fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma nesta sexta-feira (10/07) os números no município da COVID-19. São Carlos contabiliza neste momento 771 casos positivos para a doença (20 resultados positivos foram liberados hoje), com 15 mortes confirmadas e 3 mortes suspeitas. 51 óbitos já foram descartados até o momento. Mortes suspeitas: mulher de 77 anos internada na quinta-feira (09/07) e que morreu no mesmo dia; mulher de 71 anos internada desde 09/07 que faleceu nesta sexta-feira (10/07) e homem de 37 anos, que foi a óbito na residência e corpo encaminhado ao IML. A Vigilância Epidemiológica aguarda o resultado desses três exames. Dos 771 casos positivos, 691 pessoas apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 79 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 49 receberam alta hospitalar, 16 estão internados e 14 positivos internados foram a óbito. 560 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 3.575 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (62 resultados negativos foram liberados hoje). Estão internadas neste momento 39 pessoas, sendo 23 adultos na enfermaria (8 positivos, 10 suspeitos, 5 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 12 pessoas (9 positivos, 2 suspeitos, 1 negativo). Na UTI nenhuma criança está internada neste momento. 4 crianças estão na enfermaria, todas com resultado negativo para COVID-19. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje 66,7%.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 5.018 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 4.155 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 863 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 2.599 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 1.982 tiveram resultado negativo para COVID-19, 480 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 137 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma nesta quinta-feira (09/07) os números no município da COVID-19. São Carlos contabiliza neste momento 751 casos positivos para a doença (22 resultados positivos foram liberados hoje), com 15 mortes confirmadas. 51 óbitos já foram descartados até o momento. Dos 751 casos positivos, 676 pessoas apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 74 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 48 receberam alta hospitalar, 12 estão internados e 14 positivos internados foram a óbito. 549 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 3.513 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (44 resultados negativos foram liberados hoje). Estão internadas neste momento 32 pessoas, sendo 19 adultos na enfermaria (5 positivos, 12 suspeitos - sendo 1 de outro município, 2 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 8 pessoas (6 positivos, 1 suspeito, 1 negativo). Na UTI nenhuma criança está internada neste momento. 5 crianças estão na enfermaria, sendo 1 com resultado positivo para COVID-19, 2 com suspeita da doença e 2 com resultado negativo para o novo coronavírus. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje 38,9% %.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 4.911 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 4.111 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 800 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 2.522 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 1.921 tiveram resultado negativo para COVID-19, 473 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 128 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma nesta quarta-feira (08/07) o 15° óbito no município por COVID-19. Trata-se de um homem de 64 anos internado desde 15/06 que morreu hoje com resultado positivo para a doença. São Carlos contabiliza neste momento 729 casos positivos para a doença (37 resultados positivos foram liberados hoje), com 15 mortes confirmadas. 51 óbitos já foram descartados até o momento. Dos 729 casos positivos, 654 pessoas apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 74 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 47 receberam alta hospitalar, 13 estão internados e 14 positivos internados foram a óbito. 539 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 3.469 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (74 resultados negativos liberados hoje, 1.031 resultados negativos do Testar para Cuidar). Estão internadas neste momento 34 pessoas, sendo 20 adultos na enfermaria (6 positivos - sendo 1 de outro município, 12 suspeitos, 2 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 9 pessoas (7 positivos, 1 suspeito, 1 negativo). Na UTI nenhuma criança está internada neste momento. 5 crianças estão na enfermaria, sendo 1 com resultado positivo para COVID-19, 2 com suspeita da doença e 2 com resultado negativo para o novo coronavírus. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje 33,4%.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 4.831 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 4.041 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 790 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 2.430 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 1.881 tiveram resultado negativo para COVID-19, 466 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 83 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

SÃO CARLOS/SP - Pesquisadores da Embrapa e da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP) vão esclarecer nesta quarta-feira (8), às 15h30, as recomendações para compras, armazenamento e consumo de frutas e hortaliças, apontadas na cartilha desenvolvida especialmente para o enfrentamento durante a pandemia do novo coronavírus.

