fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 
Radio Sanca Web TV - Quarta, 04 Novembro 2020

BRASÍLIA/DF - O jornalista Alexandre Garcia, fez seu artigo diário no YouTube e falou sobre o caso de Mariana Ferrer a troca de promotor que mudou prisão em absolvição

Acompanhe.

 

Publicado em Notícias

SÃO PAULO/SP - Aline Riscado foi uma das celebridades que participou do #TBT desta quinta-feira (05), como já é tradição entre os famosos nas redes sociais.

A musa relembrou sua viagem ao Jalapão, no Tocantins, e esbanjou sua boa forma durante um momento bem good vibes enquanto fazia sua meditação diária num cenário paradisíaco de tirar o fôlego. “Lembranças desse lugar mágico. Saudade do Jalapão #TBT”, escreveu na legenda.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Lembranças desse lugar mágico✨ Saudade do Jalapão ?? @pondastur #TBT

Uma publicação compartilhada por ALINE RISCADO ?️➕ (@alineriscado) em

Em menos de uma hora, o clique já ultrapassava as 301 mil curtidas no perfil de Aline. “Tá no mesmo lugar que o Whindersson?”, questionou um seguidor. “Você é surreal de linda, mulher”, elogiou outra internauta.

 

 

*Por: Gabriela Ellin / METROPOLITANA

Publicado em Celebridades
Quinta, 05 Novembro 2020 09:15

Produtos furtados são recuperados pela GM

SÃO CARLOS/SP - A Guarda Municipal conseguiu deter 4 sujeitos com produtos de procedência duvidosa nesta última 4ª feira, na Rua Bruno Giongo, na Vila Derige, em São Carlos.

De acordo com informações, os GMs realizavam o patrulhamento, quando avistaram os indivíduos em atitude suspeita pela rua já citada. Ao realizar a abordagem foi localizado em posse deles (quarteto), 01 Notebook Samsung com suporte de refrigeração e 02 aparelhos celulares sendo um iPhone e um Motorola. Ao serem questionados sobre a procedência dos objetos, eles não souberam responder.

Diante dos fatos, os 04 sujeitos foram conduzidos ao Plantão Policial, onde havia uma denúncia de furto em uma residência nas imediações e o contato com a vítima foi feito e o dono dos objetos confirmou sendo de sua propriedade. O B.O foi feito, os objetos devolvidos ao dono e os jovens liberados.

Publicado em Policial

SÃO PAULO/SP - Simaria, da dupla com Simone, usou o seu perfil do Instagram para celebrar o aniversário de seu marido, Vicente Escrig, que está completando 41 anos nesta última quarta-feira (4). Em uma série de cliques sensuais em que a cantora aparece de topless, o casal posou juntinho e protagonizou cenas íntimas.

“Amor da minha vida, feliz aniversário! Estou agradecida por sua vida e por estar comemorando seu dia junto com você e com nossos pequenos. Te amo como se fosse o primeiro dia e peço que Deus nos proteja. Que ele continue abençoando a família mais linda do mundo que construimos. Você nos transmite paz e nos ensina a cada dia como sermos pessoas especiais. Como sempre dizem nossos filhos: Meu coração é seu amado meu”, escreveu Simaria.

Em questão de minutos, o post rendeu mais de 300 mil likes e diversos comentários. “Mulher do céu, apaga a luz!”, brincou uma fã. “Cara sortudo”, disparou outro internauta.

Juntos desde 2009, Simaria e Vicente são pais de Giovanna e Pawel, de oito e cinco anos respectivamente.

 

 

*Por: REDETV!

Publicado em Celebridades

SÃO PAULO/SP - Com décadas de atuação na televisão, rádio e jornais impressos, o jornalista Boris Casoy iniciou, no dia 20 de outubro, um novo desafio: a estreia do Jornal do Boris em seu novo canal no YouTube. Em entrevista para o Estadão, o apresentador revelou alguns planos para o futuro e como tem sido a mudança em seu trabalho.

Demitido pela RedeTV!, onde apresentava o RedeTV News, no último mês de setembro, Boris conta que já planejava produzir conteúdo para o YouTube em algum momento desde sua entrada na emissora, em 2016, e que “colocou no contrato” essa possibilidade. Os planos para o lançamento do canal já estavam sendo feitos desde antes de sua saída.

