fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos informa neste domingo (10/05) a situação epidemiológica do município para a COVID-19. São Carlos continua com 40 casos positivos para a doença, com 3 mortes confirmadas e ainda duas mortes suspeitas em investigação. 19 óbitos já foram descartados até o momento. Dos 40 casos positivos, 27 pessoas apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 13 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19: 9 receberam alta hospitalar, 1 caso positivo continua internado em UTI, 3 casos foram a óbito. 521 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus, já que hoje foram liberados outros 2 resultados negativos para a doença. Estão internadas neste momento com suspeita de COVID-19, 15 pessoas, sendo 11 adultos na enfermaria, 1 criança em enfermaria, 2 adultos em UTI e 1 criança em UTI. Dois pacientes de São Carlos continuam internados em UTI em hospital de outro município tiveram resultado negativo para a COVID-19.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 2.155 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 1.808 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 347 ainda continuam em isolamento. Já foram feitos 90 testes do tipo PCR em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). Até o momento 72 tiveram resultado negativo para COVID-19, 9 apresentaram resultado positivo (todos esses resultados positivos já estão contabilizados no total de 40 casos). 9 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

MUNDO - Depois um de um longo período com umas das medidas mais rígidas de isolamento social na Europa, a Espanha começa a dar os primeiros passos rumo à normalidade. Neste sábado, o número de mortos pelo novo coronavírus no país registrou o segundo nível mais baixo desde meados de março. Foram 179 óbitos, frente os 229 registrados no dia anterior. Números bem abaixo dos mais de 900 mortos diários divulgados no início de abril. A boa notícia chega num momento em que metade do país se prepara para passar à próxima fase de saída do lockdown imposto pelo governo.

Nesta semana, a Espanha começou a afrouxar as regras de confinamento social, mas a Fase 1 desse processo incluirá um considerável alívio das medidas restritivas de circulação. As pessoas poderão se deslocar por sua província, participar de pequenos shows e ir aos teatros. Serão permitidas reuniões de até dez pessoas. A estimativa é que cerca de 51% da população já progredirá para essa primeira fase da flexibilização, que terá quatro etapas, nesta segunda-feira. As cidades de Madri e Barcelona não estão incluídas neste processo e terão que aguardar mais uma nova etapa. O governo espanhol já havia liberado desde o dia 2 de maio passeios e atividades físicas ao ar livre.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, fez um discurso televisionado neste sábado, em que ressaltou a novo momento vivido pelo país, após registra o quarto maior número de mortes em todo o mundo – só atrás da Itália, Reino Unido e Estados Unidos, respectivamente. “conseguimos recuperar 99% da área perdida pelo vírus”, disse o primeiro-ministro. Sánchez, no entanto, alertou as pessoas que estão passando para a Fase 1 para serem “prudentes” e “cautelosas”. O estado de emergência havia sido imposto no país no dia 14 de março e experimentou diversas prorrogações no período de quarentena rígida. A Espanha registra até hoje 26.478 mortes pela Covid-19 e 223.578 casos de pessoas contaminadas.

 

 

*Por: VEJA.com

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos informa neste sábado (09/05) a situação epidemiológica do município para a COVID-19. São Carlos contabiliza hoje 40 casos positivos para a doença, com 3 mortes confirmadas e ainda duas mortes suspeitas em investigação. 19 óbitos já foram descartados até o momento. Dos 40 casos positivos, 27 pessoas apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 13 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19: 8 receberam alta hospitalar, 2 casos positivos estão internados, sendo 1 em UTI e 1 em enfermaria, 3 casos foram a óbito 519 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus, já que hoje foram liberados outros 9 resultados negativos para a doença. Estão internadas neste momento com suspeita de COVID-19, 15 pessoas, sendo 9 adultos na enfermaria, 1 criança em enfermaria, 4 adultos em UTI e 1 criança em UTI. Dois pacientes de São Carlos continuam internados em UTI em hospital de outro município.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 2.130 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 1.768 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 362 ainda continuam em isolamento. Já foram feitos 90 testes do tipo PCR em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). Até o momento 72 tiveram resultado negativo para COVID-19, 9 apresentaram resultado positivo, sendo que 2 resultados positivos saíram hoje (todos esses resultados positivos já estão contabilizados no total de 40 casos). 9 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