São lembretes para o consumidor adotar, mesmo em períodos de normalidade, considerando que frutas e hortaliças são itens importantes da alimentação, de boa nutrição e fortalecem o sistema imunológico. No entanto, para evitar perdas, é preciso planejar a compra e saber como guardá-la em casa.

Os editores técnicos da cartilha, Marcos David Ferreira e Maria Fernanda Berlingieri Durigan, pesquisadores da Embrapa Instrumentação, e Fabiane Mendes da Camara, da Seção do Centro de Qualidade Hortigranjeira (SECQH) da CEAGESP, estarão ao vivo no canal youtube.com/embrapa para esclarecer dúvidas e responder perguntas sobre o assunto.

A moderação do webinar será do analista da Embrapa Alimentos e Territórios, Gustavo Porpino, Ph.D em marketing e responsável por uma pesquisa com o apoio da Fundação Getúlio Vargas (FGV) sobre o desperdício de alimentos.

De acordo com essa pesquisa, a família brasileira desperdiça 128,8 kg diariamente com alimentos. Há vários fatores que levam a essa estatística, mas hábitos de consumo em diferentes elos da cadeia produtiva respondem por boa parte das perdas. Dados da Organização das Nações Unidades para a Alimentação e a Agricultura (FAO) apontam que, mundialmente cerca de um terço dos alimentos produzidos para consumo se perde ou é desperdiçado.

"O bate-papo ao vivo é uma oportunidade que os consumidores terão de tirar suas dúvidas com especialistas no tema. As frutas e hortaliças são produtos perecíveis e sazonais, assim é importante que os consumidores recebam estas informações para auxiliá-los no consumo e conservação, em especial neste momento de dificuldade de acesso ao alimento para muitos", afirma o pesquisador Marcos David Ferreira.

Para Fabiane Mendes, as dicas têm como objetivo auxiliar o consumidor, mas paralelamente fomentar todo o setor, da produção ao consumo. "Certamente é um diferencial e um grande ganho para o setor de alimentos esta parceria devido a capacidade e qualidade técnica que conseguimos obter unindo esforços e pesquisas", diz.

A engenheira de alimentos vai abordar questões de sazonalidade,  diferenças de preços relacionados a variedade, classificação (tamanho) do produto, dicas de como comprar, exemplos de produtos da época, dicas de aproveitamento, congelamento, preparo de caldo de legumes e posterior congelamento, utilização das cascas, entre outros.

A cartilha "Recomendações para compras, armazenamento e consumo de frutas e hortaliças" é gratuita e está disponível apenas em formato digital. Para acessar a publicação basta entrar no endereço https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/213469/1/P-Recomendacoes-para-compras-armazenamento-e-consumo-....pdf

 

 

*Por: Joana Silva

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma nesta terça-feira (07/07) os números no município da COVID-19. São Carlos contabiliza neste momento 692 casos positivos para a doença (48 resultados positivos foram liberados hoje, sendo que 17 resultados positivos são referentes ao programa de mapeamento Testar para Cuidar), com 14 mortes confirmadas. 51 óbitos já foram descartados até o momento. O exame da mulher de 82 anos que morreu ontem na UPA da Vila Prado com desconforto respiratório foi negativo para COVID-19. Outro óbito descartado (exame com resultado negativo) é do homem de 87 anos internado desde 29/06 e que faleceu na noite desta segunda-feira (06/07). Dos 692 casos positivos, 575 pessoas apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 73 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 46 receberam alta hospitalar, 14 estão internados e 13 positivos internados foram a óbito. 522 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 2.364 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus já que 90 resultados negativos foram liberados hoje. Estão internadas neste momento 35 pessoas, sendo 20 adultos na enfermaria (9 positivos - sendo 1 de outro município, 7 suspeitos, 4 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 9 pessoas (6 positivos, 2 suspeitos, 1 negativo). Na UTI nenhuma criança está internada neste momento. 6 crianças estão na enfermaria, sendo 1 com resultado positivo para COVID-19, 2 com suspeita da doença e 3 com resultado negativo para o novo coronavírus. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje 38,9%.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 4.736 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 3.985 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 751 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 2.332 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 1.807 tiveram resultado negativo para COVID-19, 442 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 83 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

MUNDO - A economia da zona do euro registrará contração de 8,7% em 2020, anunciou nesta terça-feira a Comissão Europeia, que piorou sua previsão anterior e alertou para os "riscos excepcionalmente altos" vinculados ao coronavírus e ao Brexit.

