fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos informa nesta quarta-feira (29/07) os números da COVID-19 no município. São Carlos contabiliza neste momento 1.294 casos positivos para a doença (20 resultados positivos foram liberados hoje), com 20 mortes confirmadas e 1 suspeita. 62 óbitos já foram descartados até o momento. O óbito descartado é de um homem de 80 anos internado em 28/7 que morreu no mesmo dia. Já o óbito suspeito é de um homem de 75 anos também internado em 28/7 e que morreu também no mesmo dia, porém o resultado do exame ainda não saiu. Dos 1.294 casos positivos, 1.180 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 113 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 78 receberam alta hospitalar, 16 estão internadas, 1 paciente de São Carlos está internado em outro município e 19 positivos internados foram a óbito. 980 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 4.925 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (82 resultados negativos foram liberados hoje). Estão internadas neste momento 35 pessoas, sendo 19 adultos na enfermaria (12 positivos – sendo 2 de outros municípios, 5 suspeitos, 2 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 12 pessoas (11 positivos - sendo 6 de outros municípios e 1 negativo). Na UTI duas crianças estão internadas, uma com suspeita da doença e outra com resultado negativo. Outras duas crianças estão na enfermaria, sendo 1 com resultado negativo e 1 com suspeita da doença. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 70%. Na rede privada nenhum paciente está internado neste momento na UTI. Já na enfermaria 5 pacientes estão internados na rede particular, sendo 3 com resultado positivo para a doença e 2 com suspeita da COVID-19.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 8.246 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 6.449 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 1.796 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 4.248 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 3.281 tiveram resultado negativo para COVID-19, 822 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 145 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

Pesquisa, que busca voluntários, é realizada na UFSCar em parceria com universidade holandesa

 

SÃO CARLOS/SP - Um estudo realizado na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) pretende avaliar as experiências dos profissionais da Saúde que prestaram assistência de fim de vida a pacientes que faleceram recentemente e como eles têm sido afetados pela atual crise da Covid-19. A pesquisa é coordenada, na UFSCar, por Esther Ferreira, docente do Departamento de Medicina (DMed), e integra o projeto iLIVE (www.iliveproject.eu), sob o comando da professora Agnes van der Heide, do Departamento de Saúde Pública da Universidade Erasmus de Rotterdam, na Holanda.
Ferreira afirma que a pandemia do novo Coronavírus pode afetar seriamente a relação com a morte de pacientes, familiares e profissionais da Saúde, tanto nos casos da própria Covid-19 quanto de outras causas. "O impacto não diz respeito apenas ao domínio físico, mas também aos domínios psicológico, social e espiritual", destaca a professora. 
Também de acordo com a pesquisadora, a morte deve ser compreendida como um fenômeno natural, tal como ela é, mas que pode desencadear processos de luto especialmente em amigos e familiares os quais, em algumas situações, precisarão de ajuda especializada. Para Ferreira, o atual contexto pandêmico tende a dificultar as experiências desses processos.
No caso específico dos profissionais da Saúde, que convivem com óbitos em seus cenários de trabalho, a dificuldade de lidar com o luto pode acarretar muitos problemas, inclusive "relacionados à saúde mental, como a depressão", como exemplifica a docente. A expectativa do estudo é levantar pontos críticos nessa relação dos profissionais com o processo de fim de vida e discuti-los, propondo ideias para minimizar danos em situações semelhantes no futuro.
"Estamos avaliando não apenas como o profissional da Saúde se auto percebe, mas também se o ambiente em que ele está inserido tem alguma relação com o processo de luto; o que possibilitará a proposição de melhorias", afirma. Além disso, por meio da parceria com o projeto holandês, os dados coletados no Brasil serão juntados com os de outros países, ampliando as análises dos resultados. 

Voluntários
Para realizar a pesquisa, estão sendo convidados profissionais da Medicina, Enfermagem e Fisioterapia, de qualquer região do País, que vivenciaram situações de morte de pacientes a partir de março de 2020. Os voluntários responderão a um questionário online (https://bit.ly/3g2Mp72), disponível até o dia 10 de outubro. Projeto aprovado pela Comitê de Ética em Pesquisa da UFSCar (CAAE: 31896820.1.0000.5504).

