fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 

Iniciativa é gratuita, aberta às pessoas interessadas e será realizada online

 

SÃO CARLOS/SP - A partir deste mês de novembro, o Departamento de Artes e Comunicação (DAC) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), por meio do curso de Licenciatura em Música, oferece a atividade "Violão Brasileiro: práticas e aprendizagens", que ocorrerá por meio de encontros virtuais e atividades a distância.

A iniciativa, configurada como Atividade Curricular de Integração Ensino, Pesquisa e Extensão (Aciepe), ministrada por Eduardo Conegundes de Souza, docente do DAC, em parceria com violonistas e professores parceiros, é voltada ao compartilhamento de conhecimentos musicais, ao aprendizado e à prática do violão dentro do contexto da música popular brasileira. As atividades serão realizadas em duas etapas: de 9 de novembro a 19 de dezembro de 2020; e de 4 a 16 de janeiro 2021. 

Podem participar da Aciepe violonistas, estudantes ou amantes de música, até o dia 4 de novembro. Para estudantes de graduação da UFSCar, a inscrição deve ser feita via Sistema Integrado de Gestão Acadêmica (SIGA). Já para as demais pessoas interessadas, as inscrições estão disponíveis por meio de preenchimento de formulário eletrônico (https://bit.ly/2HpgfX9), onde também constam mais informações sobre os encontros.

Evento é realizado de forma online e aborda o tema Política, subjetividade e verdade em tempos de pandemia

 

SÃO CARLOS/SP - De 1 a 4 de dezembro, ocorre o XI Encontro da Graduação em Filosofia da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), que será realizado de forma online e trará o tema "Política, subjetividade e verdade em tempos de pandemia". Ao longo dos dias, o evento terá apresentações de trabalhos de estudantes da graduação na área da Filosofia, além de mesas e minicursos.

A participação é aberta exclusivamente a estudantes regularmente matriculados em cursos de graduação e que estejam desenvolvendo pesquisa - Iniciação Científica, monografia ou Trabalho de Conclusão de Curso -, com ou sem bolsas de fomento. As inscrições de pessoas que queiram apresentar trabalhos devem ser feitas até o dia 9 de novembro, por meio de preenchimento de formulário online (https://bit.ly/3m6MvNy). As normas para submissão constam no edital (https://bit.ly/31p8mb3).

A divulgação dos resumos aprovados será feita no dia 16 de novembro, e a programação completa do Encontro será divulgada em 19 de novembro, nas redes sociais (Facebook - https://bit.ly/34cWcUw - e Instagram - instagram.com/filosofiaufscar). Já as inscrições de ouvintes devem ser feitas no momento das atividades, em link que será disponibilizado pela organização. 

O evento é gratuito e será transmitido pela plataforma do Google Meet, em link a ser divulgado também nas redes sociais. O Encontro é uma iniciativa do curso de graduação em Filosofia da UFSCar. Dúvidas podem ser esclarecidas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

JobSkills é gratuito e visa evidenciar competências e superar discriminações relacionadas a pessoas com deficiências

 

