fbpx

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim
 
Radio Sanca Web TV - Sexta, 11 Junho 2021

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma neste sábado (12/06), mais duas morte por COVID-19, totalizando 388 óbitos. Trata-se de um homem de 50 anos, internado em hospital público em 05/06 e de um homem de 77 anos, internado também desde 05/06 em hospital público. São Carlos continua com 20.802 casos positivos para a doença, uma vez que esses pacientes já estavam contabilizados na relação de positivados. 11 pacientes estão em leitos de estabilização. Todos já foram cadastrados e aguardam transferência para hospital público via CROSS. A taxa de ocupação dos leitos especiais de COVID-19 para UTI/SUS está neste momento em 95,45%.

Publicado em Coronavírus

SÃO CARLOS/SP - Mais um golpe foi registrado na Polícia Civil, nesta semana, desta vez a vítima foi uma idosa de 72 anos, moradora na Vila Costa do Sol, em São Carlos.

De acordo com informações, a senhora recebeu uma ligação, onde o homem se apresentou como namorado de sua neta e que teria sofrido um acidente no trânsito, e por isso precisava de R$ 3.800,00 naquele momento. No desenrolar do papo o bandido disse que se ela tivesse a grana na sua residência uma pessoa passaria para pegar. Mais tarde o homem de aproximadamente 42 anos e com uma tatuagem, passou na casa da vítima e pegou o dinheiro.

Algumas horas após o golpe, a vovó ligou para neta para saber como o ‘namorado’ estava, foi quando percebeu que havia caído no golpe.

Publicado em Policial

Estudo internacional, em parceria com a Itália, evidencia desafios do cotidiano na Educação Infantil durante a pandemia de Covid-19

 

SÃO CARLOS/SP - Junto à crise sanitária, a crise educacional é uma das principais implicações da pandemia de Covid-19, com impactos na atual geração de crianças e grandes desafios para oferta de ensino significativo e com qualidade. Na permanência do atendimento não presencial e de ensino remoto, a problemática se aprofunda no caso das instituições de Educação Infantil, que atendem crianças de 0 a 5 anos.

Justamente para mapear, analisar e compreender a organização da prática educativa na Educação Infantil em contexto não presencial durante a pandemia, o Centro de Pesquisa da Criança e de Formação de Educadores da Infância (Cfei) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) desenvolveu pesquisa em parceria com a Università degli Studi Roma Tre (UniRoma Tre), no âmbito de convênio internacional, coordenado na UFSCar por Aline Sommerhalder, docente no Departamento de Teorias e Práticas Pedagógicas (DTTP) e no Programa de Pós-Graduação em Educação (PPGE) e uma das diretoras do Cfei.

O estudo investigou o tema junto a cerca de 450 profissionais atuantes nos dois países, sendo 150 no Brasil, entre professoras e outras educadoras de instituições municipais de Educação Infantil, coordenadoras pedagógicas e diretoras. A coleta de dados incluiu a aplicação de questionários online, no período de abril a junho de 2020.

No Brasil, a maior parte do grupo participante foi de profissionais mulheres (92,6%), na faixa etária de 31 a 60 anos (84,2%), atuantes principalmente no setor municipal de ensino (78,4%). Muitas são pedagogas (72%) com pós-graduação (69,6%), sendo, portanto, profissionais com alto nível de formação (especialização, mestrado ou doutorado) e experiência, com 5 a 25 anos de atuação profissional (68,2%).

Os resultados brasileiros evidenciaram, dentre outros pontos, a transferência de responsabilidades às famílias e, de outro lado, a inexistência de condições para exercício adequado das atividades escolares no ambiente doméstico.

Dados já sistematizados no estudo mostram que a maior preocupação das profissionais brasileiras (91%) dizia respeito, no momento inicial da pandemia, à condição emocional das crianças e à expressão de uma mensagem tranquilizadora às famílias. Além disso, grande parte das educadoras (89%) almejava a continuidade do trabalho educativo - antes feito nas escolas - no contexto doméstico, com foco no brincar e nas aprendizagens. As participantes (86%) também consideram que a memória da escola é um elemento de grande relevância nas intenções educacionais no cenário de distanciamento. Ou seja, que as famílias se tornam responsáveis, no trabalho escolar remoto, por manter a memória da escola viva nas crianças, desenvolvendo atividades do cotidiano da Educação Infantil, como contação de histórias, cantigas, uso de brinquedos como massinha de modelar e materiais como papéis, lápis de cor ou giz de cera, bem como experiências de recorte e colagem.

