fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

No campus de São Carlos, 5,5 mil litros de álcool já foram produzidos e doados

 

SÃO CARLOS/SP - Desde o início da pandemia que a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) colocou-se na linha de frente no combate à pandemia da COVID-19. Iniciativas como a produção de álcool gel e álcool 70% vêm apoiando diversas instituições. No campus de São Carlos, a produção de álcool já gerou a doação de 5,5 mil litros do produto.

A produção, em São Carlos, está sendo feita de acordo com a demanda da região. "A Universidade tem nos auxiliado bastante. Quando a gente precisa, é só ligar que eles fornecem para a gente", afirma Denise BragaDiretora de Gestão do Cuidado Ambulatorial do município de São Carlos.

Doações - Para apoiar a produção de álcool realizada pela Universidade, galões e frascos podem ser doados. Frascos plásticos de 5 litros são utilizados para envasar o álcool 70%; frascos menores, de 500 a 100 ml, serão utilizados para armazenar o álcool gel. "A pandemia ainda não passou, então todas as doações são bem-vindas pois há muitas instituições que necessitam da doação de álcool", afirma o Prof. Dr. José Mario de Aquinodo Departamento de Química (DQ) da UFSCar.

Dra. Ana Marta Ribeiro Machado, Diretora do Departamento de Gestão de Resíduos (DeGR) da Universidade, destaca que os recipientes doados precisam ser novos. "Isso é necessário para não haver risco de contaminação do álcool, pois este será utilizado em hospitais, unidades de saúde, asilos etc", explica.

Contato:
- Departamento de Gestão de Resíduos (DeGR) da UFSCar: (16) 3351.8015 e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
- Departamento de Química (DQ) da UFSCar: (16) 3351.8206 e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Inscrições para mestrado vão até 20 de outubro; para o doutorado até 3/11

 

SÃO CARLOS/SP - O Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção (PPGEP) do Campus São Carlos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está com inscrições abertas em processos seletivos para os cursos de mestrado e doutorado acadêmicos, com início em 2021.
As inscrições para o mestrado serão realizadas até 20 de outubro, e todas as instruções estão em edital disponível no site do PPGEP (em www.ppgep.dep.ufscar.br). São 41 vagas disponíveis, em cinco linhas de pesquisa: Dinâmica Tecnológica e Organizacional; Gestão de Cadeias Agroindustriais; Gestão da Qualidade; Gestão da Tecnologia e da Inovação; e Planejamento e Controle de Sistemas Produtivos.
O processo seletivo, para o mestrado, é composto de duas etapas, eliminatórias e classificatórias: prova de conhecimento específico (na linha de pesquisa selecionada) e defesa oral do projeto de pesquisa.
Para o doutorado, as inscrições acontecem em fluxo contínuo, com dois ciclos de avaliação, o primeiro já encerrado. Para o segundo, as inscrições devem ser feitas antes de 3 de novembro, para divulgação do resultado em janeiro de 2021. O número de vagas disponíveis após o encerramento do primeiro ciclo será divulgado em 26 de outubro. Também são duas as etapas no processo seletivo: análise curricular e defesa oral do projeto. Todos os detalhes estão registrados no edital do processo seletivo para o doutorado, também em www.ppgep.dep.ufscar.br.
Mais informações sobre o PPGEP podem ser conferidas no site do Programa.

Cerimônia de inauguração será transmitida ao vivo para todo o público

 

