fbpx

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim
 

TÓQUIO - A seleção brasileira manteve a invencibilidade no torneio feminino de vôlei das Olimpíadas de Tóquio. No jogo disputado neste sábado (31), a vitória contra a Sérvia veio por 3 a 1, com parciais de 25-20, 25-16, 23-25 e 25-19.

Em seu desafio mais difícil até o momento, a seleção brasileira começou bem. Substituta de Macris, Roberta variava as jogadas do Brasil. O time também foi beneficiado pelos seguidos erros da Sérvia para fechar em 25 a 20 o 1º set.

No 2° set, o Brasil manteve a agressividade. A Sérvia não conseguia encaixar o passe e tinha dificuldade no ataque. Com isso, o Brasil não teve dificuldade para fechar em 25 a 16.

A Sérvia melhorou no 3° set, comandando o placar. Apesar de não conseguir deslanchar, acabou fechando o set em 25 a 23.

No 4° set, o Brasil retomou o controle do jogo. O passe sérvio voltou a falhar e com um ataque desperdiçado pelo time europeu, o Brasil fechou o jogo.

Continua depois da publicidade

Na próxima segunda-feira (2), o Brasil fecha participação no Grupo A contra o Quênia, às 9h45 (de Brasília).

 

 

*Por: FOLHA

TÓQUIO - A seleção brasileira de futebol feminino deu adeus à Olimpíada de Tóquio (Japão) na manhã desta sexta-feira (30). As brasileiras foram eliminadas pelo Canadá por 4 a 3 nas cobranças de pênaltis, após o tempo regulamentar terminar empatado de 0 a 0. A partida válida pelas quartas de final foi disputada no estádio de Miyagi, na cidade de Rifu.

Marcaram para o Brasil, Marta, Debinha e Érika. Já pelo Canadá, Fleming, Lawrence, Leon e Gilles converteram. A dupla Andressa Alves e Rafaelle desperdiçou suas cobranças, assim como a canadense Sinclair não conseguiu balançar a rede.

No primeiro foram poucas oportunidades de gol. O Brasil chegou ao ataque com perigo pela primeira vez aos 14 minutos em chute da lateral-esquerda Tamiris por cima da baliza adversária. Aos 24, foi a vez do Canadá arriscar em chute rasteiro da meio-campista Fleming à esquerda da goleira Bárbara. A primeira etapa prosseguiu com muita luta das duas equipes, mas pouca criatividade.

Na etapa final, brasileiras e canadenses continuaram com atuações equilibradas. Aos 13, a equipe comandada por Pia Sundhage sofreu susto em cabeçada de Bruna Benites no travessão. Aos 25, a brasileira Debinha respondeu em chute cruzado da entrada da grande área, provocando a defesa da goleira Labbé. No finalzinho, o Canadá ensaiou uma pressão, entretanto não transformou domínio em chance de gol.

Continua depois da publicidade

Prorrogação

Após os 90 minutos, a prorrogação começou com os dois times cansados e precavidos, já que um gol nesta altura do confronto poderia ser decisivo. Levando em consideração esta situação, o primeiro tempo foi de muita luta, mas com pouca exposição de ambas as equipes.

Na segunda etapa, as canadenses assustaram com o chute cruzado de Leon com menos de um minuto. A bola saiu à direita da baliza de Bárbara. O Brasil respondeu com perigo aos 7 em um chute da atacante Debinha, da entrada da grande área, que passou próximo à trave direita de Labbé. Na sequência, a seleção verde-amarela pressionou e aos 12 quase inaugurou o marcador em cabeçada da zagueira Érika, obrigando intervenção de Labbé.

 

 

*Por Rafael Monteiro - Repórter da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

TÓQUIO - A seleção brasileira venceu o Japão pelo Grupo A do torneio feminino de vôlei por 3 sets a 0 (16-25, 18-25 e 24-26). Com o resultado desta quinta-feira (29), o Brasil segue na segunda posição da tabela do Grupo A, atrás apenas da Sérvia. Gabi e Fê Garay foram as maiores pontuadoras da seleção.

Apesar da vitória, uma preocupação: no terceiro set, Macris saiu de quadra chorando muito após sentir o tornozelo direito. Ela foi carregada para fora de quadra e atendida pelo médico da seleção e teve que colocar gelo no pé, o que desequilibrou a equipe em quadra.

