fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

SÃO PAULO/SP - De maneira dramática, o Palmeiras conquistou a edição de 2020 do Campeonato Paulista na tarde deste sábado. Derrotado pelo Corinthians na tumultuada decisão de 2018, o time dirigido por Vanderlei Luxemburgo venceu a revanche contra o arquirrival ao ganhar nos pênaltis por 4 a 3 após empate por 1 a 1 no tempo normal.

Em um primeiro tempo de poucas emoções, Willian chutou para grande defesa de Cássio. Na etapa complementar, após cruzamento de Matias Viña, Luiz Adriano marcou. Jô empatou de pênalti nos acréscimos e, nas cobranças, o jovem Patrick de Paula marcou o gol que garante o primeiro título estadual do Palmeiras desde 2008.

Os finalistas do Campeonato Paulista estrearão já na segunda rodada do Brasileiro, uma vez que os primeiros jogos acabaram adiados. Às 19h15 (de Brasília) de quarta-feira, o Corinthians enfrenta o Atlético-MG, no Mineirão. Já o Palmeiras pega o Fluminense às 21h30 do mesmo dia, no Maracanã.

O Jogo - A única chance de gol do primeiro tempo foi criada pelo Palmeiras logo no começo. Zé Rafael recebeu de Luiz Adriano pela esquerda e se enrolou com marcação, mas conseguiu cruzar. Willian completou com um chute forte e Cássio fez grande defesa.

Em uma saída errada de Zé Rafael com Matias Viña pela esquerda, Luan recuperou a bola, avançou pelo meio e tocou para Jô por trás da zaga. O atacante bateu na saída de Weverton e chegou a mandar a bola para as redes no rebate, mas a arbitragem marcou impedimento corretamente.

Palmeiras e Corinthians fizeram um primeiro tempo equilibrado e praticamente dividiram a posse de bola. No entanto, com os dois times jogando sem correr grandes riscos, os goleiros Weverton e Cássio não tiveram muito trabalho até o final a etapa inicial.

Com Bruno Henrique e Rony nos lugares de Gabriel Menino e Ramires, o Palmeiras conseguiu abrir o marcador no Allianz Parque logo aos 3 minutos do segundo tempo. Matias Viña cruzou da esquerda e Luiz Adriano subiu para cabecear no canto direito de Cássio.

Em desvantagem no marcador, o Corinthians teve dificuldades para articular boas oportunidades de empate. Na metade do segundo tempo, o time visitante pediu pênalti em lance envolvendo Marcos Rocha e Jô, mas o árbitro Luiz Flavio de Oliveira mandou seguir.

O Corinthians ficou em situação ainda mais complicada quando Tiago Nunes precisou tirar o lesionado Fagner para a entrada de Michel Macedo. Nos acréscimos, Gustavo Gomez cometeu pênalti sobre Jô. Na cobrança, o próprio centroavante empatou o jogo.

Nos pênaltis, Danilo Avelar, Sidcley e Jô converteram para o Corinthians. Raphael Veiga, Gustavo Scarpa, Lucas Lima e Patrick de Paula converteram para o Palmeiras. Michel Macedo e Cantillo erraram para o time alvinegro. Apenas Bruno Henrique errou pelo Palmeiras.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

Em mais uma classificação dominada pela Mercedes, Valtteri Bottas impediu a 92ª pole position de Lewis Hamilton e vai largar na primeira posição no GP dos 70 anos da Fórmula 1, em Silverstone (Inglaterra). Na última volta do Q3, o finlandês foi 0s063 mais veloz e alcançou sua segunda pole na temporada. Nico Hulkenberg foi a surpresa da classificação e ficou em terceiro, com a Racing Point - o alemão substitui o mexicano Sergio Pérez, diagnosticado com coronavírus.

Max Verstappen, da RBR, ficou em quarto no grid, mas é o único dos ponteiros que vai largar com pneus mais duros, já que marcou seu melhor tempo no Q2 com este composto, enquanto seus adversários usaram os médios.

Completaram os dez primeiros colocados, da quinta à décima posições, Daniel Ricciardo (Renault), Lance Stroll (Racing Point), Pierre Gasly (AlphaTauri), Charles Leclerc (Ferrari), Alexander Albon (RBR) e Lando Norris (McLaren).

