fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

SANTOS/SP - O Santos foi derrotado pelo Flamengo por 1 a 0, neste domingo (30), na Vila Belmiro, em jogo válido pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Os santistas reclamaram bastante da arbitragem em razão da anulação de dois gols, após análise do VAR, e viram o ex-ídolo da própria torcida Gabigol ser o carrasco do time ao marcar o gol da equipe rubro-negra.

A vitória coloca o Flamengo na nona posição do Brasileirão, agora com 8 pontos — a equipe se mantinha incomodamente na parte debaixo da tabela. Já o Santos permanece com 7 pontos, em 10º lugar.

 

VAR polêmico

Logo aos 3 minutos, o latera Pará recebe de Marinho na direita e cruza para o atacante Raniel, livre de marcação, tocar para as redes. O santista estava um pouco à frente da linha da bola e o lance foi impugnado.

Porém, a jogada mais polêmica ocorreu aos 15 minutos. Em cobrança de falta pelo lado direito do ataque, Marinho cruzou na área, a bola passou por todos e entrou no gol de Diego Alves sem tocar em ninguém.

Porém, o árbitro Wilton Pereira Sampaio foi acionado pelo VAR e entendeu que o volante Jobson, que estava impedido, subiu em direção à bola e, portanto, tentou participar da jogada. A revisão provocou a paralisação do jogo por cerca de quatro minutos.

Aos 50 minutos, Felipe Jonatan perdeu a bola no ataque e proporcionou um contra-golpe fulminante do Flamengo, que resultou no gol de Gabriel Barbosa, ex-jogador do Santos e aniversariante do dia. A comemoração do atacante causou muita confusão e reclamação por parte dos santistas.

Na segunda etapa, o Santos teve o domínio da bola, mas não conseguiu reverter a superioridade em gols. Já o time carioca perdeu o goleiro Diego Alves (contundido) — que fazia grande partida — e procurou explorar os contra-ataques.

O técnico Domènec Torrent colocou o reserva Cesar no gol e também fez alterações para manter o ritmo da equipe. Mas a intenção era mesmo suportar a pressão santista e garantir uma vitória que aliviaria o ambiente na Gávea.

Mesmo assim, o Flamengo teve a melhor chance do segundo tempo, novamente com Gabigol. O centroavante perdeu um gol incrível após cruzamento da direita. O goleiro João Paulo já estava batido, mas o atacante errou a finalização praticamente dentro da pequena área.

 

Próximos jogos

O Santos voltará a campo na próxima quarta-feira (2), novamente na Vila Belmiro, às 21h30, contra o Vasco. No mesmo dia, às 20h30, o Flamengo visitará o Bahia, no estádio de Pituaçu, em Salvador.

 

 

*Por: Cesar Sacheto, do R7

SÃO PAULO/SP - Brenner, nos acréscimos do segundo tempo, garantiu a vitória por 2 a 1 do São Paulo sobre o Corinthians na manhã deste domingo, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. Antes do jovem são-paulino se tornar herói, Cássio e Tiago Volpi falharam nos gols de Hernanes e Ramiro.

O resultado levou o Tricolor à terceira vitória seguida. O tabu do São Paulo de não perder para o arquirrival no Morumbi desde 2010 pelo Brasileirão também foi mantido. Já o Corinthians conheceu sua primeira derrota em clássico na temporada 2020.

O placar levou o São Paulo à vice-liderança, com 13 pontos, e deixou o Corinthians em 13º, com apenas cinco pontos – com um jogo a menos.

Tiago Nunes e Fernando Diniz iniciaram o clássico com novidades nas equipes. No Corinthians, Ramiro voltou a ser titular, enquanto o São Paulo teve Liziero na lateral esquerda.

O resumo do primeiro tempo foi um domínio completo dos mandantes. Apesar disso, o gol saiu em uma cobrança de falta de Hernanes. Cássio foi pego de surpresa, falhou e viu a bola entrar no meio do gol.

O Timão chegou ao empate depois da parada para hidratação. Cantillo teve tranquilidade para receber uma sobra de bola no meio de campo, girar e lançar para Ramiro. O chute mascado e cruzado do volante também contou com a colaboração de Tiago Volpi.