O Brasil iniciou a partida com um ritmo muito forte em quadra. A equipe viu Tandara um pouco apagada, mas Gabi assumiu a liderança nos pontos e colocou o Brasil na frente. As japonesas foram pouco combativas. O Brasil chegou a desperdiçar três set points, mas ainda assim conquistou o primeiro set.

Na segunda etapa, o roteiro foi parecido. Apesar de a equipe do Japão conseguir manter a partida um pouco mais equilibrada no início, o Brasil logo voltou a abrir a vantagem.

O Japão tinha uma última chance de tentar se recuperar na partida. A equipe entrou mais agressiva no terceiro set e chegou a ficar à frente no placar.

Continua depois da publicidade

Após a lesão de Macris, a seleção se desestabilizou, e Natalia precisou assumir uma posição de liderança para estimular o time no jogo. Sob a liderança dela, de Carol Gattaz e de Fernanda Garay, a equipe brasileira conquistou a vitória.

 

 

*Por: FOLHA

JAPÃO - O Brasil foi superado pela Espanha por 27 a 23, nesta quinta-feira (28) no Ginásio Nacional Yoyogi, em jogo válido pela 3ª rodada do Grupo B do torneio de handebol feminino na Olimpíada de Tóquio (Japão).

 

Essa foi a primeira derrota da equipe comandada pelo técnico Jorge Dueñas, que empatou em 24 a 24 na estreia com o Comitê Olímpico Russo e venceu a Hungria por 33 a 27 na rodada seguinte.

No duelo desta quarta, o primeiro tempo acabou empatado com o placar de 13 a 13. Após um bom início de jogo, quando a equipe verde e amarela chegou a abrir até quatro gols de vantagem, o time nacional acabou se perdendo na partida e só conseguiu igualar a parcial no último lance da etapa com um belo gol de Lari.

Só que na etapa final, as espanholas foram muito superiores e, com uma atuação espetacular da goleira Navarro, de 42 anos, controlaram a partida para fechar em 27 a 23. O grupo do Brasil, além do Comitê Russo, da Espanha e da Hungria, conta com França e Suécia. No Grupo A estão a campeã mundial Holanda, Montenegro, Noruega, Japão, Coreia do Sul e Angola.

Continua depois da publicidade

Na próxima rodada, o Brasil pega a Suécia na madrugada do próximo sábado (31), a partir das 04h15 (horário de Brasília).

 

 

*Por Juliano Justo - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

TÓQUIO - Rumo ao bicampeonato, a seleção olímpica brasileira se classificou às quartas de final nos Jogos de Tóquio (Japão) em primeiro lugar no Grupo D.  A liderança foi definida após o Brasil vencer a Arábia Saudita por 3 a 1 no estádio de Saitama, na cidade de japones de mesmo nome.

Invicto, com sete pontos, os brasileiros aguardam o adversário da próxima fase: será o segundo colocado do Grupo C, composto por Espanha, Austrália, Argentina e Egito.

Independente do adversário, a Seleção Brasileira volta a campo no sábado (31), às 7h (horário de Brasília), também no estádio de Saitama.

Já a Arábia Saudita, que jogou com o Brasil, deu adeus aos Jogos sem pontuar, na lanterna do grupo. Além disso, medalhista de prata na Rio-2016, a Alemanha foi eliminada do grupo após empatar com a Costa do Marfim por 1 a 1, encerrando sua participação na terceira posição. Os africanos avançaram na vice-liderança.

Jogo

A equipe comandada pelo técnico André Jardine tomou a iniciativa em busca do gol. Aos 15 minutos, o meio campista Claudinho cobrou escanteio na cabeça do atacante Matheus Cunha, que empurrou para o fundo da rede.

Entretanto, aos 26, os sauditas reagiram. O zagueiro Al Amri, também de cabeça, deslocou a bola do goleiro Santos, que não conseguiu evitar o gol. Na sequência, até o intervalo, os brasileiros se esforçaram para desempatar, mas sem sucesso.

Após o intervalo, aos 20 minutos, Matheus Cunha quase marcou o segundo: acertou a trave do goleiro Al Bukhari. Dez minutos depois, aos 20, foi Richarlison que desempatou: o atacante se antecipou a Al Bukhari, e anotou o segundo do Brasil no jogo.