Verba parlamentar foi um pedido de Marília Rinaldo do partido Podemos, feito ao Deputado Estadual Gil Diniz, que esteve em São Carlos nesta sexta-feira (8)

 

SÃO CARLOS/SP - O Deputado Estadual Gil Diniz (PSL) esteve nesta sexta-feira (8) em São Carlos e anunciou a liberação da verba parlamentar no valor de R$5 milhões em equipamentos para a Santa Casa de Misericórdia da cidade.

Os equipamentos, que incluem 100 mil testes sorológicos, 105 ventiladores mecânicos, 1254 frascos de álcool em gel e 200 mil máscaras descartáveis, somam 21 itens de materiais básicos e extremamente necessários para o atendimento e assistência dos pacientes durante a pandemia de Covid-19.

A conquista é resultado de um pedido feito pela administradora de empresas, Marília Rinaldo, do partido Podemos. “Quando me vi nessa situação de pandemia e comecei a ver a situação de São Carlos, pensei nas amizades e nas influências que eu tenho e resolvi agir pedindo ajuda. É um pequeno ato de uma cidadã são-carlense engajada politicamente”.

Acompanhado por Marília, pelo presidente do Podemos São Carlos, Acenir Magalhães e pelo vice-presidente Antonio Sasso, o deputado foi recebido na tarde desta sexta-feira (8) pelo provedor da Santa Casa, Antonio Valério Morillas Júnior, que agradeceu e enalteceu a importância da doação. "A visita do Deputado é muito importante, pois vai nos proporcionar recursos para a Santa Casa. Neste momento, toda ajuda é muito bem-vinda. Agradecemos o apoio".

Para o Podemos São Carlos o momento de pandemia que o Brasil está enfrentando exige mudança na postura e união política. “Marília teve uma ação espontânea e voluntária que com um grande senso de cidadania, boa vontade e dinamismo se colocou a serviço da população e mesmo sendo de outro grupo político conseguiu a liberação desse valor em equipamentos, que irá contribuir essencialmente no atendimento e assistência dos pacientes durante a pandemia de Covid-19 em São Carlos. Agradecemos muito o Deputado  Gil Diniz pela ajuda. A saúde de São Carlos em primeiro lugar”, declarou Antonio Sasso.

 

SÂO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos informa nesta sexta-feira (08/05) a situação epidemiológica do município para a COVID-19. São Carlos contabiliza 38 casos positivos para a doença, com 3 mortes confirmadas e ainda duas mortes suspeitas em investigação. 19 óbitos já foram descartados até o momento. Dos 38 casos positivos, 25 pessoas apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 13 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 8 receberam alta hospitalar, 2 casos positivos estão internados, sendo 1 em UTI e 1 em enfermaria, 3 casos foram a óbito. 510 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus, já que hoje foram liberados outros 12 resultados negativos para a doença. Estão internadas neste momento com suspeita de COVID-19, 12 pessoas, sendo 7 adultos na enfermaria, 1 criança em enfermaria, 3 adultos em UTI e 1 criança em UTI. Dois pacientes de São Carlos continuam internados em UTI em hospital de outro município.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 2.113 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 1.720 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 393 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes PCR em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 90 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 65 tiveram resultado negativo para COVID-19, até agora 7 apresentaram resultado positivo, sendo que 2 resultados positivos saíram hoje (todos esses resultados positivos já estão contabilizados no total de 38 casos). 18 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