Na etapa final, com a temperatura na casa dos 29ºC, os espaços apareceram e as substituições deixaram a partida aberta e imprevisível. Tiago Nunes aproveitou para promover a estreia de Rómulo Otero.

No fim, quem se deu bem foi o São Paulo, que chegou ao gol da vitória aos 46 minutos. Brenner, livre dentro da área, cabeceou sem chances para Cássio.

Na próxima rodada, o Corinthians vai encarar o Goiás, na Serrinha, em Goiânia, às 19h15 da próxima quarta-feira. No dia seguinte, o São Paulo vai ao Mineirão para pegar o Atlético-MG às 20h.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

MUNDO - Da França para Inglaterra, esse é o caminho que será percorrido por Thiago Silva. O Chelsea anunciou nesta sexta-feira (28) a contratação do zagueiro, que atuou nas últimas oito temporadas pelo Paris Saint-Germain (PSG). O jogador, de 35 anos, assinou contrato de um ano, com cláusula de renovação automática para permanecer por mais uma temporada.

“Estou muito feliz por ingressar no Chelsea. Estou encantado por fazer parte da equipe empolgante de Frank Lampard para a próxima temporada. Estou aqui lutar por títulos. Vejo vocês em breve, torcedores do Chelsea. Estou ansioso para jogar no Stamford Bridge “, disse o atleta em nota oficial do clube.

Por meio do Twitter, o Blues desejou boas vindas ao atleta e publicou vídeos do zagueiro com a nova camisa.

 

Thiago Silva chega a Premier League com a bagagem cheia de títulos pelo PSG. Defendendo a equipe parisiense foi heptacampeão no Campeonato Francês. Além disso, levou cinco Supercopas da França, seis Copas da Liga e cinco Copas da França. Apesar de não ter levantado o troféu da última edição da Liga dos Campeões, participou da melhor campanha do clube na história da competição. O Paris Saint Germain terminou na vice-colocação após perder na final para o Bayern de Munique (Alemanha) de 1 a 0.

O zagueiro também tem vasta experiência na seleção brasileira, tendo disputado as Copas do Mundo de 2014 (Brasil) e 2018 (Rússia). Com a camisa verde-amarela conquistou dois títulos, a Copa das Confederações em 2013 e a Copa América em 2019.

 

 

*Por: Rafael Monteiro - Repórter da Rádio Nacional

*Agência Brasil

SÃO PAULO/SP - Não foi dessa vez que Otero estreou pelo Corinthians. Apesar da expectativa, o venezuelano ficou o tempo todo no banco de reservas na noite desta quarta-feira. Quem entrou e decidiu foi Luan. Um golaço do camisa 7 sacramentou o empate por 1 a 1 dentro da Arena, em Itaquera, diante do Fortaleza, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro.

Para tentar dar mais velocidade e qualidade ao time alvinegro, Tiago Nunes ousou. Sacou Gabriel e Ramiro e apostou em Éderson e o jovem Ruan entre os titulares.

Apesar do bom início, o time não conseguiu manter o ritmo sequer por todo o primeiro tempo. O maior problema se deu na execução das jogadas. A enxurrada de passes e chutes errados minaram qualquer possibilidade de abertura do placar.

Na etapa final, quando Luan e Vital entraram, o Fortaleza foi quem deu a melhor resposta. A defesa do Corinthians não conseguiu vencer o duelo pelo alto no meio de campo e a bola chegou até Romarinho, dentro da área, que empurrou para as redes.

O empate surgiu graças a capacidade técnica de Luan, que pouco antes havia mandado uma na trave.

Tão criticado e cobrado nos últimos dias, o camisa 7 acertou um chute no ângulo, de primeira, da entrada da área. Um golaço, que fez até com que Cássio atravessasse todo o campo para dar moral ao meia. Uma cena sintomática e incomum.

A pressão final dos mandantes, no entanto, não aconteceu, o empate prevaleceu e o gosto mais amargo pelo resultado ficou para os corintianos.

Na próxima rodada, o Timão vai encarar o São Paulo, domingo, às 11h, no Morumbi. O Leão vai receber o Bragantino, às 21 horas, no sábado.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

MUNDO - Segundo o repórter Marcelo Bechler, do Esporte Interativo, Lionel Messi já decidiu seu destino. E ele será novamente ao lado de Pep Guardiola. De acordo com a reportagem, Messi optou por ir ao Manchester City e agora busca uma rescisão com o Barcelona.

