fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

A próxima edição da corrida realizada anualmente pelo Sesc São Carlos será virtual e em duas opções de distâncias: 3 km ou 6 km

 

Inscrições abertas no período de 27/10 até 8/11

 

SÃO CARLOS/SP - Enquanto a atual pandemia não permite a realização de eventos com um número grande de pessoas como em corridas de rua, uma alternativa para não ficar parado são as provas virtuais, realizadas individualmente ao ar livre, em esteiras e até mesmo corrida estacionária, que consiste em uma simulação dos movimentos de corrida sem sair do lugar.

Como alternativa para este momento, a etapa local do Circuito Sesc de Corridas será realizada de modo virtual nos dias 7 e 8 de novembro. A proposta é estimular a prática regular de atividades físicas neste momento de distanciamento social.

Além da prova, uma programação dirigida aos participantes, com dicas e informações sobre a prática, está prevista para a semana que antecede o evento e será publicada nas redes sociais do Sesc São Carlos.

 

Sobre a prova

Realizada na categoria individual (masculino e feminino) no período de dois dias, das 0h do dia 7/11/2020 às 23h59 do dia 8/11/2020, a prova pode ser desenvolvida em ruas, parques, dentro de casa, esteiras, quintais e outros espaços. Os comprovantes serão enviados de maneira virtual e o participante escolhe horário e o local que deseja realizar sua corrida.

Ainda, considerando as medidas preventivas recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), assim como a legislação municipal em relação à pandemia do novo coronavírus (COVID-19), é importante lembrar o uso de máscara para efetuar a prova em espaços em que o uso é obrigatório.

Para comprovar tempo e quilometragem, é necessário o envio de fotos dos resultados obtidos na esteira, do aplicativo de corrida ou do smartwatch para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. até o dia 13/11/2020, às 23h59. Ao final da corrida o participante recebe certificado virtual sem ranking de classificação.

O corredor pode interagir nas redes sociais compartilhando seus resultados no evento “Corrida Virtual Sesc São Carlos”, no Facebook com a hashtag #corridavirtualsescsaocarlos

 

As inscrições

De 27/10 a 8/11, às 18h, exclusivamente no site sescsp.org.br/saocarlos. No momento da inscrição os participantes optam pela corrida de 3km ou 6km e têm acesso ao regulamento completo.

 

Programação - Dicas e aulas

 

Exercícios de fortalecimento para corredores

Com Educadores do Sesc

A proposta deste treino é trabalhar o fortalecimento dos principais músculos e grupos musculares utilizados na prática da corrida. Pode ser feito por corredores experientes ou iniciantes e até por quem ainda não pratica a modalidade.

Separe um espaço seguro, uma garrafa de água, siga as orientações do educador e principalmente: respeite seus limites!

Dia 3/11, terça, às 10h

 

Treino para corrida

Com Educadores do Sesc

Proposta para trabalhar o condicionamento físico para a corrida. Mesmo com espaço reduzido é possível treinar e se preparar para a prova.

Separe um espaço seguro, uma garrafa de água e respeite seus limites!

Dia 4/11, quarta, às 10h

 

Bate-papo ao vivo: Benefícios da prática da corrida e os cuidados em tempos de pandemia

Fazer exercícios ao ar livre na pandemia, como a corrida, exige cuidados e adaptações tanto do ponto de vista físico, quanto para evitar contaminação. A máscara, embora incômoda, é necessária e obrigatória. O bate-papo abordará essa temática e trará dicas e orientações aos amantes dessa modalidade, que mesmo durante a pandemia não param de crescer no país.

Everton Marim, técnico de programação esportiva do Sesc São Carlos conversa com o professor MSc. Germano Mongeli Peneireiro, que é coordenador e professor do curso de Educação Física da UNICEP de São Carlos.

Dia 5/11, quinta, às 18h

 

Dicas para prova: Corrida Virtual

Com Educadores do Sesc

Está com dúvidas de como participar da Corrida Virtual do Sesc Carlos? Acompanhe estas dicas dos educadores e prepare-se para correr!