SÃO CARLOS/SP - A Prefeitura de São Carlos publica no Diário Oficial do Município deste sábado (9/5), novo decreto prorrogando a quarenta no município até o próximo dia 19 de maio. Portanto as medidas temporárias de prevenção à disseminação do coronavírus (COVID-19) permanecem, entre elas o fechamento do comércio local, de serviços de alimentação de consumo no interior do local, restaurantes, lanchonetes, bares, academias, cinemas, clubes de lazer, casas de festas, boates, buffets em geral, shopping centers, cultos e celebrações religiosas, bem como a realização de feiras livres.
A suspensão de eventos municipais, como reuniões, inaugurações e palestras realizadas pela Administração Pública e setor privado também continuam suspensas até 19 de maio. Nenhum alvará está sendo emitido desde 16 de março para realização de eventos artísticos, culturais, políticos, científicos, comerciais, religiosos ou esportivos.


A flexibilização das medidas serão reavaliadas somente após esses 10 dias de prorrogação, porém se a curva epidemiológica do município mostrar um aumento no número de casos positivos, de óbitos ou risco de colapso no sistema de saúde, o município seguirá o Governo do Estado com suspensão da flexibilização da quarentena até 31 de maio. No momento São Carlos contabiliza 38 casos positivos para a doença, com 3 mortes confirmadas e ainda duas mortes suspeitas em investigação.
O novo decreto também estabelece que o funcionalismo público municipal retorne as atividades a partir de 19 de maio, com escalonamento do horário de expediente. Os serviços prioritários nunca foram paralisados e os servidores que fazem parte do Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus continuam exercendo as funções normalmente. A suspensão do expediente nas repartições municipais teve início em 20 de março, data em foi determinado o fechamento do comércio em geral.
As aglomerações continuam proibidas e o uso de máscaras obrigatório nos estabelecimentos que executem atividades comerciais, corporativas e congêneres, com fiscalização da Força Tarefa, formada por integrantes da Guarda Municipal, Polícia Militar, Departamento de Fiscalização da Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano e Vigilância Sanitária.


Os radares móveis e o sistema de estacionamento rotativo (área azul) ficarão suspensos até 19 de maio e as novas regras dos cemitérios permanecem em vigor.
As aulas na rede municipal de ensino  continuam suspensas. O município possui 60 unidades escolares, sendo 10 Escolas Municipais de Educação Básica (EMEBs), 49 Centros Municipais de Educação Infantil (CEMEIs) e 1 Escola Municipal de Educação de Jovens e Adultos (EMEJA).

SÃO CARLOS/SP - Com o comércio fechado desde o dia 20 de março, após a prefeitura decretar o fechamento de estabelecimentos comerciais que não oferecem produto/serviço essenciais, os proprietários tem passado apertado para manter seus funcionários e até mesmo seus negócios.

Nesta sexta-feira (8) o governador de São Paulo, João Dória, decretou prorrogação da quarentena até o dia 31 de maio, o que consequentemente será seguido por São Carlos, fazendo com que o comércio continue fechado, e qual a consequência? A dispensa e até o fechamento de diversos comércios.

A Brooks hamburgueria em São Carlos colocou um cartaz em sua vitrine que reflete a situação do comércio da cidade. No cartaz a seguinte mensagem: "Aqui o governo João Dória desempregou 9 pessoas até o momento". Pelo motivo de estar atendendo por delivery, fica inviável para o proprietário manter todos os funcionários.

A Rádio Sanca também recebeu a informação de que outros estabelecimentos já despediram diversos funcionários, pois com o comércio fechado, não tem faturamento o suficiente para mantê-los o que pode resultar em fechamento da maioria das lojas da cidade de São Carlos

O que a prefeitura de São Carlos pode fazer para ajudar os comerciantes? Fica o questionamento, pois, se continuar com o comercio fechado, muitos comerciantes terão que abaixar suas portas definitivamente, resultando em desemprego em massa da população saocarlense, que hoje trabalha no comércio e levando a economia da cidade para uma grande crise.

SÃO PAULO/SP - O governador João Doria (PSDB) prorrogou a quarentena em todo o estado de São Paulo até o dia 31 de maio. O anúncio foi feito no início da tarde desta sexta-feira (8) em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, na Zona Sul da capital paulista.

