fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 
Radio Sanca Web TV - Quinta, 15 Outubro 2020

Novo Centro de Apoio a Crianças vai oferecer atendimento diferenciado

 

SÃO CARLOS/SP - Pautada em sua Missão, Visão e Valores e por meio da demanda crescente de atendimentos a crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA), Síndrome de Down, Paralisia Cerebral (PC) e Bebês Prematuros, a Unimed São Carlos teve a iniciativa da implantação de um Centro de Apoio a Crianças, o Viver Bem Pediátrico, que irá trabalhar o comportamento e o desenvolvimento das habilidades infantis, oferecendo acolhimento diferenciado, reforçando a preocupação da cooperativa em aumentar seus serviços próprios e proporcionar, cada vez mais, qualidade, excelência e atenção a crianças com necessidades especiais.

A expectativa do Viver Bem Pediátrico é atender até 150 pacientes, com equipe multidisciplinar, oferecendo atividades como o Centro de Apoio a Crianças com Transtorno Psico Cognitivo - que terá como foco crianças com TEA (Transtorno do Espectro do Autismo), através da ciência ABA (Applied Behavior Analysis), incluindo os métodos de Integração Sensorial Bobath e Pediasuit/Therasuit - e a Oficina das Emoções - que irá proporcionar às crianças o aumento da percepção, ampliando a habilidade para relacionar emoções a situações e eventos em seu ambiente natural e social, auxiliando a expressão verbal dos sentimentos de forma apropriada.

O espaço amplo ainda conta com estrutura planejada minuciosamente para atendimento cuidadoso de seus pacientes, como salas individualizadas e especializadas para atendimento ABA e o Jardim Sensorial proporcionando o máximo de bem-estar e atenção aos seus pequenos beneficiários.

O Viver Bem Pediátrico fica na Rua São Sebastião, 2083 - Centro. O atendimento será de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, mediante encaminhamento médico prévio realizado por pediatra, neuropediatra ou psiquiatra infantil. Mais informações através do telefone (16) 2107 7699.

MUNDO - A Fórmula 1 anunciou nesta sexta-feira (16) o cancelamento do Grande Prêmio do Vietnã, o primeiro que ocorreria no país. A corrida seria em abril, mas foi suspensa em março, devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19). A etapa asiática não havia sido remarcada desde a reformulação do calendário da temporada 2020, que teve a versão definitiva publicada em agosto.

A prova no circuito urbano na capital Hanói foi a 13ª cancelada pela categoria em 2020. Também ficaram fora do calendário os GPS de Austrália, Azerbaijão, Brasil, Canadá, China, Estados Unidos, França, Holanda, Japão, México, Mônaco e Singapura.

"Foi uma decisão difícil, mas extremamente necessária, em razão da contínua incerteza causada pela pandemia global de coronavírus", disse a nota oficial divulgada pela organização. "Não poderemos receber a mais emocionante e prestigiada competição automobilística do planeta. Foi a única solução possível, após revermos, cuidadosamente, todos os critérios de segurança, assim como a eficiência deles diante das atuais condições. Agradecemos pelo apoio e compreensão", declarou o chefe-executivo do GP vietnamita, Le Ngoc Chi.

Segundo o Ministério da Saúde do Vietnã, o país registrou mais de 1,1 mil casos confirmados de covid-19 e 35 óbitos causados pela doença desde o início da pandemia.

Mundial adaptado

Adaptada às restrições da pandemia da covid-19, a edição 2020 do Mundial de Fórmula 1 tem 17 corridas programadas, em 12 países. A Itália receberá três provas ao todo, em três cidades diferentes. Além disso, dois dos 14 circuitos selecionados (Red Bull Ring, em Spielberg, na Áustria, e Silverstone, na Inglaterra) já abrigaram duas etapas.

A sete GPs do fim do campeonato, o inglês Lewis Hamilton, da Mercedes, lidera com 230 pontos, contra 161 do companheiro de equipe e finlandês Valtteri Bottas. A próxima corrida será no próximo dia 25, em Portugal, no Autódromo Internacional do Algarve, na cidade de Portimão.