SÃO CARLOS/SP - Hoje, dia 7 de outubro, o Hospital Universitário da Universidade Federal de São Carlos (HU-UFSCar/Ebserh) realiza cerimônia de inauguração de três espaços importantes para o seu crescimento e da qualidade do atendimento aos pacientes. Serão inaugurados o Centro Cirúrgico, a Agência Transfusional e o Laboratório de Análises Clínicas.  
O Centro Cirúrgico possui cinco modernas salas, sala de prescrição médica, sala de recuperação pós-cirúrgica, posto de enfermagem, vestiários, sanitários, farmácia satélite, recepção, sala de espera e sala para guarda de equipamentos. Nesta primeira etapa, em virtude da pandemia de Covid-19, as atividades do novo Centro Cirúrgico serão iniciadas com cirurgias gerais e ambulatoriais, em pacientes de baixo risco, incluindo algumas cirurgias dermatológicas e vasculares. Há a expectativa de ampliação de especialidades cirúrgicas para o ano que vem, como cirurgias urológicas, oftalmológicas, ginecológicas, dentre outras.  
A Agência Transfusional fica dentro do Centro Cirúrgico e sua instalação atende às exigências preconizadas pela legislação e possibilitará o fornecimento de serviços hemoterápicos 24 horas por dia e de forma imediata. O novo espaço garante mais agilidade e eficiência na conduta clínica, além de possibilitar o desenvolvimento de estágios e projetos de pesquisas para os estudantes da UFSCar. 
Já o Laboratório de Análises Clínicas possui 134 m² e capacidade para realizar exames hematológicos, bioquímicos e de urinálise, além da gasometria, RT-PCR para SARS-CoV-2 e testes rápidos que já são processados no Hospital. A perspectiva é que, dentro de um ano, sejam também realizados exames sorológicos, hormonais e microbiológicos, garantindo resultados rápidos, agilidade na conduta clínica e segurança ao paciente, além da possibilidade de se tornar um laboratório de referência para São Carlos e região.  
Ao todo, foram investidos R$10,8 milhões na obra, cujo projeto também contemplou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e o Centro de Material e Esterilização. O recurso foi disponibilizado pelo Ministério da Educação (MEC) e pela Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), por meio do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), gerido pela estatal.  
Para Ângela Leal, Superintendente do Hospital, "este momento é um marco para o HU-UFSCar e vem atender a um anseio de toda comunidade. Estamos criando importantes cenários de prática para os alunos da UFSCar e ampliando a assistência de excelência para a população de São Carlos".
Wanda Hoffmann, Reitora da UFSCar, avalia que essas novas estruturas demonstram a capacidade de gestão da equipe da Universidade. "Em quatro anos de trabalho, o HU-UFSCar deixou de ser o 'elefante branco' de São Carlos para se tornar um Hospital Universitário de referência regional, se destacando no atendimento da população, na formação de profissionais e no desenvolvimento de pesquisas. Estamos deixando um legado para a população da região", afirma Hoffmann.  

Inauguração
A cerimônia de inauguração acontece no dia 7 de outubro, às 15 horas, e será transmitida pelo canal do HU no Youtube (https://bit.ly/2HY1fPT) e o público interessado poderá acompanhar por este link (encurtador.com.br/sEV23). O evento terá a presença do Presidente da Ebserh, Oswaldo de Jesus Ferreira, da Superintendente do HU e da Reitora da UFSCar.

Projeto acompanhou mais de 4 mil voluntários por quatro anos e foi divulgado recentemente em publicação internacional

 

SÃO CARLOS/SP - Uma pesquisa desenvolvida na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) comprovou que existe relação entre a deficiência de vitamina D e o risco de incapacidade funcional em atividades básicas de vida diária (ABVD) em pessoas com mais de 50 anos de idade. O estudo é fruto do mestrado de Mariane Marques Luiz, fisioterapeuta e atual doutoranda em Fisioterapia pela UFSCar, e teve a orientação de Tiago da Silva Alexandre, docente do Departamento de Gerontologia (DGero) da Instituição. A pesquisa contou com o apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp -Processo N. 18/13917-3).

A capacidade funcional é a habilidade que idosos apresentam para realizar as tarefas do dia a dia de forma independente. A incapacidade, portanto, se caracteriza pela dificuldade ou a impossibilidade de desempenhar atividades cotidianas como comer, se vestir, tomar banho, levantar, ir ao banheiro e andar. Apesar de alguns trabalhos já terem demonstrado uma associação entre baixos níveis de vitamina D com o comprometimento da capacidade funcional de idosos, nenhum havia verificado se a deficiência de vitamina D é um fator de risco para o desenvolvimento da incapacidade. "Assim, nossa pesquisa teve como objetivo analisar se a deficiência de vitamina D era um fator de risco para desenvolver incapacidade em ABVD, além de verificar se esse risco se dava de forma distinta entre homens e mulheres com 50 anos ou mais", destaca Alexandre.

