fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 
Docente da UFSCar discute novos currículos para Química em artigo na Nature (Imagem: Vânia Zuin)

Docente da UFSCar discute novos currículos para Química em artigo na Nature

Escrito por  Fev 15, 2021

Intuito é que compreensão de conceitos esteja vinculada a contextos históricos, econômicos, sociais e éticos

 

SÃO CARLOS/SP - Processos químicos têm papel central no modo de produção e reprodução da vida e, por isso, a busca por uma Química que contribua para um mundo sustentável é cada vez mais presente. Vânia G. Zuin, docente no Departamento de Química (DQ) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) atuante no campo, defende que um passo essencial é possibilitar a formação de profissionais considerando os contextos históricos, econômicos, sociais e éticos no qual estão inseridos.
Na avaliação da docente, os currículos atuais não respondem às demandas de uma formação que associe o conhecimento específico à visão crítica e reflexiva. O foco fica nos conceitos específicos, independentemente dos contextos em que são praticados e sem margem para articulação com outras áreas. "Os tópicos e conceitos de Química que historicamente têm feito parte dos currículos devem ser revisitados para que esses estudos incluam discussões envolvendo alternativas sustentáveis, com base em cada realidade e no contexto sociocultural de determinada região", situa.

A pesquisadora da UFSCar também atua como professora visitante no Centro de Excelência em Química Verde da University of York, no Reino Unido. Sobre a temática, acaba de publicar na Nature o artigo "Towards more sustainable curricula" (https://go.nature.com/36XspQr), junto com Klaus Kümmerer, do Instituto de Química Ambiental e Sustentável da Leuphana Universität Lüneburg, da Alemanha.

Um importante movimento para o desenho e a implementação desses novos currículos está na diferenciação entre Química Verde e Química Sustentável. "A Química Verde se concentra no estudo de materiais e processos menos perigosos ao ambiente e às pessoas, na prevenção da poluição, na minimização do desperdício e da demanda de energia em processos químicos. Já a Química Sustentável tem uma abordagem mais ampla, na tentativa de compreender a realidade, incorporar avanços de outros campos e interagir com as demais ciências, tendo como foco a inclusão de alternativas sustentáveis para produtos, processos e serviços", explica Vânia Zuin. Ambas, no entanto, são importantes elementos na formação de futuros profissionais.

Assim, os debates relacionados à transformação da educação no campo da Química passam pela incorporação de reflexões sociais, filosóficas, culturais e éticas. Na visão da pesquisadora da UFSCar, o currículo precisa ser entendido como uma trajetória, em que os estudantes constroem a compreensão de conceitos a partir de suas experiências, e não como um plano prescritivo, como ocorre com o currículo atual. "Para realmente incorporar a Química Sustentável nos corações e mentes dos estudantes, a importância dos produtos químicos e de suas funções em vários setores da indústria e na sociedade precisa ser definida nos estágios iniciais dos cursos de Química", defende.

Um exemplo prático é o uso da biomassa em diversos setores, como o alimentício, combustíveis e em produtos de higiene pessoal. "Nem sempre um produto verde será mais sustentável. É o caso de produtos feitos a partir de biomassa (ou seja, considerados 'verdes'), mas que são manufaturados de maneira não sustentável - por exemplo, usam uma matéria-prima que não tem reposição fácil ou têm problemas trabalhistas e de direitos humanos, que são questões que extrapolam os conceitos específicos de Química", exemplifica a pesquisadora.

Assim, não basta fazer uso da biomassa, mas é preciso analisar seu ciclo de vida. "O ciclo de vida é uma metodologia que permite avaliar também os impactos gerados por determinado produto ou material, desde a extração da matéria-prima até sua utilização e descarte", relata Vânia Zuin. Ou seja, é preciso conhecer, além dos constituintes e processos, as suas implicações mais amplas, como as ambientais (de onde vem, como é obtido?), sociais, de saúde (causa malefícios às pessoas?), dentre outras, para que o uso de determinado produto se adeque, de fato, a um desenvolvimento sustentável, satisfazendo as necessidades atuais sem comprometer as de gerações futuras. "Esta é a importância de termos uma visão que vai além de conceitos puramente químicos, levando em consideração as variáveis nos mais diversos âmbitos", conclui a pesquisadora.

Ivan Lucas

 Jornalista/Radialista

Website.: https://www.radiosanca.com.br/equipe/ivan-lucas
E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Top News

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Março 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
1 2 3 4 5 6 7
8 9 10 11 12 13 14
15 16 17 18 19 20 21
22 23 24 25 26 27 28
29 30 31        

Comércio e Serviços em Geral