fbpx

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim
 

Formação é oferecida pelo Centro de Pesquisa da Criança e de Formação de Educadores da Infância

 

SÃO CARLOS/SP - A Pedagogia de Emmi Pikler, médica que desenvolveu uma abordagem para a educação de crianças de até três anos baseada no afeto, é o tema do segundo módulo da formação online "Aproximando de conceitos básicos na abordagem Pikler: o vínculo, o movimento e a autonomia nas práticas com bebês e crianças bem pequenas". O curso, oferecido pelo Centro de Pesquisa da Criança e de Formação de Educadores da Infância (Cfei) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), já está com inscrições abertas.

O curso objetiva apresentar e propor reflexões sobre conceitos básicos, tendo em vista a experiência de contexto de creche, como vínculo, movimento e autonomia, que são essenciais na compreensão da abordagem pikleriana e nas práticas de educar e cuidar de bebês e de crianças bem pequenas. Os temas estudados serão a pedagogia de Emmi Pikler e os contributos para pensar as práticas cotidianas em contextos de Educação Infantil (0 a 3 anos - creche): descanso, higiene, alimentação, brincar livre, com o outro, em espaços e com materiais.

As aulas acontecem nos dias 27 de agosto e 10 de setembro, das 14 às 16 horas, dando continuidade à introdução apresentada na primeira parte. Além disso, há mais seis horas de atividades extraclasse. No total, são três módulos da formação com certificação independente pela UFSCar.

Professores e outros profissionais da educação da infância, além de mães e pais interessados na abordagem podem participar. As inscrições devem ser feitas pelo site abordagempikler2.faiufscar.com. Na página, há mais informações, como valor de investimento. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Procedimento deve ser realizado entre os dias 13 e 14 de julho

 

SÃO CARLOS/SP - A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) publicou a lista dos candidatos convocados para a Manifestação Virtual de Interesse (MVI) para concorrer a vagas nos cursos de graduação presenciais ofertadas na quarta chamada do Sistema de Seleção Unificada (SiSU). A lista está em www.ufscar.br.

A MVI é o procedimento por meio do qual a UFSCar convoca um número maior de candidatos, em relação às vagas ofertadas, para que manifestem o interesse na vaga e em permanecer na lista de espera. A convocação para a MVI não indica necessariamente a existência de vaga, apenas a expectativa de que o curso ofereça vaga na quarta chamada do SiSU. A não manifestação de interesse, para os que foram convocados, implica a desistência do candidato do processo seletivo.

Os convocados para a MVI da quarta chamada devem fazer a manifestação de interesse diretamente no portal do candidato (em https://sistemas.ufscar.br/siga/candidato/), entre os dias 13 e 14 de julho.

Outras informações podem ser obtidas por meio de contato com a Pró-Reitoria de Graduação da UFSCar (ProGrad) da UFSCar, em http://www.prograd.ufscar.br/contact-info, ou pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Novo episódio está disponível em diferentes plataformas online

 

SOROCABA/SP - O projeto de extensão "Bamo Proseá? Cotidiano e Cultura Caipira", da UFSCar-Sorocaba, promove uma série de podcasts voltados ao universo caipira. Os episódios tratam de assuntos relacionados à música, viola, culinária, literatura, crenças e religiosidade, entre outros.

O novo capítulo da série, intitulado "Carreira do Canturião", traz uma entrevista com Cássio Carlota, cururueiro da nova geração, que fala sobre a história e as características do cururu, e da sua relação com o gênero. Também aborda as perspectivas de manutenção da tradição com o surgimento dos novos cantadores e a importância de aprender com as gerações mais experientes. O episódio está disponível em diferentes plataformas online, acessíveis via https://linktr.ee/BamoProsea.
Além das conversas do "Bamo Proseá?", o projeto também está produzindo a seção "Dedo de Prosa", em podcasts menores e divertidos. Saiba mais no Instagram (instagram.com/bamoprosea), Facebook (facebook.com/bamo.prosea.7), Spotify (https://spoti.fi/33Adold) e Google Podcasts (http://bit.ly/3uE0u2x).

