fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 
Radio Sanca Web TV - Sexta, 14 Agosto 2020

SÃO CARLOS/SP - A Vigilância Epidemiológica de São Carlos confirma neste sábado (15/08) os números da COVID-19 no município. São Carlos contabiliza neste momento 1.769 casos positivos para COVID-19 (30 resultados positivos foram divulgados hoje), com 31 mortes confirmadas. 70 óbitos já foram descartados. Dos 1.769 casos positivos, 1.622 pessoas apresentaram síndrome gripal e não foram internadas, 3 óbitos sem internação, 144 pessoas precisaram de internação devido a COVID-19, 107 receberam alta hospitalar, 9 estão internadas e 28 positivos internados foram a óbito. 1.458 pessoas já se recuperaram totalmente da doença. 6.430 casos suspeitos já foram descartados para o novo coronavírus (78 resultados negativos foram divulgados hoje). Estão internadas neste momento 31 pessoas, sendo 15 adultos na enfermaria (2 positivos, 8 suspeitos e 5 negativos). Na UTI adulto estão internadas 15 pessoas (11 positivos, 2 suspeitos e 2 negativos). Uma criança está internada na UTI com suspeita da doença. Na enfermaria nenhuma criança está internada no momento. 6 pacientes de outros municípios estão internados em São Carlos. A taxa de ocupação dos leitos especiais para COVID-19 de UTI/SUS está hoje em 50%. Na rede privada estão internados 3 pacientes na UTI adulto, sendo 2 positivos e 1 com suspeita da doença. Já na enfermaria adulto 2 pacientes estão internados na rede particular, 1 com resultado positivo e 1 com suspeita da doença. Esses números já estão contabilizados no total de internações.

NOTIFICAÇÕES – Já passaram pelo sistema de notificação de Síndrome Gripal do município 10.453 pessoas desde o dia 21 de março, sendo que 8.879 pessoas já cumpriram o período de isolamento de 14 dias e 1.574 ainda continuam em isolamento. A Prefeitura de São Carlos está fazendo testes em pessoas que passam em atendimento nos serviços públicos de saúde com Síndrome Gripal (febre, acompanhada de um ou mais sintomas como tosse, dor de garganta, coriza, falta de ar). 5.931 pessoas já realizaram coleta de exames, sendo que 4.726 tiveram resultado negativo para COVID-19, 1.137 apresentaram resultado positivo (esses resultados já estão contabilizados no total de casos positivos). 68 pessoas ainda aguardam o resultado. O boletim emitido diariamente pela Vigilância Epidemiológica de São Carlos contabiliza as notificações das unidades de saúde da Prefeitura, Hospital Universitário (HU), Santa Casa, rede particular e planos de saúde.

Publicado em Coronavírus

SÃO CARLOS/SP - A região central vai continuar na Fase Amarela do Plano São Paulo. O anúncio foi feito pelo vice-governador paulista, Rodrigo Garcia, na tarde desta sexta-feira, 14, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

Pela primeira vez em três meses, nenhuma região regrediu para etapas mais restritivas, com a maioria dos municípios do estado na fase amarela. O Plano avalia o número de casos, expansão da pandemia, número de óbitos e a taxa de internações de cada região.

José Fernando Domingues, presidente da ACISC (Associação Comercial e Industrial de São Carlos), comemora o anúncio e alerta. “Precisamos seguir atentos às medidas e protocolos sanitários, pois a partir de segunda-feira, entraremos na quarta semana consecutiva em que estamos na Fase Amarela. Se até a próxima sexta-feira seguirmos assim, completaremos os 28 dias e avançaremos para a Fase Verde do Plano”, alertou.

Em São Carlos, as atividades comerciais não essenciais continuarão funcionando de segunda a sábado, das 10h às 16h. O funcionamento de restaurantes, bares e similares, bem como, salões de beleza e estética e as academias, também poderão continuar atendendo presencialmente, respeitando as recomendações de segurança e adotando os protocolos padrões e setoriais específicos.

“Vale lembrar que os restaurantes, bares e similares, desde o início desta semana, podem fracionar as 6h permitidas para atendimento presencial, desde que não ultrapassem as 22h”, lembrou Zelão.

A próxima reclassificação de fases do Plano São Paulo está prevista para a próxima sexta-feira (21). Com a conclusão de mais um período de duas semanas epidemiológicas, a 12ª atualização poderá registrar novas progressões de fase se os índices de controle da pandemia e capacidade hospitalar se mantiverem com viés de queda na capital, interior e litoral.