Pep Guardiola e Lionel Messi tiveram uma conversa por telefone na semana passada para discutir a possibilidade de que o capitão do Barcelona feche com o Manchester City, fontes distintas confirmaram à ESPN.

O jogador de 33 anos comunicou nesta terça-feira ao Barça sua intenção de ir embora neste verão, apesar de ter contrato até junho de 2021. A ESPN havia adiantado no começo da semana que o City estava fazendo contas para saber se poderia contratar o craque sem romper as regras do fair play financeiro.

O City via como "impossível" a operação nas janelas anteriores de transferências, mas diversas fontes confirmaram à ESPN que o clube ficou mais otimista desde a conversa entre Guardiola e Messi. O técnico expôs ao craque o projeto e o que esperaria dele no novo clube.

Essa ligação aconteceu dias depois da humilhante derrota do Barcelona para o Bayern de Munique, por 8 a 2, pelas quartas de final da Champions League. No dia seguinte, o City também disse adeus ao sonho do título europeu, ao cair para o Lyon.

Apuração da ESPN também dá conta de que, antes da ligação entre Guardiola e Messi, dirigentes do clube inglês entraram em contato com pessoas do estafe do jogador, já que sabiam que o argentino tinha dúvidas acerca do projeto do Barcelona, antes mesmo da derrota em Lisboa.

Agora, como adiantou a ESPN, faltaria ao City ver se é economicamente viável fechar com o jogador mais bem pago do mundo sem burlar regras da Fifa. Nesse sentido, será fundamental saber se Messi deixará o Barcelona de graça ou se será preciso negociar uma diminuição da cláusula de 700 milhões de euros (R$ 4,5 bilhões) prevista em contrato.

O argentino pretende exercer a cláusula que permite rescindir o contrato unilateralmente ao fim de cada temporada. Por outro lado, o Barcelona entende que essa cláusula específica expirou em 10 de junho, e vai exigir o pagamento da multa rescisória de qualquer clube interessado.

Thomas Tuchel, técnico do Paris Saint-Germain, também falou recentemente que Messi seria "bem vindo" à sua equipe. Espera-se ainda que outros clubes se juntem à caça de Messi, caso ele realmente deixe o Barça de graça. No entanto, pelas horas de tempo planejando, o time dirigido por Guardiola surge como favorito para conseguir a transferência.

 

 

*Por: ESPN.com.br

SANTOS/SP - Quando o apito soar no gramado da Vila Belmiro, às 14h (horário de Brasília) desta quarta-feira (26), dando início à partida entre Santos e Audax, chegará ao fim uma espera de 164 dias, ou cinco meses e meio, pela volta da Série A1 (primeira divisão) do Campeonato Brasileiro de Futebol Feminino. A competição foi interrompida em 15 de março, durante a quinta rodada, em decorrência da pandemia do novo coronavírus (covid-19).

Como a doença ainda não está controlada no território nacional, o retorno do torneio terá de ser realizado sem a presença de público e sob rigoroso protocolo sanitário, com várias diretrizes para os jogos. Entre as normas estão o acesso restrito a campo e vestiários; a realização de exames da covid-19 custeados pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF); aferição da temperatura na chegada ao estádio, de todas as pessoas envolvidas na realização do jogo; o uso frequente de máscaras (com exceção dos atletas em campo); e a higienização com álcool em gel.

Os procedimentos são os mesmos adotados no Brasileirão masculino, incluindo as mudanças feitas após a primeira rodada da Série A, como testagem de todo o elenco 72 horas antes da partida, e entrega dos resultados dos testes à CBF até 24 horas antes do jogo pelo time mandante, e até 12 horas antes da viagem, no caso do visitante. "À princípio, vamos seguir o mesmo protocolo. À medida que as rodadas forem ocorrendo e os resultados aparecendo, ai sim, a gente vai verificar a necessidade ou não de mudança de programas de testagem", diz à Agência Brasil Jorge Pagura, o coordenador médico da entidade.