"Teremos que prorrogar a quarentena até o dia 31 de maio. Queremos, sim, em breve juntos poder anunciar a retomada gradual da economia como, aliás, está previsto no Plano São Paulo. A experiência de outros países, e nós temos utilizado essas experiências aqui, mostra claramente o colapso da saúde e, quando isso acontece, paralisa tudo", disse Doria.

Doria defendeu que a flexibilização da quarentena, neste momento, prejudicaria o sistema de saúde e a recuperação econômica.

"Na região metropolitana um aumento de 760% em apenas 30 dias. Em um mês, 760%. Estamos todos atravessando o pior momento desta pandemia. Só não reconhece, vê, percebe, aqueles que estão cegos pelo ódio ou pela ambição pessoal. Autorizar o relaxamento agora seria colocar em risco milhares de vidas, o sistema de saúde e, por óbvio, a recuperação econômica", afirmou.

Com a decisão, permanecem autorizados a funcionar apenas serviços essenciais. A ampliação do isolamento se deve ao aumento do número de casos e mortes em razão do coronavírus.

Atualmente, o estado tem 3.206 mortes pela doença e a taxa de isolamento social se manteve em 47% na quarta-feira (6), considerada abaixo do ideal para diminuir a velocidade de contágio.

"O medo é o pior conselheiro da economia, prejudica o consumo, afugenta investimentos e ataca os empregos. A quarentena, felizmente, está salvando vidas em São Paulo e em outros estados brasileiros. Pessoas que poderia ter adoecido e falecido estão em vida e agradecendo por estarem vivendo e convivendo com seus familiares e desfrutando ainda a vida", defendeu o jovernador nesta tarde.

O governo buscava entre 50% e 60% para iniciar a flexibilização da quarentena, mas as autoridades de saúde apontam que a taxa ideal seria de 70%. O estado nunca chegou ao valor ideal, sendo as maiores taxas de 59% sendo registradas apenas em domingos.

Nas últimas 24 horas, dez novas cidades do estado registraram casos de coronavírus. A propagação cresce quatro vezes mais rapidamente nas cidades do interior e do litoral do que na Grande São Paulo, segundo dados do governo.

A administração estadual acredita que até o final de maio todas as 645 cidades do estado terão casos confirmados da doença.

Luto oficial

Na quarta (6), Doria decretou luto oficial em todo o estado de São Paulo após o número de mortes ultrapassar três mil.

Desde o início da pandemia, o estado de São Paulo se mantém no epicentro da doença no país. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o distanciamento ainda é a medida mais eficaz para evitar a propagação da Covid-19.

Em 22 de abril, Doria chegou a anunciar a reabertura gradual da economia no estado a partir de 11 de maio e afirmou que os detalhes só seriam divulgados no dia 8 de maio.

A decisão de manter a quarentena foi balizada pelo Centro de Contingência da Covid-19, que é liderado pelo infectologista David Uip.

De acordo com balanço divulgado nesta quinta (7), as Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) do estado de São Paulo operam com taxa de ocupação de 66,9%.

Na Grande São Paulo, a lotação é ainda maior: 89,6% dos leitos deste tipo estão ocupados na região metropolitana, segundo dados oficiais divulgados nesta quinta. Na quarta-feira (6), a ocupação era de 86,7%.

Parâmetros

Em coletivas mais recentes, o governador disse que não iria flexibilizar se as cidades que não atingissem o índice mínimo de 50% (o ideal é 70%), outro dado utilizado para analisar que cidades poderiam ter condições de reabrir o comércio e outras atividades econômicas não essenciais. Na quarta-feira (6), a taxa de isolamento social no estado e na capital estavam em 47%.

E poucas cidades conseguiram manter uma média acima do índice mínimo exigido. São Sebastião e Ubatuba, no litoral, estariam nesse grupo.