As normas sanitárias são as mesmas para todos os segmentos: disponibilizar higienização para funcionários e consumidores com álcool gel 70% em pontos estratégicos; os funcionários devem utilizar máscaras durante toda a jornada de trabalho, assim como os consumidores; o acesso e o número de pessoas nos estabelecimentos devem ser controlados; manter todas as áreas ventiladas; e a fila deve ter distanciamento de 2 metros entre as pessoas.

Mais informações sobre os dados recentes do Plano São Paulo estão disponíveis no link: https://www.saopaulo.sp.gov.br/wp-content/uploads/2020/08/11-balanco-plano-sp-14082020.pdf.

Publicado em Comércio

SÃO CARLOS/SP - Por iniciativa do vereador Gustavo Pozzi (PL) e agendada pelo presidente Lucão Fernandes (MDB), a Câmara Municipal realizou na noite de quinta-feira (13), uma audiência pública online para discutir a retomada das aulas presenciais em escolas do município. O evento, com duração de mais de duas horas, foi acompanhado nas plataformas digitais por 2.058 pessoas.  As opiniões contrárias dominaram as falas de autoridades e manifestações das pessoas que se manifestaram durante o evento.

Gustavo Pozzi, que presidiu a audiência, justificou a ausência da dirigente regional de Ensino, Debora Gonzales Costa Blanco, que enviou informação de que a rede estadual de ensino segue orientações do Plano São Paulo,  com retorno opcional para atividades de reforço no dia 8 de setembro das escolas em cidades há 28 dias na fase amarela, e possibilidade de retorno presencial no dia 7 de outubro.

Participaram das discussões do tema o secretário municipal de Educação Secretário municipal de Educação, Nino Mengatti, o secretário municipal de Saúde Marcos Palermo, o vereador Roselei Françoso, o diretor da Apeoesp Ronaldo Motta, a gerente de atenção à Saúde do Hospital Universitário da UFSCar,Valéria  Gabassa, o diretor do Sindicato dos Servidores Públicos e Autárquicos Municipais Gilberto Rodrigues Antunes e a diretora do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino e Educação de São Carlos e Região Dinorá Franco Antunes. Os debates tiveram participações de dirigentes de escolas particulares, e professores e profissionais de educação das redes municipal e estadual.

Os participantes  apontaram a falta de condições para que as aulas presenciais sejam retomadas durante a pandemia. Pozzi, que é professor na rede pública estadual, apontou a dificuldade de garantir o distanciamento social nas salas de aula e elogiou o empenho dos professores no trabalho realizado de forma remota.

O secretário Nino Mengatti, da Educação, assegurou que as aulas na rede municipal só retornarão após a vacina contra Covid-19. Ele informou que pesquisa da secretaria com 6.940 pais de alunos indicou que 96% são contrários ao retorno de aulas presenciais neste ano. O secretário de Saúde Marcos Palermo também se manifestou contrário à reabertura das escolas. Ele sustentou que o isolamento se faz necessário diante do atual quadro de evolução do contágio da doença na cidade. Na mesma direção se posicionou Valéria Gabassa, do Hospital Universitário da UFSCar. Ela citou a ocupação atual de 70% dos leitos do hospital CE disse que crianças em escolas aumentam o risco de contaminação.

Ronaldo Motta, da APEOESP, abordou os problemas existentes nas escolas estaduais e defendeu que professores da rede estadual sejam ouvidos pelo governo sobre a volta das aulas presenciais. Ele qualificou como uma calamidade a proposta de retomada a partir do próximo mês.

Foram apresentadas propostas para oficializar o anúncio não retorno das aulas neste ano, fazer moção de apelo ao Estado pela não reabertura das escolas, buscar alternativas de incentivo do município a escolas particulares durante a pandemia, e também estabelecer formas de ajuda aos motoristas do transporte escolar.

No final da audiência, o vereador Gustavo Pozzi voltou a destacar o esforço dos professores nas aulas à distância e enfatizou que todos neste momento atípico estão se dedicando ao máximo. Ele agradeceu a participação dos debatedores e a grande participação de profissionais de educação.