SÃO CARLOS/SP - Em todo o Brasil, profissionais enfrentam desafios relacionados às oportunidades de emprego, especialmente em 2020, com a pandemia do novo Coronavírus. Em relação às pessoas com deficiências, o cenário é ainda pior, pois diversos estudos apontam que, apesar da criação da Lei de Cotas - Lei nº 8.213/91 -, que prevê que toda instituição com 100 ou mais funcionários deve ser obrigada a ter de 2 a 5% de cargos preenchidos por essas pessoas, ainda há, por parte dessas instituições, um desconhecimento em relação à legislação, além de ela não ser obrigatoriamente aplicável em ambientes menores.
Além disso, apesar de haver pessoas com deficiências que possuem formação em nível técnico e superior, inclusive em nível de pós-graduação, o cenário do mercado de trabalho continua sendo invisibilizado por instituições empregatícias, universidades e até mesmo a comunidade científica. "Além do cenário desmotivador devido ao desconhecimento da lei e à falta de reconhecimento, as pessoas com deficiências comumente sofrem com preconceito e discriminação, além da falta de aumento ou promoção e das dificuldades com o deslocamento para o seu local de trabalho", exemplifica Leonardo Santos Amâncio Cabral, docente do Departamento de Psicologia (DPsi) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).
Pensando em superar esses desafios, pesquisadores do Grupo de Pesquisa Identidades, Deficiências, Educação e Acessibilidade (IDEA) da UFSCar, em parceria com o Instituto Federal de São Paulo (IFSP), da cidade de São Carlos, criaram a JobSkills, tecnologia de apoio gratuita que visa identificar competências profissionais, promovendo a interação entre empregadores, estudantes e profissionais com deficiências, além de reunir textos educacionais sobre a temática. "O objetivo é unir oportunidades de trabalho com perfis profissionais de pessoas com deficiências, evidenciando suas competências e encurtando tempos e espaços, visando superar discriminações em razão da condição de deficiência, à luz da Convenção Internacional dos Direitos das Pessoas com Deficiência e da Lei Brasileira de Inclusão", esclarece Cabral, que é, também, coordenador do projeto.
A plataforma, que foi desenvolvida com o apoio do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), permite o cadastro de oportunidades de emprego, pelos empregadores, e de perfis profissionais, por pessoas com deficiências interessadas em oportunidades de trabalho. Ela já está disponível para uso e pode ser baixada gratuitamente no site do IDEA (https://bit.ly/35EEQ2c), onde também estão disponíveis mais informações sobre a tecnologia.

Vencedores serão divulgados em 26 de novembro

 

SÃO CARLOS/SP - Um livro publicado pela Editora da Universidade Federal de São Carlos (EdUFSCar) em 2019 está entre os finalistas do Prêmio Jabuti, o mais importante do mercado editorial brasileiro concedido pela Câmara Brasileira do Livro (CBL). A obra é "Potenciometria: aspectos teóricos e práticos", dos autores Tiago Almeida Silva, Orlando Fatibello-Filho, Fernando Cruz de Moraes e Bruno Campos Janegitz.
"É uma tremenda honra estarmos entre os 10 finalistas do Prêmio Jabuti 2020, na categoria Ciência, juntamente com colunistas de jornais e escritores renomados", afirmou Fatibello-Filho, docente do Departamento de Química (DQ) da UFSCar e que há mais de 30 anos oferece na graduação e na pós-graduação disciplinas de eletroanalítica, abordando aspectos da potenciometria.
A obra trata da potenciometria em suas dimensões teóricas e práticas e em linguagem voltada a estudantes de graduação, de pós-graduação e também a pesquisadores das áreas de Química, Biologia, Farmácia, Alimentos, Ambiental e correlatas.
Os métodos potenciométricos são aqueles baseados em medidas de tensão (ou da força eletromotriz - f.e.m.) de uma célula galvânica. Esta medida de tensão entre dois eletrodos imersos em uma solução (substância inorgânica ou orgânica a ser determinada) se dá em condições de passagem de corrente desprezível entre o eletrodo indicador e o eletrodo de referência. Em outras palavras, os métodos potenciométricos de análise baseiam-se na medida do potencial de uma célula eletroquímica na ausência de corrente.
O livro possui treze capítulos: os 11 primeiros abordam a história dos métodos potenciométricos, desde uma introdução teórica até aspectos práticos. O capítulo 12 traz 15 experimentos para laboratórios de ensino e o capítulo 13 oferece exercícios e sugestões de atividades. 
Neste ano, o Prêmio Jabuti recebeu 2.599 inscrições, número 20% maior do que a edição de 2019. A lista com os cinco finalistas em cada categoria será divulgada no dia 5 de novembro no site do prêmio (www.premiojabuti.com.br). Já os vencedores e o ganhador do Livro do Ano serão anunciados em uma cerimônia de premiação totalmente online, que será transmitida ao vivo nas redes sociais da CBL, no dia 26 de novembro. Mais informações sobre o livro podem ser obtidas no site da EdUFSCar (www.edufscar.com.br).