Dia 6/11, sexta, às 10h

 

 

Aquecimento (atividade pré-corrida)

Com Educadores do Sesc

Tudo pronto para fazer seu percurso? Antes é preciso preparar o corpo para a atividade física. Acompanhe nosso aquecimento e tenha uma ótima prova!

Dia 6/11, sexta, às 18h

 

Alongamento (atividade pós-corrida)

Com Educadores do Sesc

Fez uma boa prova? Agora é importante fazer uma recuperação da musculatura para estar pronto para os próximos treinos. Vamos alongar?

Dia 6/11, sexta, às 18h

 

Yoga e corrida: uma boa combinação

Com Educadores do Sesc

A prática de yoga pode trazer muitos benefícios para corredores, como a melhora da postura, da concentração, da força e da coordenação. Nesta aula, algumas posturas e respirações especialmente pensadas para quem gosta de correr.

Respeite os limites do seu corpo e tenha uma boa prática!

Dia 8/11, domingo, às 10h

MUNDO - A queniana Peres Jepchirchir e o ugandense Jacob Kiplimo venceram neste sábado (17) o primeiro e único Mundial de Meia-Maratona deste ano, na cidade de Gdynia (Polônia), organizada pela World Athletics - Federação Internacional de Atletismo. Além de cruzar a linha de chegada em primeiro lugar, a queniana bateu o recorde mundial da prova de 21 quilômetros, ao completá-la em uma hora, cinco minutos e 16 segundos.

Na disputa masculina, a briga pelo ouro pareceu uma revanche do que ocorreu na final da São Silvesre em 2019, quando o queniano Kubuwott Kandie ultrapassou o ugandense Jacob Kiplimo, já na linha de chegada., Ontem (17), quem levou a melhor foi Kiplimo e com direito a um novo recorde do Mundial: fechou a prova em 48 minutos e 49 segundo. Kandle termiinou a prova na segunda posição.

O destaque da participação brasileira ficou por conta de Andreia Hessel e Daniel Nascimento, que bateram recordes pessoais. Hessel completou a prova e, 76º lugar (tempo de uma hora, 14 minutos e 41 segundos),  e Nascimento ficou em 93º (uma hora, quatro minutos e 27 segundos). Também encerram a prova Gilmar Silvestre Lopes (75º lugar), Ederson Vilela Pereira (90º) e Valdilene dos Santos (94ª).

“A participação foi boa. A falta de ritmo causada pela pandemia, que cancelou muitos eventos, foi superada. Dos cinco atletas, dois conseguiram PB (personal best) e isso é um dado importante”, afirmou Cláudio Castilho, treinador da equipe brasileira. E completou: "Como o esperado, o nível técnico da competição foi altíssimo.”

 

 

*Por Agência Brasil

MUNDO - Lewis Hamilton escreveu neste domingo mais um capítulo na sua gloriosa carreira ao vencer o GP de Eifel, em Nürburgring, e igualar o recorde de 91 vitórias de Michael Schumacher na história da Fórmula 1. Rumo ao heptacampeonato, o inglês da Mercedes assumiu a ponta na volta 13 de 60 após um erro do companheiro de equipe Valtteri Bottas.

Depois, o finlandês abandonou com problemas no motor, e Max Verstappen, da RBR, herdou o segundo lugar. Após controlar a liderança na maior parte da prova, Hamilton perdeu a vantagem sobre Max com uma entrada do carro de segurança para a retirada do carro de Lando Norris, da McLaren. Na relargada, Lewis se manteve na liderança, fez por quatro vezes a volta mais rápida nas voltas finais, e confirmou a vitória - na última volta, o holandês fez a melhor volta, tirando o ponto extra do inglês.