Publicado em Política

ARARAQUARA/SP - Uma ação ajuizada pela Associação Brasileira de Pirotecnia (Assobrapi), questionando a constitucionalidade da “Lei dos Fogos”, em vigor desde abril de 2019 em Araraquara, foi considerada improcedente pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP). A decisão ocorreu na última quarta-feira, dia 12.

A ação da Assobrapi alegava que o Município havia proibido, de forma integral, a soltura de fogos de artifício. De acordo com a defesa apresentada, o dispositivo em questão visa à proteção do sossego público e proíbe, somente, aqueles que excedam os níveis de som permitidos por lei.

A Lei Complementar (Nº 889/2019), que proíbe a soltura de fogos de artifício com estampidos em locais públicos e privados do município de Araraquara, foi aprovada por unanimidade na Câmara em fevereiro de 2019 e passou a vigorar em abril do mesmo ano.

O texto de autoria da vereadora Juliana Damus (Progressista) prevê multa ao infrator que descumprir a legislação em 10 UFMs - Unidade Fiscal do Município (R$ 576,80) com acréscimo de 100% em caso de reincidência.

“Araraquara ganha muito com a decisão do Tribunal de Justiça, que reconheceu a constitucionalidade da lei de nossa autoria. Agora podemos comemorar mais essa vitória junto aos idosos, crianças, autistas e pets, que poderão viver em melhores condições, sem que os fogos ruidosos lhes causem transtornos”, afirmou a autora da lei.

 

 

*Por: Chico Lourenço / PORTAL MORADA

Publicado em Araraquara

Projeto da Prefeitura fez a distribuição de plantas medicinais contra ansiedade e estresse nas Unidades de Saúde do município

 

IBATÉ/SP - Desenvolvido pela Prefeitura de Ibaté, por meio do setor infantil do Ambulatório Municipal de Saúde "Dr. Ivo Morganti", o projeto “Cuidando de quem cuida” está realizando na cidade várias ações de prevenção e cuidados com a saúde mental dos profissionais de saúde, durante o período de pandemia do novo coronavírus.

Entre as ações da equipe, formada pela fonoaudióloga Danielle dos Santos Nascimento, pela psicóloga Beatriz Maria Astolphi e pela terapeuta ocupacional Natalia Falvo Simões, o projeto fez a distribuição de  dezenas de mudas de plantas medicinais para todas as Unidades Básicas de Saúde  (UBS), do Programa Saúde da Família (PSF) e para o ambulatório do município.

Segundo a Secretária-adjunta Municipal de Saúde, Elaine Sartorelli Breanza, a ideia é que as plantas sejam cultivadas e usados pelos próprios  funcionários. "Temos acompanhado e percebido um grande aumento nos sintomas de ansiedade e estresse entre os profissionais da saúde por causa da pandemia.  As plantas escolhidas auxiliam na diminuição desses sintomas e colaboram para o bem-estar físico e emocional do profissional".

Juntamente com as mudas foi entregue um manual apresentando as ações de cada planta, como cultivá-la e como preparar compressas, chás e xaropes medicinais de maneira correta, por meio de infusão (folhas, flores) e maceração (raízes, cascas, sementes), por exemplo. "A fitoterapia e o uso de plantas medicinais representam uma forma eficaz de atendimento à saúde, especialmente no campo da Atenção Básica. O uso seguro das plantas está vinculado ao seu conhecimento prévio, por isso é fundamental a orientação para uma utilização adequada, sem perda da efetividade de seus princípios ativos e sem riscos de intoxicações por uso inadequado", explicou Elaine Sartorelli Breanza.

As Unidades de Saúde receberam mudas diferentes, como Alecrim, Capim-cidreira, Poejo, Lavanda e Tomilho e foram estimuladas a fazer a troca entre elas. As plantas medicinais e fitoterápicas escolhidas para esse projeto fazem parte da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC), também chamada de medicina complementar/alternativa pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Publicado em Ibaté

MUNDO - O Grupo de Lima, composto por Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, Panamá, Paraguai e Peru, divulgaram ontem (14) uma declaração reiterando seu apoio ao líder da oposição na Venezuela, Juan Guaidó. A Venezuela, representada exclusivamente pela ala de oposição ao presidente Nicolás Maduro, também faz parte do Grupo de Lima e assinou o documento.