Ainda teve tempo para o terceiro do Brasil Nos acréscimos, aos 47, de novo Richarlison recebeu passe rasteiro do atacante Malcom, e fechou o placar. da vitória por 3 a 1 da seleção.

Continua depois da publicidade

Com cinco gols marcados na Olimpíada, Richarlison se tornou o artilheiro da competição. Além dos dois gols marcados hoje, ele já havia feito três na estreia contra a Alemanha.

 

 

*Por Rafael Monteiro - Repórter da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

JAPÃO - Em busca do bicampeonato, a Seleção Brasileira venceu a Alemanha nesta quinta-feira (22) por 4 a 2 no duelo de estreia na Olimpíada de Tóquio (Japão). Triunfo com direito a hat-trick do atacante Richarlison, que marcou os três primeiros gols na etapa incial da partida, válida pelo Grupo D, no Estádio de Yokohama, na cidade de mesmo nome, na povíncia de Kanagawa.

No primeiro tempo, destaque para Richarlison, com atuação impecável. Logo ao seis minutos, ele chutou forte, o goleiro Müller espalmou e, na sequência, o pombo estufou a rede adversária. O segundo dele foi aos 21. Desta vez, o camisa 10 aproveitou o cruzamento do lateral-esquerdo Guilherme Arana, marcando de cabeça. Oito minutos depois, aos 29, Richarlison ampliou em batida cruzada, indefensável para Müller.

O Brasil ainda teve chance de sair com uma vantagem ainda maior. Aos 45 minutos, após cabeçada do atacante Matheus Cunha, a bola bateu no braço de Henrichs, o que foi considerado pênalti para o árbitro Ivan Barton (El Salvador). O próprio atacante bateu, mas não foi feliz, já que o goleiro alemão defendeu.

Após o intervalo, a Alemanha ensaiou reação. Aos 11, o meio-campista Amiri chutou de fora da área e o goleiro Santos não defendeu. O quique da bola antes de chegar em Santos, dificultou a defesa. Porém, a expulsão do volante Arnold, por causa de uma falta em Daniel Alves aos 17, deixou a missão alemã mais complicada.

Mas mesmo com um jogador a menos, aos 38, o atacante Ache, de cabeça, diminuiu o marcador. Os Brasileiros conseguiram eliminar a possibilidade de empate somente nos acréscimos. Aos 48, o atacante Paulinho invadiu a grande área e bateu forte no canto direito, fechando o placar. Final de jogo: Brasil 4, Alemanha 2.

Continua depois da publicidade

O próximo compromisso da seleção brasileira será no domingo (25) contra a Costa do Marfim. O duelo será realizado no Estádio de Yokohama, às 5h30 (horário de Brasília). A equipe africana também entrou em campo hoje (22) e derrotou a Arábia Saudita por 2 a 1, no Estádio de Yokohama.

 

 

*Por Rafael Monteiro - Repórter da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

BRASÍLIA/DF - Após 17 dias de preparação em Portland (Estados Unidos), a seleção feminina de futebol embarca nesta quinta-feira (15) para o Japão. A delegação que disputará a Olimpíada de Tóquio embarca às 10h do horário local (14h de Brasília) com previsão de chegada na capital japonesa às 2h (de Brasília) de sexta-feira (16). O último treino em território norte-americano foi realizado nesta quarta-feira (14).

O voo a partir de Portland tem duração prevista de 12 horas, com escala para abastecimento em Anchorage, no estado norte-americano do Alasca. O grupo fica em Tóquio até sábado (17), quando viaja para Sendai, metrópole vizinha a Rifu, cidade que receberá os dois primeiros jogos da seleção na fase de grupos. Na próxima quarta-feira (21), as brasileiras estreiam na Olimpíada contra a China, no estádio Miyagi, às 5h. Três dias depois, às 8h, as adversárias serão as holandesas, no mesmo local.

A equipe dirigida por Pia Sundhage retorna a Tóquio no dia 25, onde ficará hospedada até o último duelo da primeira fase, às 8h30, contra a Zâmbia, na cidade de Saitama. A partir daí, os destinos serão definidos conforme a classificação da seleção. As brasileiras podem permanecer em Saitama, voltar a Rifu ou seguir para Yokohama.

