fbpx

Realizar Acesso

Usuário *
Senha *
Lembrar
 
Radio Sanca Web TV - Segunda, 11 Janeiro 2021

SÃO CARLOS/SP - Em 2020 já foram registradas em São Carlos 1.623 notificações, com 625 casos positivos de Dengue, sendo 568 autóctones e 57 importados, com 1 óbito registrado. 962 casos foram descartados.
Para Chikungunya foram registradas 30 notificações, com 27 casos negativos, 02 positivo e 01 aguardando resultado.
Para Febre Amarela foram registradas em 2020 6 notificações, com 6 resultados negativos para a doença. Para Zika foram registradas 07 notificações com 07 resultados negativos.
Em 2021 até o momento somente foram registradas 07 notificações de Dengue.

Publicado em Outras Notícias

SÃO CARLOS/SP - O  prefeito Airton Garcia, acompanhado do vice-prefeito Edson Ferraz, do chefe de gabinete José Pires (Carneirinho), e do secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Samir Gardini, recebeu na manhã desta terça-feira (12/01), no paço municipal, a visita do prefeito de Pirassununga, Dimas Urban, que junto com o seu secretário de Segurança Pública, Paulo Tannus, veio conhecer o Plano Integrado de Segurança Pública de São Carlos.
Durante o encontro, Samir Gardini explanou o que já foi implantado em questão de segurança pública no município, como a ampliação do monitoramento por câmeras com o Sistema Detecta, o Sistema Eletrônico de Serviços para Todos Acessarem (SESTA), a recapacitação dos Guarda Municipais, entre outras conquistas fundamentadas no Plano Integrado de Segurança Pública, que coloca São Carlos com uma das cidades da região com o menor índice de criminalidade.
“É uma felicidade ver que o nosso plano de segurança está dando resultado e está despertando o interesse de outras cidades da região. Pirassununga também tem grandes projetos e iniciativas que nos interessam, a ideia é compartilhar esses conhecimentos e criar uma sinergia positiva quanto a segurança pública”, comentou Samir Gardini.
O prefeito Airton Garcia, acrescentou que muita coisa mudou desde que a Secretaria Municipal de Segurança Pública foi implantada em seu governo. “A segurança é importante em todo lugar, e a Secretaria Municipal de Segurança Pública de São Carlos hoje colabora muito com a força do estado, resultando em uma cidade mais segura. É uma alegria receber a visita do prefeito de Pirassununga e de seu secretário, nessa troca de experiências. Com certeza toda a região ganha com isso”.
De acordo com o secretário de Segurança Pública de Pirassununga, Paulo Tannus, uma visita já foi realizada no final do ano passado na Guarda Municipal, ocasião em que foram presenteados por um cão farejador. O próximo passo será uma maior integração entre as equipes técnicas para a troca de conhecimentos. “Esse compartilhamento de conhecimentos que está sendo feito com Pirassununga, irá ajudar muito a melhorar o nível da Guarda Municipal da nossa cidade, o plano já concretizado em São Carlos é um exemplo a ser seguido”, afirmou Tannus.
Por sua vez, o prefeito de Pirassununga agradeceu a receptividade do prefeito de São Carlos na integração dos municípios por mais segurança. “Quero agradecer o prefeito Airton Garcia e o secretário Samir pelo apoio com a nossa Guarda Municipal. Essa troca de conhecimentos será de grande avalia para Pirassununga, e com certeza, com o que será implantado o nível de criminalidade também será satisfatório em nossa cidade”, agradeceu o prefeito de Pirassununga, Dimas Urban.