A equipe do projeto é formada pela geógrafa Neusa de Fátima Mariano, professora do Departamento de Geografia, Turismo e Humanidades (DGTH-So) da UFSCar; pelo historiador Elton Bruno Ferreira, professor da Universidade Cruzeiro do Sul (UNICSul); pelo geógrafo e professor Henrique Pazetti; pelo mestre em Geografia Paulo Lopes, técnico de laboratório do DGTH-So; e pela estudante Isabela Mustafá.

Dúvidas e sugestões de temas podem ser enviadas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Inscrições podem ser feitas a partir de 13 de julho

 

SÃO CARLOS/SP - O Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) recebe, de 13 de julho até 20 de outubro, as inscrições no processo seletivo para os cursos de mestrado e doutorado, com ingresso no primeiro semestre de 2022. São ofertadas 34 vagas de mestrado e 26 vagas para doutorado, e há reserva de vagas conforme a Política de Ações Afirmativas da Universidade.

As vagas estão distribuídas nas cinco cinco linhas de pesquisa do Programa: Função motora e análise biomecânica do movimento humano; Processos básicos, desenvolvimento e recuperação funcional do sistema nervoso; Fisioterapia cardiovascular, respiratória, fisiologia do exercício e desempenho funcional; Recursos fisioterapêuticos na dor, reparo tecidual e desempenho funcional; e Saúde do idoso.

A seleção para o mestrado e doutorado terá duas etapas: análise e arguição do projeto de pesquisa (de caráter eliminatório); e análise do currículo do candidato (classificatória). As inscrições podem ser feitas a partir do dia 13 de julho por meio do preenchimento do formulário online. Todas as informações devem ser conferidas no edital (https://bit.ly/2VhzybH), disponível no site www.ppgft.ufscar.br. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Inscrições estão abertas até o dia 30 de julho

 

SOROCABA/SP - Até o dia 30 de julho, estão abertas as inscrições para pessoas interessadas em cursar disciplinas isoladas na condição de aluno especial no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Computação (PPGCC-So) da UFSCar-Sorocaba.

Podem se candidatar estudantes que estejam cursando o último ano da graduação, com previsão de formatura até o final de 2021, e que tenham bom rendimento acadêmico; ou pessoas graduadas, portadoras de diploma de curso Superior em Computação ou áreas afins, que demonstrem potencial para futuramente ingressar como aluno regular do PPGCC-So.

As disciplinas disponíveis são: Engenharia de Software, Aprendizado de Máquina, Processamento de Imagens com Aplicações em Sensoriamento Remoto, Tópicos em Interface Humano-Computador e Tópicos em Banco de Dados. Todas serão ofertadas de modo remoto. O candidato deve consultar as demandas de cada disciplina antes de se inscrever no processo. 

As inscrições devem ser feitas pelo site do Programa (www.ppgccs.net), com o preenchimento de formulário online e envio da documentação exigida. O resultado será divulgado no dia 9 de agosto. O início das aulas está previsto para 16 de agosto. As informações completas estão disponíveis em www.ppgccs.net.

Ministrada pela professora Ana Lucia Vitale Torkomian, disciplina integra o curso de Engenharia de Produção

 

SÃO CARLOS/SP - São Carlos conta com a presença de duas universidades públicas, a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) e a Universidade de São Paulo (USP), e de um centro universitário privado, o Centro Universitário Central Paulista (Unicep), o que faz com que a economia da cidade seja fortemente impactada pela presença dos estudantes dessas instituições. Com a pandemia da Covid-19, a Associação Comercial de São Carlos (Acisc) estimou um prejuízo de R$ 300 milhões em 2020 no município. Muitas empresas encerraram suas atividades, outras dispensaram funcionários e outras estão se reinventando para superar essa crise. Frente a esse contexto, alunos da disciplina de Empreendedorismo do curso de Engenharia de Produção da UFSCar tiveram o desafio de elaborar propostas para buscar reverter esse quadro na pós-pandemia.