A delegação iniciou os treinos em Portland com 15 das 22 convocadas. O grupo completo ficou à disposição de Pia na última quarta-feira (7), quando a meia Marta e a atacante Debinha se apresentaram, após defenderem os respectivos clubes (Orlando Pride e North Carolina Courage) pela liga norte-americana. Durante o período de preparação, a equipe teve a baixa da atacante Adriana, que sofreu um entorse no joelho esquerdo no último dia 1º. A meia Angelina foi convocada no lugar dela.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

LONDRES - A Uefa divulgou na manhã desta terça-feira a seleção da Euro 2020. A lista inclui cinco jogadores da Itália, campeã da competição no último domingo ao bater a Inglaterra, que colocou três nomes no 11 ideal, nos pênaltis.

Artilheiros da competição com cinco gols, o português Cristiano Ronaldo e o tcheco Patrick Schick ficaram foram da seleção, que contou com a presença do jovem espanhol Pedri, de apenas 18 anos e eleito o craque jovem da Eurocopa.

O time ideal da Uefa é o seguinte:

Donnarumma (Itália), Walker (Inglaterra), Bonucci (Itália), Maguire (Inglaterra) e Spinazzola (Itália); Hojbjerg (Dinamarca), Jorginho (Itália) e Pedri (Espanha); Lukaku (Bélgica), Chiesa (Itália) e Sterling (Inglaterra).

Seleção da Euro 2020 escolhida pela Uefa — Foto: REPRODUÇÃO

 Foto: REPRODUÇÃO

 

- Um orgulho ser nomeado para a seleção da Euro. Obrigado a Uefa por me escolher, aos meus companheiros de equipe e a todos vocês, fãs incríveis, pelo apoio nas últimas seis semanas - disse o lateral Walker, da Inglaterra, nas redes sociais.

 

 

 

* Por Redação do GE

SÃO PAULO/SP - O 'Maracanazo' argentino na noite do último sábado promete consequências para os próximos capítulos de Tite na Seleção Brasileira. Contestado por torcedores e jornalistas, o treinador vive seu momento mais tenso desde que assumiu o comando do Brasil, em 2016. Para o comentarista Walter Casagrande, comentarista da Rede Globo, é hora de mudanças. Segundo publicou em seu blog no 'ge', o ex-jogador apostaria em Pep Guardiola.

Casagrande afirmou que o 'Brasil tem um time previsível, pragmático, sem agressividade e poder de decisão', uma vez que a Seleção depende de Neymar e apresenta um jogo sem criatividade e com atacantes que 'fazem poucos gols'. Gabriel Jesus passou a Copa do Mundo da Rússia sem balançar as redes. Para Casão -que recentemente processou um dirigente do Atlético-GO que o chamou de 'viciado' - o Brasil 'precisa de atacantes que decidam jogos' para voltar a conquistar títulos.

Ele aponta que Tite é o culpado por esse pragmatismo.

- Nunca apresentamos nada de novo nem na escalação e nem no modo de jogar. Ele convoca sempre os mesmos jogadores e usa o mesmo jeito de jogar, para não mudar sua ideia defensiva de futebol. A Seleção não joga bem e nem é gostosa de se assistir - escreveu.

- Se eu fosse quem comanda a CBF, eu continuaria com o Tite até as próximas convocações para ver se aparecem na lista caras novas e talentosas, tipo Gerson, Pedro, Danilo (Palmeiras), Bruno Henrique. E esqueceria Gabriel Jesus, Douglas Luiz, Fred, Firmino. Além disso, mudaria completamente o modo de o time jogar. O Neymar tem que ser um algo a mais, mas não a única jogada de ataque - completou.

De acordo com Casagrande, caso os rendimentos 'previsíveis' obtidos persistam nas Eliminatórias, a CBF deve agir e trocar de técnico. Para ele, Guardiola é a melhor opção.

- Acho que o ciclo do Tite está bem no fim, se é que ainda não terminou. O Romário falou que o Tite atrapalha a Seleção e disse que o Guardiola seria a melhor opção. Concordo plenamente com ele. Seria uma experiência espetacular para mudarmos essa mentalidade pragmática que o Tite colocou na Seleção - afirma.