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos informa neste sábado (25/07) os números da COVID-19 no município. São Carlos contabiliza neste momento 1.219 casos positivos para a doença (34 resultados positivos foram liberados hoje), com 20 mortes confirmadas. 60 óbitos já foram descartados até o momento. A Vigilância recebeu hoje o resultado negativo para COVID-19 da sorologia do homem de 37 anos que foi a óbito na própria residência aqui na cidade. Dos 1.219 casos positivos, 1.113 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 105 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 73 receberam alta hospitalar, 13 estão internados, 1 paciente de São Carlos está internado em outro município e 19 positivos internados foram a óbito. 742 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 4.635 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (91 resultados negativos foram liberados hoje). Estão internadas neste momento 30 pessoas, sendo 16 adultos na enfermaria (10 positivos – sendo 2 de outros municípios, 4 suspeitos, 2 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 11 pessoas (10 positivos - sendo 6 de outros municípios e 1 suspeito). Na UTI uma criança está internada com suspeita da doença. Duas crianças estão na enfermaria, todas com suspeita da doença. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 60%. Na rede privada nenhum paciente está internado neste momento na UTI. Já na enfermaria 3 pacientes estão internados com suspeita da COVID-19.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 7.451 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 5.907 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 1.544 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 3.873 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 2.998 tiveram resultado negativo para COVID-19, 764 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 111 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

SÃO CARLOS/SP - A Força Tarefa composta pela Polícia Militar, Guarda Municipal, Departamento de Fiscalização e a Vigilância Sanitária interditam na noite desta última sexta feira (24) uma festa de caráter público com aproximadamente cem pessoas em uma chácara na região do Aracê de Santo Antônio.

O Coronel Samir Gardini da Secretaria de Segurança Pública e o Capitão Renato Gonzales da Polícia Militar após rápida investigação localizaram onde seria realizado a festa e programaram uma ação a noite no imóvel denunciado

O Setor de Inteligência da Guarda Municipal interceptou a realização da festa que estaria vendendo drogas e bebidas sem controle.

Os Policiais Militares, Guardas Municipais e Fiscais verificaram que a festa com venda de ingressos, controle de acesso por segurança, DJ estava sendo realizado sem a devida autorização da Prefeitura Municipal e com aglomeração de pessoas.

O responsável pelo evento foi identificado e a festa paralisada e todos retirados do local a bem da segurança e saúde pública. O imóvel foi vistoriado, porém não foram localizados entorpecentes.

O cirurgião dentista Dr. Gustavo Belligoli ressalta que a procura por tratamentos odontológicos aumentou na quarentena e aponta os motivos que levaram a um aumento na demanda.


 

SÃO PAULO/SP - A pandemia do novo coronavírus mudou o mundo em diversos aspectos. Com a necessidade de um distanciamento social maior e redução do convívio, devido ao isolamento e a quarentena, nos vimos em uma situação de adotar medidas consideradas em um primeiro momento muito inusitadas para prevenir o contágio e avanço da covid-19.

O cirurgião dentista Gustavo Belligoli aponta que até mesmo na área da saúde, em especial na sua área de atuação, houveram muitas mudanças, que se refletiram também na postura dos profissionais. “O que está acontecendo no momento é uma polarização. Estamos separados hoje em duas categorias na odontologia, uma turma de dentistas que está trabalhando pesado e outra que está com os consultórios fechados. A quarentena trouxe um cenário extremista para dentistas, tanto os que decidiram paralisar totalmente as atividades, seja por fazerem parte de um grupo de risco ou por motivos de força maior, quanto aqueles que se vêem agora cada vez mais sobrecarregados de trabalho, em especial casos de emergência. Quando um profissional da saúde precisa parar de trabalhar certamente não é por mera opção pessoal, já que fazemos um juramento de Hipócrates, e sim por serem vítimas indiretas da covid.”