"Além de proporcionar uma grande quantidade de alunos que movimentam a economia da cidade, acredito que a Universidade deva buscar soluções para problemas como esse citado no desafio. Por reunir profissionais e estudantes de diferentes áreas, a interdisciplinaridade é um ponto forte e, se parte desse conhecimento for destinado a problemas e projetos públicos, o município só tem a ganhar", afirmou Ana Lúcia Vitale Torkomian, docente do Departamento de Engenharia de Produção (DEP) da UFSCar.

A disciplina de Empreendedorismo, na qual o desafio foi proposto, foi ministrada por Torkomian no ambiente virtual entre 31 de agosto de 2020 e 16 de janeiro de 2021. É destinada a alunos do 9º semestre do curso de Engenharia de Produção. Na turma que recebeu esse desafio, os 42 alunos foram divididos em 7 grupos. A disciplina foi oferecida para outras duas turmas (do mesmo tamanho dessa), que receberam diferentes desafios.

Os três projetos considerados os melhores propõem a criação de aplicativos para oferta de cupons de descontos, com algumas diferenças dentre as propostas. Os cupons são importantes para um negócio, pois atraem novos consumidores e fidelizam os que já são clientes. Além disso, um dos maiores custos para uma empresa é o estoque, e os cupons servem como forma de gerenciar esses estoques, pois produtos "parados" em estoque podem gerar fluxo de caixa, sem interferir nos preços dos produtos de linha.

O primeiro projeto propõe um aplicativo que possui como funcionalidade principal ser uma interface que permite aos usuários clientes a compra de cotas de desconto dos produtos e serviços dos usuários associados (comerciantes locais), sendo que esses comerciantes podem expor seu negócio em uma plataforma digital e receber parte das cotas de desconto. O segundo grupo planejou um aplicativo que tem como público-alvo os estudantes universitários e os restaurantes e lanchonetes da cidade de São Carlos. Para a utilização e experiência de benefícios - cupons de desconto em restaurantes e lanchonetes -, os universitários devem compartilhar as informações de localização e rastrear aglomerações. O terceiro grupo propôs um aplicativo de cupons de desconto, com abrangência maior de setores, como alimentação, hotelaria, entretenimento, academias, escolas de idiomas, transporte, lavanderias e vestuário. A diferença perante as outras propostas é que, aqui, os cupons podem ser comprados pelos usuários com muita antecedência, gerando renda antecipada aos estabelecimentos e contribuindo para que continuem em funcionamento mesmo na pandemia com baixo número de clientes.

"Nas três propostas, busca-se estimular o consumo, por parte dos clientes, e promover a visibilidade dos comerciantes. Além disso, por meio do uso de cupons, é possível estabelecer dados históricos sobre demanda aos comerciantes e auxiliar nas previsões de consumo nos estabelecimentos", concluiu a docente, que entregou os três projetos para a Acisc.

Interessados devem se inscrever até o dia 20 de julho

 

SOROCABA/SP - Até o dia 20 de julho, o Programa de Pós-Graduação em Geografia (PPGGeo), da UFSCar-Sorocaba, recebe inscrições no processo seletivo para o curso de mestrado, com início das aulas previsto para outubro de 2021. São 17 vagas disponíveis, divididas em duas linhas de pesquisa: "Produção do Espaço, Educação e Cultura" e "Estudos Ambientais e Análise Espacial".

As inscrições devem ser feitas em formulário online (link disponível no edital) com indicação de uma linha de pesquisa e informando a pretensão (ou não) de concorrer pelo sistema de reserva de vagas, estabelecido pelo critério étnico-racial, no caso de pessoas negras (pretas e pardas) ou indígenas.
Além do preenchimento do formulário online, é necessário anexar documentos obrigatórios, em formato .pdf, seguindo as instruções do edital, acessível em www.ppggeo.ufscar.br.

A seleção contemplará as três seguintes etapas: avaliação do pré-projeto de pesquisa; arguição dos pré-projetos de pesquisa dos aprovados na fase anterior; e análise do currículo. As informações completas devem ser conferidas no site do Programa (www.ppggeo.ufscar.br) e dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Sobre o PPGGeo

O PPGGEo tem como área de concentração as Dinâmicas Ambientais e Socioespaciais. Devido à interface entre o social e o natural própria da Geografia, os estudos, as pesquisas e as atividades vinculadas a essa área de concentração abrangem desde o conhecimento da natureza até o conhecimento da sociedade, considerando a multiplicidade de ramos que formam a Geografia Moderna. 