O jornalista destaca que, agora, sua prioridade é o novo canal: “Se algum dia eu voltar [para a televisão], a minha atividade principal é essa, do YouTube, é uma coisa que eu queria”. “Pra mim é algo interessante, me atraiu muito, e é o único veículo de comunicação que eu não tinha trabalhado. Fiz rádio, assessoria [de imprensa], jornal, televisão”, lembra.

Foi graças a esse desejo que surgiu o Jornal do Boris, que é transmitido ao vivo no YouTube e no Facebook de segunda à sexta às 8h, assim como no canal à cabo de Alphaville AlphaChannel TV. Com duração de 30 minutos, Casoy explica que o jornal é diferente de outros produzidos em grandes emissoras.

“Eu trabalho em um lugar em que eu apareço, exponho, é um jornal de comentário, então sou dono do meu nariz”, comenta. Ao longo do programa Boris mostra as manchetes dos principais jornais, além de outros fatos marcantes do dia anterior, e expõe sua opinião sobre eles. A proposta, segundo ele, é proporcionar às pessoas momentos de reflexão.

“A ideia é que a pessoa que acorda de manhã, que quer ter uma opinião além da que os jornais publicam, consiga ter acesso a isso em um tempo menor. Pode concordar ou não, [me] basta saber que levei ele ao exercício de contestar, de pensar, é um exercício democrático”, defende o apresentador.

A inspiração, segundo Boris, veio do programa O Trabuco, que foi apresentado pelo jornalista e radialista Vicente Leporace, na Rádio Bandeirantes, e era baseado na exposição de opiniões.

Além da independência que o YouTube proporciona, Boris destaca que a possibilidade de ter mais interatividade com o público é outra característica que o atraiu. Ele destaca, porém, que ainda não aproveitou muito essa chance, apesar de pretender.

“[Na internet] a maioria dos comentários são muito radicais, tem uma parte má da internet que está muito presente nos comentários, pessoas que se escondem no anonimato, fake news, gente que gostaria que fosse por um lado ou por outro”, destaca.

“O jornalismo no YouTube ainda está engatinhando, e tem distorções muito graves, que são radicais sem nenhum preparo jornalístico e que se engajam no seu próprio radicalismo, e algumas pessoas menos precavidas acreditam nelas”, alerta ele, mostrando preocupação com a circulação de informações falsas na internet.

O veterano do jornalismo considera que a estreia do programa “ocorreu bem” e, agora, ele e sua pequena equipe, composta por mais três pessoas, pensam em fazer algumas experimentações. Além de mais interação com os espectadores, os vídeos publicados também devem trazer entrevistas. Algumas gravações mais curtas também são publicadas periodicamente, com comentários específicos.

Completando 80 anos em fevereiro de 2021, Boris Casoy não esconde que entrar de cabeça no mundo da internet é um desafio, mas que há benefícios: “A minha vida profissional é de desafios, esse é mais um, ele estava pendente. É o elixir de juventude para mim, tem um significado de que eu continuo sendo útil”.

O jornal tem, inclusive, ajudado o jornalista a passar o período de pandemia isolado em casa. “Me deu uma ocupação, preencheu meu dia. Eu estou desde março 'enfurnado' na minha casa. Tem um forte renascimento profissional meu, dentro de mim mesmo, que é esse desafio, de fazer, fazer bem feito, estou gostando”, destaca Boris.

O jornalista não nega que exista um preconceito contra idosos, representado na visão de que eles não saberiam mexer com a tecnologia, mas observa: “pretendo aprender, confesso que entendo muito pouco, quase nada, mas eu sou curioso”. “Eu ainda estou inteiro, estou com a cabeça funcionando, relativa boa memória. Quero ter o conhecimento”, afirma.

“Eu gostaria que as pessoas se inscrevessem no canal, que experimentassem, o que eu convido é a uma experiência. Eu jogo com a minha experiência, continuo pesquisando. Estou voltando para minha atividade”.

