fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

ARARAQUARA/SP - A Polícia Civil da cidade de Araraquara registrou, na noite desta última sexta-feira (07), um caso de maus tratos praticado contra uma criança, de dois anos. A acusada de praticar a agressão é a mãe, de 35 anos.

De acordo com informações, três conselheiros tutelares foram até a residência da família, na área rural de Araraquara, após receber a denúncia. No local, os conselheiros questionaram a moradora, que confirmou ter agredido o filho porque, segundo ela, “perdeu a cabeça e a paciência”. A agressão provocou uma lesão na boca da criança.

O Conselho Tutelar levou o caso à delegacia e registrou um boletim de ocorrência (B.O).

 

 

*Por: Luís Antonio / PORTAL MORADA

SANTA RITA DO PASSA QUATRO/SP - Na última quarta-feira (29), os policiais militares do Rádio Patrulhamento receberam um chamado através do Copom, para atender uma ocorrência de violência doméstica pelas redondezas do bairro Vila Mara Cristina, na cidade de Santa Rita do Passa Quatro.

No local a vítima, uma mulher, relatou para aos Policiais que seu marido estava alterado e que ela havia sofrido agressões físicas. Diante do ocorrido as partes foram encaminhadas ao hospital local onde passaram por exames de corpo delito e posteriormente à Delegacia de Polícia Civil onde foi registrada a ocorrência.

O agressor ficou à disposição da justiça e responderá pelo crime de violência doméstica referente a lei Maria da Penha.

TRABIJÚ/SP - Uma mulher foi esfaqueada pelo marido na cidade de Trabijú, no início da madrugada desta quinta-feira (30).

De acordo com informações, durante uma discussão sem motivo aparente o homem, de 33 anos, agrediu sua esposa com uma faca. Ela tentou se defender e teve ferimentos na mão e no braço.

Uma criança, filho do casal, assustado com a agressão, pegou um facão e atacou seu pai para defender sua mãe, e o feriu no braço e na mão.

A Polícia Militar foi acionada e todos foram levados para a delegacia de plantão, onde o autor foi preso em flagrante e encaminhado ao ADP (Anexo de Detenção Provisória), por não ter os R$ 1.050,00 estipulados como fiança.

 

 

*Por: PORTAL MORADA

SÃO CARLOS/SP - Um homem de 32 anos, foi detido pela Polícia Militar neste último sábado (04), no bairro Santa Felícia, em São Carlos.

Segundo consta, o homem é usuário de entorpecentes e teria agredido sua sobrinha na semana passada, e ainda segundo informações, neste sábado iria atear fogo na casa onde mora, porém, a mãe constatou o ato e evitou o pior.

A PM foi acionada e os Militares Cabo Reinaldo e Soldado Vale estiveram ao local e conduziram o sujeito ao Plantão Policial, onde ficou à disposição do delegado.

SÃO CARLOS/SP - Uma ocorrência foi irradiada via Copom, onde um veículo foi incendiado nesta última 3ª feira (30), na Rua Francisco Possa, no bairro Santa Felícia, região oeste de São Carlos.

Os PMs foram ao local informado, e quando chegaram o carro ainda estava em chamas e imediatamente acionaram o Corpo de Bombeiros. Os Militares foram informados quem é o proprietário do carro que teria sido agredido por dois homens em um depósito de bebidas na Rua Dr. Procópio de Toledo Malta, onde após a agressão os sujeitos fugiram com carro da vítima.

Os acusados G.D.F e G.Y.S, foram conduzidos ao Plantão Policial, onde foram ouvidos e liberados.

Não bastasse o medo de se infectar, outro medo assola as mulheres brasileiras.

SÃO PAULO/SP - O confinamento social faz com que casais passem mais tempo juntos, o que amplia os conflitos familiares. Dados da ONU demonstram que houve um aumento nas denúncias formais de abuso desde que a pandemia começou. 

Famivita, em seu mais recente estudo constatou que 4% das brasileiras já sofreram violência doméstica nos últimos meses. Considerando 40 milhões de mulheres vivendo em união, são 1,6 milhões de casos só na pandemia. E o mais triste é que conforme o relatório do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, da ONU, o lugar mais perigoso do mundo para uma mulher é a sua própria casa.

Identificamos em nosso estudo que 61% dos casais estão passando mais tempo juntos agora, do que antes da pandemia. E esse pode ser um dos fatores que faz com que a violência aumente. Além disso, a incidência de violência entre os jovens até 24 anos e pessoas na faixa dos 40 anos, é mais alta.

Outro fator, são as brigas. Dentre todos os estados brasileiros, o número de brigas, conflitos e divergências aumentou 27% entre os casais participantes. Os mais jovens e menos estabelecidos estão entre os que mais discutiram desde que a pandemia começou.