 

 O GP dos 70 anos da Fórmula 1 começa às 10h10 (de Brasília) deste domingo, com transmissão ao vivo pela TV Globo. 

Resultado do Q1 na classificação do GP dos 70 anos da Fórmula 1 — Foto: Reprodução/FOM

 

*Por: GLOBO ESPORTE

MUNDO - Torneio de tiro curto, com jogo quase todo dia, delegações concentradas em um único lugar e verdadeiras seleções mundiais em campo. Devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), a Liga dos Campeões da Europa viverá um agosto digno de Copa do Mundo. Lisboa, a capital portuguesa, foi a sede escolhida pela Uefa (União das Associações Europeias de Futebol) para abrigar os duelos decisivos da maior competição de clubes de futebol do planeta. As partidas não terão presença de público.

Antes de a bola rolar em Portugal, a maratona da Champions terá a conclusão de quatro confrontos das oitavas de final que não puderam ser finalizados antes da pandemia. Nesta sexta-feira (7), às 16h (horário de Brasília), o Manchester City (Inglaterra) recebe o Real Madrid, atual campeão espanhol. Na partida de ida, fora de casa, os ingleses ganharam por 2 a 1. No mesmo horário, a eneacampeã italiana Juventus mede forças com o Lyon, que venceu o primeiro jogo, na França, por 1 a 0.

 

 

No sábado, também às 16h (horário de Brasília), Barcelona e Napoli se encontram na Espanha, após o empate por 1 a 1 na Itália, enquanto o octacampeão alemão Bayern de Munique joga em casa contra o Chelsea (Inglaterra). Em Londres, a equipe bávara fez 3 a 0. Assim como será na sequência da Liga dos Campeões, os jogos terão portões fechados.

A partir das quartas de final começa a fase Copa do Mundo da Champions. De quarta-feira (12) em diante, os confrontos serão disputados em Lisboa, em jogo único, nos estádios José Alvalade (Sporting) e da Luz (Benfica). Este último receberá a decisão, no próximo dia 23 de agosto. As partidas serão todas às 16h (horário de Brasília). Os quatro times que sairão das oitavas se unirão a Atalanta (Itália), RB Leipzig (Alemanha), Paris Saint-Germain (França) e Atlético de Madri (Espanha), classificados antes da pandemia.

 

 

Protocolo rígido

Segundo a Direção Geral da Saúde de Portugal, o país europeu teve 51.848 casos do novo coronavírus até a última quarta-feira (5), com 1.740 óbitos. Nesse mesmo dia, o Ministério da Saúde identificou mais recuperações (247) do que novos registros (167) da doença. Não tem sido inédito. A primeira vez que isso ocorreu foi em 21 de abril.

Apesar de a pandemia estar mais controlada em Portugal, os protocolos para a retomada da Liga dos Campeões no país é rígido. Os atletas serão submetidos a testes antes e depois das partidas e são orientados a utilizarem máscaras em locais públicos, além de manterem distanciamento mínimo de dois metros. As delegações estarão concentradas em hotéis e não podem deixá-los sem autorização. O contato com pessoas não relacionadas à equipe está vedado.

Brasileiros na briga

São 27 brasileiros distribuídos em 11 dos 12 times que seguem na Liga dos Campeões. Apenas o RB Leipzig não tem atletas do país. Das 32 equipes que disputaram a fase de grupos, o Brasil tinha atletas em 27 delas, com 65 representantes ao todo. A estatística não contabiliza os nascidos por aqui que se naturalizaram por outras nações, como o lateral Emerson Palmieri e o volante Jorginho, que defendem a Itália. Ambos são do Chelsea.

O Lyon, com seis jogadores (os laterais Rafael e Marçal, o zagueiro Marcelo, os volantes Thiago Mendes e Jean Lucas e o meia Bruno Guimarães), é o time mais verde e amarelo entre os que continuam na Champions, seguido pelo Real Madrid, com cinco (o zagueiro Éder Militão, o lateral Marcelo, o volante Casemiro e os atacantes Vinícius Júnior e Rodrygo). Atalanta (com o zagueiro Rafael Tolói), Chelsea (com o atacante William), Bayern (com o meia Philippe Coutinho), Barcelona (o goleiro Neto) e Napoli (o meia Allan) têm, pelo menos, um brasileiro no elenco.