Reservas poderão ser feitas junto à Coordenadoria de Apoio a Eventos (CAEv) da UFSCar

 

SÃO CARLOS/SP - Nesta última segunda-feira (26 de outubro), a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) inaugura o Espaço Ecumênico, na Área Norte do campus de São Carlos. O objetivo do espaço é proporcionar que encontros de grupos religiosos aconteçam em espaço adequado, promovendo aproximação e reforçando o respeito.

Coordenador do espaço é o Prof. Dr. Waldeck Schützer, do Departamento de Matemática (DM) da UFSCar. Ele explica que o termo "Ecumenismo" vem do grego "e, em seu sentido mais amplo, significa mundo habitado, mundo civilizado". Para o Professor, "o espaço dará mais visibilidade e facilitará a oferta à comunidade de muitos serviços de natureza religiosa, de acolhimento fraterno e de encaminhamento para os demais serviços já ofertados pela Universidade", afirma Waldeck Schützer.

O Espaço - "Pensamos, desde o início, em criar este Espaço Ecumênico para promover a aproximação, a cooperação e o respeito à diversidade religiosa. São diversos grupos que se reúnem, na UFSCar, das mais diversas denominações e culturas, com propósitos religiosos. Então, destinamos este espaço para prover maior conforto e segurança a eles", conta a Profa. Dra. Wanda Hoffmann, Reitora da UFSCar.

Por meio da Coordenadoria de Apoio a Eventos (CAEv) da UFSCar, todos poderão reservar o Espaço Ecumênico do mesmo modo que já fazem com os demais espaços de uso comunitário da Universidade. O Coordenador do espaço ressalta que "qualquer membro da comunidade poderá reservá-lo, desde que atenda às regras usuais de bom uso e de conservação. O bom senso deverá ditar o uso em sintonia com o propósito do lugar, ao menos até que seja possível para a própria comunidade decidir sobre um conjunto de regras", finaliza Waldeck Schützer.

Organização do Realiza-se nos dias 18 e 19 de novembro, este ano de forma virtual, a 4ª edição da Escola de Pesquisadores da USP, um evento organizado pelo Portal da Escrita Científica do Campus USP de São Carlos, sob coordenação do Prof. Dr. Valtencir Zucolotto, docente e pesquisador do IFSC/USP.

 

SÃO CARLOS/SP - Como tem sido habitual, este evento terá como público-alvo alunos de pós-graduação e pós-docs, técnicos de nível superior, professores e pesquisadores que exercem suas atividades em qualquer área do conhecimento, que pretendam aumentar suas potencialidades em pesquisa básica e aplicada, principalmente no que diz respeito a temas de grande importância, com alto impacto, adquirindo, desta forma, conhecimentos preciosos para melhor executarem seus trabalhos no estado da arte, contribuindo, assim, para o avanço da ciência e tecnologia no País.

Para além deste fator importante, os participantes desta 4ª Escola de Pesquisadores da USP terão a oportunidade de conhecer os vários aspectos relacionados com a Ética em Pesquisa, a produção de artigos científicos internacionais de alto impacto, através de escrita apropriada, bem como a produção de artigos de revisão e escrita de livros ou capítulos de livros científicos. Este evento irá proporcionar, ainda, um conhecimento alargado sobre as principais ferramentas disponíveis para a realização de revisões bibliográficas, treinamento em bases de dados e gerenciamento de referências.

Espera-se, como resultado final, que os participantes deste evento possam gerar um elevado nível de conhecimento e inovação, auxiliando na formação de novos recursos humanos altamente capacitados.

Para conferir a programação desta 4ª Escola de Pesquisadores da USP (que fornecerá certificados de participação), clique em

http://escoladepesquisadores.sc.usp.br/4/programacao/?fbclid=IwAR0yJwDVOP5KZMvbkCd7rNqfFXwAtRot9Rhyye0fMbbtO5C7sFcOr2Clz1c

Para se inscrever, clique no link abaixo

https://doity.com.br/4-escola-de-pesquisadores-do-campus-usp-so-carlos

Informações complementares poderão ser fornecidas através do e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

 

Por: Rui Sintra - Assessoria de Comunicação - IFSC/USP

Podem participar educadores, familiares e responsáveis por crianças de zero a seis anos, até o dia 31 de outubro

 