 

 

 

*Por: João Pedro Malar* ESTADÃO

*Estagiário sob supervisão de Charlise Morais

Publicado em Celebridades

BRASÍLIA/DF - O Congresso derrubou, na tarde de ontem (4), o veto presidencial à prorrogação, até o final de 2021, da desoneração da folha de pagamentos de 17 setores da economia, que empregam mais de 6 milhões de pessoas. Os deputados já haviam derrubado o veto no início da tarde e os senadores seguiram na mesma linha, em sessão ocorrida horas depois.

A manutenção da desoneração da folha de pagamento – quando o governo retira alguns tributos devidos pelos empregadores para “baratear” o custo mensal do empregado – era uma demanda de vários setores para evitar demissões.

A derrubada do veto foi garantida pelos congressistas após acordo com o governo. Esse acordo foi negociado por vários meses entre equipe econômica do governo e líderes partidários. “Esse tempo de maturação conseguiu com que cada parlamentar convencesse o governo com argumentos reais da importância dessa desoneração. Estamos na pandemia, o Brasil está perdendo muitas vidas e não podemos perder empregos”, disse o presidente do Congresso, senador Davi Alcolumbre.

Alcolumbre também teceu elogios ao governo, chamando essa postura de “maturidade política”. “Depois de um longo debate, o governo compreendeu e construiu com os líderes partidários a possibilidade de apoiar a derrubada do veto. Isso é maturidade política, é relação institucional honesta”.

A prorrogação da desoneração foi aprovada em junho pelo Senado e encaminhada para a sanção presidencial. A iniciativa foi incluída na Medida Provisória (MP) 936/20, que autorizou a redução da jornada de trabalho e dos salários em razão da pandemia do novo coronavírus. Em julho, ao sancionar a lei, o presidente da República Jair Bolsonaro vetou a prorrogação.

Como o Congresso está funcionando de forma remota, a sessão foi dividida em etapas. Após o encerramento da sessão com os deputados, houve outra com os senadores.

 

Auxílio emergencial

A maioria dos senadores manteve o veto presidencial ao pagamento do auxílio emergencial a várias categorias, como pescadores artesanais, artistas, garimpeiros e motoristas de aplicativo. Havia acordo para manutenção desse veto, mas a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) afirmou não ter participado do acordo e votou contra o veto. Senadores de partidos de oposição decidiram votar contra o veto, mas a maioria decidiu por mantê-lo.

 

Metas do SUAS

O Senado também derrubou o veto presidencial que suspendia a obrigatoriedade do cumprimento das metas, por estados e municípios, pactuadas com a União no âmbito do Sistema Único de Assistência Social (Suas). Com a derrubada desse veto (VET 33/2020) e o consequente restabelecimento do dispositivo, fica permitido o repasse integral dos recursos pactuados no âmbito do Suas.

Foram mantidos, no entanto, vetos a dois outros dispositivos da mesma lei. Um desses vetos acabou com a obrigatoriedade da medição de temperatura das pessoas em situação de rua quando elas têm acesso a restaurantes populares ou abrigos. O outro veto derrubou a exigência de que estados e municípios devam ter cadastros dos moradores de rua, com informações sobre grau de escolaridade, fichas médicas e situações de dependência química.

 

 

 

* Com informações da Agência Senado

Por Marcelo Brandão - Repórter da Agência Brasil*

Publicado em Política

MUNDO - Lionel Messi marcou de pênalti pela terceira partida consecutiva da Liga dos Campeões e o Barcelona venceu o Dynamo de Kiev por 2 x 1, nesta quarta-feira, mantendo uma campanha perfeita no grupo G, no qual a Juventus goleou o Ferencváros por 3 x 1 e se recuperou da derrota que havia sofrido para a equipe catalã na rodada anterior.

A rodada desta quarta-feira também foi marcada pela derrota de 2 x 1 do PSG, atual vice-campeão do torneio, para o Leipzig, na Alemanha. A equipe parisiense somou sua segunda derrota em três partidas.

Messi, que também havia convertido pênaltis nas vitórias sobre Ferencváros e Juventus, marcou mais um aos 5 minutos de jogo, e Gerard Piqué ampliou para os catalães na segunda etapa, após bom cruzamento de Ansu Fati.