O projeto acompanhou uma amostra de 4.814 participantes provenientes de uma base de dados do Elsa (English Longitudinal Study of Ageing), da Inglaterra, que integra, junto a outros estudos, o International Collaboration of Longitudinal Studies of Aging (InterCoLAging), coordenado pelo professor Tiago Alexandre. Para conduzir a pesquisa, foram selecionados somente indivíduos que não relataram dificuldade para realizar tarefas cotidianas. Os selecionados foram classificados quanto aos níveis de vitamina D no sangue, como suficiente, insuficiente ou deficiente, e também foram coletados dados socioeconômicos e as condições clínicas dos participantes. Após dois e quatro anos, esses indivíduos foram novamente avaliados para verificar se houve o desenvolvimento de dificuldade para realizar uma ou mais das ABVD.

De acordo com o docente da UFSCar, no final dos quatro anos de acompanhamento, os homens com deficiência de vitamina D tiveram um risco 44% maior de desenvolver incapacidade, quando comparados aos homens com níveis suficientes de vitamina D. Por sua vez, as mulheres com deficiência de vitamina D tiveram um risco 53% maior de desenvolver incapacidade, quando comparadas às mulheres com níveis suficientes de vitamina D.
Alexandre explica que o envelhecimento é, frequentemente, acompanhado de uma redução nos níveis de vitamina D no sangue e acrescenta: "Devido à vitamina D possuir uma importante participação na manutenção da saúde dos ossos e músculos, a sua deficiência pode levar a prejuízos musculares como a fraqueza e a atrofia muscular. Consequentemente, pode haver o comprometimento da funcionalidade dos indivíduos mais velhos, repercutindo em dificuldade ou impossibilidade de realizar as ABVD".

O professor também indica que, apesar do risco de desenvolver incapacidade ser numericamente maior nas mulheres com deficiência de vitamina D quando comparadas aos homens com a mesma deficiência, não houve diferença estatística entre esses valores. "Dessa forma, não é possível afirmar que existe diferença entre sexos na deficiência de vitamina D como fator de risco para incapacidade em ABVD", esclarece Alexandre.

Como resultado, o professor destaca que a relação entre "deficiência de vitamina D e incapacidade é clinicamente relevante, pois os níveis de vitamina D podem representar um indicador precoce do comprometimento funcional, que representa um importante agravo para a saúde dos idosos". Assim, segundo ele, o adequado monitoramento dos níveis de vitamina D é uma estratégia para prevenir o desenvolvimento de incapacidade em idosos. A principal fonte de vitamina D é a exposição ao sol, mas, em alguns casos, pode ser indicada a suplementação.

O estudo também teve a participação de pesquisadores da University College London, do Reino Unido, e foi publicado recentemente no Journal of Nutrition (https://bit.ly/33drU3k). O projeto utilizou os bancos de dados do Elsa, que teve sua aprovação ética concedida pelo Comitê de Ética em Pesquisa Multicêntrica de Londres (MREC 2/1/91).

Pesquisador convida educadores e estudantes a avaliarem planos de aula

 

SÃO CARLOS/SP - Colaborar para que profissionais da Educação atuantes na educação pré-escolar possam abordar conceitos elementares relacionados ao conhecimento de computação junto a crianças de 4 e 5 anos. Esta é a intenção de pesquisa em desenvolvimento no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), realizada com o objetivo de propor e avaliar um conjunto de atividades voltadas ao oferecimento de suporte a esses educadores.

Para a avaliação, Everton Martins, estudante de mestrado no PPGCC responsável pela pesquisa, convida profissionais ou estudantes vinculados à pré-escola (inclusive professores que já tenham atuado nesse nível de ensino no passado), para colaborarem na análise de três planos de ensino para ensino de computação na pré-escola. A participação é voluntária e anônima, com preenchimento de formulário cujo tempo de resposta é estimado em cerca de 15 minutos. Não é necessária qualquer experiência prévia na área da Computação.

O formulário está disponível via https://bit.ly/3injCKF, e o prazo para recebimento das respostas é o próximo dia 18 de outubro. A orientação da pesquisa é de Vânia Paula de Almeida Neris, docente no Departamento de Computação (DC) da UFSCar.

Pesquisa aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFSCar (CAAE: 28449020.8.0000.5504).

O local abrigará parte das atividades do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Hymenoptera Parasitoides (INCT-HYMPAR)

 

SÃO CARLOS/SP - O Edifício do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Hymenoptera Parasitoides (INCT - HYMPAR) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) será inaugurado na próxima terça-feira (6 de outubro). 