SÃO CARLOS/SP - O Grupo de Pesquisas a respeito das crianças, Educação Infantil e estudos da infância (CRIEI) e o Grupo Educação e primeira infância em contexto (EDIPIC), ambos da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), estão realizando a pesquisa intitulada "Condições e perspectivas para Educação Infantil e a infância em tempos de pandemia".
O projeto nasce do interesse em compreender as experiências de vida das crianças e suas famílias no contexto da Covid-19 e no pós-pandemia. O estudo objetiva pensar e mobilizar a Educação Infantil diante das demandas e impactos advindos dos novos tempos, atentando às informações e aos posicionamentos de educadores - sendo considerada toda a comunidade educativa das creches e pré-escolas, ou seja, docentes e não docentes, incluindo equipes de apoio - e familiares ou responsáveis por crianças de zero a seis anos.
A realização da pesquisa terá dois momentos e conta com a participação da comunidade de educadores e de familiares ou responsáveis para compreender as condições das crianças durante a pandemia. Primeiramente, será feito um mapeamento dessas condições de forma ampla, a partir de questionários online, que podem ser respondidos até o dia 31 de outubro - um específico para educadores, acessado aqui (https://bit.ly/3iIfNzU), e outro para familiares ou responsáveis, disponível neste link (https://bit.ly/33H7aBh). Para a segunda etapa, serão aprofundadas as principais demandas apresentadas, via outros instrumentos de pesquisa a serem divulgados oportunamente.
O CRIEI está vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGED-So) do Campus Sorocaba da UFSCar, e é coordenado por Maria Walburga dos Santos, docente do Departamento de Ciências Humanas e Educação (DCHE-So), e Andreia Regina de Oliveira Camargo, professora no Núcleo de Educação Infantil - NEI Paulistinha, na Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).
Já o EDIPIC é vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) e ao Programa de Pós-Graduação Profissional em Educação (PPGPE), do Campus São Carlos da UFSCar, e liderado por Cleonice Maria Tomazzetti e Andréa Braga Moruzzi, docentes do Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas (DTTP) da Instituição.
Dúvidas podem ser esclarecidas pelos e-mails dos grupos de pesquisa - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

X Four Biotec, promovido pela UFSCar, é voltado a estudantes, professores, pesquisadores e demais interessados

 

SÃO CARLOS/SP - Entre os dias 30 de outubro e 2 de novembro será realizado o X Four Biotec - Quatro dias pela Biotecnologia -, promovido pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). O evento será totalmente online e gratuito, direcionado a estudantes de graduação e pós-graduação, professores, pesquisadores, profissionais e demais interessados pela Biotecnologia e suas diversas esferas. As inscrições podem ser feitas até o dia 26 de outubro, pelo site do evento (https://bit.ly/3jiXGkk).
A programação abordará temas como: terapias com células-tronco, epidemias, nanotecnologia, farmacologia, biotecnologia no esporte, produção de vinhos, linguagem R, desenvolvimento de vacinas e de anticorpos, e a profissão e mercado de trabalho do Biotecnologista. Entre os convidados para o evento, destacam-se Lygia da Veiga Pereira, docente da Universidade de Paulo (USP); Marcelo Bispo de Jesus, professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); Eduardo Massad, docente da Fundação Getúlio Vargas (FGV); e Julio Lorenzi, da Universidade Rockfeller (EUA), entre outros.
As atividades serão realizadas em salas virtuais, cujos links serão enviados aos participantes inscritos. A programação completa, convidados e outras informações sobre a atividade podem ser acessadas no site (https://bit.ly/3jiXGkk), no Facebook (facebook.com/FourBiotecUFSCar) ou no Instragram (@fourbiotecufscar). Mais informações também podem ser solicitadas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Evento online debaterá a gestão de bacias hidrográficas

 

SÃO CARLOS/SP - De 17 a 20 de novembro acontece a sexta edição da Jornada de Gestão e Análise Ambiental (JoGAAm) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). O evento tem caráter interdisciplinar e, neste ano, será realizado online, apresentando o tema "Gestão de Bacias Hidrográficas - Edição Especial Comemorativa dos 25 anos do Comitê de Bacia Hidrográfica do Tietê-Jacaré (UGHRI 13 - TJ)".