O Dynamo, que não contou com seis jogadores devido a casos positivos de Covid-19, desperdiçou oportunidades para empatar a partida, antes de chegar a um merecido gol de honra aos 30 do segundo tempo, com Viktor Tsygankov.

No mesmo grupo, a Juventus contou com dois tentos de Álvaro Morata, um de Dybala e um gol contra de Lasha Dvali para vencer o Ferencváros por 4 x 1. A equipe húngara descontou com Franck Boli.

O líder do grupo G é o Barcelona, com nove pontos, seguido pela Juve, que anotou seis. Ferencváros e Dynamo têm um ponto cada.

Em um confronto eletrizante do grupo H, o Leipzig venceu o Paris Saint-Germain de virada, em casa, por 2 x 1. O clube francês, que abriu o placar com o argentino Ángel Di María, terminou o jogo com dois expulsos.

Em outras partidas do dia, um gol marcado pelo equatoriano Felipe Caicedo nos minutos finais deu à Lazio um empate por 1 x 1 contra o Zenit, pelo Grupo F, mesma chave em que o Borussia Dortmund derrotou o Club Brugges por 3 x 0, com dois gols do noruguês Erling Haaland.

O Chelsea, por sua vez, venceu o Renne por 3 x 0 em jogo do Grupo E, com dois gols do alemão Timo Werner. No mesmo grupo, o Sevilla sofreu para derrotar o Krasnodar por 3 x 2 em casa.

 

 

 

*Por Brian Homewood, Zoran Milosavljevic e Richard Martin / REUTERS

Publicado em Esportes

MUNDO - As últimas restrições da Itália para tentar controlar o novo coronavírus incluem um lockdown parcial de sua região mais rica e populosa, a Lombardia, ao redor de Milão, capital financeira do país, disse o primeiro-ministro, Giuseppe Conte, nessa quarta-feira (4).

O novo pacote de medidas, divulgado ontem pelo governo, endurece as restrições em nível nacional e divide o país em três zonas - vermelha, laranja e amarela, de acordo com a intensidade da epidemia.

O zoneamento depende de uma série de fatores, incluindo taxas de infecção local e ocupação hospitalar, com restrições ajustadas de acordo com cada região.

Nas zonas vermelhas, gravemente afetadas, as pessoas só poderão deixar suas casas para trabalhar, por motivos de saúde ou em razão de emergências. Bares, restaurantes e a maioria das lojas estarão fechadas.

As aulas do ensino médio e dos dois anos finais do ensino fundamental serão transferidas para o modelo remoto.

No entanto, ao contrário do lockdown nacional aplicado na Itália durante a primavera, todas as fábricas permanecerão abertas.

"Nossa capacidade de terapia intensiva pode se esgotar em questão de semanas, temos que intervir", disse o primeiro-ministro Giuseppe Conte, em entrevista coletiva, para explicar o conjunto de medidas que entram em vigor nesta sexta-feira (6).

 

 

*Por Gavin Jones e Angelo Amante - Repórteres da Reuters

Publicado em Economia

Estudo, em parceria com a Unicamp e UFRN, aponta semelhança com doenças atuais que acometem humanos

 

