fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

SANTOS/SP - Neste sábado, Santos e São Paulo fizeram um clássico muito movimentado e empataram por 2 a 2, em partida válida pela décima rodada do Campeonato Brasileiro. Muito criticado pela torcida nos últimos jogos, Gabriel Sara marcou os dois gols do Tricolor, enquanto Madson e Marinho, de falta, balançaram as redes para Peixe.

O clássico teve um primeiro tempo eletrizante. O Tricolor iniciou o jogo dominante, marcando com Gabriel Sara logo no início e criando chances para ampliar. No entanto, na primeira chegada do Santos, Madson marcou de cabeça e deixou tudo igual. Quando o Peixe crescia na partida, o São Paulo construiu boa jogada pela direita e Sara marcou seu segundo gol.

O segundo tempo foi menos animado, mas sem cair no marasmo. O Peixe voltou melhor e mais intenso do intervalo, conseguindo chegar ao gol de empate em cobrança de falta de Marinho, contando com a colaboração de Volpi. Pouco antes, a partida foi paralisada por conta de uma falha parcial no sistema de iluminação na Vila Belmiro.

Com o resultado, o Santos chegou aos 15 pontos, na sexta posição. O próximo compromisso da equipe será contra o Olimpia-PAR, na Vila Belmiro, às 21h30, pela competição continental. Enquanto isso, o São Paulo foi aos 18 pontos, na segunda colocação. Na próxima quinta-feira, o time enfrentará o River Plate, no Morumbi, às 19h, pela Libertadores.

O jogo - O São Paulo começou melhor em campo e levou perigo desde o início. Primeiro, Reinaldo avançou com liberdade e finalizou em cima de João Paulo. Logo em seguida, aos sete minutos, Luan Peres tentou sair jogando e foi desarmado por Gabriel Sara, que invadiu a área e tocou na saída do goleiro para abrir o placar.

Mesmo com a vantagem no placar, o Tricolor continuou no campo de ataque, conseguindo recuperar diversas bolas na intermediária ofensiva. Além de chutes de Vitor Bueno e Hernanes facilmente defendidos por João Paulo, Igor Vinícius perdeu grande chance ao receber lançamento de Tchê Tchê dentro da área e chutar para fora.

Mesmo acuado na partida, o Santos conseguiu empatar aos 29 minutos da primeira etapa. Sánchez bateu escanteio com precisão pela direita e Madson subiu entre dois defensores para testar e balançar as redes. Pouco depois, quase a virada: após escanteio da esquerda, Gabriel Sara desviou contra a própria meta e exigiu boa defesa de Volpi.

O Santos voltou a ter grande chance com Soteldo, que fez fila na entrada da área, entortou Léo e finalizou rasteiro, exigindo boa defesa de Volpi. No entanto, aos 37, o Tricolor conseguiu uma boa escapada e voltou a marcar. Gabriel Sara fez belo lançamento para Igor Vinícius, que avançou pela direita e cruzou rasteiro para o meia que iniciou a jogada. Sara chegou batendo de primeira e fez seu segundo gol no jogo.

Cuca mexeu duas vezes no intervalo e o Santos voltou mais intenso, levando perigo logo no início. Diego saiu jogando errado pela direita, Soteldo roubou a bola e cruzou na medida para Sánchez que testou livre à esquerda da meta de Volpi. O jogo esfriou nos minutos seguintes e o Peixe só voltou a chegar nos 20, quando Lucas Lourenço arriscou chute perigoso de fora da área.

