fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
Radio Sanca Web TV - Sexta, 22 Mai 2020

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirmou neste sábado (23/05) a situação epidemiológica do município para a COVID-19. São Carlos contabiliza neste momento 92 casos positivos para a doença, com 4 mortes confirmadas. 27 óbitos já foram descartados. Dos 92 positivos, 69 apresentaram Síndrome Gripal e não foram internadas, 23 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 14 receberam alta hospitalar, 5 estão internados e 4 positivos foram a óbito. Um homem de 55 anos que estava internado desde o dia 17 de maio morreu nesta sexta-feira (22/05), porém o resultado foi negativo para COVID-19. 771 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus, já que hoje foram liberados outros 14 resultados negativos para a doença. Estão internadas 20 pessoas, sendo 10 adultos na enfermaria (8 suspeitos e 2 positivos); 9 na UTI (5 suspeitos e 4 positivos); na enfermaria infantil 1 criança está internada com suspeita da doença. Um dos internados na enfermaria na UTI, suspeito para a COVID-19, é de outro município. Um dos pacientes internado na UTI, positivo para o novo coronavírus também é de outro município.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 2.542 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 2.231 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 311 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 404 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 317 tiveram resultado negativo para COVID-19, 47 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 40 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

Publicado em Coronavírus

SÃO CARLOS/SP - Neste sábado a Viatura Operação 09404 do Corpo de Bombeiros junto a Unidade de Resgate (UR) 09410 realizaram uma busca pelo Rio da fazenda Santana que fica entre São Carlos e Ribeirão Bonito, na busca do Jovem Tiago Ribeiro de 21 anos, que teria desaparecido no dia de ontem, após ir até a cachoeira para se banhar. 

Segundo as equipes do Corpo de Bombeiros, foram realizadas 8km de pesquisa até a fazenda Santo Inácio, porém até o momento o jovem não foi encontrado. As buscas se encerraram às 17h20 deste sábado (23) e serão retomadas domingo (24), às 8h.

Foram utilizados na busca: botes salva vidas e caiaques, e participaram da operação o Sargento Antunes, o Cabo Marcelo, o Cabo Marini, Soldado Berto, Soldado Thiarly e um Bombeiro Cívil que tem um vasto conhecimento da área e esta auxiliando nas buscas.

Publicado em Policial

RIO DE JANEIRO/RJ - O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ), por meio da Secretaria Geral de Controle Externo (SGE), concluiu o relatório de Auditoria Governamental para verificar irregularidades nos contratos emergenciais da Secretaria Estadual de Saúde do Rio para a aquisição de ventiladores pulmonares no combate à pandemia do novo coronavírus (covid-19) e apurou um sobrepreço de R$ 123 milhões na aquisição dos respiradores.

A auditoria aponta o ex-secretário estadual de Saúde, Edmar José dos Santos e o ex-subsecretário Gabriell Carvalho Neves Franco dos Santos como principais responsáveis pelas irregularidades e solicita a apresentação de razões de defesa ou o ressarcimento aos cofres públicos de R$ 36,5 milhões.

A auditoria foi realizada entre 27 e 30 de abril em três contratos assinados para a aquisição de mil respiradores, com valor total de R$ 183,5 milhões. Ao todo, foram contratadas três empresas: ARC Fontoura Indústria Comércio e Representações, A2A Comércio Serviços e Representações e MHS Produtos e Serviços.

O estudo técnico do TCE-RJ apontou que os respiradores foram comprados com preços que equivaliam, em média, ao triplo adotado como referência no mercado, implicando um sobrepreço médio aproximado de 200%. A empresa ARC Fontoura aplicou um sobrepreço de 183%, enquanto a A2A, 230%, e a MHS, 212%.

Possíveis irregularidades

A auditoria apontou sete possíveis irregularidades: contratação de empresas inaptas ao fornecimento emergencial pretendido; direcionamento Ilícito da contratação; pagamento antecipado sem a prestação de garantia; ausência injustificada de estimativas de preço; ausência injustificada de estimativas de quantidade; sobrepreço injustificado das contratações emergenciais; e liquidação irregular de despesa, pelo recebimento de equipamentos inservíveis para os fins a que se destinava a contratação.

O relatório alerta tanto o dano ao erário quanto o risco à saúde da população fluminense.