“Os membros do Grupo de Lima […] renovam sua unidade e firme compromisso em favor do presidente encarregado Juan Guaidó, da transição democrática, e da reconstrução institucional, econômica e social na Venezuela, país que vive uma crise multidimensional sem precedentes, que tem gerado o sofrimento crescente do povo venezuelano e que se agravou em função da pandemia de covid-19”, diz um trecho da declaração conjunta.

O Grupo de Lima também expressou repúdio ao anúncio do governo de Maduro de realizar eleições parlamentares “sem as garantias mínimas e sem a participação de todas as forças políticas”. Além disso, apoiaram a “Declaração Conjunta de Apoio à Transição Democrática na Venezuela”, assinada por 31 países. Esse documento convoca toda a população do país, suas instituições e partidos políticos a apoiarem um processo de transição inclusivo e “que leve o país a eleições presidenciais livres e justas no menor prazo possível”.

Guaidó, parlamentar líder da oposição no país, chegou a se autodeclarar presidente da Venezuela e foi reconhecido como tal por países como Brasil e Estados Unidos. Guaidó visitou o Brasil no início de 2019, quando se encontrou com Jair Bolsonaro. Na época, a pressão internacional para uma troca de comando na Venezuela pareceu insustentável, mas Maduro se manteve no poder, onde está desde 2013.

 

 

*Por Marcelo Brandão – Repórter da Agência Brasil

Publicado em Política

BRASÍLIA/DF - Com safra recorde de grãos e aumento nas exportações, o agronegócio brasileiro foi essencial para segurar a atividade econômica durante a pandemia do novo coronavírus, disse ontem (14) a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. Em entrevista ao programa A Voz do Brasil, programa da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), ela destacou a safra recorde deste ano e o Plano Safra como elementos que fizeram o setor crescer, enquanto o restante da economia sofria nos últimos meses.

“O agronegócio foi o motor da economia e conseguiu não deixar nosso PIB [Produto Interno Bruto] cair [mais que o previsto]. Foi gerador de riquezas para o mercado interno, para as exportações e para o emprego. O agro brasileiro não deixou de empregar. Alguns setores até aumentaram o emprego durante este período difícil da pandemia”, ressaltou a ministra.

Tereza Cristina atribuiu a safra recorde de grãos 2019/2020, estimada em 253 milhões de toneladas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ao investimento em pesquisa e desenvolvimento e à boa chuva na maior parte dos estados no início do ano. Segundo ela, a articulação com o Ministério da Infraestrutura, no início da pandemia, foi essencial para impedir problemas de logística e evitar desabastecimentos.

“Nós precisávamos organizar o abastecimento do nosso mercado interno e também não descumprir os contratos internacionais. O ministro Tarcísio [de Freitas], da Infraestrutura, foi fundamental porque a colheita não pode esperar. O produto precisa ser colhido naquele momento e tivemos um problema de logística e de cuidado com as pessoas nessa pandemia. Montamos um grupo, fizemos um planejamento e, até agora, tudo tem dado certo”, declarou.

Exportações

A ministra ressaltou que as exportações do agronegócio cresceram 10% no primeiro semestre (em relação aos seis primeiros meses de 2019) e totalizaram US$ 61 bilhões. “O Brasil é o celeiro do mundo. Alimentamos nossos 212 milhões de habitantes e exportamos para alimentar mais de 1 bilhão de pessoas no mundo”, declarou.

Para Tereza Cristina, a abertura de novos mercados foi imprescindível para manter o crescimento das vendas externas e diversificar a pauta, reduzindo a dependência da soja e das carnes. Segundo ela, o Brasil passou a exportar alimentos para 51 novos mercados apenas em 2020 como resultado de negociações com parceiros comerciais. Desde 2019, 89 novos mercados foram abertos para o agronegócio brasileiro.

Entre os produtos que passaram a ser exportados, estão laticínios (queijo, iogurte e leite em pó) para a China, castanha de baru e chá-mate para a Coreia do Sul, peixes para a Argentina, castanha para a Arábia Saudita e gergelim para a Índia.

Outro fator que, segundo a ministra, deve impulsionar as exportações brasileiras é o reconhecimento de quatro estados – Acre, Paraná, Rio Grande do Sul e Rondônia- e de regiões do Amazonas e do Mato Grosso como áreas livres de febre aftosa sem vacinação. Ela explicou que, em maio, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) deverá ratificar a decisão do Ministério da Agricultura, o que liberará a carne bovina desses estados para exportações sem vacinação, valorizando o produto brasileiro no mercado internacional.