Como o sistema de iluminação da Vila Belmiro teve uma queda, a partida ficou paralisada por cerca de 15 minutos. Logo no retorno, Marinho sofreu uma falta na intermediária e ele mesmo bateu. Volpi decidiu inverter a barreira e, na finalização forte do atacante do Peixe, ficou sem reação no meio do gol, aceitando o chute. 2 a 2 no placar.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

SÃO PAULO/SP - A derrota por 2 a 0 para o Palmeiras na última quinta-feira (10), na Neo Química Arena, custou o emprego de Tiago Nunes. Nesta última sexta-feira (11), o Corinthians anunciou a demissão do técnico de 40 anos. Assim, no próximo domingo (13), às 16h (horário de Brasília), contra o Fluminense, no Maracanã, pela Série A do Campeonato Brasileiro, o time será dirigido por Dyego Coelho, treinador da equipe sub-20.

Tiago Nunes foi anunciado no Corinthians em novembro do ano passado, com o Brasileiro ainda em andamento, mas só assumiu a equipe em janeiro. Em 28 partidas, foram 10 vitórias, 10 empates e oito derrotas, com aproveitamento de 47,6%. Ele deixa o clube com um vice-campeonato paulista, superado justamente pelo Palmeiras na final, e a 13º posição da Série A, com nove pontos.

O técnico chegou ao Parque São Jorge credenciado pelo bom trabalho no Athletico-PR, onde conquistou a Copa Sul-Americana (2018) e a Copa do Brasil (2019), além do bicampeonato paranaense. No Corinthians, a missão era tornar a equipe menos reativa e mais propositiva e envolvente. O trabalho, porém, acumulou frustrações.

Com Tiago, o Timão foi eliminado na fase preliminar da Libertadores pelo Guaraní (Paraguai). No Paulista, apesar da classificação à final, o desempenho irregular no torneio chamou atenção. A duas rodadas do fim da etapa de grupos, o Alvinegro estava cinco pontos atrás do Guarani e ameaçado de sequer chegar às quartas de final. Em meio às fracas exibições, a derrota para o Palmeiras, com domínio total das ações pelo time alviverde, tornou a permanência do técnico insustentável.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

SÃO PAULO/SP - A Copa Libertadores tem uma nova casa na TV aberta brasileira: o SBT. A emissora de Silvio Santos fechou acordo com a Conmebol, tomou o tradicional lugar da Rede Globo e transmitirá a principal competição sul-americana até 2022.

O SBT terá o direito de transmitir dois jogos por rodada, sempre às quartas-feiras no horário das 21h30 (de Brasília). A emissora vai herdar as partidas que a Globo já havia escolhido previamente antes de romper o seu contrato com a Conmebol.

Desta forma, os jogos de estreia do SBT serão os de Palmeiras e Grêmio na próxima quarta-feira. O time do técnico Vanderlei Luxemburgo visita o Bolívar, em La Paz, pela terceira rodada do Grupo B. A equipe de Renato Gaúcho encara a Universidad Católica, também como visitante, no Chile, pelo Grupo E.

O torneio continental será retomado na próxima terça-feira após um longo período de paralisação por causa da pandemia do novo coronavírus. Os últimos jogos haviam sido disputados no dia 12 de março.

Na semana passada, o Estadão já havia confirmado a notícia de que Conmebol e SBT negociavam os direitos de transmissão do torneio. Na ocasião, restavam alguns trâmites burocráticos para que o acordo fosse assinado, o que aconteceu nesta semana.

Com o pacote de jogos livre no mercado, a Conmebol procurou outras emissoras interessadas na transmissão do torneio. A negociação mais bem sucedida foi com o SBT, que possui alcance significativo em território nacional e já mostrou ser bem sucedida em transmissões de futebol neste ano com a exibição da final do Campeonato Carioca.

Como a redução do valor de contrato não foi aceita pela Conmebol, o SBT deve pagar a mesma quantia que seria paga previamente pela Globo. Ou seja, cerca de U$ 60 milhões (R$ 316 milhões na cotação atual) devem ser pagos pela emissora de Silvio Santos por ano à entidade para a exibição dos jogos.

 

 

*POR: ESTADÃO CONTEUDO

NOTÍCIAS AO MINUTO

SANTOS/SP - O Santos venceu o Atlético-MG por 3 a 1 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. A partida marcou o reencontro do Peixe com Jorge Sampaoli.