Atendimento durante a pandemia

A determinação do Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais é que consultórios e clínicas odontológicas podem continuar a trabalhar conforme a avaliação do profissional. Ou seja, os dentistas podem atender os pacientes que precisam de tratamento, avaliando caso a caso, segundo declarações à imprensa do presidente do CRO-MG, Raphael Castro Mota.

O Dr. Gustavo Belligoli reforça a decisão do CRO. “Conforme a legislação federal, as atividades de saúde são classificadas como serviços essenciais em todo o território nacional e, por isso, não podem parar. Outra coisa importante de ser dita é que sempre houve uma preocupação dos dentistas com a biossegurança, afinal, antes mesmo da covid-19, já convivemos com a questão do HIV, hepatite B, hepatite C, tuberculose e outras doenças contagiosas. No caso da covid-19 os cuidados são ainda maiores, porque nenhuma dessas outras doenças apresentou um contágio tão agressivo.”

O dentista revela que antes mesmo das recomendações e protocolos de segurança serem adotados compulsoriamente nos consultórios, os mesmos já estavam sendo seguidos e respeitados por ele e sua equipe. “Muitos pacientes me questionam como seria em meio à pandemia e, por telefone, expliquei tudo sobre a covid-19 e os novos protocolos de atendimento, além de adotar métodos rígidos de desinfecção do meu consultório com base nos mais altos padrões internacionais.”

Aumento da demanda na pandemia

O cirurgião dentista, que foi apontado como o que mais realizou operações neste período. “Com a pandemia a minha demanda por atendimento não caiu, pelo contrário, aumentou muito. Devido ao meu investimento em biossegurança, que já era bastante rígido em relação ao considerado dentro das normas regulares nos consultórios dentários, mesmo antes da pandemia, os pacientes começaram a se sentir seguros em realizar os tratamentos aqui. Mesmo sem saber que haveria uma pandemia, minha equipe toda já estava bastante preparada para normas mais rigorosas de higiene. Além disso, com a paralisação de alguns colegas de profissão, aumentou a demanda para todos os profissionais que se mantiveram ativos.”

Segundo o médico anestesista Claudio Cansado, que atende com a sua equipe à maioria dos consultórios de dentistas em Belo Horizonte e região, o Dr. Gustavo foi o que mais atendeu novos pacientes durante a pandemia.

Polarização na odontologia

Apesar de apontar que a covid-19 dividiu opiniões entre os seus colegas de profissão e especialistas, no que diz respeito ao atendimento nos consultórios, o Dr. Gustavo ressalta que é preciso haver uma ampla consideração: “não se trata apenas de vontade do profissional em paralisar ou não as atividades, mas em não oferecer riscos ao paciente e a ele mesmo. Vale lembrar que também precisamos pensar no bem estar do dentista, que pode ter algum agravante que o inclua dentro do chamado grupo de risco e precise se resguardar. Nós que estamos na linha de frente temos difíceis escolhas a fazer todos os dias.”