Publicado em Outras Notícias

SÃO CARLOS/SP - A Prefeitura de São Carlos retoma nesta quarta-feira (13/01/21), pelo Jardim Alvorada, mais uma etapa do programa de recapeamento, serviço que teve início em 2017 na primeira gestão do prefeito Airton Garcia e que já recuperou 3.700 quarteirões em mais de 27 bairros, o que corresponde a 278 quilômetros de asfalto novo.
Nesta primeira etapa de 2021 serão recuperadas 46 ruas e 1 rotária, totalizando uma área de 80.813 m³ de vias. Entre os bairros que receberão o programa de recape estão: Jardim Alvorada, Astolpho Luís do Prado, Timburis, Maracanã, Douradinho, Vila Derigge e Vila Marina. O investimento é R$ 2,3 milhões, por meio de uma emenda parlamentar do deputado federal Orlando Silva (PCdoB), que estará na próxima quinta-feira (14/01), a partir das 10h, em São Carlos para acompanhar os trabalhos.
De acordo com o vice-prefeito, Edson Ferraz, a retomada do programa de recape é uma determinação do prefeito Airton Garcia, para que todas as ruas de São Carlos recebam as melhorias.  “Juntamente com as secretarias de Serviços Públicos e de Obras vamos acompanhar dia a dia esse trabalho e com certeza novas licitações serão lançadas”, afirma Ferraz.
“As ruas estão sendo escolhidas por critério do estado de deterioração. Nos últimos 4 anos trabalhamos para que o maior número de vias recebesse o serviço e vamos continuar com o mesmo ritmo de trabalho”, garante Mariel Olmo, secretário de Serviços Públicos.
O prefeito Airton Garcia reafirma a sua determinação de recuperar 100% das ruas da cidade. “Sempre falei que no meu mandato o recape continuaria até o último dia, agora esse prazo foi estendido até dezembro de 2024. Começamos uma nova corrida para que o serviço atenda todas as regiões da cidade. Já avançamos muito, mas não vamos parar. O maior programa de recape da história de São Carlos continua”.

4 ANOS DE RECAPE - Marca do governo Airton Garcia, o programa de recape começou no ano de 2017 no entorno do Parque do Bicão, com um investimento de R$ 465.373,54 por meio de recursos do Governo Federal. Com recursos do próprio município no valor de R$ 2,5 milhões o serviço seguiu para o bairro Cidade Aracy, onde foram recuperados 100 quarteirões na primeira fase. Já numa segunda etapa, foram recapeados mais 24 metros quadrados de vias no bairro, com um investimento de R$ 684.540,14 por meio de emenda parlamentar.
Em 2018, com investimento de R$ 4 milhões, conquistados a fundo perdido junto ao Governo do Estado, a Prefeitura recuperou mais de 40 quarteirões de vias públicas nos bairros Santa Felícia e Vila Elisabeth. O distrito de Santa Eudóxia também recebeu o serviço com 4.680 metros quadrados de vias do Jardim Itararé, com um investimento de R$ 152.028,96, provenientes de emenda parlamentar. Os bairros São João Baptista, Vila Costa do Sol, Jardim Lutfalla, Lagoa Serena e algumas vias da região central também receberam o serviço, com um investimento de R$ 4.096.860,89.
Ainda com recursos próprios, a recuperação de ruas continuou com um investimento de R$ 4.240.469,52, que também atendeu as vias da Vila São José, Castelo Branco e da região central, como as ruas 7 de Setembro, 9 de Julho, Visconde de Inhaúma, Cezar Ricome, Achile Bassi, Carlos de Camargo Salles, Salomão Dibbo, Luiz de Toledo Pizza e Adolfo Cattanni.
Em 2019 o município conseguiu firmar um convênio com a Caixa Econômica Federal, por meio do Programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento - FINISA, para recuperar 956 quarteirões, com um investimento de R$ 20 milhões. Nesta etapa foram atendidos os seguintes locais da cidade: avenidas Miguel Petroni e João de Guzzi (inteiras), partes do bairro Arnon de Mello, parte do Santa Felícia, Jardim Tortorelli inteiro, Planalto Paraíso; Jardim Paulistano, Jardim Centenário e Nova Estância. Algumas ruas do Jardim Nova Santa Paula. Parte da avenida Trabalhador São-carlense; Avenidas Antônio Blanco e José de Alencar e rua Dr. Eugênio de Andrade Egas; Jardim das Torres, Jardim Botafogo, algumas ruas da Vila Pelicano e Jardim Medeiros, rotatória do Shopping, rotatória do Cristo, avenida Tancredo Neves até a entrada do bairro Botafogo, algumas ruas do Boa Vista, Medeiros e região do SENAI; bairros Jardim Pacaembu, Vila Isabel e Parque Primavera. Algumas ruas e as principais avenidas do Jardim Tangará. Além das principais avenidas do Jardim Cruzeiro do Sul.
Já com recursos de R$ 30 milhões liberados pelo Banco do Brasil, a Prefeitura de São Carlos conseguiu concentrar os trabalhos de recape na região do Jardim Itamarati e na Vila Jacobucci, entre outros, finalizando o ano de 2020 com mais de 3.700 quarteirões recuperados em mais de 27 bairros, totalizando 278 quilômetros de recape em toda a cidade.