Os gols do Alvinegro foram marcados por Arthur Gomes e Marinho (2). O Galo fez o dele com Franco. A expulsão do goleiro Rafael, aos 15 minutos do primeiro tempo, facilitou as coisas para o Santos, que teve 11 desfalques e Jobson improvisado como zagueiro.

Com a segunda vitória consecutiva, o Santos pula para a sexta colocação, com 14 pontos, um a menos que o Atlético-MG, o quarto na tabela.

O Peixe voltará a campo para o clássico contra o São Paulo, sábado, novamente na Vila Belmiro. O Atlético-MG receberá o Red Bull Bragantino no domingo, no Mineirão.

O JOGO

O primeiro tempo foi muito movimentado na Vila Belmiro. E o Atlético-MG dominou as primeiras ações e teve diversas chances para abrir o placar.

Aos 3, João Paulo salvou em finalização de Eduardo Sasha. No rebote, Felipe Jonatan evitou o gol de Savarino. No minuto 5, Marrony teve duas chances de chutar e foi travado.

Quando o placar marcava sete jogados, o Santos respondeu. Soteldo fez jogada individual e cruzou para Marinho. O atacante chutou travado e a bola passou perto da trave.

Aos 12, a melhor oportunidade do Galo. Savarino e Eduardo Sasha, quase na pequena área, chutaram para grandes defesas de João Paulo.

No minuto 15, tudo mudou. Mariano recuou mal, Rafael saiu desesperado do gol e foi expulso por falta dura em Marinho. Sem o goleiro, Jorge Sampaoli precisou tirar Marrony e recompor a defesa com Victor.

Sem ritmo de jogo, o goleiro reserva falhou. Arthur Gomes rabiscou e chutou fraco no meio. O experiente atleticano aceitou por baixo das pernas. 1 a 0 para o Peixe aos 21.

No minuto 25, Eduardo Sasha apareceu de novo. Ele aproveitou erro de Jobson e finalizou, mas o próprio volante (improvisado como zagueiro) consertou na linha.

Aos 28, nova polêmica com a arbitragem. Arthur Gomes tenta driblar Júnior Alonso, que intercepta com o braço. O juiz teve o auxílio do VAR e mandou seguir.

Com 34 jogados, o Atlético empatou. Jobson errou passe infantil, Sasha armou o contra-ataque e serviu Franco. A bola desviou em Alex e matou João Paulo. 1 a 1.

Mesmo com um a mais, o Santos não conseguiu controlar a partida, mas foi efetivo. A resposta veio rápido, aos 38, quando Sánchez lançou Madson. O lateral-direito cruzou para Marinho aparecer como um centroavante e desempatar. 2 a 1.

Ainda deu tempo para Madson ter gol bem anulado por impedimento e Eduardo Sasha ficar perto de novo empate em finalização cruzada nos acréscimos.

SEGUNDO TEMPO

A etapa final começou com muito menos intensidade (e chances claras de gol). O Santos melhorou a marcação e ofereceu menos espaços ao Atlético-MG.

A emoção só voltou ao jogo no minuto 26. Marinho recebeu sozinho, avançou e fez o gol. A arbitragem marcou o impedimento e confirmou a decisão depois de demora no VAR.

Uma discussão na área técnica fez Arzul, preparador de goleiros do Santos, e Pablo Fernández, preparador físico do Atlético-MG, serem expulsos. Jorge Sampaoli levou o cartão amarelo e está suspenso para a partida contra o Red Bull Bragantino.

Nos minutos finais, o Santos conseguiu administrar a partida e confirmou a vitória com gol de pênalti de Marinho, nos acréscimos após auxílio do VAR. O Peixe terminou o jogo com cinco da base: João Paulo, Derick, Wagner Leonardo, Ivonei e Arthur Gomes.