 

Entre eles, o atacante Gabriel Jesus é o que mais balançou as redes na atual edição da competição, com cinco gols pelo Manchester City. Na sequência aparecem Rodrygo, autor de quatro gols pelo Real Madrid, e Neymar, do Paris Saint-Germain, com três gols. O camisa 10 do PSG é o artilheiro do país na história da competição, com 35 gols, anotados pelo clube francês e pelo Barcelona, time pelo qual foi campeão em 2015.

Olho nas estrelas

Não é à toa que a bola da Champions é coberta por estrelas. A competição reúne os principais jogadores da atualidade. Entre eles estão os atacantes Cristiano Ronaldo e Lionel Messi, craques com os maiores números de gols e assistências da história da competição. O português lidera as duas estatísticas, com 128 gols e 36 assistências, seguido pelos 114 gols e 32 assistências do argentino.

A presença deles nas quartas de final depende do sucesso de Juventus e Barcelona nas partidas contra Lyon e Napoli, respectivamente. Na atual edição, eles ainda não despontaram: Ronaldo foi às redes duas vezes (está atrás dos atacantes Paulo Dybala e Gonzalo Higuaín, na artilharia da Juve no torneio) e deu um passe para gol, enquanto Messi assinalou dois tentos (um a menos que o atacante Luís Suárez, companheiro de equipe) e distribuiu três assistências.

 

 O destaque da Liga, até o momento, é Robert Lewandowski. O atacante vive grande fase no Bayern e balançou as redes 11 vezes em apenas seis jogos pela competição. Como deu duas assistências, significa dizer que o polonês participou de, pelo menos, dois gols por partida, em média. Lewa está a seis tentos de igualar o feito de Cristiano Ronaldo, que na edição 2013/2014 assinalou 17 gols pelo Real Madrid.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

SÃO CARLOS/SP -  O Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus de São Carlos, em virtude do jogo do próximo sábado (8/8), às 16h30, entre Palmeiras e Corinthians pela final do Campeonato Paulista de 2020, ressalta que continuam proibidas qualquer tipo de aglomeração em praças públicas e estabelecimentos comerciais.

Por determinação judicial está proibida a realização de passeatas, carreatas, manifestações ou qualquer outro tipo de comportamento indevido que implique aglomeração de pessoas em virtude da pandemia do novo coronavírus.

Quem desrespeitar decretos e diretrizes emanadas pelos órgãos da saúde e pelo Governo Estadual e Municipal poderá ser multado. Para organizadores de passeatas, carreatas ou manifestações a multa pode ultrapassar R$ 5 mil.

O Comitê ressalta, ainda, que bares e restaurantes somente poderão funcionar até às 17h no próximo fim de semana. A flexibilização de horários ocorrerá, se o município permanecer na Fase Amarela, somente a partir de segunda-feira (10/8).

MUNDO - Responsável por encerrar a hegemonia de Anderson Silva nos médios (até 83,9kg.), Chris Weidman está longe dos seus momentos de glória no MMA. Vindo de cinco derrotas nas últimas seis lutas, o ex-campeão da divisão tem compromisso contra Omari Akhmedov neste sábado (8), pelo UFC Las Vegas 6 e entende a necessidade de vencer para seguir na organização.

“Eu preciso de uma vitória. Preciso retomar o caminho das vitórias. Acho que tenho muitas vantagens nessa luta, mas, quando se está lá (no octógono), você nunca sabe o que vai acontecer”, disse o norte-americano em entrevista ao ‘MMA Fighting’.

Com uma extensa lista de grandes adversários em seu cartel como profissional nas artes marciais mistas, Weidman admitiu que, quando topou o desafio de encarar Omari, não conhecia o adversário. Após analisar o oponente, Chris, então, reconheceu as qualidades do novo rival.

“Eu só queria lutar. Honestamente, eu nunca tinha ouvido falar dele. Nem meu empresário conhecia. Daí, fui pesquisar e ele tem crescido. Está no UFC por um tempo e tem alterado entre meio-médio (até 77kg.) e médio”, explicou, antes de completar. “Ele vem de uma boa sequência de vitórias e está no top 15. Será uma das primeiras vezes que não estou enfrentando alguém do top 15, mas ele é um garoto duro. Acho que é um bom ‘casamento”, contou o ex-campeão.