No Edifício serão desenvolvidas atividades de pesquisa, ensino e extensão sobre grupos de vespas que atuam como parasitoides de outras espécies de artrópodos. "Os trabalhos que serão desenvolvidos são de importância básica e aplicada, já que estas vespas podem ser bioindicadoras de preservação ambiental e agentes de controle biológico de pragas da agricultura", conta a Coordenadora do Projeto, Profa. Dra. Angélica Maria Penteado Martins Dias.

"Este é mais um edifício que irá fortalecer a infraestrutura das pesquisas na UFSCar", afirma a Reitora da Universidade, Profa. Dra. Wanda Hoffmann.

Com 304 m², o projeto foi desenvolvido pela equipe da Secretaria Geral de Gestão do Espaço Físico (SeGEF) da Universidade. Contou com apoio da Pró-Reitoria de Administração (ProAd) e da Reitoria da Universidade.

Inauguração:
Data: 06/10/2020 
Horário: 8h30
Evento no Facebook: clique aqui - https://fb.me/e/3COkOdEYC

Transmissão ao vivo:
Facebook - clique aqui - https://www.facebook.com/reitoriaufscar
YouTube - clique aqui - https://www.youtube.com/channel/UCUeJ6MB19y4X_lIniTbHHbg

Programação, online, terá palestras, treinamentos, workshops e outras atividades

 

SÃO CARLOS/SP - De 6 a 10 de outubro, o grupo Impacta, formado por estudantes de graduação em Engenharia de Produção da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e da Universidade de São Paulo (USP), campus de São Carlos, promove mais uma edição da Semana de Engenharia de Produção de São Carlos, a XVII SemEP. Inteiramente online, a programação terá palestras, discussão de cases, treinamentos e workshops abordando temas diversos associados à área, com participação de profissionais de empresas como Unimed, Raccoon e BTC, dentre outras. Dentre os tópicos previstos estão desenvolvimento de produto, marketing digital, indústria 4.0 e inteligência emocional.

Mais informações e instruções para inscrição devem ser acompanhadas nos perfis do grupo Impacta no Facebook (www.facebook.com/ImpactaGrupo) e Instagram (@gimpacta).

SÃO CARLOS/SP - O Sistema Integrado de Bibliotecas (SIBi) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), por meio do Grupo Capacitação em Informação e Tecnologias Educacionais (CapacITE), lança o vídeo "O que é o Repositório Institucional UFSCar?" (https://bit.ly/3j6UNni), que descreve o que é o Repositório Institucional (RI) da Instituição e sua importância, além de explicar o que é o autodepósito e como acessar o RI. A produção do vídeo contou com o trabalho técnico audiovisual da Secretaria Geral de Educação à Distância (SEaD), com a colaboração da equipe do RI para a criação do roteiro e com o Serviço de Tradução e Interpretação de Língua de Sinais e Língua Portuguesa (SeTILS), que realizou o serviço de interpretação em Língua Brasileira de Sinais (Libras). O vídeo, que faz parte de uma série sobre o RI, está disponível para acesso no canal do YouTube do SIBi (https://bit.ly/332KueD).

O RI, lançado em 2015, está sob responsabilidade do SIBi e disponibiliza a Coleção de Teses e Dissertações, a Coleção de Trabalhos de Conclusão de Curso (TCCs) e a Coleção de Dados de Pesquisa das produções científicas da UFSCar. De acordo com Roniberto Morato do Amaral, Diretor do SIBi e docente do Departamento de Ciência da Informação (DCI) da UFSCar, o RI amplia o acesso, preserva a memória institucional e facilita a gestão da produção científica da Universidade. "Com o Repositório, ampliamos a visibilidade do conhecimento científico e tecnológico produzido pela Instituição, estimulando a comunicação e a divulgação científica e tecnológica, contribuindo para a apropriação desses conhecimentos pela sociedade", explica. Mais informações sobre o RI estão disponíveis em repositorio.ufscar.br

Grupo CapacITE
O Grupo CapacITE, vinculado ao SIBi, tem por objetivo desenvolver materiais como vídeos e tutoriais, buscando promover visibilidade aos recursos informacionais e oferecer suporte às atividades de desenvolvimento de competência em informação. Segundo Cristina Marchetti Maia, da Biblioteca do Campus Araras (B-Ar) e coordenadora do CapacITE, o grupo produzirá conteúdos sobre outros temas de relevância acadêmica. "Pretendemos criar vídeos sobre outras temáticas, de acordo com a necessidade das bibliotecas e da comunidade acadêmica da UFSCar, com o intuito de ampliar o acesso à informação", prevê. 

