em missa, celebrada por Dom Eduardo Malaspina com a presença do Prefeito Zé Parrella, imagens do Menino Jesus são abençoadas e colocadas nos tradicionais presépios da cidade

 

IBATÉ/SP - Uma missa, celebrada na igreja Matriz São João Evangelista pelo Bispo Auxiliar da Diocese de São Carlos, Dom Eduardo Malaspina e pelo padre Edson Ap. Franco de Godoy, marcou o início das celebrações natalinas em Ibaté, no último fim de semana.

Com a presença do Prefeito de Ibaté, José Luiz Parella, da primeira-dama Lu Spilla e demais autoridades, durante a celebração foram abençoadas as duas imagens do Menino Jesus, que compõem os tradicionais  presépios da cidade. Após a bênção, as imagens foram levadas em procissão até as manjedouras dos dois presépios.

Respeitando as restrições e os cuidados necessários para enfrentamento à pandemia de Covid-19, do lado direto do altar da igreja Matriz foi montado e está aberto para visitação o presépio artesanal mecanizado do ibateense, Angelo Perruci Neto, mais conhecido como Sr. Angelim, e de seu amigo Diomar Mariotto. Desde 1974, o presépio faz parte da tradição natalina da cidade, com suas engrenagens e mecanismos que dão movimento e luz ao cenário.

Já na Praça da Matriz está o presépio em tamanho natural, que desde 2007 é montado em Ibaté, além da abundante iluminação de natal com suas cores e formas que se estendem pelas ruas centrais da cidade. Dom Eduardo Malaspina, destacou em homilia, que ver Ibaté tão bonita e iluminada para o Natal deve servir para lembrar-nos da graça de Deus e, assim, não permitir que a escuridão tome conta das nossas vidas.

Em discurso, após a celebração da missa, Zé Parrella lembrou que 2020 foi um ano atípico, marcado pela pandemia do novo Coronavírus, o que impossibilitou que Ibaté tivesse os shows e as outras atrações natalinas. "Foi um ano de provações. Mas com fé em Deus chegamos até aqui com a esperança de que o Ano Novo possa ser melhor e que consigamos exterminar esse vírus que nos assusta.  Não posso deixar de agradecer a Deus, em primeiro lugar, e a todos vocês que rezaram pela minha saúde quando eu estava com Covid-19. Tenho, também, que agradecer por me darem a oportunidade de continuar governando a nossa Ibaté por mais quatro anos".

Zé Parrella exaltou, ainda, todos os funcionários públicos, que se dedicam diariamente em prol da cidade. "Aliás, os enfeites de final de ano só existem porque nossos servidores públicos municipais nos ajudam a montar tudo o que vemos aqui. Para finalizar, desejo, do fundo do meu coração, um Feliz Natal e que o Novo Ano seja de muitas realizações, saúde e alegrias e que nele possamos estar juntos novamente!", finalizou.

SÃO CARLOS/SP - A comunidade católica comemora, nesta quinta-feira (01), o Dia de Santa Teresinha do Menino Jesus, considerada a "Padroeira das Missões", pois viveu no final do século 19 e, menos de 100 anos depois, foi canonizada pelo papa Pio Xl.

Devido a pandemia do novo coronavírus as atividades em louvor a santa serão diferentes do que já é costume, mas hoje, às 14h, o Pároco Marcos Coró, vai realizar a benção do bolo que será vendido na Capela localizada na Rua Manoel Lembo, N° 65, no Jardim Novo Horizonte, em São Carlos.

Será realizada a missa em louvor a santa as 19h30min, do lado de fora da Capela e será transmitido ao vivo pelo facebook na Página da Capela de Santa Teresinha do Menino Jesus. O padre pede que os fiéis que forem até a capela para participar da missa, use máscaras e leve rosas que serão abençoadas.

SANTA TERESINHA DO MENINO JESUS

A santa de hoje nasceu em Alençon (França), em 1873; e morreu no ano de 1897. Santa Teresinha não só descobriu que no coração da Igreja sua vocação era o amor, como também sabia que o seu coração – e o de todos nós – foi feito para amar. Nascida de família modesta e temente a Deus, seus pais (Luís e Zélia) tiveram oito filhos antes da caçula, Teresa; quatro morreram com pouca idade, restando em vida as quatro irmãs da santa (Maria, Paulina, Leônia e Celina). Teresinha entrou com 15 anos no Mosteiro das Carmelitas, em Lisieux, com a autorização do Papa Leão XIII. Sua vida se passou na humildade, simplicidade e confiança plena em Deus.

Todos os gestos e sacrifícios, do menor ao maior, oferecia a Deus pela salvação das almas e na intenção da Igreja. Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face esteve como criança para o Pai, livre, igual a um brinquedo aos cuidados do Menino Jesus e, tomada pelo Espírito de amor, que a ensinou um lindo e possível caminho de santidade: infância espiritual.

O mais profundo desejo do coração de Teresinha era ter sido missionária “desde a criação do mundo até a consumação dos séculos”. Sua vida nos deixou como proposta, selada na autobiografia “História de uma alma” e, como intercessora dos missionários sacerdotes e pecadores que não conheciam a Jesus, continua ainda hoje, vivendo o Céu, fazendo o bem aos da terra.

Morreu de tuberculose, com apenas 24 anos, no dia 30 de setembro de 1897, dizendo suas últimas palavras: “Oh!…amo-O. Deus meu,…amo-Vos!”.