"Merece destaque a gravidade das condutas de cada um dos responsáveis aludidos, considerando que deliberadamente admitiram o recebimento, com o consequente pagamento, de equipamentos em flagrante desconformidade às especificações técnicas necessárias, não apenas acarretando danos ao erário, mas colocando em risco a saúde de toda a população fluminense, tendo em vista o objeto contratado e o contexto em que se insere, mais uma vez indicando se não o dolo, uma culpa grave", alerta o relatório da Secretaria Geral de Controle Externo do TCE-RJ.

Também foram encontrados ainda fortes indícios de fraude na condução do processo das contratações, que reforçam a gravidade das irregularidades descritas nos achados, o que fez o TCE-RJ dar imediata ciência dos fatos ao Ministério Público Estadual, como determina o acordo de cooperação assinado para fiscalização conjunta dos atos destinados ao enfrentamento da pandemia de covid-19.

A reportagem da Agência Brasil fez contato com a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro e aguarda retorno.

 

 

*Por: Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil

Publicado em Coronavírus

SÃO CARLOS/SP - Guardas Municipais apreendeu droga nesta última sexta-feira (22), na Avenida João de Lourenço, região leste de São Carlos.

Segundo consta, os GMs com a viatura – 643, estava realizando patrulhamento próximo a escola Antonio de Lourdes Rondon, quando ao passar pela Praça José Vacari, avistou um sujeito que ao ver a viatura empreendeu fuga. Os Guardas realizaram buscas na Praça onde encontrou 152 pinos com substância semelhante a cocaína

A droga foi apreendida na Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (DISE), de São Carlos.

Publicado em Policial

SÃO PAULO/SP - Sentindo frio, Juliana Caetano, do Bonde do Forró, divulgou uma foto em que surgiu com a sua roupa de frio e deixou claro que a sexta-feira (22) foi bem gelada.

“Já chegou frio aí? Qual região do Brasil você mora?”, escreveu na legenda da publicação.

Recentemente, Juliana Caetano, do Bonde do Forró, respondeu perguntas de seus seguidores do Instagram tanto sobre casamento quanto sobre usar ou não roupas no frio.

Um fã começou justamente questionando se ela não coloca roupa quando o clima está ruim, e Juliana admitiu que não: “Não consigo, até tentou usar, mas roupa me aperta”.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Já chegou frio aí? Qual região do Brasil você mora??

Uma publicação compartilhada por Juliana Bonde (@julianabonde) em

*Por: Alefy Soares / METROPOLITANA

Publicado em Celebridades

SÃO PAULO/SP  - Prevista, inicialmente, para acabar na terceira temporada, a série brasileira “Sob Pressão” terá um quarto ano. A volta da atração está prevista, entretanto, apenas para 2021. Em seu retorno, o enredo abordará a pandemia do novo coronavírus, com a morte de um dos integrantes da equipe médica por conta da Covid-19. O seriado conta com a participação de atores como Júlio Andrade, Marjorie Estiano, Bruno Garcia, Drica Moraes, Humberto Carrão, Stepan Nercessian e Fernanda Torres.

O roteirista da série, Lucas Paraizo, foi quem revelou essas informações. Ele, porém, garante que a produção ainda não decidiu quem vai morrer na trama por conta da pandemia. Para o profissional, é normal “Sob Pressão” tratar do assunto do coronavírus, já que começou mostrando a crise do sistema de saúde do Brasil e, com a Covid-19, exibirá o colapso.

Em três temporadas até aqui, a série conta com 34 episódios e acompanha o cotidiano caótico e as vidas pessoais da equipe de emergência de um hospital público no Rio de Janeiro. “Sob Pressão” chegou a ser indicada ao Emmy Internacional, em 2019.

 

 

*Por; RODRIGO COSTÁBILE / FAMOSIDADES

Publicado em TV

MUNDO - A Federação Internacional de Natação (Fina) anunciou na última quinta (21) que adiou a realização do Mundial de Piscina Curta de Abu Dhabi (Emirados Árabes) para o período de 13 a 18 de dezembro de 2021.

A competição estava programada inicialmente para acontecer em dezembro de 2020. Mas a entidade informou que, “dada a incerteza relacionada à evolução da pandemia de covid-19 em todo o mundo”, a competição foi adiada.