Além do jogo na Vila, outras duas partidas movimentam esta quarta (26) pela quinta rodada do Brasileiro feminino. Às 15h30, o Internacional recebe o Flamengo no Sesc Campestre. Já às 19h30, Corinthians e Ferroviária reeditam a final do ano passado no Parque São Jorge. A sexta rodada tem inicio no sábado (29) e vai até segunda-feira (31), com os seguintes duelos:

Sábado (29)

 

14h - Cruzeiro x Grêmio (Mineirão)

15h - Ponte Preta x Palmeiras (Moisés Lucarelli)

20h30 - Vitória x Iranduba (Barradão)

 

Domingo (30)

 

14h - São Paulo x Minas Icesp (CFA de Cotia)

15h - Avaí/Kindermann x Santos (Carlos Alberto Costa Neves)

15h - Ferroviária x Internacional (Fonte Luminosa)

15h - Audax x São José (José Liberatti)

 

Segunda-feira (31)

19h - Flamengo x Corinthians (a definir)

 

Caras novas

A pandemia da covid-19 impactou as equipes do Brasileiro Feminino de forma diversa. Santos e São Paulo, por exemplo, voltaram aos treinos com o mesmo grupo de antes da paralisação. Se por um lado o Palmeira perdeu Bia Zaneratto, atacante da seleção brasileira, que estava emprestada pelo Wuhan Xinjiyuan (China), por outro se reforçou com atletas que atuavam no exterior: a zagueira Janaína Queiroz, ex-Braga (Portugal) e a meia-campista Camilinha, ex-Orlando Pride (Estados Unidos). Esta última, também jogadora da seleção verde e amarela.

"Saí do Brasil tem quatro anos, para jogar no Orlando e, desde minha chegada, vejo grandes mudanças [de estrutura no futebol feminino]. No Palmeiras, isso é nítido. Acho que a gente, que está vindo de fora, pode somar e trazer uma experiência grande", destacou Camilinha, em entrevista coletiva.

Ex-clube da meia-campista no Brasil, o Corinthians também foi atrás de novidades durante a paralisação, acertando o retorno da lateral Yasmin, que estava no Benfica (Portugal). A lateral Daiane, que também estava no clube português, assinou com a Ferroviária, atual campeã e líder da competição nacional. A experiente jogadora, de 34 anos, foi capitã do time grená nos títulos da Copa do Brasil e do Brasileiro, em 2014, e da Libertadores, em 2015.

No Internacional, o reforço veio dos Emirados Árabes: a atacante Rafa Travalão, de 32 anos, que defendia o Abu Dhabi SC. Já o Flamengo foi outro a apostar na experiência ao trazer a zagueira Cida, de 34 anos. Ao mesmo tempo, promoveu quatro jovens da equipe sub-18. O Rubro-Negro Carioca também teve mudança no comando, pois o técnico Ricardo Abrantes assumiu a coordenação estratégica das modalidades de alto rendimento da Marinha, que é a parceira do clube no futebol. O substituto é Celso Silva, que era auxiliar de Ricardo desde 2015.

Realidades distintas

Se algumas equipes fizeram ajustes pontuais, o Audax, da cidade de Osasco (SP), teve que ir ao mercado para repor perdas da pandemia. A equipe iniciou o Brasileiro com um elenco jovem, formado com apoio de uma parceria com o Instituto Tiger, que fomenta o futebol feminino na comunidade de Heliópolis, na zona sul da capital paulista. Mas, segundo o técnico Wagner de Oliveira, a preocupação com a covid-19 levou muitos pais a tirarem as meninas menores de 18 anos do projeto. O jeito foi trazer seis caras novas - quatro delas, inclusive, já devem estrear hoje (26) diante do Santos.

"Voltamos a treinar mais forte na semana passada. Mas o retorno, quando se começa a trabalhar com intensidade, demora. O time estava se entendendo, encaixando. Todas as equipes perderam com a pandemia, mas o Audax certamente perdeu mais que todo mundo, por ser uma equipe nova. Será um jogo difícil contra o Santos. Teremos que ter paciência, cobrar só o que for necessário, fazer um trabalho de formiguinha para não lesionar as atletas e buscar sempre melhorar", descreve Oliveira à Agência Brasil.