Sequência negativa no UFC

Mundialmente famoso por ter derrotado, por duas vezes, uma das maiores lendas da história do esporte, ambas em 2013, Weidman analisou seu retrospecto recente na organização. Sem vencer desde julho de 2017, o norte-americano justificou a má fase com os atletas de alto nível que enfrentou nos últimos anos.

“É um esporte muito duro. Os fãs também são duros, mas é meio que motivador. Eu tenho uma vitória nas últimas seis lutas, mas vejam quem eu enfrentei e um dos que ganhei (Kelvin Gastelum) e ele se saiu muito bem. Em todas as lutas, tirando a com (Dominick) Reyes (em outubro do ano passado), eu estava vencendo. É isso que acontece, às vezes”, afirmou.

Como atleta de alto rendimento, Chris afirmou que pretende sempre enfrentar os melhores. A derrota, então, segundo o lutador, é algo que pode acontecer em um esporte tão imprevisível.

“Você enfrenta todos esses caras bons. Nem sempre sairá com a mão levantada. Existe uma aleatoriedade sobre quem vence na noite. Coisas aleatórias acontecem, não quer dizer que a pessoa é a melhor na luta”, finalizou.

O confronto deste sábado na luta co-principal da noite marcará o retorno de Chris aos médios após um teste frustado entre os meio-pesados (até 93kg.). O atleta tenta retomar o prestígio conquistado depois de assumir o posto de campeão da divisão entre 2013 e 2015.

 

 

*Por: VH Gonzaga / SUPER LUTAS

MUNDO - Ele chegou como a maior contratação da história do futebol, lotou o Parque dos Príncipes para sua apresentação oficial, ganhou música especial da torcida e esgotou a venda de camisas com seu nome. Há três anos, Neymar vestia o uniforme do Paris Saint-Germain (PSG) criando a expectativa de um casamento feliz com o clube, ganhando muitos títulos e carregando a esperança de ser tornar o melhor jogador do mundo.

De 4 de agosto de 2017 até hoje, o atacante nunca esteve tão perto de alcançar tudo o que planejou.  Depois de desentendimentos com Cavani, lesões e uma frustrada tentativa de transferência para o Barcelona, o brasileiro praticamente foi descartado pelo clube e pela torcida. Porém, este ano, Neymar se tornou uma das figuras mais importantes do futebol europeu e carrega a confiança do time para a conquista inédita da Liga dos Campeões da Europa. Em seu site oficial, Neymar falou sobre a transformação desde que chegou a Paris.

“Esses três anos foram de muito aprendizado. Vivi tempos de alegria e outros complicados, especialmente quando fui impedido de jogar por causa das lesões. Com a ajuda de companheiros consegui superar e focar no que realmente importa para todos que é o nosso desempenho em campo traduzido em títulos. O torcedor, o clube, os fãs todos podem ver a entrega do nosso time em qualquer jogo”,

Nesta temporada, Neymar já conquistou quatro títulos: a Supercopa da França, o Campeonato Francês, a Copa da França e a Copa da Liga Francesa. Alcançou a marca de 74 gols em 85 jogos desde 2017 - incluindo amistosos -, ultrapassando Raí para virar o maior artilheiro brasileiro do clube. A redenção de Neymar em Paris pode vir com o maior triunfo da história do PSG.

“Acredito que vivo hoje meu momento mais especial no Paris. Formamos uma família em prol do grande objetivo que temos pela frente. Queremos marcar a temporada com a Champions. Vamos lutar por isso, porque nunca estivemos tão perto”, declarou.

Teoricamente, o caminho do PSG para a final da Liga dos Campeões não seria dos mais complicados. Escapou de pegar pela frente Barcelona, Juventus, Real Madrid, Chelsea, Bayern de Munique, Manchester City, Lyon e Napoli. O primeiro adversário é a Atalanta. Passando pelo time italiano, enfrenta RB Leipzig ou o Atlético de Madrid na semifinal.

A chave pode parecer mais fácil, porém Neymar vai ter que jogar tudo o que sabe. Após lesão no ligamento do tornozelo direito, dificilmente Mbappé estará em campo no proximo dia 12 para enfrentar a Atalanta. Di María, suspenso, também não joga. Neymar, mais uma vez, precisa chamar a responsabilidade e mostrar a torcedores, clube, fãs e imprensa, que o investimento do PSG feito há três anos valeu a pena.