 

 

*Por Lincoln Chaves - Repórter da TV Brasil e Rádio Nacional

*Agência Brasil

Publicado em Esportes

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica reforça que neste sábado (17/10) será realizado o Dia D da Campanha de Multivacinação 2020, das 8h às 17h, em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS’s) e Unidades da Saúde da Família (USF’s) da cidade.
A ação faz parte da Campanha Nacional de Multivacinação, que acontece desde 5 de outubro e vai até o dia 30, para vacinação de crianças de um ano até menores de 15 anos. O objetivo é fazer a atualização do calendário básico de vacinação, além de oferecer um reforço contra Poliomielite para todas as crianças menores de cinco anos, mesmo que estejam com a carteirinha em dia.
As pessoas devem procurar a unidade de saúde mais próxima de sua residência, seguindo todos os protocolos de segurança sanitária, evitando aglomerações e usando máscaras faciais.
“O grupo alvo da vacinação contra a Poliomielite são as crianças menores de 5 anos de idade, com estratégias diferenciadas para as crianças menores de um ano e para aquelas na faixa etária de 1 a 4 anos de idade. Já da multivanicação, o público alvo são as crianças e adolescentes menores de 15 anos. Para esta última, são ofertadas todas as vacinas do calendário básico de vacinação da criança e do adolescente visando diminuir o risco de transmissão de enfermidades imunopreveníveis e reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal. Quem ainda não procurou uma unidade de saúde pode fazer isso neste sábado”, reforça Kátia Spiller, supervisora da Vigilância Epidemiológica.
As vacinas que fazem parte do calendário básico de vacinação da criança e do adolescente são: BCG, Hepatite A e B, Pentavalente (Difteria, Tétano, Coqueluche, Hepatite B e Meningite e infecções por HiB), Vacina Oral do Rotavírus Humano, Pneumocócica 10 valente, Febre Amarela, Tríplice Viral (Sarampo, Caxumba e Rubéola), Tríplice Bacteriana (DTP), dT (Difteria E Tétano), Tetraviral (Sarampo, Caxumba, Rubéola E Varicela), Meningocócica C e HPV. Contra a Poliomielite serão aplicadas a Vacina Oral Poliomielite (VOP), e a Vacina Inativada Poliomielite (VIP).

SÃO CARLOS/SP - A Câmara Municipal realizou audiência pública para esclarecimento sobre os gastos do município de São Carlos no combate à pandemia da Covid-19,conforme solicitação do vereador Paraná Filho através de requerimento aprovado por unanimidade. A audiência na quarta-feira (14) foi presidida pelo vereador Paraná Filho, com presenças do secretário municipal de Saúde, Marcos Palermo, do secretário Municipal de Fazenda, Mário Antunes e do vereador Elton Carvalho, presidente da Comissão de Saúde da Câmara. Também compareceu a chefe de gabinete da secretaria municipal de Saúde, Vanessa Barbutto. 

Em função das restrições impostas pela pandemia à presença de público na sala das sessões da Câmara, o evento foi transmitido pela TV e online pelo Facebook, Youtube e página oficial do Legislativo.

Paraná Filho disse que a audiência atendeu ao princípio da transparência na administração pública e destacou a importância de serem feitos esclarecimentos públicos sobre os gastos do município no combate à Covid-19 e também acerca dos apontamentos do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP).

O secretário Marcos Palermo enfatizou que São Carlos  iniciou as atividades emergenciais ainda no final do mês de fevereiro, com um trabalho de reestruturação. Seguiram-se a quarentena e a decretação de calamidade pública.  Palermo fez um histórico das atividades da secretaria no enfrentamento da Covid-19, ressaltando que São Carlos conseguiu reverter grande número de casos da doença e  é hoje a primeira cidade da região com menor mortalidade.

Mário Antunes, secretário municipal de Fazenda, considerou “atitude louvável da Câmara” a realização da audiência pública e apresentou números detalhados sobre receita e despesa de São Carlos durante a pandemia. Os números estão disponíveis para consulta no site do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP).

Antunes informou que o município recebeu até 30 de setembro passado R$ 23. 781. 358,21 para o enfrentamento da Covid-19, sendo R$ 21. 402. 150, 20 da União, R$  1. 995. 320, 00  do governo do Estado, R$ 383. 888,01 em doações à Secretaria Municipal de Saúde (oriundos do MPE e MPF).  A soma total de gastos, conforme o secretário, foi de R$ 17.532.804,44. A reserva atual é de R$ 2 880 553, 51 para ser utilizado mediante procedimento licitatório.

Os  números totais da despesa, segundo o secretário, não são se referem apenas à secretaria municipal de Saúde, mas também a outras pastas, como a secretaria municipal de Cidadania e Assistência Social.  Para a Saúde no enfrentamento da pandemia foram destinados R$ 15 560 390,87 e R$ 1 972 413,57 para outras secretarias.