"O alcance e a duração da pandemia e das futuras possíveis medidas de reclusão necessárias continuam sendo uma incógnita", afirma Bruxelas em sua previsão, que não leva em consideração uma possível "segunda onda" de contágios.

A Comissão, que em maio previu uma queda "histórica" do conjunto das 19 economias que compartilham a moeda única a 7,7% do Produto Interno Bruto (PIB), calcula agora uma contração similar à prevista pelo Banco Central Europeu (BCE).

O Fundo Monetário Internacional (FMI) prevê uma queda ainda mais intensa na Eurozona, de 10,2% em 2020, acima dos 8% previstos para Estados Unidos e longe do panorama mais promissor da China, que deve registrar crescimento de 1% este ano.

Após meses de confinamento desde março para conter a pandemia, que matou quase 200.000 pessoas na Europa, os países europeus estão em plena abertura para tentar salvar a lucrativa temporada de turismo.

Por países, a contração do PIB da França, Itália e Espanha, as principais economias do bloco depois da Alemanha, deve superar dois dígitos em 2020, a 10,6%, 11,2% e 10,9%, respectivamente, de acordo com as novas previsões.

O Executivo comunitário melhorou em dois décimos a previsão anterior para a Alemanha, maior economia europeia, a -6,3%. A economia de Portugal deve registrar contração de 9,8% do PIB em 2020.

"O prognóstico de verão mostra que o caminho para a recuperação ainda está pavimentado de incerteza", afirmou o comissário europeu da Economia, Paolo Gentiloni, para quem a economia iniciou uma "recuperação cautelosa".

"Não devemos pensar no risco de que a experiência da gripe espanhola se repita, e sim na possibilidade de conviver um certo tempo com o perigo de um foco local", explicou Gentiloni.

"O risco de uma divergência (entre países) cada vez maior foi a razão para propor um plano de recuperação comum", completou o italiano, que pediu aos líderes da União Europeia (UE)a aprovação do projeto.

Nas previsões de verão (hemisfério norte), a Comissão Europeia não leva em consideração o plano de recuperação, que os governantes da UE, envolvidos nas negociações, ainda precisam aprovar.

Uma reunião de cúpula está prevista para os dias 17 e 18 de julho em Bruxelas, a primeira presencial desde o confinamento, para discutir o plano de 750 bilhões de euros (840 bilhões de dólares) proposto pela Comissão Europeia.

"A falta de um acordo sobre a futura relação comercial entre o Reino Unido e a UE também pode provocar um crescimento menor", destaca Bruxelas, que recorda ainda as políticas de proteção no comércio mundial.

Em um contexto de grande incerteza, no entanto, o Executivo comunitário não descarta "uma recuperação melhor que o esperado", especialmente se a situação da pandemia "permitir uma suspensão mais rápida das restrições".

A Comissão prevê uma recuperação generalizada do PIB em 2021, a 6,1% para o conjunto dos 19 países da Eurozona.

O crescimento seria de 7,6% do PIB na França, de 7,1% na Espanha e de 6,1% na Itália, assim como de 6% em Portugal e de 5,3% na Alemanha.

Para o conjunto dos 27 países da UE, a Comissão prevê uma contração de 8,3% do PIB em 2020, seguida de uma expansão de 5,8% em 2021.

 

 

*Por: AFP

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma neste domingo (05/07) os números no município da COVID-19. São Carlos contabiliza neste momento 633 casos positivos para a doença (25 resultados positivos foram liberados hoje), com 14 mortes confirmadas. 47 óbitos já foram descartados até o momento. Dos 633 casos positivos, 564 pessoas apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 68 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 42 receberam alta hospitalar, 13 estão internados e 13 positivos internados foram a óbito. 487 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 2.261 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus já que 58 resultados negativos foram liberados hoje. Estão internadas neste momento 36 pessoas, sendo 17 adultos na enfermaria (5 positivos, 6 suspeitos - sendo 1 de outro município, 6 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 12 pessoas (7 positivos, 3 suspeitos, 2 negativo). Na UTI nenhuma criança está internada neste momento. 7 crianças estão na enfermaria, 6 com suspeita da doença e 1 confirmada para COVID-19. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje 50%.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 4.518 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 3.846 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 672 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 2.131 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 1.720 tiveram resultado negativo para COVID-19, 405 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 6 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

SÃO PAULO/SP - A COVID-19 é um divisor de águas do cenário corporativo. Seus efeitos irão ocorrer a longo prazo, mas as contribuições também serão grandes se tratarmos a crise como uma oportunidade para evoluirmos como sociedade e como seres humanos.