Publicado em Outras Notícias

 

Inscrições vão de 26 até 29 de janeiro de 2021

 

BRASÍLIA/DF - O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) vai oferecer 93 mil vagas em 2021. Com isso, o aporte financeiro do Ministério da Educação (MEC) será de R$ 500 milhões para viabilizar as vagas. Esses números estão no Plano Trienal do Fundo de Financiamento Estudantil, publicado no último dia de dezembro.

O plano traz a previsão para os próximos três anos. Nesse período, serão ofertadas, no total, 279 mil vagas. O Fies é o programa do governo federal que tem como meta facilitar o acesso ao crédito para financiamento de cursos de ensino superior oferecidos por instituições privadas. Criado em 1999, ele é ofertado em duas modalidades desde 2018, por meio do Fies e do Programa de Financiamento Estudantil (P-Fies).

Confira a matéria do Repórter Brasil:

O período de inscrições para o processo seletivo do Fies para o 1º semestre de 2021 é do dia 26 até as 23h59 de 29 de janeiro de 2021. O resultado será divulgado no dia 2 de fevereiro. Para os pré-selecionados em chamada única, o prazo para complementar a inscrição é de 3 a 5 de fevereiro.

Os candidatos não pré-selecionados na chamada única do Fies podem disputar uma das vagas ofertadas por meio da lista de espera. Todos os não pré-selecionados na chamada única serão, automaticamente, incluídos na lista de espera. A convocação por meio da lista de espera ocorrerá de 3 de fevereiro até o dia 18 de março de 2021.

Edição: Aline Leal

Por Agência Brasi - Brasília

Publicado em Educação

 

Montadora anunciou fechamento de fábricas no Brasil

 

SÃO PAULO/SP - O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região (Sindmetau) quer que a Ford reveja a decisão de fechar as fábricas no Brasil e mantenha os empregos. Segundo o presidente do Sindicato, Claudio Batista, os trabalhadores foram “pegos de surpresa” com a decisão anunciada ontem (11).

Além da planta de Taubaté, a Ford vai fechar a fábrica de Camaçari, na Bahia. A fábrica da Troller, em Horizonte (CE), vai encerrar as atividades até o fim deste ano. Serão mantidos, entretanto, a sede administrativa para a América do Sul em São Paulo, o Centro de Desenvolvimento de Produto na Bahia e o Campo de Provas em Tatuí (SP). A produção de veículos na região ficará concentrada na Argentina e no Uruguai.
Manutenção de empregos

“O sindicato vai fazer toda luta necessária para tentar reverter essa situação”, disse Batista. De acordo com ele, os 830 funcionários da fábrica em Taubaté tinham estabilidade no emprego até o fim de 2021, devido a um acordo de redução de jornada e salários feito no ano passado, em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19). A unidade da montadora na cidade está há 53 anos de atividade.

A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) evitou comentar diretamente as razões e os impactos do fechamento das fábricas no Brasil.

"A Anfavea não vai comentar sobre o tema. Trata-se de uma decisão estratégica global de uma das nossas associadas. Respeitamos e lamentamos”, disse a entidade em nota.