“Trabalhamos em estreita cooperação durante as últimas semanas com as autoridades dos Emirados Árabes Unidos sobre este assunto e acreditamos que esta é a solução mais adequada para todos os participantes desta competição. A competição de Abu Dhabi em dezembro de 2021 será uma grande conquista e mais uma vez será uma forte inspiração para o desenvolvimento da natação e dos esportes aquáticos na região”, declarou o presidente da Fina, Julio C. Maglione.

 

 

*Por: AGÊNCIA BRASIL

Publicado em Esportes

Segundo a FecomercioSP, as recomendações do CNJ sobre o tema, e o Projeto de Lei n.o 1.397/2020 vão ao encontro das alterações essenciais para esse período

 

SÃO PAULO/SP - Para a FecomercioSP – diante da crise econômica decorrente da pandemia causada pelo covid-19, com o risco de mais de 40 mil pequenas empresas encerrarem suas atividades no Brasil – serão necessárias novas medidas que auxiliem o restabelecimento das atividades econômicas de forma rápida e eficaz, sem passar por inúmeros processos burocráticos. Isso decorre em função da redução significativa no consumo de bens e serviços. Nesse sentido, o aprimoramento da Lei de Recuperação e Falência (n.º 11.101/2005) se faz necessário para agilizar esse processo. 
 
De acordo com a Federação, as regras atuais precisam ser flexibilizadas para se adaptarem a essa nova realidade. Para tanto, o deputado Hugo Leal (PSD-RJ) apresentou recentemente o Projeto de Lei n.o 1.397/2020, que cria, dentro da própria lei de falências em vigor, condições específicas e temporárias para o enfrentamento da crise. Objetivam a promoção e o desenvolvimento de processos mais simples no âmbito de recuperação e falência, até dezembro de 2020, ou enquanto durar o estado de calamidade pública. O PL prevê, dentre outras medidas, a prorrogação de prazos para recuperação extrajudicial e judicial; suspensão de ações de execução já em andamento, além da possibilidade de empresas em recuperação alterarem os planos apresentados inicialmente.
 
O que diz a lei
A Lei n.º 11.101/2005 já prevê que com a adesão ao plano de recuperação é possível reunir credores e devedor dentro de um processo sistêmico e eficaz, o qual possibilita reordenar compromissos vencidos ou que estão prestes a vencer, proporcionando, assim, grandes possibilidades de preservação dos negócios. Cabe ressaltar que as execuções de natureza fiscal não são suspensas durante o processo da recuperação judicial, sendo passíveis de parcelamento, nos termos do Código Tributário Nacional e da legislação ordinária específica. Contudo, o aceite de um plano mal elaborado poderá ser irreversível, ocasionando a decretação de falência, que extingue pela via judicial a vida da empresa.
 
Para as micro e as pequenas empresas, as quais são garantidas condições simplificadas pela via constitucional, existe a possibilidade de um plano especial de recuperação, sendo dispensada a assembleia-geral de credores para deliberar sobre o plano, e o juiz concederá a recuperação judicial se atendidas as demais exigências da Lei em vigor.
 
Enquanto o PL n.o 1.397/2020 não for aprovado, o Conselho Nacional de Justiça já deliberou algumas recomendações aos juízes que apreciam a matéria, as quais versam sobre a prorrogação de prazos; suspensão ou alteração das assembleias presenciais de credores por aquelas de natureza virtual; além da possibilidade de empresas alterarem os planos em andamento, desde que comprovem que tiveram suas atividades e sua capacidade de cumprir suas obrigações afetadas pela crise atualmente posta.
 
A aprovação do PL n.o 1.397/2020 se faz necessário para complementar as importantes recomendações realizadas pelo CNJ, e por consequência, trazer segurança jurídica ao empresariado. Além disso, trará vantagem à recuperação judicial das micro e das pequenas empresas, prevendo parcelamento do plano de recuperação em até 60 vezes, com o pagamento da primeira parcela no prazo máximo de 360 dias, contado da distribuição do pedido de recuperação judicial ou de seu aditamento.
 
No entanto, a FecomercioSP aponta algumas objeções em relação ao PL, mais precisamente no Capítulo I – Do Sistema de Prevenção à Insolvência, Seção I – Da Suspensão Legal, Seção II – Da Negociação Preventiva, cujos mecanismos postos interferem diretamente nas relações havidas entre particulares, prática vedada pela Constituição Federal (artigo 170, parágrafo único), além de obrigar que empresários submetam seus respectivos contratos a jurisdição voluntária.  
 