O desenvolvimento de habilidades no cenário de pós-pandemia será decisivo para a competitividade das empresas e até para a permanência de profissionais e negócios no mercado. Por isso, destacamos algumas aptidões imprescindíveis nesse contexto. Confira!

Resiliência

A capacidade de se reinventar permitirá que pessoas e empresas se adaptem ao cenário de pós-pandemia. Essa habilidade adaptativa requer autoconhecimento, maturidade e persistência, mas o maior desafio para a resiliência será o pessimismo. Pensamentos e habilidades comportamentais pró ativas contribuem significativamente para o sucesso profissional e, por isso, será necessário enxergar oportunidades em meio às dificuldades.

Responsabilidade

Modelos de gestão verticalizados também tendem a mudar no cenário pós-pandemia, mas essa mudança levará mais tempo porque está condicionada à desburocratização de processos e eliminação de cargos de supervisão no organograma da empresa.

A horizontalização corporativa também está relacionada a uma das mais importantes habilidades no cenário pós-pandemia: a responsabilidade dos profissionais. Nesse contexto, será necessário que o trabalhador seja auto gerenciável, ou seja, produza sem supervisão, cumprindo prazos e mantendo a qualidade exigida.

Flexibilidade

A flexibilidade permite mudanças de hábito para alcançar novos resultados. É uma extensão da resiliência, mais voltada para a adaptabilidade de fatores físicos, como a mudança de um local de trabalho — do escritório para o home office, por exemplo, sem um planejamento prévio devido a urgência exigida pela pandemia.

Comunicabilidade

Um profissional que exerce uma boa comunicação nunca está sozinho, consegue trabalhar de forma colaborativa e em equipe, aceita sugestões de mudança com mais facilidade, gerencia conflitos, consegue expor melhor suas opiniões, tem poder de persuasão e com o tempo torna-se um líder.

Saber se comunicar com eficácia e de forma não violenta também está relacionada ao ato de ouvir e compreender o que o outro diz, interpretar ideias e saber transferir elementos da comunicação falada e visual para a escrita.

Empatia

A empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro e será uma das habilidades mais relevantes no cenário pós-pandemia. Isso porque, com a crise financeira, social e política causada pela COVID-19, as pessoas precisam revisar valores e entender que a solidariedade é o motor que moverá o mundo. Entretanto, para ser solidário, é preciso ter empatia, entender as demandas do outro, ainda que o outro seja um colega de trabalho, chefe ou cliente.

Pensamento crítico

No cenário de crise se destaca quem consegue ter um pensamento crítico e aponta alternativas pertinentes para alcançar objetivos. A visão analítica será uma das principais habilidades no cenário pós-pandemia, porque permitirá encontrar soluções criativas, revisar processos e mudar atitudes que não geram resultados positivos para o negócio.

O pensamento crítico possibilitará enxergar soluções em meio à crise, apontar falhas com maior rapidez e antecipar o negócio à ocorrência de eventualidades que possam gerar prejuízos.

Essas habilidades, no cenário pós-pandemia, serão fundamentais para garantir o destaque da empresa no mercado competitivo.

Georgia Roncon

Empresária e empreendedora com mais de 13 anos de experiência em gerenciamento comercial, marketing, desenvolvimento de equipes, criação de produtos e implementação de cultura organizacional e inovação, atualmente é Co- Founder do ECQ Lifelong Learning. É formada em Letras Inglês e possui MBA em Gestão Empresarial e Marketing pela FGV.