A um dia do anúncio previsto nesta sexta sobre quais cidades poderiam flexibilizar a quarentena no estado, o governo paulista classificou o risco de contágio pelo coronavírus como grave e preocupante nas regiões da Grande São Paulo, Campinas, no interior, e Baixada Santista, no litoral.

A medida de flexibilização do isolamento social devido ao coronavírus deve ser feita em etapas, com autorizações específicas para cada região do estado, de acordo com o avanço da doença.

“Todas as regiões tiveram situações crescentes. Algumas regiões têm situações mais graves, como a Baixada Santista, Campinas, Região metropolitana de São Paulo. Há uma preocupação muito grande com esses números”, diz o secretário Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, na quinta-feira ao G1.

A região metropolitana de São Paulo tem 39 cidades, a Baixada Santista, 9, e a região de Campinas, 24.

Os “números” a que o titular da pasta do Desenvolvimento se referiu são dados estatísticos que poderiam indicar se os municípios dessas três regiões têm condições de relaxar o isolamento social e, dessa maneira, poder reabrir gradualmente o comércio local e outras atividades econômicas.

Ao todo, o estado possui 15 regiões metropolitanas. Cada região tem um número diferente de municípios em torno de uma cidade maior.

Interior de SP

Além de São Paulo, Campinas e Baixada Santista, outras regiões do estado também merecem atenção do governo, segundo Vinholi.

“O que apresentou para nós a semana inteira são dados impactantes em todo interior do estado também”, afirma o secretário sobre o aumento dos óbitos e de doentes. “Com essa aceleração nós identificamos um momento de alerta para todo estado”.

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento, mais de 370 cidades do estado têm casos de coronavírus e aproximadamente 170 delas registraram mortes pela doença.

“A cada três dias nós temos 38 novos municípios sendo afetados. Chegando no fim do mês com todos os municípios afetados com casos”, projeta Vinholi.

 

 

*Por: Kleber Tomaz e Lívia Machado, G1 SP

MUNDO - É um efeito colateral do fechamento de bares e restaurantes dentro das medidas de quarentena impostas pelo governo francês para barrar a propagação do novo coronavírus. Ao menos 10 milhões de litros de cerveja serão jogados fora por que não poderão ser consumidos a tempo.

“O fechamento brutal de cafés, restaurantes, a proibição de atividades turísticas e o cancelamento de todos os festivais e salões deixaram mais de 10 milhões de litros de cerveja, majoritariamente em barris, parados”, afirma um comunicado do Sindicato Nacional dos Produtores de Cerveja da França.

Segundo as cervejarias, a principal razão é que a bebida na moda neste momento não é pasteurizada, ao contrário das cervejas clássicas. Mais frágeis, as cervejas artesanais podem ser conservadas durante um período menor.

“São cervejas que contêm muito lúpulo. Se as guardarmos durante muito tempo, durante mais de dois ou três meses, o cheiro, gosto e aroma desaparecem”, salienta o Sindicato Nacional dos Produtores de Cerveja da França.

Ajuda para destruição dos estoques

A categoria afirma que a destruição dos estoques terá graves consequências para as empresas. Por isso, o sindicato pede ajuda do governo, não apenas para que o setor se mantenha, mas também no apoio logístico para o descarte do produto.

Se os 10 milhões de litros da bebida podem parecer pouco diante de uma produção de 2,25 bilhões de hectolitros em 2020, são vários milhões de euros que estão em jogo para os produtores, muitos financeiramente frágeis.

“Sem a ajuda do governo, centenas de cervejarias correm o risco de fechar definitivamente, colocando em risco milhares de empregos, direta ou indiretamente: uma verdadeira perda de uma rica tradição na França”, afirma Mattias Fekl, presidente da União dos Produtores de Cerveja da França, em entrevista ao canal BFM TV.

Segundo uma pesquisa recente, cerca de 25% dos produtores de cerveja da França tiveram que parar suas atividades. “70% das cervejarias declaram uma perda de 50% ou mais de seu volume de negócios desde 15 de março”, afirma o levantamento da União dos Produtores de Cerveja da França, que analisou o funcionamento de 300 sócios.