Durante a audiência, Paraná Filho pediu informações sobre apontamentos do TCE e também sobre o limite prudencial de gastos e o vereador Elton Carvalho solicitou dados sobre as despesas do município. Foram detalhados os gastos com EPIs e equipamentos, exames laboratoriais, contratos de terceirizados, hospital de campanha, leitos de UTI e Santa Casa.

Foram gastos com  EPIs, insumos e equipamentos (R$ 1,1 milhão), exames laboratoriais (R$ 2,1 milhões), contrato de terceirização (R$ 3,5 milhões), Hospital de campanha (R$ 343 mil), leitos de UTI (R$ 2,3 milhões), leitos de enfermaria (R$ 1,2 milhão), alojamentos para médicos que não moram em São Carlos (R$ 164 mil), repasses para a Santa Casa (R$ 4,5 milhões).

Publicado em Política

RIO DE JANEIRO/RJ - A TV Globo comunicou o elenco do Zorra que o programa não será mais produzido após o fim da atual temporada. Segundo a coluna de Patrícia Kogut, do jornal O Globo, a emissora anunciou a decisão aos atores e redatores do programa na última quarta-feira (14).

Além do humorístico que durou mais de 20 anos no ar, os programas Escolinha do Professor Raimundo e Fora do Ar também serão retirados do ar.

De acordo com informações do jornalista Mauricio Stycer, do UOL, a decisão do cancelamento foi feita essa semana e faz parte de uma nova estratégia da emissora. A TV Globo está realizando os cortes para enxugar despesas e focar em uma única atração de humor.

O Zorra voltou a exibir episódios inéditos desde 15 de agosto com esquetes gravadas na casa dos atores e novidades no elenco, como Marisa Orth, Diogo Vilela, Robson Nunes e Victor Lamoglia.

A temporada atual encerra em dezembro e a TV Globo já está planejando um novo programa humorístico para ocupar as noites de sábado em 2021.

 

 

*Por: JETSS

Publicado em TV

SÃO CARLOS/SP - Ontem, 15, um homem assaltou dois trabalhadores na Rua Aparecido da Silva, no bairro Cidade Aracy, região sul de São Carlos.

De acordo com informações, os homens que prestam serviço para a CPFL, estavam trabalhando, quando um indivíduo com uma arma de fogo em mãos anunciou o assalto, levando o veículo da empresa, as carteiras e os celulares.

A Polícia Militar foi acionada e após uma varredura pela redondeza o carro foi localizado no bairro Jardim Zavaglia, porém os celulares e as carteiras não foram encontrados.

O caso foi registrado no Plantão Policial e será investigado.

Publicado em Policial

Parceria reforça atuação nas 102 Unidades de Conservação no estado de SP

 

SÃO CARLOS/SP - No último dia 9 de outubro foi firmado um Protocolo de Intenção entre a Fundação para a Conservação e a Produção Florestal do Estado de São Paulo  - Fundação Florestal (FF) e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). O documento tem por objeto o estabelecimento de parceria entre a Fundação Florestal e a Universidade voltada ao desenvolvimento de atividades e projetos relacionados às Unidades de Conservação administradas pela Fundação.

O Protocolo engloba todas as Unidades de Conservação geridas pela Fundação Florestal do Estado de São Paulo, que estão divididas em dois grupos. O Grupo de Unidades de Conservação de Proteção Integral conta com 53 unidades: 15 Estações Ecológicas (EE), 34 Parques Estaduais (PE), 2 Monumentos Naturais (MN) e dois Refúgios de Vida Silvestre (RVS). Já o Grupo de Unidades de Conservação de Uso Sustentável possui 49 unidades, abarcando 33 Áreas de Proteção Ambiental (APA), cinco Áreas de Relevante Interesse Ecológico (ARIE), duas Florestas Estaduais (FE), duas Reservas Extrativistas (RESEX) e sete Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS).