 

 

*POR: Lucas Musetti Perazolli / GAZETA ESPORTIVA

MUNDO - A edição 2020 da Supercopa Europeia, que reúne os vencedores da Liga dos Campeões e da Liga Europa, marca o retorno do público em competições organizadas pela União das Associações Europeias de Futebol (Uefa) em meio à pandemia do novo coronavírus (covid-19). O duelo entre Bayern de Munique (Alemanha) e Sevilla (Espanha) será disputado no próximo dia 24 de setembro, às 16h (horário de Brasília), na Puskas Arena, em Budapeste (Hungria).

Segundo a Uefa, a presença de torcedores será limitada a 30% da capacidade do estádio, ou seja, pouco mais de 20 mil pessoas. O jogo funcionará como teste para a entidade, que tenta viabilizar a volta do público aos torneios por ela realizados. As fases finais da Liga Europa e da Liga dos Campeões (masculina e feminina) ocorreram com portões fechados, como tem sido na Liga das Nações, torneio de seleções disputado durante as datas Fifa, que começou na última quinta-feira (3).

O público deverá cumprir algumas exigências, como a manutenção de distância de 1,5 metro entre torcedores, uso de máscara (cobrindo rosto e nariz) frequentemente, estar com temperatura corporal abaixo de 37,8ºC e respeitar o número do assento indicado no ingresso. A Uefa também orienta o não comparecimento de pessoas que apresentem sintomas da covid-19, que tenham testado positivo ou tido contato com alguém contaminado menos de 14 dias antes da partida. A entidade se compromete a reembolsar o torcedor.

A Uefa ainda avisa que torcedores que não morem na Hungria serão avaliados na chegada e terão de comprovar que não estão infectados, apresentando o resultado de exames feitos três dias antes da viagem. Além disso, os visitantes serão obrigados a deixar o país em, no máximo, 72 horas. Ainda conforme a instituição, 500 profissionais de saúde húngaros serão convidados para acompanhar o jogo, “como prova do reconhecimento de seu trabalho duro desde o início da pandemia de covid-19”.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

SÃO PAULO/SP - O Corinthians superou o Cruzeiro por 4 a 1, no Parque São Jorge nesta segunda (7), na conclusão da sétima rodada da Série A1 (primeira divisão) do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. O jogo foi marcado por belos gols, das duas equipes, que realizaram uma partida equilibrada, apesar do placar dilatado a favor do time da casa.

O resultado levou o Timão aos mesmos 18 pontos do Santos, mas na segunda posição do Brasileiro, por ter um saldo de gols inferior às Sereias da Vila (16 a 11). A Raposa, com nove pontos, caiu para o 12º lugar, no limite da zona de rebaixamento. As mineiras têm dois pontos a mais que o Minas Icesp, primeiro time no Z-4.

Com dificuldades para penetrar na área cruzeirense, o Corinthians apostou em jogadas de linha de fundo e chutes de fora da área. Foi assim que o time de Arthur Elias abriu o placar. Aos 30 minutos, a zagueira Evelyn até afastou o cruzamento da lateral Paulinha, mas, na sobra, a meia Gabi Zanotti se antecipou à marcação, matou no peito, esperou a bola quicar e acertou o ângulo esquerdo. Golaço.

A Raposa respondeu nos acréscimos do primeiro tempo. A zagueira Giovanna Campiolo se enrolou com a bola e foi desarmada por Micaelly. A atacante cruzeirense invadiu a área pela esquerda, esperou a chegada da marcação e bateu no contrapé da goleira Lelê, com categoria, deixando tudo igual.

O Alvinegro não diminuiu o ritmo na etapa final, passando a encontrar mais espaços na defesa adversária. Logo aos três minutos, Gabi Zanotti deu um lançamento preciso para Cacau, que disparou às costas da zaga. A atacante chutou de sem-pulo, cruzado, marcando o segundo do Timão. Outro golaço.