O caso mais delicado é o do Iranduba. A equipe de Manaus afirma que a patrocinadora master, a empresa britânica VeganNation, não cumpriu o contrato firmado no fim de 2018 e que o caso está na Justiça. O clube receberia por meio de moedas virtuais, que entrariam no mercado em 2019 e seriam trocadas por dinheiro - o que não aconteceu. O time, inclusive, faz uma campanha online de financiamento coletivo para ajudar a pagar as despesas com o grupo. Até o momento, foram arrecadados cerca de R$ 4,9 mil.

Com a crise financeira, o Iranduba perdeu quase todas as jogadoras do elenco e corre risco de não conseguir entrar em campo no próximo sábado (29), contra o Vitória. "Hoje, 24 de agosto [dia da entrevista], o Iranduba não tem time. Estamos em busca de atletas para jogarmos no fim de semana. O tempo é curto. Estamos fazendo algumas consultas", reconhece o diretor Lauro Tentartini à Agência Brasil. A equipe tem até sexta-feira (28) para regularizar as novas jogadoras junto à CBF.

Confira AQUI a classificação da Série A1 do Brasileiro Feminino.

 

 

*Por: Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional

*Agência Brasil

SANTOS/SP - O Palmeiras venceu o Santos por 2 a 1 na tarde deste domingo, no Morumbi, pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro. Os gols foram marcados por Luiz Adriano e Patrick de Paula. O Peixe fez com Ramires (contra).

O Verdão abriu o placar no primeiro tempo com pênalti polêmico de Alison assinalado após consulta ao VAR. O volante tocou com o braço na bola em cobrança de falta de Bruno Henrique. Luiz Adriano converteu.

O Alvinegro empatou logo no segundo minuto da etapa final, com gol contra de Ramires em cruzamento de Carlos Sánchez. O Palmeiras, porém, não sentiu o gol, criou mais chances e desempatou com golaço de Patrick de Paula, aos 27.

O Verdão assume a quarta colocação, com oito pontos. O Peixe caiu para o sexto lugar do Brasileirão, com sete pontos conquistados.

O Palmeiras voltará a campo para enfrentar o Bahia, sábado, em Pituaçu. O Santos receberá o Flamengo, domingo, na Vila Belmiro.

O JOGO

O primeiro tempo foi equilibrado no Morumbi, mas o Palmeiras criou as principais chances e deu muito trabalho ao goleiro João Paulo.

O Verdão chegou logo aos quatro minutos, quando Lucas Lima cruzou e Luiz Adriano chutou para a primeira defesa do garoto João.

Quando o placar marcava 18 jogados, Luiz Adriano fez o pivô e Bruno Henrique bateu bonito. João Paulo, novamente, voou para defender. E logo depois, aos 22, o meio-campista palmeirense chutou de novo para outra intervenção decisiva do goleiro.

Aos 29, o Peixe respondeu. Marinho puxou contra-ataque, atravessou quase todo o campo e titubeou entre passar ou finalizar e acabou chutando torto.

E quando o clássico se encaminhava para o empate no intervalo, veio um lance polêmico. Bruno Henrique cobrou falta, Alison mexeu o braço e tocou com o cotovelo na bola. A arbitragem acionou o VAR, marcou pênalti e Luiz Adriano converteu nos acréscimos.

SEGUNDO TEMPO

Cuca fez alterações: tirou Diego Pituca e Kaio Jorge para as entradas de Jobson e Lucas Braga. E as mexidas não demoraram a funcionar.

Lucas Braga arrancou e sofreu a falta. Carlos Sánchez bateu, Jobson se antecipou e chegou a comemorar o gol do empate no segundo minuto da etapa final, mas a súmula mostrará gol contra de Ramires.

Aos 8, o Palmeiras reagiu. Patrick de Paula cobrou falta de longe a bola explodiu no travessão. Gabriel Menino, impedido, marcou no rebote. Lance invalidado.

No minuto 17, o Verdão chegou de novo. Lucas Lima lançou Luiz Adriano, que cruzou para Willian chegar de peixinho. A bola passou perto.

E depois de tanto insistir, o Palmeiras desempatou. Jobson errou na saída de bola e armou o ataque do adversário. Willian cruzou e Patrick de Paula fez o gol no minuto 27.