Para a execução das atividades e projetos relacionados a essas Unidades, os partícipes deverão estimular, coordenar e programar ações conjuntas, somando e convergindo esforços, mobilizando unidades, agentes e serviços, bem como outras entidades ou iniciativas que manifestarem desejo de atuarem em parceria.
O interesse na cooperação entre essas instituições surgiu do amadurecimento de frutíferos trabalhos fomentados em projetos de pesquisa e de extensão universitária da UFSCar. "Vários desses projetos forneceram subsídios de capacitação à gestão de Unidades de Conservação e à formação de monitores ambientais. O estágio atual desta colaboração demanda a formalização deste Protocolo para facilitar ações e perpetuar os impactos positivos das mesmas", explicou o professor Victor Lopez Richard, do Departamento de Física (DF) da UFSCar, que coordena diversos projetos na Universidade voltados a essas áreas.
Segundo Lopez-Richard, há muitos trabalhos acadêmicos e científicos realizados pela UFSCar em Unidades de Conservação do Estado de São Paulo. "Essa é justamente uma das vocações dessas unidades: promover esse tipo de atividade abrangendo temas que vão da fauna e botânica à geologia, dada a riqueza e complexidade desses sistemas sócio-ecológicos".

Em contrapartida, a UFSCar tem contribuído sistematicamente com a missão da preservação e gestão dessas Unidades participando, por exemplo, na estruturação e implementação de planos de manejo, avaliações de capacidade de suporte, avaliação e manutenção de roteiros, capacitação e treinamento de equipes e monitores ambientais, suportes técnicos e científicos para as comunidades dos entornos, dentre outras várias frentes", complementa o docente.
Além de UFSCar e FF, a celebração do Protocolo permite englobar potencialmente outros atores e interesses em projetos bilaterais futuros. "As parcerias entre a UFSCar e a FF, além da conservação ambiental, devem promover o desenvolvimento sustentável de comunidades. Muitas dessas ações também dependem da comunhão de empenhos interinstitucionais de outras Instituições de Ensino e Pesquisa, entidades da sociedade civil, poder público e empresas cujos esforços para a missão indicada acima poderão ser robustecidos e incentivados".

Acesse o Protocolo de Intenção entre a UFSCar e a Fundação Florestal no link https://bit.ly/351cMWs.

Publicado em Educação

MUNDO - Dois ativistas tailandeses foram detidos nesta sexta-feira e podem ser condenados à prisão perpétua por "violência contra a rainha" durante a passagem de seu comboio em uma manifestação pró-democracia, uma acusação inédita desde o início dos protestos no país.

O movimento pró-democracia, no entanto, mantém o desafio ao governo e programou uma nova manifestação para esta sexta-feira, apesar da proibição de concentrações.

Ekachai Hongkangwan e Bunkueanun Paothong estavam entre os ativistas próximos ao carro em que a rainha Suthida era transportada na quarta-feira, durante uma grande manifestação em Bangcoc. Dezenas de militantes fizeram o gesto de três dedos na passagem do veículo, um sinal de resistência copiado do filme "Jogos Vorazes" e que representa um desafio à autoridade real.

As manifestações pró-democracia, que pedem a renúncia do primeiro-ministro e uma reforma da monarquia - um tema tabu no país - prosseguem, apesar da entrada em vigor de medidas de urgência para tentar frear o movimento.

Mais de 100.000 pessoas se reuniram na quinta-feira no centro da capital, apesar da proibição de reuniões políticas de mais de quatro pessoas.

"Fui acusado de tentar prejudicar a rainha, mas sou inocente. Não era minha intenção", declarou Bunkueanun Paothong, que se apresentou à polícia depois de receber uma ordem de detenção.

Ekachai Hongkangwan e Bunkueanun Paothong foram acusados com base no artigo 110 do código penal tailandês, que afirma que qualquer "ato de violência contra a rainha ou sua liberdade" pode ser condenado com entre 16 anos de detenção e prisão perpétua.

"A utilização deste texto é muito incomum", afirmou à AFP Thitinan Pongsudhirak, cientista político na Universidade Chulalongkorn de Bangcoc.

Estas são as acusações mais graves anunciadas desde o início dos protestos e implicam sanções mais severas que as do artigo 112 de lesa-majestade, que prevê de três a 15 anos de prisão por crítica ou difamação ao rei e sua família.

As detenções acontecem no momento em que os manifestantes pró-democracia continuam desafiando o governo, apesar da entrada em vigor de um decreto de urgência para tentar frear o movimento que protesta nas ruas há vários meses.

As reuniões políticas com mais de quatro pessoas e as mensagens na internet consideradas "contra a segurança nacional" estão proibidas, segundo o decreto.

Apesar da medida, quase 10.000 pessoas se reuniram na quinta-feira em Ratchaprason, um grande cruzamento no centro da capital.