SÃO CARLOS/SP - Uma pesquisa desenvolvida na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em parceria com a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), identificou o parasita causador de uma doença óssea crônica - a osteomielite - em ossos de dinossauros saurópodes, do grupo dos Titanossauros, com mais de 80 milhões de anos. A descoberta, inédita no mundo, é importante para o entendimento de doenças similares que acometem a espécie humana ainda hoje e cujos mesmos tipos de parasitas já derrubavam os gigantes do Período Cretáceo.
Os ossos fósseis, que correspondem a restos de dinossauros carnívoros e herbívoros, foram encontrados pela equipe do Laboratório de Paleoecologia e Paleoicnologia, do Departamento de Ecologia e Biologia Evolutiva (DEBE) da UFSCar, em diversas incursões a campo, na região de Ibirá (SP). "Desde o ano de 2006, esse material vem sendo incorporado à coleção de Paleontologia do DEBE, para que pudesse ser estudado pelos nossos estudantes e por pesquisadores de diferentes instituições", diz Marcelo Adorna Fernandes, docente do DEBE e coordenador do Laboratório da UFSCar.
A presença do microrganismo que causava a osteomielite nos saurópodes foi identificada e passou por análises sob microscópio, que mostraram a existência de parasitas fossilizados na medula óssea. "Foi algo raro e inusitado, pois nunca antes foram encontrados parasitas em ossos de dinossauros, apenas em insetos preservados no âmbar, resina fóssil, e também em coprólitos, fezes petrificadas", aponta Fernandes sobre o ineditismo do estudo.
A osteomielite identificada no fóssil do saurópode ainda é diagnosticada nos dias de hoje. A doença acomete os seres humanos com infecções provocadas por bactérias ou fungos. "Quando um osso é infectado, esses microrganismos podem chegar até à medula óssea, que inflama e diminui a irrigação sanguínea. Devido a isso, ocorre uma necrose no local afetado", explica o professor. Quando a osteomielite é crônica, a infecção atinge áreas externas ao osso e provoca abscessos, com a formação de feridas e úlceras na pele. De acordo com Adorna, outra doença muito parecida com esta do dinossauro é a Leishmaniose, causada por protozoários flagelados, transmitida pela picada do mosquito palha e que pode se manifestar, no ser humano, de diferentes formas - a cutânea, conhecida como Úlcera de Bauru; e a visceral.
No caso do dinossauro, o docente explica que os parasitas se instalaram na região medular do osso. "No entanto, ainda não conseguimos precisar se a doença crônica se instalou primeiro no dinossauro ou se foi o parasita que abriu caminho para a infecção óssea", completa. Fernandes acrescenta que a doença devia causar muita dor e sofrimento ao dinossauro, que já era velho, provocando úlceras na pele, fístulas e secreção purulenta, "o que lhe dava um aspecto de zumbi, daí o apelido de Dinossauro Zumbi".
Para o pesquisador, a descoberta do parasita em animais do passado é importante para compreender as doenças atuais. "Quando começamos a entender o processo infeccioso no nível microscópico, podemos investigar o desenvolvimento de doenças degenerativas e que acometeram os organismos do passado. Ao se comparar com doenças atuais, até mesmo no nível celular, podemos compreender que o resultado das infecções são os mesmos, pois os processos acontecem da mesma maneira. Então, evolutivamente, a relação entre parasita e hospedeiro parece ser tão antiga quanto os próprios dinossauros", conclui.
A pesquisa foi desenvolvida inicialmente no Laboratório de Paleoecologia e Paleoicnologia do DEBE, por Tito Aureliano, mestrando da Unicamp, pesquisador na UFRN e colaborador do Laboratório da UFSCar, sob coorientação do professor Marcelo Adorna Fernandes, e foi divulgada recentemente em publicação internacional (https://bit.ly/3jHR0we). Os pesquisadores elaboraram um vídeo sobre o estudo, que pode ser acessado no canal do Youtube dos Colecionadores de Ossos (https://bit.ly/3kAbQ1U). Participaram também da pesquisa e do artigo, Carolina Santa Isabel, doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ecologia e Recursos Naturais (PPGERN) da UFSCar; Fresia Ricardi-Branco, orientadora e docente da Unicamp; e Aline Ghilardi, ex pós-doutoranda do PPGERN e atual professora e paleontóloga da UFRN.

Publicado em Educação

MSF implementa clínicas móveis e fornece água potável em Pemba, que já recebeu mais de 100 mil deslocados

 

MUNDO - Até agora, mais de 400 mil pessoas da província de Cabo Delgado, no norte de Moçambique, foram deslocadas de acordo com as estimativas governamentais anunciadas na semana passada. Após terem fugido da violência dos contínuos ataques de grupos armados e das ações militares das forças moçambicanas, estas pessoas deslocadas enfrentam agora sérios riscos de saúde e condições de vida inadequadas.

"Cerca de 10 mil pessoas deslocadas chegaram de barco à capital provincial de Pemba só na semana passada", disse Joaquim Guinart, coordenador do projeto de MSF em Cabo Delgado. "Eles estavam desidratados. As mulheres deram à luz no mar. Tem havido casos de diarreia grave e potencialmente fatal. Há muita pressão sobre o pessoal médico local, uma vez que 20 mil pessoas chegaram ao longo do último mês e mais continuarão a chegar.”