 

 

*Por Maurício Costa- Repórter da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

RIO DE JANEIRO/RJ - A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV) confirmou nesta segunda-feira (03) que o circuito brasileiro de vôlei de praia da temporada de 2020 começa no próximo dia 17 de setembro. A primeira etapa seguirá até 27 de setembro. As duas primeiras etapas, das cinco previstas, ocorrerão em Saquarema (RJ). As sedes das demais ainda não foram confirmadas e as disputadas devem ocorrer até dezembro.

O rígido protocolo sanitário propõe, diferentemente do que ocorria antes da pandemia, que os jogos femininos ocorram antes, e as partidas dos homens encerrem as etapas.

A última temporada do circuito nacional da modalidade foi encerrada precocemente pela CBV por causa da pandemia do novo coronavírus (covid-19). Faltavam duas etapas a serem disputadas. E a dupla André Stein e George, que já não podia mais ser alcançada, foi considerada a campeã no masculino. Já entre as mulheres, Ana Patrícia e Rebecca, que tinham o título muito bem encaminhado, ficaram com a taça.

 

 

*Por Juliano Justo - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

SÃO PAULO/SP - O Palmeiras garantiu presença na decisão do Campeonato Paulista na noite deste domingo. Com um triunfo por 1 a o no Allianz Parque, o time alviverde eliminou a Ponte Preta na semifinal e assegurou o direito de encarar o arquirrival Corinthians na briga pelo título.

No primeiro tempo, após desperdiçar várias oportunidades, o Palmeiras conseguiu abrir o placar por meio do jovem Patrick de Paula. Na etapa complementar, a Ponte Preta saiu mais para buscar a igualdade, mas o goleiro Weverton foi seguro sempre que exigido.

Na outra semifinal, em mais um jogo disputado neste domingo, o Corinthians avançou ao ganhar do Mirassol também por 1 a 0. Os dois clássicos decisivos pelo Campeonato Paulista serão disputados na quarta-feira e no sábado, o primeiro em Itaquera e o segundo, no Allianz Parque.

O Jogo - Logo no começo da partida, de canhota, Gabriel Menino cruzou da direita e Rony completou de cabeça para Ivan rebater. Pouco depois, inspirado, o jovem volante percebeu a entrada do companheiro por trás da marcação e passou para chute cruzado do atacante, novamente defendido pelo goleiro adversário.

Em nova estocada do Palmeiras, Diogo Barbosa cobrou escanteio da esquerda e Gustavo Gomez cabeceou no travessão. O time casa quase saiu na frente quando Luiz Adriano ajeitou para chute de Willian, mas o goleiro Ivan mais uma vez conseguiu defender.

De tanto pressionar, o Palmeiras fez o primeiro aos 45 minutos da etapa inicial. Ao cortar lançamento em profundidade, Apodi rebateu para o meio. Patrick de Paula ajeitou e bateu de fora da área. A bola desviou em Wellington Carvalho e enganou Ivan, até então com atuação impecável.

No começo do segundo tempo, após saída de bola errada do Palmeiras, João Paulo recebeu de Roger e bateu forte para defesa de Weverton. Pouco depois, Willian passou para Gabriel Menino dentro da área e viu o companheiro acertar a rede pelo lado de fora.

Em busca do empate, a Ponte Preta passou a se expor mais e quase levou o segundo. Diogo Barbosa cruzou da esquerda e Zé Rafael bateu. Bruno Henrique desviou e o goleiro Ivan defendeu parcialmente. No rebote, Gabriel Menino finalizou em cima da marcação.

Em jogada de contra-ataque, Roger recebeu de cruzamento de Bruno Rodrigues da esquerda e completou para boa defesa Weverton. O Palmeiras respondeu com chute no travessão disparado por Gustavo Scarpa de fora da área. Os dois técnicos exploraram o banco de reservas até o final, mas o placar permaneceu inalterado no Allianz Parque.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

SÃO PAULO/SP - O Corinthians está na final do Campeonato Paulista pela quarta vez consecutiva! Neste domingo, Timão e Mirassol se enfrentaram na Arena de Itaquera, pela semifinal da competição estadual. E a equipe alvinegra saiu com a vitória pelo placar de 1 a 0, com mais um gol do volante Ederson.