Daniel Ricciardo fez excelente corrida e terminou em terceiro lugar. É o primeiro pódio dele pela Renault e o primeiro da equipe desde o retorno à F1, em 2016. O australiano resistiu a um ataque de Sergio Pérez, que cruzou a linha de chegado em quarto pela Racing Point.

Também marcaram pontos, da quinta à décima colocações, Carlos Sainz Jr. (McLaren), Pierre Gasly (AlphaTauri), Charles Leclerc (Ferrari), Nico Hulkenberg (Racing Point), Romain Grosjean (Haas) e Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo).

 

 

*Por: REDAÇÃO GE

MUNDO - Não é exagero afirmar que o GP da Rússia vencido por Valtteri Bottas foi decidido antes mesmo da prova. Ao treinar largadas em local irregular antes da corrida, Lewis Hamilton cometeu duas infrações e foi punido com a perda de dez segundos antes da troca de pneus. Com o tempo perdido, o inglês perdeu a liderança construída nas primeiras voltas e só conseguiu terminar em terceiro, atrás de Max Verstappen.

Também marcaram pontos, da quarta à décima posições, Sergio Pérez (Racing Point), Daniel Ricciardo (RBR), Charles Leclerc (Ferrari), Esteban Ocon (Renault), Daniil Kvyat (AlphaTauri), Pierre Gasly (AlphaTauri) e Alexander Albon (RBR).

O que você precisa saber?

- Nona vitória de Valtteri Bottas na Fórmula 1, a segunda na temporada 2020 e a segunda na pista de Sochi.

- Mercedes segue invicta em Sochi desde a primeira corrida na pista, em 2014.

- Quarto lugar é o melhor resultado de Sergio Pérez na temporada.

Com isso, Hamilton terá de esperar até a próxima corrida, o GP do Eifel, em Nürburgring (Alemanha), para tentar igualar o recorde de 91 vitórias do alemão Michael Schumacher na F1. A corrida será disputada daqui a duas semanas.

 

*Por: REDAÇÃO GE

MUNDO - O tetracampeão mundial Sebastian Vettel seguirá na Fórmula 1 na próxima temporada. Nesta quinta-feira (10), ele foi confirmado como piloto da Aston Martin, nome que a Racing Point adotará de 2021 em diante. O alemão substituirá o mexicano Sergio Pérez, que anunciou na quarta-feira (9) que não permaneceria na equipe.

"É um prazer, enfim, poder compartilhar essa notícia excitante sobre o meu futuro. É uma nova aventura, por uma equipe legendária. Estou impressionado com os resultados dela neste ano e acredito que o futuro é ainda mais brilhante. A energia e o comprometimento de Lawrence [Stroll, dono da Racing Point/Aston Martin] com o esporte é inspirador e acredito que podemos construir algo bem especial juntos", declarou Vettel, em comunicado divulgado pela escuderia.

 

A temporada 2020 já seria a despedida do alemão da Ferrari, após a escuderia anunciar, em março, o espanhol Carlos Sainz, hoje na McLaren, como parceiro do monegasco Charles Leclerc a partir de 2021. Vettel chegou à equipe italiana em 2015, após quatro títulos mundiais pela Red Bull, e obteve dois vice-campeonatos (2017 e 2018), batido em ambos pelo piloto inglês Lewis Hamilton, da Mercedes. Na atual edição, ele vive o pior momento na Ferrari, na 13ª posição na classificação de pilotos, com 16 pontos, tendo um sexto lugar no Grande Prêmio da Hungria como melhor colocação.

"Todos em Silverstone [cidade britânica onde fica a sede da equipe] estão empolgados com a notícia. Sebastian é um campeão reconhecido e traz uma mentalidade vencedora, que coincide com nossa ambição para o futuro como Aston Martin. É um dos melhores do mundo e não consigo pensar em um piloto melhor para nos levar a essa nova era. Ele terá um papel significativo para levar esse time ao próximo nível", destacou no comunicado o diretor-executivo da escuderia, Otmar Szafnauer‍.