As atividades de pesquisa estão relacionadas às demandas das complexas transformações socioespaciais, socioambientais e educacionais da contemporaneidade, bem como ao avanço das técnicas e tecnologias da representação cartográfica, em consonância com a atualização dos pressupostos teórico-metodológicos da Geografia nas últimas décadas.

Edição inaugura nova categoria para fotos de atividades realizadas no fragmento do Cerrado da Universidade

 

SÃO CARLOS/SP - Estão abertas as inscrições para o Concurso de Fotografia do Cerrado da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). A atividade tem por objetivo correlacionar a arte de registrar e a divulgação da biodiversidade da área remanescente de Cerrado da UFSCar.

Na edição deste ano, em preparação para o aniversário de 30 anos da Trilha da Natureza, em abril de 2022, também foi aberta uma segunda categoria para o recebimento de registros de atividades educativas, sociais e culturais - visitas escolares ou da comunidade, atividades de disciplina dos cursos de graduação e pós-graduação, e outras intervenções como as rodas de capoeira, passeios ciclísticos etc., que foram realizadas no trajeto da Trilha da Natureza e em áreas adjacentes.

O concurso é uma atividade cultural realizada pela equipe do Projeto Visitas Orientadas à Trilha da Natureza, com coordenação do Departamento de Apoio à Educação Ambiental (DeAEA), da Secretaria de Gestão Ambiental e Sustentabilidade (SGAS). A ação tem o apoio da Pró-Reitoria de Extensão (ProEx). 

"Os concursos de fotografia do Cerrado, realizados desde 2018, em muito têm contribuído para ampliar o conhecimento sobre essa área tão biodiversa e querida pela comunidade da UFSCar", analisa a bióloga Liane Biehl Printes, chefe do DeAEA e coordenadora da iniciativa. As fotos dos três últimos concursos foram compiladas em um um e-book, lançado em abril deste ano e disponível para download gratuito (https://bit.ly/3hDBL8P). 

Inscrições

O período de inscrições vai até 26 de agosto. Essa será a segunda edição do concurso no período de suspensão das atividades presenciais na UFSCar. Assim, de forma a respeitar a restrição de acesso ao Campus São Carlos da UFSCar e ao fragmento de Cerrado, as fotografias enviadas devem ter sido tiradas antes da pandemia de Covid-19.  

A escolha das fotos vencedoras será realizada por meio de uma média ponderada entre votos recebidos por júri popular (através das páginas do Facebook e Instagram da Trilha da Natureza) e da pontuação atribuída por um painel de fotógrafos profissionais. Está prevista uma exposição virtual, vinculada ao site da SGAS. A divulgação dos vencedores ocorre no mês de novembro. 

Todas as informações da edição de 2021, assim como acesso ao formulário de inscrição, estão disponíveis no edital (encurtador.com.br/gFGY4). Informações também pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Vídeo também aborda fatos da criação da UFSCar

 

SÃO CARLOS/SP - A Unidade Multidisciplinar de Memória e Arquivo Histórico (UMMA), da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), publicou em suas redes sociais e no YouTube um documentário sobre a criação da UFSCar, que também presta uma homenagem ao Professor Sérgio Mascarenhas, falecido no último dia 31 de maio.

"Mascarenhas foi fundamental no momento de criação da UFSCar e ajudou a trazer grandes pesquisadores na época da fundação, como ele mesmo relata", afirmam os organizadores do documentário. A produção "é também uma homenagem ao professor por toda a sua trajetória na Ciência e pelo importante e essencial papel junto à UFSCar. A ciência perdeu um cientista formidável muito à frente de seu tempo".