Plano Safra

Em relação à safra de 2020/2021, que começa a ser plantada neste semestre, a ministra ressaltou que o Plano Safra deste ano destina R$ 236 bilhões em crédito subsidiado para os produtores rurais. Segundo Tereza Cristina, neste ano, o plano privilegia os pequenos e médios produtores, que tradicionalmente têm mais dificuldade de acesso ao crédito, e projetos de sustentabilidade e de tecnologia da informação no campo.

 

Veja na íntegra

 

*Por: AGÊNCIA BRASIL

Publicado em Economia

"Quarentena" é uma produção do Laboratório Aberto de Interatividade da UFSCar

 

SÃO CARLOS/SP - O podcast "Quarentena", produzido pela equipe do Laboratório Aberto de Interatividade para a Disseminação do Conhecimento Científico e Tecnológico (LAbI) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), chegou nesta semana (em 12 de agosto) à marca significativa de 150 dias ininterruptos no ar. "Quarentena" traz, diariamente, as principais notícias, recomendações e, também, entrevistas sobre a Covid-19, com cientistas e outros profissionais de todo o Brasil.

Apresentado pelos jornalistas Mariana Pezzo e Tárcio Fabrício, o podcast tem foco em informação de qualidade e nas pesquisas relacionadas ao cenário da pandemia.
"Nós começamos o podcast praticamente junto com o distanciamento, quando nos vimos trabalhando em casa e precisando rapidamente pensar em como reorganizar a equipe para colocar a nossa experiência em divulgação científica e os nossos esforços a serviço do enfrentamento da pandemia. Não tínhamos, naquele momento, a dimensão do alcance que ele ganharia em um cenário que acabou se configurando como de excesso de informações e, muito especialmente, de informações fragmentadas, muitas vezes desencontradas e de má qualidade, quando não deliberadamente equivocadas ou falsas", conta Fabrício, que realiza pós-doutorado com pesquisa sobre divulgação científica no Departamento de Física (DF) da UFSCar e é Coordenador de Conteúdo do LAbI.

"É claro que de vez em quando pensamos se é hora de parar, não só pelos desafios envolvidos na manutenção de um produto diário, mas também por imaginar que o interesse pelo tema vá diminuindo com o tempo. Mas aí chega alguma mensagem do nosso público, e muitas nos dizem como o podcast é não só uma referência de informação confiável, mas também fonte de algum alento, de um pouco de segurança nesta situação que causa a sensação de impotência ou desesperança, e nós seguimos", compartilha Pezzo, que divide a coordenação do Laboratório com Adilson Jesus Aparecido de Oliveira, docente do DF.

"O LAbI já tem 14 anos de atuação na divulgação científica, e nosso compromisso com a democratização do acesso ao conhecimento e a ampla difusão de informações de qualidade, baseadas em evidências científicas, nos guiou na rápida estruturação para produção de materiais voltados ao contexto da pandemia. Por outro lado, estes meses têm nos mostrado quantos desafios permanecem na promoção de uma relação mais próxima, produtiva e de diálogo entre Ciência e público, e estamos muito motivados para incorporar esses aprendizados à nossa prática e aos nossos projetos futuros", complementa Oliveira.

Os episódios de Quarentena, com cerca de 40 minutos cada, vão ao ar diariamente no início da noite, inclusive aos finais de semana. Eles estão disponíveis no site do LAbI (www.labi.ufscar.br) e, também, nos principais agregadores de podcasts e serviços de streaming, como Spotify, iTunes, Deezer, Google Podcasts, TuneIn e outros. O podcast mantém, além das características já mencionadas, quadros fixos em parceria com o docente do Departamento de Medicina (DMed) da UFSCar Bernardino Geraldo Alves Souto, que aborda as principais dúvidas do público em relação a aspectos diversos da pandemia, e com o Programa de Pós-Graduação em Sociologia (PPGS) da UFSCar, que tem promovido reflexões sobre o momento na perspectiva sociológica.

O podcast deu origem também ao "Quarentena ao Vivo", programação semanal de debates no formato de lives, transmitidas pelas redes sociais do LAbI - Facebook e canal ClickCiência no YouTube. Os projetos têm o apoio do Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais (CDMF) e do Centro de Inovação em Novas Energias (Cine), ambos centros de pesquisa vinculados à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). Além do podcast, o LAbI também já produziu mais de 100 vídeos de divulgação científica no contexto da pandemia, e toda essa produção pode ser conferida no site do Laboratório, em www.labi.ufscar.br.