Apaixonada por educação, marketing e tecnologias é  co- fundadora da AGE GROUP, que atua em seguimentos como:  Turismo, Investimentos e com Educação em Inovação e Tecnologia com o ECQ Lifelong Learning, que opera tanto no Brasil e nos EUA.

Sobre ECQ

Os cursos, palestras e sistema de Networking do ECQ Lifelong Learning, são voltados para empresários, CEO’s e líderes em geral e tem como intuito preparar esses profissionais para enfrentar a revolução tecnológica que irá impactar todas as empresas, carreiras e atividades existentes.

Referência em disseminar conhecimento através da inovação, para as mais diversas áreas de atuação, o ECQ tem como missão transformar vidas, carreiras e negócios. Os fundadores, Alexandre Rodrigues e Georgia Roncon, realizam constantes eventos em diversos formatos, seja meet ups ou congressos, com o objetivo de debater sobre os últimos acontecimentos da economia 4.0 com empresários, empreendedores, gestores e estudantes. Para saber mais, acesse o site  https://ecqonline.com.br/ e também pelas redes sociais @ecqonline_br .

 

 

*Por: Georgia Roncon

Entre os dias 7 e 11, participam das discussões a artista e professora da FAU – USP Giselle Beiguelman; Iara Aparecida Ferreira, fundadora e coordenadora do Terno de Congado Moçambique Estrela Guia (Uberlândia-MG); José Graziano da Silva, ex-Ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome do primeiro governo de Lula da Silva, função na qual coordenou a implementação do Projeto Fome Zero; e a coordenadora executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas, Marta Gil

 

A série Ideias, transmitida ao vivo sempre às 16h pelo YouTube da instituição, convida pensadores e articuladores sociais de diversas áreas para a troca de experiências e reflexões sobre assuntos da atualidade

 

youtube.com/sescsp

São Paulo/SP– Com o objetivo de incentivar a reflexão no contexto desafiador em que nos encontramos, a série Ideias, promovida pelo Sesc São Paulo por intermédio de seu Centro de Pesquisa e Formação (CPF), traz a transmissão ao vivo de debates sobre as principais questões que tencionam a agenda sociocultural e educativa atual. Sempre às 16h, as conferências acontecem pelo canal do YouTube do Sesc São Paulo, com participação do público e tradução simultânea para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Na terça-feira, dia 7, o debate Memórias, cicatrizes e fraturas trará reflexões acerca das fragilidades dos patrimônios e acervos, e as relações entre memória e esquecimento no Brasil. Participam a artista e professora da FAU – USP Giselle Beiguelman e a artista e doutora pela ECA – USP Rosângela Rennó, com mediação de Barbara Rodrigues, graduada em artes plásticas e técnica de programação em artes visuais no Sesc Pompeia, e apresentação de Sabrina da Paixão, historiadora e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

No dia seguinte, quarta-feira, 8, A força ancestral na celebração da vida será o tema do bate-papo sobre os modos de (re)existir de manifestações culturais e comunidades tradicionais afro-brasileiras do Sudeste, como a Caiumba (conhecida como Batuque de Umbigada) e Moçambiques (presente nos festejos do congado). Com Iara Aparecida Ferreira, fundadora e coordenadora do Terno de Congado Moçambique Estrela Guia (Uberlândia-MG), membro estadual dos Pontos de Cultura de Minas Gerais e Delegada Nacional dos Pontos de Cultura (representando a Cultura Popular); Mestre Malaquias, conhecido como Preto, fundador e capitão do Moçambique Estrela Guia, casado há 33 anos com Iara, com quem faz parte da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito de Uberlândia; e Antônio Filogênio de Paula Júnior, membro do projeto Casa de Batuqueiro, ligado ao grupo Batuque de Umbigada de Piracicaba, Tietê, Capivari e Rio Claro-SP. Na mediação e apresentação, estará a jornalista e animadora cultural do Sesc Consolação, Renata Celano.