Sobre a FecomercioSP
Reúne líderes empresariais, especialistas e consultores para fomentar o desenvolvimento do empreendedorismo. Em conjunto com o governo, mobiliza-se pela desburocratização e pela modernização, desenvolve soluções, elabora pesquisas e disponibiliza conteúdo prático sobre as questões que impactam a vida do empreendedor. Representa 1,8 milhão de empresários, que respondem por quase 10% do PIB brasileiro e geram em torno de 10 milhões de empregos.

Publicado em Economia

SÃO CARLOS/SP - Com previsão de baixas temperaturas a partir deste sábado (23/05), a Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social juntamente com a Paróquia São João Batista, pastoral de rua, comunidade Missionária Divina Misericórdia e demais grupos de voluntários, retoma neste fim de semana o plantão para atender e acolher a população em situação de rua.

A ronda vai começar neste sábado (23/05) no fim da tarde e segue até que todos os pontos sejam visitados e todos os moradores convidados a pernoitar na Casa de Passagem (antigo Albergue Noturno) ou no espaço preparado para receber essas pessoas na Igreja São João Batista. Além do pernoite todos vão receber alimentação.
Ano passado esse trabalho também foi realizado e em 4 dias de ronda noturna mais de 130 pessoas em situação de rua foram atendidas e levadas para abrigos da Prefeitura e de entidades parceiras.

“Os grupos de voluntários que atuam nas ruas identificarão àqueles que desejarem seguir para os serviços de acolhimento. Cabe ressaltar que a Casa de Passagem está acolhendo pessoas em situação de rua agora em tempo integral para garantir a quarentena”, explica o diretor da Proteção Social, Luciano Freitas Oliveira.

A secretária de Cidadania e Assistência Social ressalta que essa união é muito importante para ampliação das vagas de acolhimento para essa população por causa das baixas temperaturas. “A Prefeitura reformou a Casa de Passagem e durante o dia essa população também pode receber atendimento no Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua, o Centro POP. Nós temos algumas situações de pessoas que normamente não aceitam ir para o acolhimento, mas durante a ronda e devido às baixas temperaturas, acabam aceitando”, revela Glaziela Solfa Marques.

O Centro POP fica na Rua São Joaquim, 818, no Centro. A de Casa de Passagem na rua Rotary Clube, 101, na Vila Marina.

Publicado em Cidadania

BRASÍLIA/DF - O presidente Jair Bolsonaro falou ontem (22) a noite em frente ao Palácio da Alvorada que o vídeo da reunião ministerial de 22 de abril não traz provas de uma suposta interferência sua na Polícia Federal. A gravação veio a público durante a tarde, após ter o sigilo levantado pelo ministro Celso de Mello do Supremo Tribunal Federal (STF).  

"Repito, cadê a parte desse vídeo de duas horas onde minimamente tem indicios de que eu teria interferido na Polícia Federal, na superintendência do Rio de Janeiro ou na diretoria-geral da PF? Não tem nada", afirmou a jornalista.  

A reunião ocorrida foi citada pelo ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro durante depoimento prestado à PF, no início do mês, como uma das principais provas da suposta interferência. Dois dias depois, Moro pediu demissão do cargo. Sobre o ex-auxiliar, o presidente negou pressão para qualquer tipo de favorecimento. "Ele aceitou trabalhar comigo, sabia das regras do jogo, nunca foi constrangido."

Ainda em frente ao Alvorada, Bolsonaro disse que nem ele nem ministros e auxiliares que estavam na reunião têm responsabilidade pelas declarações dadas, já que a reunião era reservada e só veio a público por causa de uma decisão judicial. 

"Nenhum ministro meu tem responsabilidade do que foi falado ali, porque foi uma reunião reservada de ministros, não foi uma reunião aberta. A responsabilidade é do ministro Celso de Mello", disse.

Além dos trechos da reunião que interessam ao inquérito, em que o presidente faz referências à falta de informações por parte da PF e de órgãos de inteligência, a gravação também apresenta declarações polêmicas de alguns ministros, como Abraham Wintraub, ministro da Educação, que desferiu ofensas aos ministros do STF. 

 

 

*Por: Pedro Rafael Vilela - Repórter da Agência Brasil

Publicado em Política

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Maio 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31