Ele conclui a argumentação destacando que o Brasil precisa 'volte a ter um jogo mais leve' e a ausência de grandes confrontos contra europeus.

- Vamos para a Copa de 2022, no Catar, para participar. Nós não estamos acostumados com essa situação - pontuou.

- Não jogamos contra nenhuma seleção de ponta. Os jogos são sempre com as mesmas. Chegamos à Copa do Mundo tendo jogado seis vezes contra os times do nosso continente e contra seleções asiáticas, da Concacaf e do terceiro escalão da Europa - concluiu.

 

 

*Por: LANCE!

RIO DE JANIERO/RJ - A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) anunciou na quinta-feira (1º), em entrevista coletiva, os atletas que representarão o país nas disputas da modalidade na Olimpíada de Tóquio (Japão). A delegação reúne 51 integrantes e será a segunda maior do Brasil na história do evento, menor somente que a dos Jogos do Rio de Janeiro, em 2016, quando foram 67 convocados.

A equipe reúne 31 homens e 20 mulheres. A delegação masculina é formada, na maioria (58,1%), por atletas estreantes em Olimpíada. O grupo feminino, por sua vez, é mais experiente: 61,9% das convocadas já estiveram em alguma edição dos Jogos.

A lista foi anunciada após a World Athletics (federação internacional de atletismo) fechar o ranking mundial por pontos. A meta da CBAt, segundo o diretor executivo Cláudio Castilho, é que o Brasil alcance, pelo menos, 13 finais na Olimpíada.

Destaques

O atletismo brasileiro chega a Tóquio com três atletas entre os dez primeiros do ranking mundial nas respectivas provas. Entre os homens, o principal nome é Alison dos Santos, dono da terceira melhor marca do mundo nos 400m com barreiras (47s38), atingida justamente nesta quinta, na etapa de Oslo (Noruega) da Liga Diamante, mais importante circuito internacional da modalidade. "Piu", como ele é chamado, quebrou o recorde sul-americano e ficou atrás somente do norueguês Karsten Warholm - que, inclusive, estabeleceu o novo recorde mundial (46s70).

O outro top dez masculino é Thiago Braz, campeão olímpico do salto com vara na Rio 2016, que ocupa o sétimo lugar no ranking da prova. Na última quarta-feira (30), ele saltou 5,82m em uma competição em Bydgoszcz (Polônia), obtendo o melhor resultado em 2021, dois centímetros acima da marca anterior. Há cinco anos, Braz conquistou o ouro olímpico superando os 6,03m.

No feminino, o destaque é Núbia Soares, sexta do mundo no salto triplo com marca de 14,68 metros. O resultado foi alcançado na última terça-feira (29), em um torneio realizado em Castellón (Espanha), no último dia do prazo estipulado pela World Athletics para obtenção de índices.

Além deles, o Brasil tem a equipe de revezamento 4x100m com a quarta melhor marca da prova em 2021. No Mundial de Revezamentos de maio, em Chorzow (Polônia), o quarteto formado por Rodrigo Nascimento, Felipe Bardi, Derick de Souza e Paulo André de Oliveira cravou 38s45 na semifinal. Além dos quatro, a equipe do 4x100m será composta por Jorge Henrique Vides em Tóquio.

Mudança

A relação apresentada inicialmente contava com 52 convocados. Em divulgação posterior, já não constava o nome de Fernanda Borges, do lançamento de disco. Nesta quinta-feira, a Athletics Integrity Unit, ligada à World Athletics, informou que a brasileira estava suspensa provisoriamente por doping. Ela testou positivo para a substância proibida Ostarine (modulador metabólico) em exame realizado em 21 de maio.

Em nota, a CBAt disse ter sabido da suspensão "de modo informal, após a coletiva de anúncio da seleção olímpica, por meio de publicação no Twitter e no site da Athletics Integrity Unit". Afirmou, também, que a punição ainda não havia sido formalizada à entidade até 17h40 desta quinta.

Logística

As duas maiores partes da delegação embarcam para a cidade japonesa de Saitama nos próximos dias 16 e 17, saindo de Brasil e Portugal, respectivamente, para começar a aclimatação no país-sede dos Jogos a partir do dia 18. Os demais convocados viajam ao Japão direto de locais de treinamento onde estarão, em Espanha, Itália, Alemanha, Suíça e Equador.