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma nesta quinta-feira (23/07) os números no município da COVID-19. São Carlos contabiliza neste momento 1.166 casos positivos para a doença (38 resultados positivos foram liberados hoje), com 19 mortes confirmadas e 1 ainda suspeita. 57 óbitos já foram descartados até o momento. A Vigilância ainda aguarda o resultado da sorologia do homem de 37 anos que foi a óbito na própria residência aqui na cidade. Dos 1.166 casos positivos, 1.061 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 104 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 70 receberam alta hospitalar, 16 estão internados, 1 paciente de São Carlos está internado em outro município e 18 positivos internados foram a óbito. 719 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 4.439 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (103 resultados negativos foram liberados hoje). Estão internadas neste momento 28 pessoas, sendo 15 adultos na enfermaria (11 positivos – sendo 1 de outro município, 3 suspeitos, 1 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 10 pessoas (10 positivos - sendo 6 de outros municípios). Na UTI uma criança está internada com suspeita da doença. Duas crianças estão na enfermaria, uma com suspeita da doença e outra já com exame positivo para COVID-19. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 55%. Na rede privada nenhum paciente está internado neste momento na UTI. Já na enfermaria 1 paciente está internado com suspeita da COVID-19.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 7.256 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 5.681 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 1.575 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 3.741 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 2.806 tiveram resultado negativo para COVID-19, 717 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 218 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma oficialmente nesta quarta-feira (22/07) mais duas mortes por COVID-19 no município, totalizando até esse momento 19 óbitos. Um homem de 82 anos internado morreu ontem a noite, porém já com resultado positivo para COVID-19. Também morreu hoje uma mulher de 65 anos com exame positivo para a doença. São Carlos contabiliza neste momento 1.128 casos positivos para a doença (44 resultados positivos foram liberados hoje), com 19 mortes confirmadas e 1 ainda suspeita. 57 óbitos já foram descartados até o momento. A Vigilância ainda aguarda o resultado da sorologia do homem de 37 anos que foi a óbito na própria residência aqui na cidade. Dos 1.128 casos positivos, 1.024 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 103 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 69 receberam alta hospitalar, 16 estão internados, 1 paciente de São Carlos está internado em outro município e 18 positivos internados foram a óbito. 712 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 4.336 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (89 resultados negativos foram liberados hoje). Estão internadas neste momento 30 pessoas, sendo 18 adultos na enfermaria (11 positivos – sendo 1 de outro município, 3 suspeitos, 4 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 9 pessoas (9 positivos - sendo 4 de outros municípios). Na UTI uma criança de outro município está internada com resultado negativo para a doença. Duas crianças estão na enfermaria, uma com suspeita da doença e outra já com exame negativo para COVID-19. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 50%. Na rede privada nenhum paciente está internado neste momento na UTI. Já na enfermaria 2 pacientes estão internados, sendo um com suspeita da COVID-19 e outro com resultado negativo para a doença.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 7.128 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 5.557 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 1.571 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 3.607 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 2.703 tiveram resultado negativo para COVID-19, 692 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 212 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

De acordo com o médico e pesquisador especialista em mindfulness, Marcelo Demarzo, a profissão é uma das mais propícias ao desenvolvimento da síndrome de burnout.

 

SÃO PAULO/SP - A mudança causada pela pandemia do novo coronavírus trouxe impactos significativos para a educação e, especialmente, para os professores que precisaram se adaptar para aplicar os conteúdos virtualmente de suas casas.

Em junho, o portal sem fins lucrativos Nova Escola divulgou a pesquisa ‘A situação dos professores no Brasil durante a pandemia’, que contou com mais de 8,1 mil respondentes da Educação Básica. Destes, apenas 8% declararam se sentir ótimos ao comparar sua saúde emocional com o período pré-pandemia. Outros 28% a consideraram péssima ou ruim neste momento e 30% classificam como razoável.

De acordo com a pesquisa, entre os termos mais utilizados pelos professores para descrever a situação aparecem: ansiedade, cansaço, estresse, preocupação, insegurança, medo, cobrança e angústia.

Segundo o médico e pesquisador especialista em mindfulness, Marcelo Demarzo, esses sentimentos associados à exaustão emocional, despersonalização (sensação de estranhamento ou “separação” de si mesmo) e sensação de falta de eficácia ou realização pessoal são característicos da síndrome de burnout (esgotamento profissional).

“A exposição ao estresse tem impacto negativo não só nos professores, mas também indiretamente nos estudantes, pois piora as relações interpessoais e prejudica o aprendizado. Esse impacto advém da diminuição da atenção e concentração, aumento das taxas de erros, dificuldade de se tomar decisões e redução da capacidade de estabelecer relações sólidas e funcionais com os estudantes”, explicou.

Mindfulness para professores

            Um estudo de 2019 mostrou que o maior nível de atenção plena (mindfulness) dos professores é um fator de proteção contra o estresse proveniente da carga de trabalho, influenciando positivamente também o senso de propósito em relação à profissão e prevenindo o esgotamento.