Com a partida controlada, o Corinthians chegou ao terceiro gol aos 29 minutos, com duas jogadoras que saíram do banco de reservas. A lateral Tamires cruzou da esquerda e a atacante Gabi Portilho, quase na pequena área, apareceu batendo de primeira, no cantinho oposto da goleira Mary Camilo.

Aos 40 minutos, o Cruzeiro teve a chance de diminuir com Micaelly. Porém, a atacante, cara a cara com Lelê, ao tentar tirar a bola da goleira, chutou para fora. A punição veio aos 46, após cobrança de escanteio pela direita. A bola sobrou na pequena área e atacante Pâmela desviou de cabeça para o gol.

As equipes voltam a jogar pelo Brasileiro na quinta-feira (10). Às 17h (de Brasília), o Cruzeiro recebe o Vitória, enquanto o Corinthians visita o Internacional, às 19h30.

Confira a classificação da Série A1 do Brasileiro Feminino.

 

 

Por: Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e da Rádio Nacional

*AGÊNCIA BRASIL

MUNDO - Nos últimos 20 anos, Messi e Barcelona foram sinônimo de vitórias, títulos e futebol jogado no mais alto nível. Assim, a notícia de que o craque argentino teria pedido para deixar o clube catalão foi recebida com um misto de surpresa, expectativa e lamento.

Surpresa com a decisão tão drástica do atacante. É verdade que, na últimas temporadas, o craque argentino já vinha dando vários sinais de que não andava satisfeito com o caminho tomado pela direção do clube catalão (com equívocos na contratação de técnicos e jogadores), mas nada levava a crer que ele poderia tomar uma atitude como esta.

A expectativa era como o Barcelona lidaria com a questão (no final o time da Catalunha foi inflexível, e afirmou que só aceitava liberar Messi com o pagamento da multa rescisória de 700 milhões de euros) e na definição de qual clube o argentino escolheria para desfilar sua genialidade. Entre os possíveis destinos apareciam PSG, Inter de Milão, Juventus e Manchester City, mas todos ficaram apenas na vontade.

Porém, o sentimento que prevaleceu foi o de lamento. Lamento pela possibilidade de fim de uma relação tão bonita e vitoriosa de forma tão triste e traumática, tendo como ponto final uma separação litigiosa (possivelmente nos tribunais), após uma vexatória derrota de 8 a 2 para o Bayern de Munique que valeu a desclassificação do Barça na última edição da Liga dos Campeões.

Quem acompanha futebol sabe que a fórmula Messi e Barcelona ofereceu ao mundo alguns dos momentos mais brilhantes do esporte nas últimas duas décadas.

Assim, mesmo contrariado, a decisão do craque argentino de permanecer no time catalão parece a mais acertada.

Como toda relação, a união entre Messi e Barcelona pode até chegar ao fim algum dia, mas este casamento merece um final melhor, que ofereça aos apaixonados pelo futebol uma lembrança mais bonita.

 

 

* Fábio Lisboa é jornalista da TV Brasil. Este texto não reflete, necessariamente, a opinião da Agência Brasil.

*Fábio Lisboa / Agência Brasil

MUNDO - Após uma reunião que durou quase o dia inteiro com o presidente do Barcelona, Jorge Messi, pai e agente do camisa 10, mudou o discurso. Agora já começa a admitir que o filho deve continuar no clube e cumprir o último ano de contrato, até 30 de junho de 2021.

A informação é do jornal “Deportes Cuatro”, em reportagem publicada nesta quinta-feira (3).

O periódico conseguiu arrancar um enigmático “Seh” de Jorge Messi minutos após a reunião, quando o argentino estava regressando para a mansão da família, em Barcelona. Ele foi ao encontro acompanhado do filho Rodrigo e do advogado Jorge Pecur.