Nesta sexta-feira está prevista outra manifestação na mesma área, um local simbólico onde em 2010 as forças de segurança abriram fogo contra os "Camisas Vermelhas", movimento próximo ao ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, o que provocou várias vítimas.

O movimento pró-democracia pede a renúncia do primeiro-ministro Prayut Chan-O-Cha e uma reforma da poderosa e rica monarquia, um tema tabu no reino.

Maha Vajiralongkorn, que chegou ao trono em 2016 após a morte de seu pai, o venerado rei Bhumibol, é uma figura controversa.

Ele reforçou os poderes da monarquia, em particular com o controle direto da fortuna real. As frequentes viagens para a Europa, inclusive em plena pandemia do novo coronavírus, também provocaram questionamentos.

 

 

*Por: AFP

Publicado em Política

BUENOS AIRES - O astro Lionel Messi pediu mais educação para o desenvolvimento dos jovens e luta pela igualdade na sociedade argentina, em meio à pandemia do coronavírus.

Messi se referiu a essas questões alheias ao futebol em uma entrevista à revista La Garganta Poderosa, uma publicação que pertence à uma organização social feita por pessoas de bairros pobres da Argentina, publicada nesta quinta-feira (15).

“A educação é a base de tudo”, disse o atacante do Barcelona, que é capa da edição número 100 da revista. “Quando não há conhecimento da realidade, a opinião não tem valor, é puro ruído”, acrescentou.

Messi pediu para que questões fundamentais sejam preservadas em meio à pandemia, “como a água, a eletricidade, e inclusive os alimentos de primeira necessidade”.

“A desigualdade é um dos grandes problemas da nossa sociedade e é preciso lutar para corrigir isso o quanto antes”, apontou o atleta, de 33 anos.

No âmbito desportivo, depois de representar a seleção argentina nos dois primeiros jogos das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2022, Messi disse que está menos obcecado com o gol e que tenta “direcionar o máximo para o coletivo”.

 

 

*Por: Ramiro Sandolo / REUTERS

Publicado em Esportes

MUNDO - Acelerar a recuperação da recessão causada pelo coronavírus pode adicionar US$ 9 trilhões de dólares à renda global até 2025, disse ontem (15) a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva. De acordo com ela, isso depende de uma forte cooperação internacional, incluindo vacinas.

Em entrevista coletiva após uma reunião do comitê diretor do FMI, Kristalina Georgieva pediu a Estados Unidos e China que mantenham um forte estímulo econômico que possa ajudar a impulsionar a recuperação global.

"Se conseguirmos progredir rapidamente em todos os lugares, poderemos acelerar a recuperação. E podemos adicionar quase US$ 9 trilhões à renda global até 2025, o que, por sua vez, poderia ajudar a diminuir a diferença de renda entre as nações mais ricas e mais pobres", disse a diretora do FMI.

"Precisamos de forte cooperação internacional, e isso é mais urgente hoje para o desenvolvimento e distribuição de vacinas", acrescentou.

O acesso equitativo e econômico a tratamentos e vacinas para a covid-19 em todo o mundo será a chave para evitar uma recuperação econômica que deixe "cicatrizes duradouras", diz comunicado do Comitê de Aconselhamento.

 

Mais participantes

Segundo o comitê, a participação dos credores privados e dos credores bilaterais oficiais no alívio da dívida dos países pobres é essencial. Para Kristalina Georgieva, a participação do setor privado ainda é necessária e continua sendo uma questão pendente.

O G20 (grupo formado pelas principais economias do mundo) aprovou na quarta-feira (14) uma prorrogação de seis meses, até meados de 2021, da Iniciativa de Suspensão do Serviço da Dívida (DSSI, na sigla em inglês), que congela os pagamentos da dívida bilateral oficial, e disse que consideraria uma nova extensão de seis meses em abril. No entanto, credores privados e os de fora do Clube de Paris não estão participando totalmente.

"Estamos decepcionados com a ausência de progresso na participação dos credores privados no DSSI e os encorajamos fortemente a participar em termos comparáveis ​​quando solicitados pelos países elegíveis", disse o comitê, ao mesmo tempo que estimulou "a plena participação dos credores bilaterais oficiais".

 

 

*Por David Lawder e Rodrigo Campos - Repórteres da Reuters

Publicado em Economia

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Outubro 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
      1 2 3 4
5 6 7 8 9 10 11
12 13 14 15 16 17 18
19 20 21 22 23 24 25
26 27 28 29 30 31