No entanto, a associação comentou que os custos de produção têm afetado as montadoras no país. “Isso corrobora o que a entidade vem alertando há mais de um ano, sobre a ociosidade da indústria (local e global) e a falta de medidas que reduzam o Custo Brasil".

Para a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), a alta carga tributária é um dos fatores que dificulta a manutenção da produção industrial no país. “A Fiesp tem alertado sobre a necessidade de se implementar uma agenda que reduza o Custo Brasil, melhore o ambiente de negócios e aumente a competitividade dos produtos brasileiros. Isso não é apenas discurso. É a realidade enfrentada pelas empresas”, disse em nota a federação.

Edição: Fernando Fraga

Por Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil - São Paulo

Publicado em Economia

 

Presidente dos EUA é alvo de críticas e corre o risco de ser afastado após incentivar a ação de seus apoiadores em Washington

 

MUNDO - O presidente dos EUA, Donald Trump, comentou nesta terça-feira (12) o pedido de impeachment feito pelo partido Democrata e a possibilidade de ser afastado do cargo dias antes de deixar o cargo.

Trump disse a jornalsitas momentos antes de viajar ao Texas que seu segundo pedido de impeachment é a "continuação da maior caça às bruxas da história da política".

 O pedido de impeachment apresentado, na segunda-feira (11), alegava que Trump incitou uma "insurreição". Antes disso, os congressistas tentaram acionar a 25ª emenda da constituição, que paassaria o poder ao vice-presidente, Mike Pence, mas os republicanos na Câmara conseguiram barra a medida.

O bilionário é alvo de críticas após ter realizado um comício para seus apoiadores questionando o resultado das urnas em novembro. As falas do presidente acabaram incentivando os atos violentos que aconteceram no Capitólio, na última quarta-feira (6).

A invasão

Os apoiadores de Trump se organizaram pelas redes sociais e com o apoio do presidente para uma manifestação contra a certificação de Joe Biden como vencedor das eleições presidenciais.

 A mobilização ocorre porque os eleitores do presidente defendem que houve fraude para beneficiar o candidato democrata. Isso porque alguns estados tradicionalmente republicanos votaram em Joe Biden.

Uma multidão se concentrou diante do Capitólio carregando bandeiras e cartazes, mas um grupo de dezenas de manifestantes conseguiu entrar no prédio na tentativa de invadir a sessão do Congresso.

A ação foi registrada e transmitida pela internet e a polícia conseguiu identificar e prender alguns participantes. Um deles foi fotografado com os pés sobre a mesa do escritório da presidente da Câmara, Nancy Pelosi, e após viralizar nas redes sociais foi identificado e preso.

Por R7

Publicado em Política

 

Juíza acatou argumentos da AGU de que o adiamento poderia causar prejuízos financeiros e prejudicar formação dos estudantes

 

BRASÍLIA/DF - A Justiça Federal de São Paulo negou o adiamento das provas e manteve as datas do Enem 2020 (Exame Nacional do Ensino Médio). Juíza acatou os argumentos da AGU (Advocacia Geral da União) de que nova alteração de datas causaria prejuízos financeiros e também prejudicaria a  formação dos estudantes, uma vez que o exame é a principal porta de entrada para as universidades federais.

Pela decisão da Justiça Federal, as provas impressas devem ocorrer nos dias 17 e 14 de janeiro e a versão digital será realizada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

A juíza Marisa Cláudia Gonçalves Cucio afirmou, na decisão, que o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas), responsável pela aplicação do exame, oferece todas as medidas necessárias: "há informações suficientes sobre as medidas de biossegurança para a realização da edição 2020 do Enem."

 Ela também reforçou em seu texto que medidas e cuidadas individuais deverão ser tomados: "sem deixar de confiar na responsabilidade do cuidado individual de cada participante".

As provas colocarão em circulação mais de 5 milhões de estudantes em todo o país. Segundo a decisão da Justiça Federal, nas regiões em que os números de casos de covid-19 esteja elevado e o risco de contágio seja alto, caberá às autoridades locais o cancelamento do exame e ao Inep a reaplicação das provas.