Seguindo com a programação, no dia 9, quinta-feira, estarão em pauta  Os efeitos da pandemia na alimentação dos brasileiros. Serão discutidos quais os caminhos para enfrentar a subnutrição e a fome neste contexto de preocupação em relação à disponibilidade e ao acesso a alimentos, agravado pelos fortes impactos sociais e econômicos causados pela pandemia. Dentre os debatedores, estão José Graziano da Silva, ex-Ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome do primeiro governo de Lula da Silva, função na qual coordenou a implementação do Projeto Fome Zero, e Renato Maluf, professor titular do CPDA/UFRRJ, onde coordena o Centro de Referência em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional, e membro do Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Na mediação, Elisabetta Recine, integrante do Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutricional e professora do Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília. A apresentação será de Mariana Ruocco, assistente técnica da Gerência de Alimentação e Segurança Alimentar.

E encerrando a programação da semana, no sábado, 11, será realizado o debate Direitos das pessoas com deficiência: reflexões para o pós pandemia à luz do conceito de capacitismo. Estarão em xeque discussões sobre os direitos das pessoas com deficiência e uma reflexão sobre o capacitismo – fenômeno social ainda presente de forma velada ou explícita no cotidiano e que afeta a participação social deste segmento. Também será abordado como a adoção da acessibilidade atitudinal, entre outras medidas, pode contribuir para ampliar a qualidade de vida e os horizontes das pessoas com deficiência no cenário pós-pandemia em sociedade. Participam a coordenadora executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas, Marta Gil, e a professora aposentada da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Izabel Madeira Maior. O debate será mediado por Jairo Marques, jornalista da Folha de S. Paulo, e apresentado por Giovanna Togashi, doutora em Ciências pela USP e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

PROGRAMAÇÃO IDEIAS #EMCASACOMSESC

Dia 7/7, terça-feira

Memórias, cicatrizes e fraturas

Baseadas nas pesquisas feitas para o desenvolvimento de seus projetos artísticos e nas dificuldades encontradas para acesso aos acervos, Rosângela Rennó e Giselle Beiguelman abordam as fragilidades expostas do patrimônio e as relações entre memória e esquecimento no Brasil.

Participantes:

Giselle Beiguelman – Artista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo.

Rosângela Rennó – Artista formada em artes plástica e em arquitetura e urbanismo, doutora em Artes pela Escola de Comunicação e Artes da USP.

Mediação:

Barbara Rodrigues – Graduada em Artes Plásticas pela UFPE, e pós-graduanda em Crítica e Curadoria da Arte pela PUC. Técnica de programação em Artes Visuais no Sesc Pompeia.

Apresentação:

Sabrina da Paixão – Historiadora e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

Dia 8/7, quarta-feira

A força ancestral na celebração da vida

Bate-papo sobre os modos de (re)existir de manifestações culturais e comunidades tradicionais afro-brasileiras do Sudeste, como a Caiumba (conhecida como Batuque de Umbigada) e Moçambiques (presente nos festejos do congado).

Participantes:

Iara Aparecida Ferreira – Fundadora e coordenadora do Terno de Congado Moçambique Estrela Guia (Uberlândia-MG), membro estadual dos Pontos de Cultura de Minas Gerais e Delegada Nacional dos Pontos de Cultura (representando a Cultura Popular). 

Mestre Malaquias (conhecido como Preto) – Fundador e capitão do Moçambique Estrela Guia, casado há 33 anos com Iara, com quem faz parte da Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito de Uberlândia.

Antônio Filogênio de Paula Júnior – Membro do projeto Casa de Batuqueiro, ligado ao grupo Batuque de Umbigada de Piracicaba, Tietê, Capivari e Rio Claro-SP. Graduado em filosofia, é mestre e doutor em Educação.

Mediação e apresentação:

Renata Celano – Jornalista e animadora cultural do Sesc Consolação.

Dia 9/7, quinta-feira

Os efeitos da pandemia na alimentação dos brasileiros

A preocupação em relação à disponibilidade e ao acesso a alimentos no presente e no futuro são os principais temas desta atividade. A insegurança alimentar já ameaçava milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade. A tendência é que esse cenário crítico se agrave com os fortes impactos sociais e econômicos causados pela pandemia. Nesse novo contexto, quais os caminhos para enfrentar a subnutrição e a fome, promovendo a alimentação adequada e saudável para todos? Como garantir este direito, considerando formas de produção, processamento e distribuição dos alimentos socialmente equitativas, ambientalmente sustentáveis e promotoras de diversidade cultural e ecológica?