O Santos só ficou perto de empatar aos 35, quando Soteldo cobrou escanteio, Madson cabeceou e o goleiro Weverton salvou em linda defesa. O Palmeiras administrou nos minutos finais e venceu o clássico.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

MUNDO - O Bayern de Munique é o mais novo campeão da Liga dos Campeões. Neste domingo, no Estádio da Luz, em Portugal, os alemães derrotaram o Paris Saint-Germain de Neymar por 1 a 0 e levantaram o taça da competição pela sexta vez em sua história.

A final começou bastante tensa e estudada, com as equipes se arriscando pouco. A primeira grande chance só apareceu aos 17 minutos, pelo lado dos franceses. Neymar foi lançado em velocidade por Mbappé e bateu por baixo de Neuer, mas o goleiro fez boa defesa.

Os Bávaros responderam quatro minutos depois. Em jogada pela esquerda, a bola chegou até Lewandowski na área, que recebeu de costas para o gol. O polonês girou, finalizou e acertou a trave de Keylor Navas.

Na parte final do primeiro tempo, o Bayern conseguiu neutralizar as ações do PSG e passou a comandar as ações do jogo. No entanto, não conseguiu balançar as redes do Paris e o placar permaneceu inalterado durante a etapa inicial.

O segundo tempo da finalíssima começou com quente, com o tempo fechando logo aos seis minutos. Gnabry fez falta em Neymar e Paredes foi tomar as dores do brasileiro, o que gerou um princípio confusão no confronto.

Após a discussão, os alemães foram para cima e marcaram o gol da vitória aos 14 minutos. Kimmich recebeu de Muller na direita e cruzou com perfeição para Coman cabecear e mandar para as redes.

Atrás no placar, o PSG saiu mais para o jogo para tentar chegar ao empate, o que deixou a decisão bem movimentada com oportunidades para os dois lados. A principal chance dos franceses aconteceu aos 24, quando Di María deu um belo passe para Marquinhos chutar forte, mas Neuer fez mais outra boa defesa no duelo.

A equipe ainda teve outra oportunidade com Neymar no finalzinho. Aos 46, o brasileiro recebeu de Mbappé próximo da pequena e área e finalizou quase caindo. A bola passou na frente do gol alemão e Choupo-Moting não conseguiu desviar.

Com a vantagem, os Bávaros conseguiram administrar a situação e mantiveram o resultado até o apito final, para a festa do Bayern que alcançou o hexacampeonato da principal competição de clubes da Europa.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

RECIFE/PE - O Santos venceu o Sport por 1 a 0 na noite desta quinta-feira, na Ilha do Retiro, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. Marinho fez um golaço aos 30 minutos do segundo tempo.

Marinho é o maior destaque do Peixe em 2020. Após se recuperar de fratura no pé, o camisa 11 participou dos últimos oito gols do Alvinegro: seis ele mesmo fez e duas assistências.

Com a segunda vitória consecutiva, o Santos de Cuca vai para a quinta colocação, com sete pontos, e embala antes do clássico contra o Palmeiras, domingo, no Morumbi.

O Sport vai para o 15º lugar, com quatro pontos, e voltará a campo para o São Paulo também no domingo, novamente em Recife.

O JOGO

O Santos teve 70% da posse de bola no primeiro tempo, mas foi o Sport quem criou as principais chances e fez João Paulo trabalhar diversas vezes.

Na melhor chance, João Paulo dividiu com Bruninho e a bola sobrou para Jonatan Gómez. O meia bateu colocado e a bola tinha endereço, mas bateu justamente em Bruninho, que estava deitado e impedido. A arbitragem ainda consultou o VAR, viu falta de Bruninho e deu cartão amarelo.

O Peixe só assustou no último lance da etapa inicial. Soteldo recebeu de Kaio Jorge e disparou, deixou Adryelson no chão e não bateu forte. Mailson salvou o Leão.

SEGUNDO TEMPO

O Santos voltou mais agressivo para os 45 minutos finais. Logo nos primeiros segundos, Marinho chutou de longe e fez Mailson trabalhar. Aos 6, Soteldo viu Mailson adiantado e quase fez um golaço da ponta esquerda.

Quando o placar marcava 17 minutos, Cuca colocou o Peixe no ataque. Tirou Jobson e Kaio Jorge para as entradas de Jean Mota e Lucas Braga.