Mascarenhas fundou o Instituto de Física de São Carlos (IFSC), da Universidade de São Paulo (USP), e criou a Embrapa Instrumentação. Foi idealizador do primeiro curso de Engenharia de Materiais da América Latina e primeiro reitor da UFSCar (pro tempore). Após ser diagnosticado com hidrocefalia em 2006, Mascarenhas desenvolveu, em conjunto com médicos, um sensor que monitora a pressão intracraniana; a partir deste estudo nasceu a Braincare, uma startup existente hoje no Brasil, Estados Unidos, Portugal e Bélgica. Por ocasião de sua morte, Mascarenhas recebeu homenagens das principais agências de fomento, como a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). 

O documentário da UMMA tem 19 min, pode ser visto no YouTube (https://bit.ly/3y3F53x), Instagram (www.instagram.com/umma.ufscar/) e Facebook (https://bit.ly/365slxg) da UMMA.

Grupo da UFSCar trabalha há mais de 30 anos buscando meios filtrantes eficientes

 

Antes da pandemia, poucas pessoas pensavam na relevância de materiais capazes de reter partículas muito pequenas - como os vírus - na passagem de um fluxo gasoso, como no caso do ar que respiramos ao atravessar os diferentes tipos de máscaras. No Laboratório de Controle Ambiental (LCA) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), no entanto, o desenvolvimento dos chamados meios filtrantes e a filtração gás-sólido estão no foco desde 1992, o que faz do grupo, vinculado ao Departamento de Engenharia Química (DEQ) da Universidade, referência nacional e internacional em uma área que está se expandindo rapidamente diante dos desafios impostos pelo Sars-Cov-2, vírus causador da Covid-19.

Em 2021, o grupo divulgou trabalho com fibras produzidas a partir da reciclagem de garrafas PET, capazes de reter até 100% das nanopartículas presentes em um fluxo de ar, incluindo aquelas com as dimensões do Sars-Cov-2 (cerca de 100 nanômetros). Agora, está trabalhando na busca de outros materiais, inclusive biodegradáveis, e, também, impregnados com aditivos biocidas e virucidas como nanopartículas metálicas e outros mais sustentáveis e com menos risco à saúde humana, como óleos essenciais, a partir de financiamento aprovado já no contexto da pandemia.

Além de ajudar a prevenir a Covid-19 e outras doenças respiratórias e infecciosas causadas também por bactérias e fungos, os meios filtrantes são essenciais no enfrentamento de outro problema importante da atualidade, a poluição do ar. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a poluição do ar mata cerca de sete milhões de pessoas por ano em todo o mundo e, no Brasil, a estimativa é de 50 mil mortes por ano. Para tanto, os materiais podem ser aplicados em equipamentos de proteção individual (EPIs) - máscaras, jalecos e outros - e em sistemas para filtração e condicionamento do ar em ambientes como hospitais, escolas e outros edifícios.

"Quando começamos, em 1992, éramos o único laboratório trabalhando com filtração de gases no Brasil, sob a coordenação do professor José Renato Coury. Desde 2000 nossa atenção está voltada a partículas em uma faixa de tamanho pouco estudada, na qual estão os microrganismos. Agora, temos um boom, por causa da pandemia, inclusive com laboratórios mudando de área", situa Mônica Lopes Aguiar, que hoje coordena o Laboratório junto com Vádila Guerra, ambas docentes do DEQ. "Eu já tinha há bastante tempo uma preocupação específica com as infecções hospitalares, com o desenvolvimento de sistemas de ventilação mais eficientes para evitar a proliferação de bactérias e fungos, e sem saber estávamos nos adiantando para uma situação em que é preciso evitar que uma pessoa contaminada em um ambiente fechado cause outras infecções", complementa.

 

PET

No caso da pesquisa com micro e nanofibras obtidas a partir de PET reciclado - cujos resultados foram publicados nos periódicos Polymers (disponível em www.mdpi.com/2073-4360/13/7/1166) e Membranes (www.mdpi.com/2077-0375/11/4/293) -, a preocupação com a poluição do ar foi aliada à questão da redução da poluição plástica, através da reciclagem. A investigação aconteceu no âmbito do doutorado de Daniela Patrícia Freire Bonfim no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química (PPGEQ) da UFSCar, sob orientação de Aguiar, iniciado em 2017 e ainda em andamento, com financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Além delas e de Vádila Guerra, os artigos têm a participação de Rosário Bretas, do Departamento de Engenharia de Materiais da UFSCar, cuja experiência com a técnica de eletrofiação, aplicada na produção das micro e nanofibras, foi essencial. Também participou Fabiana G. S. Cruz, então estudante de graduação.