A programação terá mesas-redondas, palestras e minicursos, para discutir a situação atual, demandas, propostas e perspectivas da gestão de bacias hidrográficas.
As inscrições devem ser feitas por formulário eletrônico, disponível no site do evento, em https://jornadagaam6.faiufscar.com, onde constam mais informações, incluindo investimento, cronograma e programação.

A JoGAAm é realizada por graduandos do curso de Bacharelado em Gestão e Análise Ambiental, pós-graduandos do Programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais (PPGCAm) e docentes do Departamento de Ciências Ambientais (DCAm), todos da UFSCar.

Resultados dos estudos serão divulgados, na íntegra, no Seminário Policiamento Ostensivo e Relações Raciais, nos dias 21 (hoje) e 22/10

 

Uma pesquisa sobre desigualdades raciais produzidas em abordagens policiais, coordenada por Jacqueline Sinhoretto, docente do Departamento de Sociologia (DS) e líder do Grupo de Estudos Sobre Violência e Administração de Conflitos (GEVAC) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), apontou que pessoas negras sofrem de três a sete vezes mais punições do que pessoas brancas. O estudo, realizado durante três anos, analisou dados quantitativos de prisões em flagrante e letalidade policial por cor/raça. Também foram feitas entrevistas em profundidade com policiais militares sobre o tema polícia e racismo, permitindo conhecer o que policiais brancos e negros, oficiais e praças, pensam sobre a temática.
De acordo com Sinhoretto, a proporção de prisões em flagrante de pessoas negras em relação às brancas chega a ser até quatro vezes maior, ponderando o número de brancos e negros na população. "As pessoas negras são alvo mais frequente de uso letal da força. A depender do ano e do distrito, a chance matemática de uma pessoa negra ser morta pela polícia é de três a sete vezes maior do que a chance de um branco receber o mesmo tratamento", explica a pesquisadora. 
Os relatos dos policiais apontam que seu trabalho é baseado na busca ativa de atitudes suspeitas, que a grande maioria descreve como sendo características corporais, de vestimenta, de gestual, de modo de andar e olhar, e até de cortar o cabelo. O estudo mostra que eles associam pessoas negras a essas atitudes suspeitas. "Dessa forma, não são atitudes impessoais que eles procuram, mas tipos físicos estigmatizados, estereótipos sobre o corpo e características culturais forjadas pelo racismo", esclarece Sinhoretto.
Segundo a docente, esse quadro foi obtido por meio de dados oficiais de São Paulo e Minas Gerais, pois a deficiência das estatísticas dificulta fazer o acompanhamento em todos os estados que foram analisados - além desses, Rio Grande do Sul e Distrito Federal. Além disso, as instituições negam a existência de evidências de discriminação racial na atuação policial, o que dificulta a discussão de soluções para reverter o quadro e melhorar as técnicas de trabalho policial. 
A pesquisa foi realizada em rede com a Universidade de Brasília (UnB), a Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) e a Fundação João Pinheiro, núcleos ligados ao Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia sobre Estudos Comparados em Administração de Conflitos (INCT-InEAC). O relatório sobre a pesquisa pode ser acessado em https://bit.ly/31bXltm.

Seminário Policiamento Ostensivo e Relações Raciais
Os resultados na íntegra da pesquisa serão divulgados e debatidos no Seminário Policiamento Ostensivo e Relações Raciais, que é gratuito, aberto ao público e acontece nos dias 21 (hoje) e 22 de outubro, sem necessidade de inscrição prévia. O evento terá duas mesas, intituladas "Policiamento ostensivo e filtragem racial" e "Policiais e desigualdades raciais", e contará com a exposição de pesquisadores e comentários de policiais sobre os resultados encontrados. 
Informações detalhadas sobre os participantes estão no site do GEVAC (http://www.gevac.ufscar.br). A iniciativa será transmitida a partir das 16 horas, pelo canal do YouTube do INCT-InEAC (https://bit.ly/3k5lsBB) e pelo Facebook do GEVAC (facebook.com/ufscargevac).

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Outubro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31