Aos 23, Tailson fez boa jogada pela direita e cruzou. Jean chegou como elemento surpresa na marca do pênalti, mas isolou com a perna direita.

E no minuto 30, o Santos finalmente abriu o placar. Marinho recebeu de Lucas Braga na direita, ajeitou e colocou a bola no ângulo de Marinho. Um golaço.

O Peixe baixou a guarda e o Sport quase empatou aos 35, em cabeceio de Ronaldo para grande defesa de João Paulo, substituto de Vladimir.

Depois de abrir a equipe, Cuca colocou Alex na vaga de Marinho e ajudou o Santos a administrar a pressão do Sport nos minutos finais. Vitória do Peixe na Ilha do Retiro.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

SÃO PAULO/SP - Nesta última quinta-feira, o São Paulo novamente apresentou um futebol pobre e empatou em 1 a 1 com o Bahia no Morumbi, em partida válida pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O Esquadrão de Aço saiu na frente na primeira etapa com Rossi e o Tricolor empatou com o estreante Luciano, aos 40 minutos do segundo tempo.

Mesmo com o empate, a situação de Fernando Diniz ainda é instável no clube do Morumbi. Apesar de ter sido bancado pelos dirigentes do Tricolor nos últimos revezes, a falta de reação da equipe dentro de campo e o mal desempenho frequentemente apresentado podem fazer com que a cúpula diretiva repense sobre a continuidade do trabalho do treinador.

Com o empate, o São Paulo chegou aos quatro pontos, na 13ª colocação do campeonato. Na próxima rodada, a equipe terá pela frente o Sport, no domingo, às 19h, na Ilha do Retiro. Enquanto isso, o Bahia foi aos sete pontos e permaneceu na quarta posição. O próximo compromisso do Esquadrão do Aço será contra o Ceará, no domingo, às 20h, no Castelão.

O jogo - O São Paulo iniciou a partida pressionando a saída de bola do Bahia e, logo aos quatro minutos, teve uma grande chance de marcar. Igor Vinícius cruzou pela direita e, após bate e rebate na área, a bola ficou oferecida para Pablo, que se atrapalhou com a bola e finalizou para fora, perdendo grande chance.

O Bahia também buscava chegar ao ataque e teve pênalti marcado aos 16 minutos. Após consultar o VAR, o árbitro assinalou a infração de Igor Vinícius em Rodriguinho dentro da área. Na cobrança, Gilberto bateu no canto direito e Volpi saltou no canto direito, fazendo grande defesa e impedindo o gol.

No entanto, cinco minutos depois, o Bahia abriu o placar no Morumbi. Rodriguinho recebeu pela esquerda e fez belo lançamento nas costas da zaga encontrando Rossi. O atacante saiu na cara de Volpi e tirou com categoria do goleiro do Tricolor.

Antes do intervalo, o São Paulo até ensaiou uma pressão, porém sem efetividade. As duas melhores chances foram com Pablo, que cabeceou para fora e depois finalizou de fora da área acima do travessão.

No intervalo, Diniz promoveu a entrada de Luciano, que fez sua estreia pelo São Paulo. Mesmo com uma equipe mais ofensiva, foi o Bahia que chegou com mais perigo. Primeiro, Gilberto exigiu boa defesa de Volpi em chute rasteiro e cruzado. Na sequência, Elber quase marcou um gol olímpico em escanteio batido pela esquerda.

Reinaldo, em cruzamento que tomou direção do gol, e Vitor Bueno, que finalizou de esquerda de fora da área, obrigaram o goleiro Anderson, que havia entrado no lugar do lesionado Anderson, a fazer boas defesas. O Bahia respondeu no contra-ataque, com Élber saindo na cara do Volpi e finalizando em cima do arqueiro.

Mesmo não jogando bem, o São Paulo conseguiu chegar ao gol de empate aos 40 minutos. Após cruzamento de Reinaldo pela esquerda, Carneiro desviou de cabeça na primeira trave e Luciano mostrou oportunismo na segunda trave para deixar tudo igual. No último lance do jogo, Elber ainda acertou a trave em chute que contou com desvio de Daniel Alves.

 

 

*Por: GAZETA ESPORTIVA

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30