Após a sua morte, aconteceu a publicação de seus escritos. A chuva de rosas, de milagres e de graças de todo o gênero. A sua beatificação em 1923, a sua canonização em 1925; e foi declarada “Patrona Universal das Missões Católicas” em 1927, atos do Papa Pio XI. E a 19 de outubro de 1997, o Papa João Paulo II proclamou Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face doutora da Igreja.

SÃO CARLOS/SP - Na tarde da última sexta-feira de Julho, a Diocese de São Carlos, responsável pela presença da Igreja Católica em 29 municípios da região, publicou uma série de propostas para o retorno da Missa com o povo. Com o objetivo de orientar as comunidades católicas o documento é uma alternativa apresentada para que o seguimento religioso retome uma de suas atividades principais.

A proposta está baseada nas fases do Plano São Paulo. Para cada fase do Plano há orientações diferentes para as missas. A única fase que não está contemplada é a fase azul, segundo a Diocese, pretende-se analisar como será a recepção destas orientações, para deliberar novas propostas de acordo com os processos de flexibilização. As propostas são para as cidades nas quais os decretos municipais não deliberaram sobre o segmento religioso.

"O momento é muito delicado, cada realidade tem exigido uma maneira diferente de ação. O que fizemos foi reunir em um manual algumas orientações que julgamos importantes para assegurar a vida de nossos fiéis que desejam receber o Sacramento da Eucaristia" - explicou padre Robson Caramano, assessor de comunicação e imprensa da Diocese.

Segundo a proposta, a missa com a participação dos fieis é orientada a começar após 28 dias em que o município estiver na fase amarela do Plano São Paulo. Com redução de 30% da capacidade do templo, as orientações preveem desde o cumprimento dos protocolos sanitários até a maneira que os fiéis devem manipular a máscara para receberem a comunhão.

SÃO CARLOS/SP - Hoje (22), é dia de Santa Rita de Cássia a “Santa dos Impossíveis”, porém devido a pandemia a tradicional missa presencial dos fiéis não será possível.

Pensando nisso, o padre José Edmilson, da Paróquia São José, em São Carlos realiza hoje às 16h, uma celebração online pelo facebook e no You Tube da paróquia.

Para você participar basta clicar no link abaixo que você estará as páginas da paróquia, aí é só procurar a transmissão ao vivo às 16h. Haverá a benção virtual das rosas. Não Perca!

LINK:PÁGINA PARÓQUIA SÃO JOSÉ 

SANTA RITA DE CÁSSIA

Nasceu na Itália, em Cássia, no ano de 1381. Seu grande desejo era consagrar-se à vida religiosa. Mas, segundo os costumes de seu tempo, ela foi entregue em matrimônio para Paulo Ferdinando.

Tiveram dois filhos, e ela buscou educá-los na fé e no amor. Porém, eles foram influenciados pelo pai que, antes de se casar, se apresentava com uma boa índole mas depois se mostrou fanfarrão, traidor, entregue aos vícios, e seus filhos o acompanharam.

Rita, então, chorava, orava, intercedia e sempre dava bom exemplo a eles. E passou por um grande sofrimento ao ter o marido assassinado e, depois, ao descobrir que os dois filhos pensavam em vingar a morte do pai. Com um amor heroico por suas almas, ela suplicou a Deus que os levasse antes que cometessem esse grave pecado. Pouco tempo mais tarde, os dois rapazes morreram depois de preparar-se para o encontro com Deus.

Sem o marido e filhos, Santa Rita entregou-se à oração, penitência e obras de caridade e tentou ser admitida no Convento Agostiniano em Cássia, fato que foi recusado no início. No entanto, ela não desistiu e manteve-se em oração, pedindo a intercessão de seus três santos patronos – São João Batista, Santo Agostinho e São Nicolas de Tolentino – e milagrosamente foi aceita no convento. Isso aconteceu por volta de 1441.

Seu refúgio era Jesus Cristo. A santa de hoje viveu os impossíveis de sua vida se refugiando no Senhor. Rita quis ser religiosa. Já era uma esposa santa, tornou-se uma viúva santa e depois uma religiosa exemplar. Ela recebeu um estigma na testa, que a fez sofrer muito devido à humilhação que sentia, pois cheirava mal e incomodava os outros. Por isso teve que viver resguardada.

Morreu com 76 anos, após uma dura enfermidade que a fez padecer por 4 anos. Hoje ela intercede pelos impossíveis de nossa vida, pois é conhecida como a “Santa dos Impossíveis”.

 

SÃO CARLOS/SP - Dom Eduardo Malaspina, Bispo Auxiliar da Diocese de São Carlos, vai completar nesta sexta – feira (1), dois anos de sua ordenação episcopal.

Nomeado pelo Papa Francisco no dia 07 de março de 2018, foi ordenado em 01 de maio de 2018, pelas mãos de Dom Paulo Cezar Costa, Bispo Diocesano de São Carlos.

“Para edificar o Corpo de Cristo” é o lema episcopal de Dom Eduardo Malaspina.

É para comemorar esses dois anos, será celebrada uma missa às 11h45 na Capela Episcopal Nossa Senhora das Graças. Os fiéis são convidados a acompanhar a solene celebração eucarística pela página oficial da Diocese de São Carlos, e de Dom Eduardo Malaspina, e ainda pela Rádio Diocesana SDS FM 93,3.

 

 

*Por: Sidney Prado

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Maio 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31            
Propagandas gratuitas right 2