Saída de Pérez

Na nova casa, o tetracampeão terá como parceiro Lance Stroll-  filho de Lawrence, um dos proprietários da Racing Point/Aston Martin. Vettel substituirá Sergio Pérez, que, no ano passado, havia assinado contrato para três temporadas. Apesar de o diretorSzafnauer‍ ter dito à revista alemã AutoMotor Und Sport que o mexicano permaneceria na equipe, o próprio Pérez revelou o contrário.

Em nota nas redes sociais, o mexicano lembrou a chegada, há sete anos, quando a equipe tinha outro dono e se chamava Force India. Ele admitiu que a saída é "um pouco" dolorosa. "Apostei muito na equipe em momentos muito difíceis, mas conseguimos superar obstáculos e estou muito orgulhoso de ter salvado o trabalho de muitos de meus companheiros", disse  Pérez, fazendo referência à crise financeira vivida pela escuderia em 2018, que levou à compra pelo consórcio liderado por Lawrence Stroll.

 

Pérez competiu em seis das oito corridas da temporada 2020, perdendo duas,  no período em que contraiu o novo coronavírus (covid-19) e precisou ficar afastado das pistas. Ele é o 11º na classificação, com 41 pontos. Lance Stroll, presente nas oito provas, está em quarto, com 57 pontos. O canadense chegou em terceiro no GP da Itália, no último domingo (6). Na edição 2019, a primeira da dupla pela Racing Point, Pérez ficou em 10º, com 52 pontos, enquanto Stroll foi o 15º, com 21 pontos.

Neste domingo (13), às 10h10 (horário de Brasília), Vettel e Pérez, ainda representando as atuais equipes, terão pela frente o GP da Toscana, no circuito de Mugello, a casa da Ferrari. A prova marca o milésimo GP da história da escuderia italiana na Fórmula 1.

 

Mudança de nome

A mudança de nome da Racing Point passa por Lawrence Stroll. Em janeiro, o milionário canadense comprou 16,7% das ações da Aston Martin. A fabricante, parceira da Red Bull nas últimas quatro temporadas, voltará ao grid como equipe pela primeira vez desde 1960. A escuderia competiu por duas temporadas e não somou pontos.

Confira AQUI a tabela de classificação da temporada 2020 da Fórmula 1.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

MUNDO - Lewis Hamilton, que tinha garantido ontem a 93ª pole position da sua carreira, alcançou este domingo a vitória número 89 no Grande Prémio da Bélgica. O piloto britânico liderou do princípio ao fim as 44 voltas ao circuito de Spa-Francorchamps, com Valtteri Bottas sempre a segui-lo, mas sem conseguir criar real perigo ao seu domínio.

Aos dois homens da Mercedes juntou-se Max Verstappen (Red Bull) no pódio deste sétimo Grande Prémio da temporada.

A Renault conseguiu também uma corrida muito positiva com os seus dois pilotos a conseguirem ficar em quarto e quinto lugares. Daniel Ricciardo foi quarto e Esteban Ocon ficou atrás do seu companheiro de equipa. Além disso, o australiano teve ainda um ponto extra ao alcançar a volta mais rápida da prova.

Alexander Albon (Red Bull), Lando Norris (McLaren), Pierre Gasly (AlphaTauri), Lance Stroll (Racing Point) e Sergio Pérez (Racing Point) fecharam os lugares pontuáveis.

E a Ferrari? A dupla da scuderia, Sebastian Vettel e Chalres Leclerc, não conseguiu melhor que uns modestos 13.º e 14.º lugares, respetivamente. Foi um fim de semana particularmente difícil para a Ferrari, uma vez que os problemas com os tempos alcançados com o seu monolugar, o SF1000, estiveram sempre visíveis.

Segue-se o Grande Prémio de Itália, em Monza, e é preciso que a equipa italiana mude muita coisa para fazer boa figura na corrida de 'casa'.