Assim, os resultados da investigação anunciam uma demanda às famílias, de modo que as crianças consigam manter o vínculo com as profissionais e a memória de viver a infância no cotidiano da Educação Infantil, além das novas aprendizagens. Das respostas, 93% indicam que os familiares precisam criar e sustentar um espaço lúdico nos espaços domésticos, considerando o brincar como um eixo organizador das práticas de cuidar e de educar.

Na perspectiva das educadoras brasileiras, as demandas para as atividades não presenciais que se voltam às famílias são diversas, e a pesquisa também busca compreender em quais condições as escolas e as profissionais conseguem dar suporte às crianças e às famílias para a manutenção dessas atividades, e se os familiares conseguiram promover as adequações necessárias nos contextos domésticos.

Didattica a Distanza

Na caracterização da realidade dos países estudados, o estudo apontou grandes diferenças, envolvendo especialmente três fatores: densidade demográfica, desigualdade social e características estruturais. Na Itália, o número de filhos por família é menor que no Brasil e, além disso, uma parcela importante das crianças nas escolas públicas de Educação Infantil vem de famílias com melhores condições socioeconômicas, com menores índices de desigualdade social, em relação ao Brasil.

"A Itália teve estrutura e investimento, com ação política no nível nacional, para reagir de forma emergencial ao cenário da pandemia. O País criou uma política educacional específica, inclusive com a implementação de estrutura chamada de 'Didattica a Distanza'", informa Sommerhalder.

Já no Brasil, os dados são discrepantes. As crianças que estudam em escolas públicas na Educação Infantil geralmente não têm boas condições socioeconômicas, e indicadores apontam que, quanto menor a escolarização das famílias, maior a quantidade de filhos. Essas crianças não têm acesso a computadores, tablets ou celulares com conexão à Internet de qualidade razoável.

"Na época da coleta de dados, as ferramentas utilizadas pelas educadoras para se comunicarem com as famílias não se constituem como recursos pedagógicos ou didáticos, são redes sociais como Facebook e WhatsApp, com ações diretas somente uma vez por semana, com duração de 15 a 20 minutos. E muitos materiais foram disponibilizados apenas impressos, segundo os resultados preliminares do estudo, justamente para atender às famílias e crianças sem acesso à Internet. É uma diferença gigantesca de realidades entre os dois países", detecta a pesquisadora.

Assim, a transferência de responsabilidade pelas atividades, em alguma medida, da escola para a família evidenciada na pesquisa é um cenário muito difícil de se concretizar com qualidade no caso brasileiro. "Além de todas as necessidades impostas pela pandemia, como gestões doméstica, de trabalho e do orçamento, precisar aproximar ou tentar reproduzir uma rotina de educação infantil em contextos domésticos com as crianças (muitas vezes, várias) se torna algo inviável ou de muito difícil realização. Além disso, a família não tem o papel de exercício da docência, com formação, condições estruturais e uma rede de suporte para tanto, ao que se soma o fato de que as aprendizagens, na educação infantil, ocorrem na convivência, no brincar coletivo e nas relações afetivas com a professora e com as outras crianças", enfatiza Sommerhalder.

O Cfei e a UniRoma Tre estão realizando outro estudo que investiga a percepção das famílias, atualmente na etapa de análise de dados. 

Desafios

Diante desses resultados, Sommerhalder reflete sobre a inadequação de um sistema de ensino a distância (ou atividades remotas ou não presenciais) na Educação Infantil, sinalizando que o problema se acentua diante de um calendário estendido desse tipo de trabalho ou possibilidade de anúncio como solução definitiva, muito especialmente no Brasil. "Além de não ser responsabilidade das famílias fazer o papel da escola e das professoras, as crianças da Educação Infantil precisam estar em convívio presencial com as demais crianças e as profissionais. É no espaço da escola e do coletivo escolar que as práticas educativas e de cuidados acontecem", enfatiza a pesquisadora da UFSCar.