Mas, além da palavra incompreesível de Jorge, o jornal apurou que o encontro com o presidente Josep Maria Bartomeu e o executivo Javier Bordas teve sim um encaminhamento mais favorável ao desejo do Barcelona.

O estafe de Messi entende que dificilmente conseguirá fazer valer a cláusula que lhe permitia sair do clube sem o pagamento da multa de 700 milhões de euros (R$ 4,5 bilhões). Afinal, pelo contrato, ele deveria ter comunicado o desejo até o último 10 de junho.

Como não há clube no mundo que possa arcar com o valor de 700 milhões de euros --os interessados no argentino, Manchester City, Paris Saint-Germain, Inter de Milão e Juventus, não teriam o valor e ainda seriam punidos pela regra do Fair Play Financeiro-- a tendência é que ele fique esta temporada, até o final do contrato, e saia depois de graça.

A situação não é vista como uma “derrota” pelo estafe do craque, segundo o jornal. Há um entendimento que ele teria a chance de ter uma temporada de despedida pelo único clube da carreira, evitando, assim, sair pela porta dos fundos.

Além disso, com a possível permissão para a volta do público aos estádios, Messi teria a chance de dar o adeus à torcida dentro do Camp Nou. Quem sabe, como uma temporada vitoriosa para ele e para o clube.

A publicação diz ainda que Messi demonstrou interesse em defender o City, do ex-técnico e mentor Pep Guardiola, e a Juventus, onde está Cristiano Ronaldo e possível destino do amigo e ainda companheiro de Barcelona Luís Suárez.

Vale lembrar que, embora tenha tido mais êxito no encontro, o desejo do Barcelona ainda não está completa. A diretoria quer conseguir uma renovação por mais duas temporadas com o argentino.

Há muitos dirigentes e conselheiros do clube blaugrana que defendem que tudo seja feito para assegurar que Lionel Messi fique para sempre no clube, colaborando com algum cargo diretivo quando decidir pendurar as chuteiras.

 

 

*Por: ESPN.com.br

SANTOS/SP - O Santos empatou em 2 a 2 com o Vasco na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols do Peixe foram de Lucas Veríssimo e Marinho. O Cruzmaltino empatou com Fellipe Bastos e Cano.

O Alvinegro sofreu novamente com o VAR – contra o Flamengo, dois gols foram anulados. O gol de Fellipe Bastos foi invalidado corretamente por impedimento. A consulta ao vídeo fez o lance ser validado após cinco minutos.

No segundo tempo, os visitantes empataram com pênalti convertido por Cano. O juiz não havia marcado a penalidade. Ao olhar a tela, apontou toque no braço de Alison – a bola bateu antes na cabeça do volante.

Com mais um tropeço em casa, o Santos vai para a 11ª colocação, com oito pontos. O Vasco é o terceiro, com 11 somados na tabela.

O Peixe voltará a campo para enfrentar o Ceará, sábado, no Castelão. O Vasco receberá Athletico no domingo, em São Januário.

O JOGO

O Vasco criou a primeira chance do jogo. E com menos de um minuto! Felipe Jonatan errou na saída de bola, Cano invadiu a área e acertou o travessão.

O Santos só teve uma oportunidade de gol quando abriu o placar. Soteldo recebeu uma sobra de escanteio, entortou a marcação e cruzou na cabeça de Lucas Veríssimo aos 20 minutos. 1 a 0.

O jogo estava truncado e com pouco espaço nas defesas. Até que o Cruzmaltino aproveitou bem a bola parada. Fellipe Bastos recebeu no segundo pau e marcou. A princípio, a arbitragem marcou impedimento. Cinco minutos depois, o VAR confirmou o empate dos visitantes.

Soteldo domina bola na entrada da área, pelo lado esquerdo, e dança na frente do marcador. Vai para lá, vem para cá e cruza na área. Lucas Veríssimo cabeceia muito bem e abre o placar.