 

 

*Por: NOTÍCIAS AO MINUTO

MUNDO - Uma semana depois do revés sofrido em casa ao terminar o GP dos 70 Anos da F1 atrás de Max Verstappen, Lewis Hamilton voltou a trilhar o caminho das vitórias. Inabalável do início ao fim, o hexacampeão triunfou no GP da Espanha, sexta etapa da temporada, disputado neste domingo (16) em Barcelona. Foi a 88ª vitória do piloto da Mercedes na carreira, ficando assim a apenas três de igualar o recorde histórico que hoje pertence a Michael Schumacher.

Max Verstappen nem de longe representou uma ameaça, mas conseguiu o feito de terminar outra corrida à frente da Mercedes de Valtteri Bottas. O piloto da Red Bull superou o finlandês na largada e jamais foi batido depois disso. Coube ao dono do carro #77 se conformar com o último degrau do pódio na Catalunha. Restou a Bottas o consolo do ponto extra pela volta mais rápida no fim da corrida.

Sergio Pérez terminou a corrida em quarto, mas só na pista. O mexicano sofreu uma punição de 5s por ignorar a sinalização de bandeiras azuis e perdeu a posição para o companheiro de equipe Lance Stroll. ‘Checo’ fechou assim a disputa em quinto, seguido pela McLaren de Carlos Sainz, dono da casa.

Sebastian Vettel, que travou discussão com seu engenheiro de pista e arriscou na estratégia com somente uma parada, terminou em sétimo com a única Ferrari que concluiu a prova, já que Charles Leclerc abandonou após sofrer problemas elétricos. Alexander Albon concluiu em oitavo após um erro de estratégia da Red Bull. Pierre Gasly, com a AlphaTauri, marcou outros 2 pontos com o nono lugar, enquanto Lando Norris, com a outra McLaren, fechou o top-10.

A Fórmula 1 volta a acelerar dentro de duas semanas na disputa do GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, sétima etapa da temporada 2020. O GRANDE PRÊMIO cobre tudo AO VIVO e em TEMPO REAL.

 

 

*Por: FERNANDO SILVA / GRANDE PRÊMIO

Em mais uma classificação dominada pela Mercedes, Valtteri Bottas impediu a 92ª pole position de Lewis Hamilton e vai largar na primeira posição no GP dos 70 anos da Fórmula 1, em Silverstone (Inglaterra). Na última volta do Q3, o finlandês foi 0s063 mais veloz e alcançou sua segunda pole na temporada. Nico Hulkenberg foi a surpresa da classificação e ficou em terceiro, com a Racing Point - o alemão substitui o mexicano Sergio Pérez, diagnosticado com coronavírus.

Max Verstappen, da RBR, ficou em quarto no grid, mas é o único dos ponteiros que vai largar com pneus mais duros, já que marcou seu melhor tempo no Q2 com este composto, enquanto seus adversários usaram os médios.

Completaram os dez primeiros colocados, da quinta à décima posições, Daniel Ricciardo (Renault), Lance Stroll (Racing Point), Pierre Gasly (AlphaTauri), Charles Leclerc (Ferrari), Alexander Albon (RBR) e Lando Norris (McLaren).

 

 O GP dos 70 anos da Fórmula 1 começa às 10h10 (de Brasília) deste domingo, com transmissão ao vivo pela TV Globo. 

Resultado do Q1 na classificação do GP dos 70 anos da Fórmula 1 — Foto: Reprodução/FOM

 

*Por: GLOBO ESPORTE

MUNDO - Numa corrida com nove abandonos, Valtteri Bottas conquistou a vitória na abertura da temporada 2020 da Fórmula 1, na Áustria. O finlandês resistiu a um ataque do companheiro Lewis Hamilton, enquanto o inglês foi punido em cinco segundos por um toque com Alexander Albon e caiu de segundo para quarto.

Com uma excelente atuação mesmo com as limitações da Ferrari, Charles Leclerc cruzou a linha de chegada em terceiro e subiu para segundo, e Lando Norris terminou em quarto e passou para terceiro, fazendo a melhor volta na última e ganhando a posição de Hamilton por menos de um segundo.