Sommerhalder indica a necessidade de formulação, no Brasil, de políticas públicas que reconheçam a função social da escola. Defende, também, a urgência de pensar na volta do atendimento presencial de forma segura e articulada, entendimento que implica a caracterização de três ações como fundamentais: vacinação de todos os profissionais que atuam no ambiente escolar; ampliação de recursos humanos, com a contratação de mais educadores e, consequentemente, formação de turmas menores para evitar a aglomeração; e investimento em infraestrutura e materiais nas unidades escolares.

"Dentro desse investimento, entram os recursos financeiros para mudanças estruturais, como a valorização de ambientes abertos, ventilação ampla em salas, ampliação dessas salas ou criação de outras, além de compra de materiais básicos, o que inclui kits de higienização, para atendimento ao protocolo de uso de máscara e higiene de mãos. São, portanto, desafios complexos diante das políticas educacionais atuais na realidade brasileira", avalia.

As pesquisas estão sendo realizadas por Sommerhalder em parceria com Fernando Donizete Alves, docente do Departamento de Educação Física e Motricidade Humana (DEFMH) e do PPGE, ambos da UFSCar, e também diretor do Cfei, com a participação de pesquisadora de pós-doutorado do Cfei e os parceiros da UniRoma Tre.

Publicado em Educação

SÃO CARLOS/SP - A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro Cidade Aracy conquistou melhorias que já estão contemplando a população com um melhor atendimento. A unidade ganhou uma máquina de raio X capaz de realizar diversos procedimentos com resultado imediato, o que respalda a conduta médica para tratamentos posteriores e reduz o deslocamento da população que utiliza os serviços da unidade.

Estão sendo realizados aproximadamente 20 exames de raio X por dia na UPA Cidade Aracy, antecipando o quadro diagnóstico dos pacientes SUS e evitando que estes munícipes precisem ficar se deslocando para marcar os exames na rede de atenção básica – que, assim, também consegue otimizar sua oferta de serviços.

Para a supervisora da unidade, Debora Chinemann, o ganho com o novo equipamento não se restringe à possibilidade de internação de pacientes para realização de exames de tórax, perna, mão, face e de outras partes do corpo, mas representa um ganho social a todos que utilizam os serviços públicos municipais de saúde, sobretudo, na região sul da cidade. “A UPA Cidade Aracy ganha muito com a aquisição deste novo aparelho. Como sabemos, a maioria dos moradores da região usam os serviços dos SUS e, algumas pessoas, com pequenas fraturas abandonavam o tratamento por terem que realizar algum exame em locais mais distantes da cidade. Com este aparelho de raio X, muitas demandas serão sanadas na própria unidade, auxiliando na conduta médica e em um tratamento mais ágil e de menor custo de deslocamento para estes pacientes”, afirma a supervisora.

O pensamento é o mesmo do diretor do Departamento de Gestão do Cuidado Hospitalar (DGCH), Fausto Sposito. Segundo ele, o atendimento passará a ser ainda mais eficiente na unidade com o novo recurso, em mais um passo de aprimoramento da infraestrutura da UPA promovido pela administração municipal. “Com este equipamento de última geração, poderemos realizar diversos diagnósticos com mais agilidade e, portanto, atender a uma demanda muito importante daquela região e adjacências. Além disso, com esta melhoria, também completamos as exigências estruturais do Ministério da Saúde, ou seja, é um processo que conseguimos viabilizar e onde todos saem ganhando", comenta o diretor.