Publicado em Coronavírus

SÃO PAULO/SP - Nesta última sexta feira (14), Gretchen, a rainha da internet, lançou seu mais novo single - "Tan Tímida".

Seguida de videoclipe, a música é composta por Gabriel Miranda, seu filho de apenas 24 anos. O clipe gravado em Pipas/RN, teve participação do noivo e saxofonista Esdras de Souza e de Gabriel.

Dirigido por Yuri Bezerra, o filme é contracenado por nada mais nada menos que o casal mais apaixonado do momento, Gretchen e Esdras de Souza mostram momentos de amor, carinho e respeito, em uma paisagem paradisíaca. Gabriel, abrilhanta a participação, cheio de atitude e cantando um perfeito espanhol.

Amada no mundo todo, Maria Odete Brito de Miranda, artisticamente conhecida como Gretchen, soma mais de 28 milhões de views em seu canal do YouTube e mais de 38 mil ouvintes mensais no Spotify.

No começo do ano, lançou a música "Sigue El Ritmo" com o cubando Eri Ramo, e mesmo em meio a quarentena, não para de trabalhar pelo mundo todo em campanhas publicitárias.

Recentemente, Gretchen anunciou seu noivado com o saxofonista Esdras, que conheceu através de Fafá de Belém, no evento "Varanda da Fafá", no Círio de Nazaré. Após assistir a uma apresentação do músico, Gretchen o convidou para um projeto com ela, e os dois passaram a se apresentar juntos pelo país.

Confira agora "Tan Tímida"

Publicado em Pop & Arte

Vídeo sobre vantagens do plano Premium Família da plataforma de streaming mostra uma família viciada nos hits da artista

 

SÃO PAULO/SP - A Galinha Pintadinha, fenômeno da internet e uma das marcas infantis mais queridas pelos pequenos, é uma das “estrelas” da primeira campanha na televisão aberta feita pela plataforma de streaming de música Spotify a respeito dos benefícios de utilizar o plano Premium Família. Em um dos filmes, a campanha retrata uma família fantasiada de Popó e viciada no hit “A Galinha Pintadinha e o Galo Carijó”.

O plano divulgado na campanha, que ficará no ar até 8 de setembro, dá acesso a até seis usuários que morem no mesmo endereço e oferece uma playlist exclusiva com as músicas mais escutadas por toda a família, além de conceder acesso ao aplicativo Spotify Kids.

A Galinha Pintadinha marca presença em diversos serviços de streaming, como Netflix e também Spotify. Na plataforma, o perfil da Popó conta com mais de 350 mil ouvintes mensais e possui 5 álbuns disponíveis.

A Popó e sua turminha têm quatro vídeos que ultrapassaram 1 bilhão de views no YouTube: Pollito Amarillito (Pintinho Amarelinho) e Mariposita (Borboletinha) no canal em espanhol, e Upa Cavalinho e Dona Aranha no canal em português.

Sobre a Galinha Pintadinha

Fenômeno da internet brasileira, a Galinha Pintadinha é hoje uma das marcas infantis mais queridas do mundo. Presente na vida dos pequenos desde cedo, ela é considerada o “primeiro personagem do bebê”, sendo uma das franquias mais fortes junto ao público pré-escolar de até cinco anos, com 100% de aprovação dos pais, das mães e das próprias crianças. Surgida de um vídeo no YouTube, em 2006, esse projeto musical viralizou na rede. Depois disso, toda a trajetória da Galinha está registrada em recordes de visualizações e parcerias de sucesso: cerca de 3 milhões de DVDs vendidos, centenas de produtos oficiais licenciados e mais de 17 bilhões de views dos canais em português e internacionais. Disponível nos principais serviços de streaming como a Netflix, a personagem também está na televisão, na TV Cultura, no SBT e no canal Nat Geo Kids, com episódios especiais da série “Galinha Pintadinha Mini”, que traz novas historinhas, atividades educativas e conteúdos inéditos. Para mais informações, acesse www.galinhapintadinha.com.br.

Publicado em TV

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Agosto 2020 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
          1 2
3 4 5 6 7 8 9
10 11 12 13 14 15 16
17 18 19 20 21 22 23
24 25 26 27 28 29 30
31