O time comandado pelo técnico Tiago Nunes enfrentou uma forte marcação do Leão na primeira etapa e quase não ameaçou a meta adversária. Contudo, a expulsão do meia Juninho no segundo tempo e outro chute de fora da área do camisa garantiram a classificação para os donos da casa.

Agora, o Corinthians encara o vencedor do confronto entre Palmeiras e Ponte Preta, que duelam ainda neste domingo, às 19h (de Brasília), no Allianz Parque. Os dois jogos da decisão estão marcados para quarta-feira (5) e sábado (8).

O jogo

Apesar de jogar em casa, o Corinthians viu o Mirassol criar o primeiro lance de perigo. Aos 13 minutos, Zé Roberto foi derrubado na intermediária e o árbitro marcou a falta. Juninho foi para a cobrança e mandou no ângulo, exigindo grande defesa de Cássio para evitar o gol dos visitantes.

Enfrentando uma boa marcação dos adversários na primeira metade da etapa inicial, o Timão só foi ameaçar a meta mirassolense aos 25 minutos. Carlos Augusto foi até a linha de fundo, fez o cruzamento rasteiro e achou Mateus Vital, que emendou a finalização de primeira para carimbar a trave.

Três minutos depois, Ederson recebeu dentro da área e tocou para Jô. O camisa 77 tentou completar de letra, mas não conseguiu alcançar. A bola ainda passeou pela pequena área antes de ser afastada pela defesa do Leão. Com isso, o empate sem gols persistiu até a saída para o intervalo.

No segundo tempo, o Corinthians quase chegou ao primeiro gol em chute de Luan. Aos oito minutos, o camisa 7 dominou a bola após cobrança de falta de Ramiro e bateu rasteiro no canto direito do goleiro Kewin. No entanto, o arqueiro adversário caiu para fazer grande defesa.

A situação mudou aos 14 minutos. Depois de revisão do VAR, Juninho levou um cartão vermelho por pisão em Carlos Augusto e deixou o Mirassol com um jogador a menos. Assim, o técnico Tiago Nunes resolveu jogar o time para frente, colocando Janderson e Sidcley em campo.

Em vantagem numérica, o Timão enfim abriu o placar. Aos 26 minutos, Ederson recebeu de Fagner na intermediária, arriscou a finalização de longa distância e viu o goleiro Kewin aceitar. Foi o terceiro gol do volante em nas três últimas partidas da equipe alvinegra.

O Corinthians ainda teve a chance de ampliar em duas oportunidades: aos 32 minutos, Luan cobrou escanteio fechado na primeira trave, Alison Silva desviou e mandou no travessão; e aos 35, Janderson chegou pela linha de fundo, chutou cruzado e obrigou Kewin se esticar para evitar o gol. Contudo, o 1 a 0 persistiu até o apito final.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

MUNDO - Lewis Hamilton conquistou neste domingo uma dramática vitória no GP da Inglaterra após ter o pneu dianteiro esquerdo furado na última volta. Mesmo se arrastando, o inglês ainda conseguiu terminar cinco segundos à frente de Max Verstappen, da RBR - Charles Leclerc (Ferrari) completou o pódio em terceiro.

Já Valtteri Bottas, que vinha em segundo lugar até faltarem três voltas para o fim, também teve um pneu furado, fez um pit stop extra e terminou em 11º. Com a 87ª vitória na F1, Hamilton ficou a apenas quatro de igualar o recorde de Michael Schumacher.

Também pontuaram, da quarta à décima colocações, Daniel Ricciardo (Renault), Lando Norris (McLaren), Esteban Ocon (Renault), Pierre Gasly (AlphaTauri), Alexander Albon (RBR), Lance Stroll (Racing Point) e Sebastian Vettel (Ferrari).

A corrida também foi marcada pelo forte acidente de Daniil Kvyat no começo da corrida. O russo da Alpha Tauri perdeu o controle do carro na curva Becketts e sofreu a batida mais violenta da temporada até agora. O piloto saiu ileso e, ainda irritado pelo acidente, empurrou uma câmera que lhe filmava.

A temporada 2020 segue no próximo fim de semana, com o GP dos 70 anos da Fórmula 1, também no circuito de Silverstone.

 

 

*Por: Redação do GE

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Outubro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31