Roraima é o estado campeão de brigas e desentendimentos entre casais, com 38% dos participantes. No Rio de Janeiro, 31% dos casais aumentaram o número de brigas, e um dos reflexos, é o percentual de violência doméstica no estado, que é de 4%. São Paulo também teve aumento de 27% nos desentendimentos, e registra 4% de mulheres que sofrem violência doméstica.

SÃO CARLOS/SP - A Polícia Militar prendeu um homem acusado de agredir sua companheira na tarde deste último sábado (27), no bairro Jardim Tangará, em São Carlos.

Segundo consta, a Polícia Militar foi acionada para atender uma ocorrência de agressão à mulher. Os PMs em contato com a vítima de 26 anos, relatou que o seu “amor” é usuário de drogas e que o mesmo teria lhe agredido para pegar o seu dinheiro. Enquanto os Militares conversavam com a vítima, o valentão chegou à residência e foi detido pelos policiais.

O pintor de 26 anos, foi conduzido ao Plantão Policial, onde foi autuado em flagrante por ameaça, lesão corporal e violência doméstica, ficando detido e recolhido ao Centro de Triagem de São Carlos.

SÃO CARLOS/SP - A Polícia Militar deteve na noite de ontem, 14, um homem acusado de agredir sua esposa na rua 76, no bairro Cidade Aracy, região sul de São Carlos.

Segundo informações, a mulher de 34 anos, teria relatado aos PMs que seu esposo teria lhe agredido com um soco na boca. E.A.S, de 36 anos, foi detido e ambas as partes foram conduzidas ao Plantão Policial.

Ainda segundo a mulher, geralmente quando o marido ingere bebida alcoólica ele fica agressivo.

SÃO CARLOS/SP - O Centro de Operações da Polícia Militar (COPOM), foi acionado para conter uma briga entre marido e mulher no Jardim Pacaembu, em São Carlos, e deteve o acusado neste último domingo (07).

Segundo consta, a PM ao ser solicitada foi até a Rua Bahia, e chegando à residência encontrou A.M.V (idade não informada), e a mesma informou aos Policiais que teria sido agredida pelo marido. R.C (idade também não nos foi informada), confirmou que perdeu a cabeça durante a discussão com a esposa.

Diante dos fatos, ambos foram conduzidos ao Plantão Policial, cujo o delegado Dr. Gilberto de Aquino, ratificou a prisão em flagrante delito pelo crime Maria da Penha, e o acusado sendo levado à cadeia pública de São Carlos.

Podem participar universitárias, maiores de 18 anos, com histórico de abuso e que não tenham sintomas psiquiátrico.

SÃO CARLOS/SP - A pesquisa "Nos reconhecendo: Cartografia do corpo em estudantes vítimas de abuso, agressão e/ou violência sexual no âmbito universitário", desenvolvida na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), está buscando voluntárias para avaliar o impacto no corpo e no desenvolvimento sexual de pessoas que sofreram situações de abuso dentro do ambiente universitário. Podem participar universitárias mulheres (cis, trans), com idade igual ou superior a 18 anos e que tenham experienciado ao menos um episódio de abuso, agressão ou violência sexual durante o período em que estiveram na universidade. As voluntárias não podem apresentar sintomas psiquiátricos ou transtornos de personalidade diagnosticados.

O estudo é realizado por Giselle Alejandra Pincheira Navarro, mestranda no Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPsi) da UFSCar, sob orientação de Sabrina Mazo D’Affonseca, docente do Departamento de Psicologia (DPSi) da Instituição.

Continua depois da publicidade

As voluntárias responderão a este questionário online (https://bit.ly/3b2tLsk), que contém perguntas relacionadas à caracterização do caso e para rastreamento de sintomas psicológicos. O tempo estimado de resposta é de aproximadamente 25 minutos. Posteriormente, a pesquisadora poderá entrar em contato com as participantes para a realização de uma entrevista individual. O sigilo é assegurado. Após a coleta de dados, caso seja identificada a necessidade de apoio psicológico, as voluntárias poderão ser encaminhadas para serviços de saúde. 

De acordo com Navarro, com a participação no estudo, as pessoas irão contribuir para gerar conhecimento sobre as situações de abuso, agressão e violência sexual no âmbito universitário, ajudando a tornar visível a temática da violência seja física, psicológica ou sexual. "É importante discutir esses temas como um problema social e de saúde pública e dar a necessária atenção às vítimas, bem como sensibilizar não só a comunidade universitária, mas também a população em geral", defende a pesquisadora.

Com os dados coletados, o trabalho pretende auxiliar na produção de informações necessárias para futuras pesquisas sobre o assunto da violência de gênero dentro das relações universitárias, trazendo, para debates, o corpo e a sexualidade como elemento essencial do bem-estar. Também pretende colaborar no planejamento e na execução de programas de intervenção e prevenção dentro da política universitária.

Mais informações estão disponíveis no formulário (https://bit.ly/3b2tLsk) e dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Pesquisa aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFSCar (CAAE: 15113119.6.0000.5504).

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Agosto 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31