“A prática proporciona a diminuição de sintomas de ansiedade, depressão e burnout, além da melhora da empatia e da comunicação com outros professores e estudantes, da qualidade de vida e bem-estar em geral”, disse.

Já em relação aos efeitos da prática para a atividade laboral, a atenção plena também proporciona aumento da criatividade e melhora da performance e aspectos de liderança.

Como praticar

Para os professores que ainda estão começando a ter interesse no tema, um exercício simples é o chamado de ‘3 passos ou 3 minutos de mindfulness’.

“Essa prática pode ser usada ao longo do dia para se treinar a habilidade de pequenas pausas de consciência, como também em momentos mais desafiadores como reuniões ou conversas difíceis com colegas de trabalho ou estudantes”, disse o especialista.

Para os que querem entender e se aprofundar no assunto, o Centro Mente Aberta – pioneiro em pesquisas e aplicações de mindfulness – oferece cursos baseados em diversos protocolos eficazes para o desenvolvimento do mindfulness. Acesse mindfulnessbrasil.com e saiba mais.

O que é Mindfulness?

Mindfulness é um dos estados da mente, acessível a qualquer indivíduo, que consiste em um exercício de querer vivenciar o momento presente, intencionalmente, aceitando a experiência.

Em mindfulness, o sentido correto de aceitação é o de se olhar a realidade como ela realmente é, sem julga-la ou reagir a ela no "piloto automático".

Com a prática regular, o processo torna-se mais natural, sendo possível permanecer nesse estado em grande parte do tempo e aumentar a qualidade de vida do indivíduo.

Embora muitos dos termos e técnicas tenham origem nas tradições orientais, o mindfulness hoje em dia é considerado uma prática laica (secular, não-religiosa), com sólida base científica.

Quem é Marcelo Demarzo?

É médico especialista em Mindfulness para adultos e crianças, com treinamentos na Inglaterra (Mindfulness in Schools Project, em Londres; Oxford Mindfulness Centre, na Universidade de Oxford; e Instituto Breathworks, em Manchester), e nos EUA (Center for Mindfulness in Medicine, Health Care, and Society, na Universidade de Massachusetts).

Fez pós-doutorado em Mindfulness e Promoção da Saúde na Universidade de Zaragoza, na Espanha, e diversos cursos de aprofundamento nas tradições contemplativas e meditativas, incluindo a Psicologia Budista e Tibetana em Dharamsala, na Índia.

Junto com o professor Javier Garcia-Campayo, da Universidade de Zaragoza, desenvolveu a Terapia de Compaixão Baseada em Estilos de Apego (Attachment-Based Compassion Therapy).

É fundador e atual coordenador do Mente Aberta (www.mindfulnessbrasil.com), referência nacional e internacional nos programas e pesquisas sobre Mindfulness.

 

Referências:

Can mindfulness mitigate the energy-depleting process and increase job resources to prevent burnout? A study on the mindfulness trait in the school context (Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/30947256/)