Participantes:

José Graziano da Silva – Professor titular aposentado do Instituto de Economia da UNICAMP. Foi Ministro de Segurança Alimentar e Combate à Fome do primeiro governo de Lula da Silva. Nessa função, coordenou a implementação do Projeto Fome Zero. Foi Diretor Regional para América Latina e Caribe e depois Diretor Geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Renato Maluf – Professor titular do CPDA/UFRRJ, onde coordena o Centro de Referência em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Membro do Fórum Brasileiro de Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. Ex-Presidente do CONSEA-Nacional (2007/2011).

Mediação:

Elisabetta Recine – Integrante do Observatório de Políticas de Segurança Alimentar e Nutricional, professora do Departamento de Nutrição da Universidade de Brasília.

Apresentação:

Mariana Ruocco – Assistente Técnica da Gerência de Alimentação e Segurança Alimentar.

Dia 11/7, sábado

Direitos das pessoas com deficiência: reflexões para o pós pandemia à luz do conceito de capacitismo

O objetivo do debate é trazer discussões sobre os direitos das pessoas com deficiência e uma reflexão sobre o capacitismo – fenômeno social ainda presente de forma velada ou explícita no cotidiano e que afeta a participação social deste segmento. Também se pretende debater a influência desta modalidade de preconceito no âmbito do acesso ao mercado de trabalho das pessoas com deficiência, por meio de barreiras com relação ao julgamento sobre sua performance e que eventualmente inibem as possibilidades de desenvolvimento em funções laborais diversas. Por fim, também será abordado como a adoção da acessibilidade atitudinal, entre outras medidas, pode contribuir para ampliar a qualidade de vida e os horizontes das pessoas com deficiência no cenário pós-pandemia em sociedade.

Participantes:

Marta Gil – Coordenadora Executiva do Amankay Instituto de Estudos e Pesquisas.

Izabel Madeira Maior – Professora aposentada da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Mediação:

 Jairo Marques – Jornalista da Folha de S. Paulo.

Apresentação:

Giovanna Togashi – Doutora em Ciências pela USP e pesquisadora do Centro de Pesquisa e Formação do Sesc SP.

+ Sesc Digital

A presença digital do Sesc São Paulo vem sendo construída desde 1996, sempre pautada pela distribuição diária de informações sobre seus programas, projetos e atividades e marcada pela experimentação. O propósito de expandir o alcance de suas ações socioculturais vem do interesse institucional pela crescente universalização de seu atendimento, incluindo públicos que não têm contato com as ações presenciais oferecidas nas 40 unidades operacionais espalhadas pelo estado. Por essa razão, o Sesc apresenta o Sesc Digital, sua plataforma de conteúdo!

 

Saiba+: sescsp.org.br

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma neste sábado (04/07) a 14ª morte no município por COVID-19. Trata-se de uma mulher de 81 anos com resultado positivo para a doença que recebeu alta hospitalar em 27/06, foi internada novamente em 02/07 e morreu hoje. Outras três pessoas também morreram, porém todas com resultado negativo para COVID-19: um homem de 32 anos, internado desde 30/06; um homem de 55 anos, internado desde 16/06 e outro homem de 90 anos internado desde 25/06. São Carlos contabiliza neste momento 608 casos positivos para a doença (7 resultados positivos foram liberados hoje), com 14 mortes confirmadas. 47 óbitos já foram descartados até o momento. Dos 608 casos positivos, 541 pessoas apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 66 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 40 receberam alta hospitalar, 13 estão internados e 13 positivos internados foram a óbito. 485 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 2.203 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus já que 10 resultados negativos foram liberados hoje. Estão internadas neste momento 32 pessoas, sendo 17 adultos na enfermaria (5 positivos, 6 suspeitos - sendo 1 de outro município, 6 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 10 pessoas (7 positivos, 2 suspeitos, 1 negativo). Nenhuma criança está internada na UTI neste momento. 5 crianças estão na enfermaria, sendo 2 com resultado negativo para a doença, 2 com suspeita e 1 com resultado positivo para COVID-19. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje 44,5%.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 4.491 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 3.778 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 713 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 2.131 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 1.665 tiveram resultado negativo para COVID-19, 388 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 78 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30