Um dos principais desafios enfrentados diz respeito à combinação de diferentes parâmetros no processo de eletrofiação, em que um campo elétrico é aplicado a uma gota de solução do polímero (o PET dissolvido em um solvente) na ponta da agulha de uma seringa, resultando na evaporação do solvente e produção da fibra, depositada sobre um coletor fixo ou giratório. A concentração da solução, o diâmetro da agulha, a intensidade do campo aplicado e a distância entre a ponta da agulha e do coletor são só alguns dos parâmetros a serem definidos, combinados e, depois, associados às diferentes características encontradas no material resultante.

"Esses parâmetros interferem, cada um de um jeito, no resultado final. A concentração da solução, por exemplo, interfere no diâmetro da fibra. Outros parâmetros interferem em como a fibra se deposita no coletor, o que interfere na permeabilidade que, por sua vez, estabelece como o fluxo de ar passa pelo material e, assim, determina a queda de pressão", exemplifica Bonfim. "Ou seja, esses parâmetros vão determinar a morfologia das fibras que, por sua vez, interfere na eficiência de coleta e na queda de pressão. E você precisa monitorar todos em conjunto. Então, o desafio inicial foi, a partir da filtração almejada, ir combinando os vários parâmetros para chegar na fibra como a gente queria", acrescenta.

A partir dos testes, os pesquisadores chegaram a uma trama de nanofibras que dispensa um substrato - ou seja, não precisa ser aplicada sobre outro material mais resistente ou estruturado, sendo ela mesma o filtro e o suporte - e alcança até 100% de eficiência na coleta de partículas entre 7 e 300 nanômetros, com queda de pressão muito baixa. "As partículas vão grudando nas fibras e, com isso, o espaço para o ar passar diminui, e é essa obstrução que chamamos de queda de pressão. Se ela é alta, significa que a obstrução acontece rapidamente e você precisa gastar mais energia para o ar passar", explica Bonfim. Em um aparelho de ar condicionado, valores altos de queda de pressão significam gasto maior de energia elétrica; nas máscaras, um esforço muito grande para conseguirmos respirar.

Mais recentemente, em julho de 2020, o grupo de pesquisadores teve projeto incluído entre os 38 selecionados por edital da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) voltado à prevenção e ao combate de epidemias. Com duração de três anos, o projeto visa justamente a continuidade do desenvolvimento de tecidos inteligentes para meios filtrantes com caráter biocida e virucida, e tem a participação, além do grupo vinculado ao Departamento de Engenharia Química - incluindo também o docente André Bernardo e outros estudantes de pós-graduação e pesquisadores de pós-doutorado (Daniela Sanches e Bruno Lima) -, de pesquisadores vinculados aos departamentos de Engenharia de Materiais (Rosário Bretas e Alessandra Lucas) e de Morfologia e Patologia da UFSCar (Clovis de Souza), bem como parceiros da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto (Wanderley Oliveira).
Além deste, o grupo conta também com financiamento do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

A experiência e os equipamentos existentes no Laboratório, que são raros, fizeram com que, desde o início da pandemia, fosse muito procurado por hospitais para testar a eficiência de máscaras e outros EPIs. "Infelizmente, muitos produtos, como máscaras e jalecos, que nós testamos, não tinham a eficiência anunciada para a venda. Os equipamentos mais comuns testam a eficiência apenas para partículas a partir de 300 nanômetros, não para as nanopartículas na faixa em que trabalhamos, e por isso a legislação não exige esses testes", compartilha Aguiar. "Essa também é uma preocupação nossa, e tenho alunos investigando a questão da regulação. Nós estamos falando de pessoas, de profissionais de Saúde, por exemplo, que acreditam estar protegidos e não estão", alerta.

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Julho 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31