O grupo é composto por bibliotecárias dos quatro campi e por Lissandra Pinhatelli de Britto, da Biblioteca do Campus Lagoa do Sino (B-LS); Camila Cassiavilani e Eunice da Silva Nunes, da Biblioteca Comunitária (BCo) do Campus São Carlos; e Milena Polsinelli Rubi, da Biblioteca do Campus Sorocaba (B-So).
Dúvidas sobre o RI da UFSCar podem ser esclarecidas com a equipe pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Mais informações podem ser conferidas no canal do SIBi no YouTube (https://bit.ly/332KueD), onde é possível se inscrever e receber as notificações dos novos vídeos.

 

Inscrições devem ser feitas até o dia 12 de outubro

 

ARARAS/SP - Até o dia 12 de outubro, o Programa de Pós-Graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Rural (PPGADR-Ar) do Campus Araras da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) recebe inscrições no processo seletivo para o curso de mestrado, com ingresso no primeiro semestre de 2021. As inscrições devem ser realizadas mediante envio de documentação, detalhada no edital (www.ppgadr.ufscar.br/processo-seletivo-2), exclusivamente para o e-mail ppgadrprocessoseletivo@ufscar.br.

No total, estão sendo oferecidas 25 vagas, distribuídas em duas linhas de pesquisa: Tecnologias e processos em sistemas agroecológicos (16 vagas) e Agroecologia, desenvolvimento rural e sociedade (nove vagas). O processo seletivo será composto por duas fases: avaliação do projeto de pesquisa, eliminatória e classificatória, e avaliação de currículo, etapa classificatória. 

Todas as informações sobre o processo seletivo - como cronograma completo, documentação exigida, vagas, Política de Ações Afirmativas e membros da comissão de seleção - constam no edital, disponível em www.ppgadr.ufscar.br/processo-seletivo-2.

Criado em 2006, o PPGADR-Ar visa formar profissionais comprometidos com o entendimento e a aplicação de conceitos e métodos da Agroecologia, enquanto dimensões fundamentais da agricultura sustentável e dotados de uma efetiva base científica e técnica para uma visão integrada e de natureza interdisciplinar na busca do desenvolvimento rural sustentável. Dados adicionais estão em www.ppgadr.ufscar.br.

Inscrições serão recebidas de 5 a 30 de outubro

 

SÃO CARLOS/SP - O Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana (PPGEU) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) receberá de 5 a 30 de outubro as inscrições no processo seletivo para ingresso em seu curso de doutorado em março de 2021. As vagas, em um total de 17, são distribuídas nas áreas de Urbanismo (quatro vagas), Saneamento (sete vagas) e Geotecnia (seis vagas). Todas as informações sobre inscrições, documentos necessários e etapas da seleção devem ser conferidas no edital, disponível no site do PPGEU, em www.ppgeu.ufscar.br.

O PPGEU, criado em 1994, foi um dos primeiros programas no Brasil com abordagem de pesquisa em sistemas de Engenharia aplicáveis no território urbanizado. Trabalhados como eixos estruturantes, o planejamento urbano, o saneamento, os transportes e a geotecnia são vistos de forma integrada às áreas de meio ambiente, habitação social e geoprocessamento. A crescente taxa de urbanização das cidades brasileiras é uma das principais questões atuais a desafiar a comunidade do Programa.

Além de buscar atender à demanda de um mercado de trabalho cada vez mais aberto a profissionais com conhecimentos integrados, o PPGEU resgata o papel social do engenheiro e de outros profissionais comprometidos com a qualidade de vida nas cidades. Suas atividades estão organizadas em duas linhas de pesquisa: "Processos e fenômenos aplicados à Engenharia Urbana" e "Gestão, planejamento e tecnologias aplicados à Engenharia Urbana".

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Novembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30