Já o secretário municipal de Saúde, Marcos Palermo, chama a atenção para o amparo médico quanto à condução do tratamento, pois, com a possibilidade de execução do exame na própria unidade hospitalar, uma condução mais eficaz dos atendimentos será proporcionada aos pacientes pelo corpo clínico da instituição. “Trata-se de um ganho muito importante tanto na questão logística quanto de resolutividade patológica, afinal, com a realização de raios X na UPA Cidade Aracy, a população daquela região não precisará mais se deslocar para realizar este tipo de exame e, tão importante quanto, é a melhoria dos diagnósticos que poderá ser feita pelos médicos plantonistas. Com o raio X na UPA, o paciente ficará internado no local até que o resultado do exame seja conhecido e, assim, proporcione um respaldo maior ao médico para aplicação da conduta terapêutica”, ressalta Palermo.

Foram 2,3 mil unidades entregues pela Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas

 

SÃO CARLOS/SP - O Hospital Universitário da Universidade Federal de São Carlos (HU-UFSCar/Ebserh) recebeu, recentemente, a doação de 2,3 mil escovas de dentes, entregues pela Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas (APCD). O material será utilizado no cuidado aos pacientes em estado crítico, internados no Hospital.

A higiene bucal é muito importante para o cuidado do paciente crítico. De acordo com o Conselho Regional de Odontologia de São Paulo, em pacientes internados, o cuidado adequado pode reduzir consideravelmente os focos de infecção que trazem agravos sistêmicos aos pacientes.

De acordo com Rita Cassia Ismail, chefe da unidade de Apoio à Gestão de Enfermagem do HU-UFSCar, "muitos pacientes internados no Hospital não possuem condições financeiras para adquirir este material de higiene. Por isso, a doação é tão importante". As escovas doadas serão utilizadas, principalmente, nos pacientes mais críticos, internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e nos leitos de suporte ventilatório.

A entrega dos materiais foi realizada pelo cirurgião dentista e presidente da APCD São Carlos, Maurício Sérgio Porto, e acompanhada pela Chefe do setor de Apoio Diagnostico e Terapêutico do HU, Lucimar Retto da Silva de Avó, e pelo chefe da Unidade de Almoxarifado, Vlademir Gaban.

SÃO CARLOS/SP - Na tarde desta quinta-feira (10) o vereador Ubirajara Teixeira – Bira (PSD) acompanhou a visita do deputado federal Capitão Derrite (PP) à cidade de São Carlos.  Na ocasião, Bira conversou com o deputado federal e solicitou uma emenda parlamentar para Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida.

“Sabemos da importância da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida que trabalha com programas e projetos voltados para a inclusão dessas pessoas, buscando também facilitar a vida delas, por isso resolvi solicitar uma emenda que vem ao encontro de colaborar com esta pasta”, disse o vereador. 

O deputado federal orientou o vereador Bira sobre os procedimentos para que a Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida possa ser contemplada com uma emenda parlamentar.  Capitão Derrite solicitou que o vereador envie um documento fundamentando a solicitação de recursos e detalhando quais as necessidades a serem atendidas.

Bira informou que nos próximos dias reunirá os dados para formalizar o pedido de verba, em apoio às ações da Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida.

Publicado em Política

WASHINGTON - Os líderes do G7, reunidos no Reino Unido, vão endossar a proposta do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, de um imposto mínimo global de pelo menos 15% para as empresas, afirmou o assessor de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, no Twitter nesta sexta-feira.

O Tesouro norte-americano propôs em maio um imposto corporativo global mínimo de ao menos 15% para tentar acabar com uma espiral decrescente da tributação corporativa e impedir que multinacionais transfiram lucros para paraísos fiscais.

"Os Estados Unidos estão mobilizando o mundo para fazer com que grandes multinacionais paguem sua cota justa para que possamos investir em nossa classe média", tuitou Sullivan.

Ao apoiar a mudança, as principais economias pretendem desencorajar as multinacionais a transferirem lucros - e receitas fiscais - para países com impostos baixos, independentemente de onde suas vendas são realizadas.

Atuais regras fiscais globais datam da década de 1920 e enfrentam gigantes de tecnologia, que vendem serviços remotamente e atribuem grande parte de seus lucros à propriedade intelectual mantida em jurisdições de baixa tributação.

Empresas dos EUA, como Facebook e Amazon, poderiam se beneficiar do acordo para criar uma taxa de imposto corporativa global mínima de 15%, se a questão final também eliminar impostos de serviços digitais cada vez mais populares, de acordo com lobistas da indústria.