Aproximadamente 100 mil pessoas deslocadas internamente (IDPs) procuraram refúgio em Pemba e arredores em locais de abrigo temporário, tais como edifícios escolares, ou com famílias de acolhimento, aumentando a população da cidade em um terço. MSF avalia que muitos deslocados internos carecem de água potável e estão expostos à malária com quase nenhuma proteção enquanto permanecem em condições insalubres e de superlotação, aumentando o risco de um surto de sarampo, diarreia ou COVID-19.

Sem um fim à vista, os combates que começaram em outubro de 2017 continuaram a aumentar de intensidade, forçando quase um quinto da população da província a abandonar as suas casas e reduzindo a quase nada o acesso aos cuidados e outros serviços na área. MSF teve de suspender as suas próprias atividades médicas humanitárias em Mocimboa da Praia em março, seguido de Macomia em maio, após um ataque, durante o qual o centro de saúde em Macomia, onde o pessoal de MSF trabalhava, foi saqueado e incendiado. Estima-se que mais de 20 centros de saúde locais foram destruídos durante o conflito.

MSF deslocou a sua base para a cidade de Pemba, onde tem prestado assistência médica aos deslocados internos e à comunidade de acolhimento. Mesmo assim, MSF diz que luta para permanecer operacional em Cabo Delgado devido a restrições administrativas e de viagem por causa da COVID-19, que obrigam a organização a trabalhar com capacidade mínima enquanto as necessidades continuam a crescer exponencialmente.

MSF iniciou uma clínica móvel no distrito de Metuge em setembro e, devido à constante chegada de novos deslocados, foi lançada uma segunda clínica móvel em 28 de outubro, que MSF espera utilizar para chegar a mais pessoas em distritos mais remotos nas próximas semanas. MSF também presta assistência em termos de água e saneamento em locais de deslocados internos e instalações sanitárias e gere o centro de tratamento de diarreia em Pemba. Com o apoio de parceiros, MSF está construindo 150 latrinas e restaurando 27 bombas de água manuais e cinco sistemas de água no distrito de Metuge, assegurando o acesso a água segura antes da próxima estação chuvosa. No entanto, MSF avalia que estas atividades apenas respondem a uma fração das necessidades crescentes da área.

"MSF está profundamente preocupada com a violência contínua e a deterioração das condições em Cabo Delgado e com o rápido crescimento do número de deslocados, especialmente com o início da estação chuvosa. As necessidades básicas das pessoas deslocadas continuam, apesar dos esforços existentes para prestar assistência humanitária", afirma o chefe de projeto de MSF para Moçambique, Alain Kassa. "Se não forem tomadas medidas imediatas, a situação vai piorar rapidamente, e MSF apela às autoridades moçambicanas para que apoiem a mobilização de pessoal e fornecimentos humanitários adicionais sem demora".

MSF está presente em Moçambique desde 1984. Na cidade de Pemba, MSF está apoiando as autoridades de saúde na melhoria do acesso à água e saneamento, bem como na resposta a possíveis surtos de diarreia e cólera. MSF também está presente em Maputo e Beira, oferecendo atendimento a pessoas com HIV, tuberculose e hepatite e populações vulneráveis. Em todos os projetos, MSF está apoiando o Ministério da Saúde de Moçambique em sua resposta à COVID-19 por meio da implementação de medidas preventivas, incluindo controle de infecções, triagem e vigilância.

Sobre Médicos Sem Fronteiras

Médicos Sem Fronteiras é uma organização humanitária internacional que leva cuidados de saúde a pessoas afetadas por conflitos armados, desastres naturais, epidemias, desnutrição ou sem nenhum acesso à assistência médica. Oferece ajuda exclusivamente com base na necessidade das populações atendidas, sem discriminação de raça, religião ou convicção política e de forma independente de poderes políticos e econômicos. Também é missão da MSF chamar a atenção para as dificuldades enfrentadas pelas pessoas atendidas em seus projetos. Para saber mais acesse o site de MSF-Brasil.

Publicado em Coronavírus

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Novembro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
            1
2 3 4 5 6 7 8
9 10 11 12 13 14 15
16 17 18 19 20 21 22
23 24 25 26 27 28 29
30