SÃO CARLOS/SP - A Prefeitura de São Carlos, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, anunciou nesta terça-feira (21/07) que será montada uma unidade especial de saúde, a partir do próximo mês, no Ginásio Milton Olaio Filho para receber pacientes com síndrome gripal. Será uma espécie de covidário, local reservado para a recepção de pacientes com sintomas de COVID-19. O Ginásio também já recebeu infraestrutura para funcionar como um hospital de campanha, caso seja necessário novos leitos de enfermaria na cidade. O Milton Olaio Filho tem capacidade para até 120 leitos de enfermaria, portanto de baixa e média complexidade, porém até o momento nenhum foi montado já que a Santa Casa possui 24 leitos e o Hospital Universitário 44 leitos de enfermaria/SUS. Assim que a unidade do Ginásio Milton Olaio estiver atendendo, todos os pacientes que procurarem as demais unidades de saúde com sintomas leves e moderados de síndrome gripal serão referenciados para o Ginásio Milton Olaio Filho, local onde passarão por consulta médica e se necessário por testes para comprovar a presença do vírus no organismo. Os casos graves com indicação de internação serão enviados para Santa Casa ou Hospital Universitário. Quem for direto a unidade do Milton Olaio também será atendido. A medida foi tomada, entre outros motivos, para que os casos de baixa complexidade não lotem o Serviço de Urgência da Santa Casa e das Unidades de Pronto Atendimento (UPA’s). “Na reunião que tivemos com a Santa Casa ficou definido que o referenciamento do hospital não será efetivado neste momento. Por outro lado nos comprometemos a fortalecer a atenção básica, por isso optamos em fazer o atendimento de síndrome gripal em um único local”, explica o secretário de Saúde, Marcos Palermo. Esse redirecionamento no atendimento para pacientes com suspeita de coronavírus vai possibilitar a instalação de novos leitos de UTI/SUS na Santa Casa. “No total serão instalados 14 novos leitos dos 16 previstos, 2 já entraram em funcionamento devido ao aumento do índice de internação. Hoje estamos com 10 leitos no Hospital Universitário e 10 na Santa Casa, mas a ideia é que mais 14 leitos sejam montados na Santa Casa. Estamos dependendo do termo aditivo e do crédito do Ministério da Saúde”, afirma Palermo que garantiu que as UPA’s também estão sendo fortalecidas. A contratação dos profissionais (médicos, enfermeiros, auxiliares) para atender na nova unidade será por meio de uma empresa da área de saúde contatada desde o início da pandemia pela Secretaria de Saúde, porém que os serviços serão utilizados somente agora. Serão montadas salas de medicação, estabilização, consultórios e para recepção dos pacientes. Todos os custos já estão sendo orçados pela pasta. “Essas mudanças são necessárias para não atender em um mesmo espaço, pacientes com suspeita de COVID-19, e aqueles que procuram as unidades por outras doenças”, finaliza o secretário de Saúde. A previsão é de que a unidade do Ginásio Milton Olaio Filho inicie os atendimentos em 30 dias, já que é necessária a montagem dos mobiliários, aquisição de insumos e equipamentos de proteção para dar início aos trabalhos. Até o início das atividades os casos de síndrome gripal continuam sendo atendidos nas unidades básicas e de pronto atendimento.

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma nesta terça-feira (21/07) os números da COVID-19 no município. São Carlos contabiliza neste momento 1.084 casos positivos para a doença (29 resultados positivos foram liberados hoje, com 17 mortes confirmadas e 1 suspeita. 57 óbitos já foram descartados até o momento. Dois resultados de exames foram negativos para COVID-19: do homem de 87 anos que no boletim do dia 19/7 constou como de outro município, porém feita a investigação a VIGEP constatou que a residência da família atualmente é em São Carlos e do homem de 65 anos que teve alta recentemente, mas foi internado novamente no último dia 19/7 e morreu ontem. A Vigilância ainda aguarda o resultado da sorologia do homem de 37 anos que foi a óbito na própria residência aqui na cidade. Dos 1.084 casos positivos, 984 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 1 óbito sem internação, 99 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 66 receberam alta hospitalar, 17 estão internados, 1 paciente de São Carlos está internado em outro município e 16 positivos internados foram a óbito. 696 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 4.247 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (56 resultados negativos foram liberados hoje). Estão internadas neste momento 31 pessoas, sendo 15 adultos na enfermaria (8 positivos, 3 suspeitos, 4 negativos); na UTI adulto hoje estão internadas 13 pessoas (13 positivos - sendo 5 de outros municípios). Na UTI uma criança de outro município está internada com suspeita da doença. Duas crianças estão na enfermaria, uma com suspeita da doença e outra já com exame negativo para COVID-19. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 70%. Na rede privada nenhum paciente está internado neste momento na UTI. Já na enfermaria 1 paciente com suspeita da COVID-19 está internado.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 6.980 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 5.449 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 1.531 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 3.481 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 2.615 tiveram resultado negativo para COVID-19, 669 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 197 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Setembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30