Completaram a zona de pontuação, da quinta à décima posições, Carlos Sainz (McLaren), Sergio Pérez (Racing Point), Pierre Gasly (AlphaTauri), Esteban Ocon (Renault), Antonio Giovinazzi (Alfa Romeo) e Sebastian Vettel (Ferrari).

A temporada 2020 segue no próximo fim de semana, com o GP da Estíria, no mesmo circuito de Spielberg.

 

*Por: GloboEsporte.com

MUNDO - "Fernando está motivado. Um ano fora da Fórmula 1 fez bem a ele. Ele se desintoxicou e eu o vejo mais sereno e pronto para voltar."

Com esta frase, o polêmico empresário Flavio Briatore, que cuida da carreira de Fernando Alonso, deixou claro que a possibilidade de o bicampeão mundial retornar para a categoria é cada vez maior. Uma interessante vaga para 2021 se abriu na Renault com a transferência de Daniel Ricciardo para a McLaren, e não é segredo que Alonso negocia com a equipe pela qual ganhou seus títulos.

Briatore deu sua opinião sobre o movimento que desencadeou as mudanças no mercado: a saída de Sebastian Vettel da Ferrari. A equipe italiana não renovou com o alemão e contratou Carlos Sainz. Com a saída do espanhol, a McLaren foi atrás de Daniel Ricciardo, que deixará a Renault com uma vaga que pode ficar com Alonso:

- Sainz é um bom piloto e teve um bom campeonato em 2019 se considerarmos o carro que ele tinha. A situação parece clara: a Ferrari aposta tudo em (Charles) Leclerc, e é bom porque, como tive a chance de dizer no ano passado, ele é uma futura estrela. Semelhanças com Alonso e Schumacher? Você pode ver os bons pilotos imediatamente. Lembro-me bem dos números de Michael, mesmo ainda muito jovem, com a Benetton. Houve também os contatos de Giancarlo Minardi para me contar sobre o jovem Alonso. Você entende imediatamente se alguém é especial, e Charles é. Com quatro títulos mundiais, Vettel é um dos mais bem sucedidos de todos os tempos.

Se confirmada, será a terceira passagem de Fernando Alonso pela Renault. Na primeira, ele chegou em 2002 como piloto de testes, e foi efetivado a titular em 2003, quando já fez pole e venceu pela primeira vez. Em 2005 e 2006, com um conjunto bastante competitivo, o espanhol conquistou o bicampeonato mundial, antes de entrar no desafio de pilotar pela McLaren.

Após a conturbada temporada como companheiro do estreante Lewis Hamilton na equipe inglesa, Alonso voltou para "a sua casa". Num ano que começou difícil, a Renault melhorou o carro ao longo da temporada, e o espanhol venceu duas corridas, em Singapura e no Japão. Na primeira, beneficiou-se de uma armação de Briatore, que coagiu Nelsinho Piquet a bater de propósito para causar uma entrada do safety car, e, desta forma, favorecer a estratégia montada para Alonso.

Fernando Alonso fez sua última corrida de Fórmula 1 em 2018, em Abu Dhabi, pela McLaren. De lá para cá, o espanhol se dedicou ao projeto pessoal de completar a Tríplice Coroa, ou seja, vencer o GP de Mônaco de F1 (ganhou em 2006 e 2007), as 24 Horas de Le Mans (venceu em 2018 e 2019) e as 500 Milhas de Indianápolis, que Alonso disputou em 2017 e falhou em se classificar para o grid em 2019.

Fora da F1, Alonso conquistou ainda o título do Mundial de Endurance (WEC) pela Toyota na temporada 2018/19 e participou do Rali Dakar deste ano, terminando em 13º lugar, com um segundo lugar numa das especiais também com um carro da montadora japonesa.

 

 

*Por GloboEsporte.com

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Outubro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31