 O Enem deveria ser aplicado originalmente no mês de novembro, mas após forte mobilização social devido à pandemia de coronavírus, as provas foram remarcadas para o mês de janeiro.

Na semana passada, a Defensoria Pública da União entrou na Justiça pedindo um novo adiamento do Enem diante do aumento de casos da covid em todo o país. A ação foi realizada em conjunto com entidades estudantis como a UNE (União Nacional dos Estudantes) e a Ubes (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas).

Antes da ação na Justiça, estudantes já se mobilizavam com a #adiaenem nas redes sociais pedindo a revisão do calendário de provas.

 A AGU (Advocacia Geral da União) argumentou que uma nova mudança de data implicaria em prejuízos financeiros e também prejudicaria a formação dos estudantes.

De acordo com nota, os integrantes da AGU "entendem que todas as medidas de segurança sanitária estão sendo tomadas para a realização do exame neste ano." Uma força-tarefa foi montada para garantir a segurança jurídica do Enem. Até o dia 7 de fevereiro, data da última prova, pelo menos 75 procuradores federais irão monitorar os processos judiciais em regime de plantão, 24 horas por dia.

O presidente do Inep, Alexandre Lopes, informou que todas as medidas de segurança estão sendo tomadas para a realização do exame e que as medidas foram pensadas em um contexto de pandemia.

Por R7

Publicado em Educação

 

Dados de estudo realizado no Brasil colocam imunizante próximo ao limite mínimo exigido pela Anvisa para liberação

 

SÃO PAULO/SP - A eficácia geral da CoronaVac é de 50,38%, informou nesta terça-feira (12) o Instituto Butantan. Isto significa que a vacina foi capaz de prevenir a infecção pelo coronavírus neste percentual entre voluntários imunizados durante os ensaios clínicos de fase 3 realizados no país.

A Anvisa e a OMS (Organização Mundial da Saúde) entendem que vacinas que apresentem eficácia de no mínimo 50% podem ser utilizadas em programas de imunização nesta pandemia diante da urgência em controlar o vírus e a incidência de quadros graves de covid-19.

Esse era um dado cobrado pela comunidade científica desde a semana passada, quando o Butantan divulgou apenas os chamados desfechos secundários, que mostravam uma eficácia de 78% a 100% na prevenção de quadros graves e moderados da doença.

A taxa de eficácia é uma probabilidade, calculada a partir da análise de pessoas que contraíram o coronavírus no grupo que recebeu a vacina em comparação com os que tomaram placebo.

O diretor médico de pesquisas clínicas do Instituto Butantan, Ricardo Palacios, explicou que o patamar menor do que outras vacinas se deu, em partes, porque os testes no Brasil foram realizados apenas em profissionais da saúde que lidavam diretamente com casos de covid-19.

"Isto não é a vida real exatamente, não é o que acontece na comunidade, o que acontece entre nós. É um teste artificial no qual selecionamentos aquela população em que a vacina poderia ser testada com a barra mais alta", disse em apresentação nesta tarde.

Segundo Palacios, a expectativa é que a vacina "irá se comportar infinitamente melhor em níveis comunitários, ou seja, em populações em condições normais".

Os resultados foram obtidos a partir da análise de dados de 9.252 voluntários. Destes, 4.653 tomaram a vacina e outros 4.599 receberam placebo.

No grupo da vacina, ocorreram 85 casos de covid-19 (11,74%). O grupo placebo registrou 167 pessoas com covid-19 (23,64%).

Dos que foram vacinados e tiveram covid-19, 78% deles apresentaram quadros leves. Não houve casos moderados ou graves. Ou seja, a eficácia contra covid-19 severa foi de 100%, embora este número ainda não tenha significância estatística, segundo o diretor do Butantan, Dimas Covas.

O secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, ressaltou a importância da vacina na prevenção de hospitalizações por covid-19.

"Dados que são extremamente importantes no impacto da nossa saúde pública impedindo que as pessoas adoeçam de forma grave, impedindo que as pessoas internem nas unidades hospitalares e [as] sobrecarreguem — como nós temos visto hoje pessoas desassistidas na maior parte do país por falta de leito. E ao mesmo tempo impedindo que as pessoas deixem de morrer por uma doença como essa."