Defesa do Santos erra a saída e deixa Cano em boas condições. Centroavante do Vasco acerta o travessão do gol defendido por João Paulo.

SEGUNDO TEMPO

O Santos voltou para a etapa final com Luan Peres na vaga de Jobson. Cuca “corrigiu” a escalação após entrar com Alison como zagueiro.

O Peixe teve um início melhor. Aos dois minutos, Pará bateu de fora da área com perigo. No minuto 4, Soteldo cobrou falta e Fernando Miguel fez boa defesa.

Aos 13 minutos, o Santos desempatou. Marinho cobrou falta com perfeição. O goleiro Fernando Miguel nem se mexeu. 2 a 1 na Vila.

Quando o placar marcava 22, Alison afastou cobrança de escanteio com toque na braço (antes ele tocou com a cabeça). Após nova consulta no VAR, a arbitragem marcou pênalti. Cano converteu aos 17. 2 a 2.

Pilhado com os gols sofridos e bem marcado, o Santos não criou nenhuma chance clara até o apito final. O Vasco administrou o empate e quase virou no fim, com Carlinhos.

 

 

*Por:Lucas Musetti Perazolli /  GAZETA ESPORTIVA

SÃO PAULO/SP - O confronto entre Palmeiras e Internacional, sonolento na maior parte do tempo, teve um inesperado final emocionante. Em cobrança de pênalti marcado com ajuda do VAR, o time colorado saiu na frente no Allianz Parque, mas a equipe da casa ainda conseguiu empatar por 1 a 1.

Com 16 pontos ganhos, três a mais do que o São Paulo, o Internacional permanece instalado no primeiro lugar do Campeonato Brasileiro. Já o Palmeiras contabiliza 10 pontos em seis partidas e figura no sétimo posto da tabela de classificação.

Pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro, às 11 horas (de Brasília) deste domingo, o Palmeiras volta a campo para enfrentar o Red Bull Bragantino, no Estádio Nabi Abi Chedid. O Internacional, por sua vez, encara o Bahia às 16 horas do mesmo dia, no Beira-Rio.

O Jogo – Apesar das várias mudanças feitas pelo técnico Eduardo Coudet, o Inter conseguiu assustar primeiro no Allianz Parque. Após cobrança de escanteio da direita, Patrick ajeitou e finalizou de meia bicicleta. A bola saiu com perigo, à esquerda do gol de Weverton.

O Palmeiras também conseguiu criar uma única oportunidade de gol durante o primeiro tempo. Gabriel Menino cruzou da direita e Rodinei evitou a finalização de Luiz Adriano. Na sobra, de frente para o gol, Viña completou de fora da área e viu a bola sair por cima da meta de Marcelo Lomba.

A etapa inicial do confronto disputado no Allianz Parque foi de poucas emoções, já que os dois times sofreram para articular boas jogadas no campo de ataque. Os primeiros 45 minutos tiveram alguns lances duros, e o árbitro Wilton Pereira Sampaio mostrou quatro amarelos, dois para cada equipe.

Palmeiras e Internacional mexeram para o segundo tempo, já que Edenilson entrou no lugar de Praxedes e Rony substituiu Gabriel Menino, que tomou pancada no tornozelo durante a etapa inicial. O panorama da partida, porém, continuou igual.

O Inter levou algum perigo ao Palmeiras no segundo tempo por meio de jogada de bola parada. Em cobrança de falta, Boschilia bateu direto e o goleiro Weverton defendeu em cima da linha. Os atletas do time colorado reclamaram, mas VAR revisou o lance e não detectou gol.

Nos acréscimos, em cruzamento vindo da esquerda, a bola tocou no braço de Luan e o árbitro Wilton Pereira Sampaio Sampaio após ver o lance no monitor. Na cobrança, Thiago Galhardo converteu. Pouco depois, Gustavo Gomez cruzou da direita e Luiz Adriano completou de cabeça para empatar.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30