 

 

*Por: RFI

SÃO CARLOS/SP - Após a publicação do Decreto Municipal 182 na edição 1560 do Diário Oficial, que dispõe sobre o uso de máscaras de proteção facial no município a partir do dia 12 de maio, a Prefeitura de São Carlos, por meio da Guarda Municipal, Polícia Militar, Defesa Civil, PROCON e Vigilância Sanitária, realizou uma operação nesta quinta-feira (7/5), em diversas regiões da cidade sobre a conscientização e uso correto desse equipamento de proteção contra o novo coronavírus.

As equipes saíram do Tiro de Guerra e iniciaram as abordagens pela região central, especificamente nas filas dos bancos. Apesar do grande número de pessoas esperando pelo atendimento bancário, a maioria já estava usando máscaras.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Samir Gardini, o decreto municipal é uma prerrogativa das Prefeituras, não gerando conflito com o decreto estadual.

“O decreto estadual determina que a partir dessa quinta-feira (7) o uso obrigatório, mas deixou para os municípios a forma de fiscalização e a regulamentação, portanto em São Carlos estabelecemos que o uso será obrigatório nos estabelecimentos que executem atividades comerciais, corporativas e congêneres e para a população em geral recomendamos o uso. A fiscalização só começa no próximo dia 12, nenhum fiscal do estado vai fazer fiscalização em São Carlos, somente nós da Prefeitura e até lá estaremos nas ruas orientando as pessoas”.

Gardini esclareceu, ainda, que os estabelecimentos são obrigados a oferecer a máscaras para os funcionários e exigir que o consumidor também utilize o equipamento quando entrar no estabelecimento. “Quem vai sair de casa para ir ao supermercado, farmácia, açougue, padaria, enfim onde é permitido o funcionamento, já deve sair de casa de máscara. Agora estabelecer multa para a população em geral é difícil, a maioria das pessoas perderam renda, estão sem emprego e o poder público vai exigir e multar. Entendemos que a melhor forma é orientar e encontrar uma maneira de fazer a distribuição de máscaras para as pessoas que não tem condições de comprar. Mas reforço que o isolamento ainda é melhor forma de prevenção. Fique em casa, se precisar sair, use a máscara”, finalizou o secretário.

Para Fernanda Cereda, supervisora da Vigilância Sanitária, o importante é também orientar quanto ao uso correto da máscara e como deve ser feita a higienização.

“Para ser eficiente como uma barreira física, a máscara caseira precisa seguir algumas especificações. É preciso que a máscara tenha pelo menos duas camadas de pano, o tecido recomendado pela OMS é algodão ou tricoline. O importante é que a máscara cubra totalmente a boca e nariz e que esteja bem ajustada ao rosto. Mas ela tem que ser lavada pelo próprio indivíduo para que se possa manter o autocuidado. Se ficar úmida, tem que ser trocada. Pode lavar com sabão e água sanitária, deixando de molho por cerca de 30 minutos. E nunca compartilhar, porque o uso é individual”, alerta a supervisora da Vigilância Sanitária.

“Estamos visitando os estabelecimentos e alertando sobre o novo decreto. Neste primeiro dia percebemos que a maioria das pessoas, tanto a população em geral como trabalhadores, já estão usando máscaras. Quanto aos trabalhadores isso é uma obrigação do proprietário do estabelecimento oferecer o EPI para seus funcionários e vai caber a eles deixar ou não um consumidor entrar no local sem a proteção. Mas lembramos que as demais medidas continuam em vigência como o uso do álcool em gel, o controle do número de pessoas dentro do local e a organização e distanciamento em filas na parte externa do estabelecimento”, alerta a Juliana Cortes, diretora do PROCON São Carlos.

Durante toda o dia as equipes se dividiram e visitaram supermercados, farmácias, padarias, açougues, lojas em geral que estão dentro do decreto que estabelece os serviços essenciais. A operação continua nesta sexta-feira (8/4).

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30