 

 

 

(Reportagem adicional de Eric Beech)

*Por Nandita Bose e Andrea Shalal / REUTERS

Publicado em Economia

São Carlos/SP  – O Iguatemi São Carlos participa novamente da campanha de imunização contra a Covid-19 e recebe para vacinação, neste sábado (12), pessoas entre 58 e 59 anos, com ou sem comorbidades. O posto volante instalado no estacionamento do centro de compras atende por meio de drive thru, com o uso de máscara obrigatório. A campanha ocorre em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e será realizada das 9h às 15h.

É necessário apresentar documento oficial com foto e CPF, além de ser orientado realizar o prévio cadastro no site www.vacinaja.sp.gov.br. Em caso de comorbidades, é preciso levar o relatório médico.

Confira a lista das doenças que são consideradas comorbidades em: http://coronavirus.saocarlos.sp.gov.br/RelatorioComorbidades.

As operações do Iguatemi São Carlos estão em funcionamento de segunda-feira a sábado, das 10h às 21h, e aos domingos e feriados, das 12h às 20h. Restaurantes e praça de alimentação seguem abertos todos os dias, das 11h às 21h.

 

Vacina contra a fome

A Iguatemi Empresa de Shopping Centers também apoia a iniciativa beneficente do Governo do Estado de São Paulo, Vacina contra a Fome, que visa engajar as prefeituras e a população na arrecadação de alimentos não perecíveis para famílias carentes e em situação de vulnerabilidade durante o enfrentamento da crise em decorrência da pandemia do coronavírus.

O objetivo é que cada pessoa apta a se vacinar contra a Covid-19 faça a doação de um quilo de alimento não perecível nos postos de vacinação, entre eles, do Shopping Iguatemi São Carlos. A doação é voluntária e facultativa.

O Governo de São Paulo recomenda que sejam doados alimentos não perecíveis, como arroz, feijão, macarrão, óleo vegetal, e leite em pó, prioritariamente, entre outros. A distribuição dos itens arrecadados é feita pelas próprias prefeituras para famílias carentes de cada município participante.

“Seguimos com uma situação crítica em decorrência da pandemia que afeta principalmente as famílias em vulnerabilidade. Queremos incentivar as pessoas que forem até os postos de vacinação a contribuírem com essa campanha de combate à fome, ajudando os mais atingidos pelo cenário atual”, afirma Alexandre Biancamano, diretor de marketing da Rede Iguatemi.

A Iguatemi tem se empenhado desde o início da pandemia para promover ações solidárias, com o objetivo de reforçar seu compromisso com as regiões que atua e o seu pilar de responsabilidade social. Um montante de R$8 milhões foi doado e revertido para a aquisição de 40 mil testes rápidos em 12 municípios, 320 mil máscaras de proteção e milhares de cestas de alimentação e produtos de higiene que foram destinados para as cidades em que a companhia possui empreendimentos.

Como parte das iniciativas, está no ar a campanha de doação de cestas básicas em conjunto com a UniãoSP, iniciativa formada por diversos grupos da sociedade civil. Os clientes interessados em ajudar podem fazer a doação dentro da plataforma de e-commerce da empresa, o Iguatemi 365.

 

Serviço

Shopping Iguatemi São Carlos

Endereço: Passeio dos Flamboyants, 200, São Carlos

Informações: www.iguatemisaocarlos.com.br

 

Horário de Funcionamento: De segunda-feira à sábado, das 10h às 21h, e aos domingos e feriados, das 12h às 20h. Restaurantes e praça de alimentação seguem abertos todos os dias, das 11h às 21h

Publicado em Comércio

RIO DE JANEIRO/RJ - Vera Fischer segue chamando a atenção em suas fotos nas redes sociais. O corpo da atriz, de 69 anos, tem sido alvo de muitos elogios na web e ela prova que não tem idade para se sentir bonita e sexy. Em recente postagem, a artista publicou uma foto com barriga à mostra para comemorar a chegada da sexta-feira e do final de semana, além de reforçar a positividade entre os seus seguidores, com hashtags animadas.