Os atletas só terão acesso à vila olímpica 48 horas antes e 48 depois das provas. As disputas do atletismo ocorrem entre 29 de julho e 8 de agosto no estádio Olímpico de Tóquio e no Sapporo Odori Park, na cidade de Sapporo, a 800 quilômetros da capital japonesa.

Os convocados

Masculino

Paulo André de Oliveira (Pinheiros-SP) – 100m, 200m, 4x100m

Felipe Bardi (SESI-SP) – 100m, 4x100m

Rodrigo Nascimento (CT Maranhão-MA) – 100m, 4x100m

Derick de Souza (Pinheiros-SP) – 4x100m

Jorge Henrique Vides (Pinheiros-SP) – 200m, 4x100m

Aldemir Gomes da Silva Junior (Pinheiros-SP) – 200m

Lucas da Silva Carvalho (FECAM-PR) – 400m, 4x400m misto

Anderson Henriques (AABLU-SC) – 4x400m misto

Pedro Luiz Burmann (AABLU-SC) – 4x400m misto

Thiago do Rosário André (CT Maranhão-MA) – 800m, 1.500m

Gabriel Constantino (Pinheiros-SP) – 110m com barreiras

Eduardo de Deus (CT Maranhão-MA) – 110m com barreiras

Raphael Henrique Pereira (Clã Delfos-MG) - 110m com barreiras

Alison dos Santos (Pinheiros-SP) – 400m com barreiras

Marcio Teles (Orcampi-SP) – 400m com barreiras

Altobeli da Silva (Pinheiros-SP) – 3 mil metros com obstáculos

Thiago Braz - salto com vara

Augusto Dutra (Pinheiros-SP) – salto com vara

Samory Uiki (Sogipa-RS) – santo em distância

Almir Cunha (Sogipa-RS) - salto triplo

Alexsandro Melo (CT Maranhão-MA) – saltos em distância e triplo

Fernando Ferreira (Orcampi-SP) - salto em altura

Thiago Júlio Moura (Associação Unindo Famílias-SP) - salto em altura

Darlan Romani (Pinheiros-SP) – arremesso do peso

Daniel Ferreira do Nascimento (ABDA-SP) – maratona

Paulo Roberto Paula (São Paulo/Kiatleta-SP) - maratona

Daniel Chaves (Pinheiros-SP) – maratona

Caio Bonfim (CASO-DF) – 20 km e 50 km marcha

Matheus Gabriel Correa (AABLU-SC) – 20 km marcha

Lucas Gomes Mazzo (CASO-DF) – 20 km marcha

Felipe Vinícius dos Santos (AABLU-SP) – decatlo

 

Feminino

Vitoria Rosa (Pinheiros-SP) – 100m, 200m, 4x100m

Rosangela Santos (Pinheiros-SP) – 100m, 4x100m

Ana Carolina Azevedo (CT Maranhão-MA) – 200m, 4x100m

Ana Claudia Lemos (SR Mampituba-SC) – 4x100m

Bruna Jéssica Farias (CT Maranhão-MA) – 4x100m

Tiffani Marinho (Orcampi-SP) – 400m, 4x400m misto

Tabata Vitorino de Carvalho (AA Maringá-PR) – 4x400m misto

Geisa Muniz Coutinho (CT Maranhão-MA) – 4x400m misto

Ketiley Batista (ASPMP-SP) – 100m com barreiras

Chayenne Pereira da Silva (EMFCA-RJ) – 400m com barreiras

Tatiane Raquel da Silva (IPEC-PR) – 3.000 m com obstáculos

Simone Ponte Ferraz (Jaraguá do Sul-SC) – 3 mil metros com obstáculos

Eliane Martins (Pinheiros-SP) – salto em distância

Nubia Aparecida Soares (Clã Delfos-MG) - salto triplo

Geisa Arcanjo (Pinheiros-SP) – arremesso do peso

Andressa Oliveira de Morais (Pinheiros-SP) - lançamento do disco

Izabela Rodrigues da Silva (IEMA-SP) – lançamento do disco

Laila Ferrer (Pinheiros-SP) – lançamento do dardo

Jucilene Sales de Lima (IEMA-SP) - lançamento do dardo

Erica Rocha de Sena (Pinheiros-SP) – 20 km marcha

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Agosto 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30 31