fbpx

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim
 
Ucrânia diz ter repelido forças russas em Sievierodonetsk Reprodução

Ucrânia diz ter repelido forças russas em Sievierodonetsk

Escrito por  Jun 04, 2022

UCRÂNIA - Governador de Lugansk afirma que as tropas ucranianas recuperaram parte do território que haviam perdido, conseguindo controlar agora cerca de metade da cidade no leste do país.A Ucrânia disse ter conseguido recapturar dos russos parte da cidade de Sievierodonetsk, foco de uma intensa ofensiva russa para tomar a região de Donbass, no leste do país, enquanto os combates pesados prosseguiam neste sábado (04/06).

O governador da província de Lugansk, Serguei Haidai, disse em entrevista à televisão nacional ucraniana nesta sexta-feira que as tropas ucranianas retomaram 20% do território que haviam perdido em Sievierodonetsk, conseguindo, segundo ele, controlar agora cerca de metade da cidade.

Haidai fez a afirmação dias depois de ter reconhecido que as tropas russas haviam tomado cerca de 70% de Sievierodonetsk.

Ele afirmou não ser “realista” que a cidade caia nas próximas duas semanas, como havia previsto a inteligência britânica, apesar de reforços russos estarem sendo enviados à região, segundo o gestor. “Assim que tivermos armas ocidentais de longo alcance suficientes, empurraremos a artilharia deles para longe de nossas posições. E depois, acredite em mim, eles da infantaria russa vão simplesmente correr”, frisou Haidai.

A alegação sobre os avanços ucranianos não pôde ser imediatamente verificada. A agência de notícias Reuters afirmou ter chegado a Sievierodonetsk nesta quinta-feira conseguindo verificar que os ucranianos ainda detinham parte da cidade.

Reforços russos              

Militares da Ucrânia disseram neste sábado que a Rússia reforçou suas tropas e usou artilharia para conduzir “operações de assalto” na cidade. Mas ressaltaram que as forças russas tiveram que recuar após tentarem avançar na cidade vizinha de Bakhmut.

Haidai afirmou também neste sábado que as tropas russas explodiram pontes para cortar os acessos a Sievierodonetsk, dificultando a entrada de reforços militares ucranianos e de ajuda para civis na cidade. Ele afirmou em uma postagem de mídia social que quatro pessoas foram mortas em ataques russos na região nesta sexta-feira, incluindo uma mãe e uma criança.

Na região de Odessa, no sul da Ucrânia, um míssil atingiu uma unidade de armazenamento agrícola na manhã deste sábado, ferindo duas pessoas, informou o porta-voz da administração regional, em mensagem no Telegram.

Duas pessoas morreram e pelo menos duas ficaram feridas em um bombardeio russo que atingiu unidades de infraestrutura civil no nordeste da região de Kharkiv nesta sexta-feira, informou a agência ucraniana Interfax, citando informações de serviços de emergência.

Cem dias de guerra

A guerra na Ucrânia completou 100 dias nesta sexta-feira. Dezenas de milhares morreram, milhões foram obrigados a deixar suas casas, e a economia global foi severamente afetada

O presidente russo, Vladimir Putin, negou nesta sexta-feira que Moscou esteja impedindo os portos ucranianos de exportar grãos, culpando o Ocidente pelo aumento dos preços globais dos alimentos.

“Agora estamos vendo tentativas de transferir a responsabilidade para a Rússia sobre o que está acontecendo no mercado mundial de alimentos”, disse ele em rede nacional de televisão. Ele afirmou que a melhor solução seria suspender as sanções ocidentais sobre Belarus, aliada da Rússia, e exportar os grãos da Ucrânia através daquele país.

Autoridades ucranianas contam com sistemas avançados de mísseis prometidos recentemente por Estados Unidos e o Reino Unido para conseguir virar a guerra a seu favor, e as tropas ucranianas já começaram treinando para operar esses equipamentos.

Enquanto a resistência ucraniana forçou Putin a estreitar seu objetivo imediato para a conquista de toda a região de Donbass, autoridades ucranianas disseram que o presidente russo mantém sua intenção de subjugar todo o país.

“O principal objetivo de Putin é a destruição da Ucrânia. Ele não está recuando de seus objetivos, apesar do fato de que a Ucrânia ganhou a primeira etapa desta guerra de grande escala”, disse a vice-ministra ucraniana da Defesa, Hanna Malyar, em entrevista à televisão nacional na sexta-feira.

Moscou diz que as armas ocidentais vão despejar “combustível no fogo”, mas assegura que não mudará o curso do que chama de “operação militar especial”.

Progresso lento

A Rússia controla em torno de um quinto do país, cerca de metade disso foi ocupada em 2014 e o restante, capturado desde o lançamento da invasão em 24 de fevereiro.

Para ambos os lados, o ataque maciço da Rússia no leste ucraniano nas últimas semanas foi uma das fases mais mortíferas da guerra, com a Ucrânia dizendo que está perdendo de 60 a 100 soldados todos os dias.

Moscou fez progresso lento, mas constante, pressionando as forças ucranianas dentro de bolsões de resistência nas províncias de Lugansk e Donetsk, mas fracassando em cercá-las. Kiev espera que o avanço russo drene as forças de Moscou o suficiente para que a Ucrânia recapture território nos próximos meses.

A guerra teve um impacto devastador na economia global, especialmente para os países pobres importadores de alimentos. A Ucrânia é uma das principais fontes mundiais de grãos e óleo de cozinha, mas o abastecimento desses produtos foi cortado pelo fechamento dos portos ucranianos do Mar Negro, que impede o escoamento de mais de 20 milhões de toneladas de grãos.

 

md (Reuters, DPA, EFE)

Ivan Lucas

 Jornalista/Radialista

Website.: https://www.radiosanca.com.br/equipe/ivan-lucas
E-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Julho 2022 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31
Aviso de Privacidade

Este site utiliza cookies para proporcionar aos usuários uma melhor experiência de navegação.
Ao aceitar e continuar com a navegação, consideraremos que você concorda com esta utilização nos termos de nossa Política de Privacidade.