 

Vera Fischer aposta em conjuntinho marrom, top e acessórios dourados

Para dar boas-vindas ao final de semana, Vera Fischer elegeu um look discreto, mas não deixou a sensualidade de lado. O tom sóbrio do conjuntinho marrom ganhou mais vida e uma pitada sexy com top meia-taça, deixando a barriga de fora, além de acessórios dourados que valorizam o colo. Para arrematar, a atriz escolheu sandálias de salto alto com a mesma cor do conjunto.

A postagem rendeu elogios de famosos na rede social, entre eles o de Ary Fontoura, que deixou vários corações para a foto da atriz. Cleo também comentou no post, exaltando a beleza de Vera Fischer: "Lindaa". Fãs e anônimos aproveitaram para registrar a admiração pela artista e valorizar o corpo da atriz.

 

Vera Fischer revelou que diminuiu o consumo de álcool

Em entrevista ao Pedro Bial, Vera Fischer revelou que pretende chegar aos 102 anos. Para isso, tomou algumas atitudes em relação ao corpo e à saúde, inclusive o consumo de bebidas alcoólicas. Meu organismo está tão limpo que se eu beber um pouco mais, eu vomito. Meu organismo não aguenta mais. Só coisa leve. Estou inteira. Mais saudável do que nunca", garantiu ao apresentador.

Além disso, Vera Fischer também disse a Pedro Bial que não usa mais celular. "Não tenho mais. Não tenho celular. Para que? Eu tenho um telefone em casa. Quem quiser deixar recado, deixa", disparou. E continuou: "Gente, pensa só, uma mulher linda com vestido de noite, vai em uma festa com aquela bolsinha chamada clutch, que só cabe a chave e o cartão de crédito, e celular na outra mão? Que deselegante. Parece que está carregando um aparelho de televisão. Muito deselegante".

 

Vera Fischer já está vacinada contra Covid-19

Na lista de famosos vacinados contra a Covid-19, Vera Fischer aproveitou a saída para caprichar no look. De penteado semipreso e vestido assimétrico, a atriz foi muito elogiada nas redes sociais e também reforçou a importância de ficar em casa em tempo de pandemia. Quem tomou a vacina recentemente foi o casal Sasha Meneghel e João Figueiredo, em Nova York, após a lua de mel nas Maldivas.

 

 

*Por: Marina Couto / PUREPEOPLE

Publicado em Celebridades

Novidade já está disponível nas plataformas de música e YouTube

 

SÃO PAULO/SP - O cantor e compositor Daniel Caon acaba de lançar a música “Deus Caprichou”, que veio acompanhada de videoclipe gravado em uma viagem feita para Trancoso e Caraíva, na Bahia.

“Foi um lançamento sem muito planejamento. Optamos por fazer algo que mostrasse de verdade como somos um com o outro, por isso não teve produção nem direção de filmagem, apenas eu ela, amor e os nossos celulares. A música leva uma mensagem de amor, não só por conta do Dia dos Namorados, mas pelo momento que estamos vivendo. O amor conforta, acalma, faz sorrir e nos faz acreditar que o melhor sempre estar por vir” – declara Caon.

Caon aproveitou a comemoração de seu aniversário e, acompanhado da namorada Rafa Kalimann, protagonizou cenas e momentos românticos registrados diretamente dos celulares do casal. 

“É incrível somar em um projeto do Caon e participar de pertinho o que ele sempre fez com tanto carinho e dedicação. Foram dias leves, calmos, divertidos e recheados de amor que passamos para comemorar o aniversário dele.  No clipe mostramos a essência do nosso amor e companheirismo de uma forma muito simples. Espero que todos possam sentir a energia desses dias nesse projeto"- conta Rafa Kalimann.

“Deus Caprichou” está disponível nos principais aplicativos de música e no canal oficial do cantor no YouTube.

Confira: https://www.youtube.com/watch?v=WT4Zbk4CLg4

 

 

Publicado em Pop & Arte

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Junho 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
  1 2 3 4 5 6
7 8 9 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30