A CoronaVac será usada, uma vez que seja aprovada pela Anvisa, no plano nacional de imunização contra covid-19, do SUS.

O Ministério da Saúde já se comprometeu com a compra de 46 milhões de doses até abril, além de uma opção de mais 52 milhões posteriormente, caso haja demanda.

O Butantan pediu autorização de uso emergencial da vacina junto à Anvisa para o uso das primeiras 6 milhões de doses. A conclusão dos técnicos deve ocorrer até domingo (17).

Por R7

Publicado em Coronavírus

Inscrições estão abertas; aulas começam no dia 1º de fevereiro

 

SÃO CARLOS/SP - Até o dia 28 de janeiro estão abertas as inscrições para o XIV Curso Prático de Aperfeiçoamento em Intervenção Precoce, ofertado pelo Núcleo de Estudos em Neuropediatria e Motricidade (Nenem) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), sob coordenação de Eloisa Tudella, docente aposentada da Universidade. A iniciativa é voltada a terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas. 

O objetivo do curso é capacitar os profissionais para avaliar e tratar os lactentes (crianças que são amamentadas) de acordo com Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF), que é baseada no modelo biopsicossocial, estimulando a construção de um raciocínio clínico coeso para as tomadas de decisão nas intervenções, de forma que os lactentes se tornem mais independentes e funcionais. 

O curso tem carga horária total de 540 horas e as aulas serão presenciais, de segunda a sexta-feira, das 13 às 17 horas, na Unidade Saúde Escola (USE), que fica na área Norte do Campus São Carlos da UFSCar. Em virtude da pandemia, serão respeitadas todas as normas de contingência da Covid-19 estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). As aulas serão realizadas entre 1º de fevereiro e 9 de agosto de 2021.

Para se inscrever, os interessados devem enviar currículo ao e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. As informações completas sobre o curso estão no site www.ftneuroped.ufscar.br e no Facebook (facebook.com/ufscarnenem), e dúvidas podem ser esclarecidas com a coordenadora, pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e pelo telefone (16) 99994-2188, ou também pelo telefone (67) 98183-6370 (Meyene).

Publicado em Educação

SÃO CARLOS/SP - O vereador Bruno Zancheta (PL) protocolou uma moção de protesto ao governador João Doria e ao secretário estadual de Saúde, Jean Carlo Gorinchteyn, manifestando sua posição contrária ao corte de 12% dos recursos recebidos pelas Santas Casas de todo o Estado através dos Programas Pró- Santa Casa e Programa Sustentável. Estes recursos serão retirados destes dois primordiais programas de auxílio, programas estes que são pilares de manutenção do funcionamento e do bom atendimento realizados por tais entidades filantrópicas.

Bruno Zancheta enfatizou a necessidade destes recursos que serão retirados de forma abrupta: “Estes recursos seriam de grande valia neste momento de pandemia e diante de todas enfrentadas, sabendo-se que todos os anos, através destes dois programas, a Santa Casa de São Carlos recebe mais de 1,5 milhão por mês”, afirma o vereador. “A decisão do governo estadual,  tomada de forma descabida, prejudicará toda a cadeia de atendimento e o reflexo pode ser instantâneo com vidas ceifadas”, completou.

Esta medida irá atingir 180 unidades de atendimento em todo o Estado de São Paulo, totalizando mais de 80 milhões de reais. A Federação das Santas Casas Beneficentes de São Paulo, ingressaram na justiça contra essa decisão. 

Publicado em Política

Classificados Imóveis

Alugo Apartamento

R$ 550,00

Nosso Facebook

Calendário de Notícias

« Janeiro 2021 »
Seg. Ter Qua Qui Sex Sáb. Dom
        1 2 3
4 5 6 7 8 9 10
11 12 13 14 15 16 17
18 19 20 21 22 23 24
25 26 27 28 29 30 31

Comércio e Serviços em Geral